conecte-se conosco


Cidades

Cestas verdes do Programa AlimentarES serão entregues até quarta-feira (23)

Publicado

As cestas verdes de alimentos do Programa AlimentarES, do Governo do Estado, começaram a ser entregues, na sexta-feira (18). A primeira etapa de entrega de 750 cestas foi realizada no Quartel do Comando-Geral do Corpo de Bombeiros Militar, em Vitória. As cestas verdes são compostas por verduras, hortaliças, legumes e frutas in natura, devidamente acondicionadas em sacolas plásticas individuais. Conforme cronograma definido, serão distribuídas às famílias em vulnerabilidade social 1.750 cestas até a próxima quarta-feira (23).

A solenidade teve a presença da vice-governadora do Estado, Jaqueline Moraes; da primeira-dama do Estado, Maria Virgínia Casagrande; além de representantes dos órgãos que integram a organização do programa governamental. O AlimentarES realizou a compra do total de 6.400 cestas, que serão distribuídas nos primeiros meses de 2021. A compra dos alimentos foi realizada diretamente dos pequenos agricultores, com o objetivo de promover o trabalho e fomentar a renda para a agricultura familiar no Estado.

A presidente da organização Mulheres Unidas do Caratoíra (Muca), Winy Fabiano, destacou os benefícios para as famílias em receber a cesta verde. “É uma ação muito importante que nos dá alimentos saudáveis. Há famílias que estão sem trabalho e sem renda nesta pandemia e a cesta vai ajudar muito, principalmente, às famílias com crianças e que precisam mais de uma alimentação saudável. Vamos ter mesa farta no Natal e isso é uma felicidade”, enfatizou Winy Fabiano.

A vice-governadora Jaqueline Moraes destacou que o Programa AlimentarES faz com que esses alimentos cheguem na mão de quem precisa. “São mais de 100 entidades que vão repassar as cestas. Elas são muito importantes nesse processo, porque são onde as pessoas vão buscar socorro. Os agricultores e as mulheres agricultoras estão lá na ponta produzindo esses alimentos, que agora vão para a mesa de quem necessita. O programa desenvolveu o trabalho de conscientização e educação alimentar para as pessoas que faz toda a diferença. Cuidar de vidas é nossa prioridade. Agradeço a toda a equipe de governo envolvida no AlimentarES”, ressaltou.

Durante a solenidade, a primeira-dama do Estado, Maria Virgínia Casagrande, reforçou a importância da iniciativa. “Ao olhar essas cestas, me lembro do meu pai, que tinha uma loja na Vila Rubim, onde a gente tinha facilidade com o mercado em adquirir frutas. É uma coisa muito boa iniciar nas famílias o consumo de frutas e verduras, que são um importante suplemento para a alimentação. Minha palavra é de gratidão a todos os envolvidos”, disse.

O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) coordena o AlimentarES, com a premissa de levar educação alimentar às famílias capixabas. Para isso, foram realizadas diversas lives e elaborados conteúdos digitais com temática sobre educação alimentar e nutricional, a fim de promover a saúde, sobretudo, em meio à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

“O Incaper é a ponte para os agricultores familiares que forneceram os alimentos que compõem a cesta verde. Realizamos ainda lives e um seminário com profissionais da Nutrição e de diversas outras áreas, que apresentaram conteúdos que deram luz à importância da alimentação saudável. A entrega das cestas concretiza todas as ações realizadas em prol da alimentação saudável e do fortalecimento da agricultura familiar”, informou a coordenadora do Programa AlimentarES e extensionista do Incaper, Jaqueline Sanz.

As cestas verdes serão entregues por meio do Programa ES Solidário, do Governo do Estado, que já realiza o repasse de doações de donativos no Espírito Santo desde o início da pandemia da Covid-19. A seleção dos beneficiários foi realizada pela Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), que coordena o programa, com foco nas famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.

“O ES Solidário já entregou mais de 130 toneladas de alimentos neste período de pandemia. Um período difícil, quando as pessoas precisam de muitos alimentos. As doações, de R$ 1,00 ou a de uma cesta básica, fazem muita diferença. Os alimentos da cesta verde possuem nutrientes muito importantes para a saúde e é com a saúde bem equilibrada que nós vamos vencer esse período tão difícil”, comentou a secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo.

As cestas verdes são fornecidas por organizações da sociedade civil, públicas e privadas do segmento da agricultura familiar. Elas foram selecionadas pelo de Edital da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes). De acordo com o diretor-presidente da Aderes, Alberto Farias Gavini Filho, 300 famílias de empreendedores da Agricultura Familiar foram beneficiadas com o escoamento da produção. “O projeto multiplica o trabalho do ES Solidário, ajuda o pequeno produtor gerando trabalho e renda, com o escoamento da produção prejudicada com a pandemia do novo Coronavírus, além de ajudar as famílias necessitadas que estão cadastradas no programa”, disse Alberto Gavini.

As entregas seguem as normas sanitárias estabelecidas pela Secretaria da Saúde (Sesa), que normatiza as regras aplicadas em eventos, proporcionando segurança para os cidadãos que irão retirar as cestas verdes de alimentos.

Sobre o AlimentarES

Leia mais:  Enivaldo recebe título de cidadão colatinense

O Programa AlimentarES tem por objetivo disponibilizar alimentos saudáveis na mesa de quem precisa e, ao mesmo tempo, gerar renda para os agricultores de base familiar do Espírito Santo. As cestas verdes são complementares aos donativos distribuídos pelo Programa ES Solidário, contribuindo para a melhoria da qualidade nutricional das cestas já ofertadas.

Estruturada de forma intersetorial, a atuação do AlimentarES vai beneficiar as famílias contempladas com as cestas de alimentos e também os agricultores que atuarão como fornecedores. Além disso, o projeto visa a conscientizar os capixabas sobre a importância do consumo de alimentos saudáveis, evidenciando os valores nutricionais dos alimentos e os benefícios à saúde.

O Programa AlimentarES envolve a articulação de diversas secretarias e órgãos do Governo do Estado, por meio da atuação direta da Vice-Governadoria, das Secretarias de Direitos Humanos (SEDH), da Saúde (Sesa), da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional (Secti), de Gestão e Recursos Humanos  (Seger) e de Economia e Planejamento (SEP); da Superintendência Estadual de Comunicação Social (Secom); do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); das Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa); do Corpo de Bombeiros Militar; e da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), além da parceria do Centro Universitário Salesiano de Vitória (Unisales), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Sobre o ES Solidário

Leia mais:  Projeto para a criação de escola municipal dentro do Ifes em Vila Velha

O programa ES Solidário atende às demandas por meio de solicitações feitas por municípios, coletivos, associações e igrejas com ações sociais, que direcionam as doações de donativos às pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza.

Os donativos são recebidos por meio de doações feitas por empresas e pela sociedade civil. Contribuições em dinheiro são usadas para a compra de alimentos e outros itens essenciais. Os repasses são feitos em parceria com o Corpo de Bombeiros, responsável pela logística de entrega.

Desde o início do programa, foram arrecadadas e distribuídas mais de 130 toneladas em cestas básicas, além de 5.273 kits de higiene e limpeza, 354 pacotes de fraldas geriátricas, 230 frascos de álcool em gel, mais de mil máscaras. Também foram distribuídos mais de 6.300 itens avulsos. No total, até o momento, famílias de 47 cidades capixabas foram atendidas pelo ES Solidário.

publicidade

Cidades

Iconha: Casagrande visita obras de reconstrução da cidade

Publicado

Um ano após as fortes chuvas que atingiram a região sul capixaba, o Governo do Espírito Santo segue trabalhando na reconstrução da infraestrutura das cidades atingidas. Nesta sexta-feira (15), o governador Renato Casagrande esteve novamente em Iconha, uma das cidades mais atingidas pelo desastre, para visitar as obras emergenciais já concluídas ou que estão em fase final para conclusão. O Estado investiu mais de R$ 130 milhões na reconstrução de estradas, pontes e contenções, além do fornecimento de horas máquina para limpeza da cidade e do Cartão Reconstrução ES para 466 famílias atingidas pelas chuvas.


“O trabalho que nós fizemos aqui durante esse um ano foi importante. A chuva literalmente destruiu Iconha. Essa rodovia até Vargem Alta foi praticamente toda refeita. Construímos oito pontes e vários muros de contenção. Sob coordenação da nossa Assistência Social, atendemos quase 500 famílias do município. Vamos seguir fazendo investimento. Estamos buscando recursos junto ao Banco Mundial para obras que diminuam o impacto das chuvas. Temos tarefas gigantescas pela frente, mas vamos seguir reconstruindo Iconha e as outras 24 cidades atingidas pelas chuvas do ano passado”, afirmou o governador.


Desde a ocorrência do desastre, nos primeiros do ano de 2020, o governador acompanha de perto toda a mobilização para recuperação das cidades da região sul capixaba. Na manhã seguinte às chuvas mais intensas, Casagrande esteve em Iconha e nos municípios vizinhos para acompanhar os trabalhos das equipes da Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros e demais órgãos envolvidos no atendimento às vítimas.

No dia 25 de janeiro, o Governo do Estado organizou um Mutirão Solidário, que contou com centenas de voluntários, para a limpeza das ruas e de estruturas afetadas pelas chuvas em Iconha. Nas semanas seguintes, o Estado organizou escritórios itinerantes para auxiliar moradores e empresários locais para o recebimento de assistência social, consultoria contábil e financeira, além de apoio para captação de linhas de financiamento emergencial. O Governo também concedeu isenção de ICMS na compra de máquinas e equipamentos para quem teve prejuízo com as chuvas.

Desta vez, o cenário encontrado em Iconha foi de esperança, com a retomada das atividades econômicas e a reconstituição da infraestrutura em todo município. Vários órgãos do Governo do Estado participaram deste processo. O Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES) esteve à frente dos trabalhos de reconstrução, bem como na elaboração de projetos já prontos para que as prefeituras da região pudessem captar recursos federais de reconstrução, devolvendo aos cidadãos a dignidade e a estrutura necessárias.

Em Iconha, as obras emergenciais contemplam 13 grandes contenções com execução de cortina atirantada com quase 650 metros já executados, além de gabião em caixa. Além disso, a cidade recebeu 8 novas pontes (Ponte Duas Barras II, Ponte Duas Barras I, Ponte Laranjeiras, Ponte São José, Ponte Morada Vale, Ponte Açougue, Ponte Ilha de Santo Inácio e Ponte André Bagatoli). Também está sendo construída uma nova sede da Creche Municipal Sinhá Rosa, no bairro Jardim Jandira, que vai permitir a ampliação na oferta de vagas para crianças entre zero e três anos de idade.

O diretor presidente do DER-ES, Luiz César Maretto, enfatizou a importância das obras emergenciais. “No começo do ano passado, o Governo do Estado se apresentou à população de Iconha e se propôs a resolver a situação. Encontramos uma cidade praticamente destruída, mas com muito trabalho e boa vontade, estamos devolvendo à sociedade iconhense uma cidade totalmente reconstruída e segura”, disse.

Além das obras de infraestrutura e ações para recuperação econômica dos municípios atingidos, o Governo do Estado também voltou sua atenção para as famílias afetadas pelo desastre. Foi reativado o Cartão Reconstrução, que permitiu a doação de R$ 3 mil para compra de material de construção/reforma, eletrodomésticos e compras de móveis, ou outro bem e mercadoria danificados pelas chuvas. Somente em Iconha, o benefício foi concedido a 466 famílias de baixa renda, cadastradas pela Prefeitura.

O benefício também foi concedido ainda a moradores de Alfredo Chaves, Rio Novo do Sul, Vargem Alta, Conceição do Castelo, Iúna, Alegre, Apiacá, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Domingos Martins Guaçuí, Ibitirama, Irupi, Jerônimo Monteiro, Marechal Floriano, Mimoso do Sul, Muniz Freire e São José do Calçado.

A secretária de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Cyntia Figueira Grillo, lembrou a participação da pasta no trabalho de reconstrução da cidade. “Aproveitamos esse momento para fortalecer a parceria de sempre do Governo do Estado com os municípios. E naquele momento estivemos presentes com toda a estrutura de recursos humanos da Secretaria em um dos municípios mais afetados. A intersetorialidade do Governo, com várias pastas investindo no nosso território vai fazer a diferença sem sombra de dúvida dentro dos desafios que temos que enfrentar durante este ano e em 2022”.

Novas obras

Leia mais:  Projeto para a criação de escola municipal dentro do Ifes em Vila Velha

Durante a agenda oficial em Iconha, o governador Renato Casagrande anunciou mais uma obra para o município. Foi dada Ordem de Serviço para a realização da obra no entroncamento da BR-101, no Morro da Palha, que faz parte do Programa Caminhos do Campo – da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag). Com mais de dois quilômetros de extensão, o valor do investimento passa de R$ 2,7 milhões. O prazo de conclusão das obras é de até 180 dias.

“É a segunda vez que dou ordem de serviço dessa estrada. A primeira foi em nosso mandato anterior, mas infelizmente o governo que veio depois deixou essa obra congelada. Gosto de produzir resultados e vamos fazer um Caminhos do Campo para qualificar esse trecho e resgatar o tempo em que essa obra ficou parada. Com boa gestão fiscal, nosso Estado tem capacidade para realizar investimentos. Fizemos um governo de muitas entregas e agora estamos realizando diversas entregas neste nosso segundo governo”, pontuou Casagrande.

O subsecretário de Estado de Infraestrutura Rural, Rodrigo Vaccari, explicou mais sobre o programa. “Estamos oferecendo às áreas com maior densidade da agricultura familiar uma melhor trafegabilidade para que os veículos possam realizar o escoamento da produção de forma segura e com rapidez, além de facilitar a mobilidade da comunidade, especialmente a rural”, disse.

O prefeito de Iconha, Gedson Paulino, agradeceu a parceria do Governo do Estado com o município, seja no trabalho de reconstrução como em novos investimentos para melhorar a vida da população. “É uma alegria para nós de Iconha recebermos essa Ordem de Serviço de uma obra do Caminhos do Campo, que teve início ainda na primeira gestão do governador Casagrande, que retorna agora para dar continuidade. Passamos por uma tragédia e estamos reconstruindo a cada dia. Somos um povo trabalhador”, exclamou.Gedson Paulino continuou: “Saiu a lama e agora estamos tirando a cidade da lama com obras estruturantes. Iconha tem um parceiro que é o Governo do Estado. Não existe na história do Estado um governador que fez mais pelo nosso município do que Renato Casagrande. Nesse momento de tragédia, todas as pontes, muros de contenção, maquinário e assistência social foram feitas pelo Governo do Estado.”.

Leia mais:  Proposta objetiva desassoreamento de rios
Continue lendo

Cidades

Escolas Estaduais recebem recursos financeiros para atender demandas ao longo de 2021

Publicado

A Secretaria da Educação (Sedu) liberou um repasse de recursos financeiros aos Conselhos de Escola, por meio da conta do Programa Estadual de Gestão Financeira Escolar (Progefe), no valor de quase R$ 40 milhões, para atender as despesas ao longo de 2021. A Portaria nº 005 – R, que dispõe sobre as regras, foi publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (15).

A gestão dos recursos financeiros deverão abranger demandas de acordo com o contexto em que cada unidade escolar está inserida, tais como: despesas com contador, manutenção, material de expediente, aquisição de material de consumo, realização de pequenos reparos, adequações e serviços necessários à manutenção, conservação e melhoria da estrutura física da unidade escolar, implementação de projeto pedagógico, contratação de Internet, videomonitoramento, desenvolvimento de atividades educacionais, entre outras demandas.

Confira a  Portaria nº 005-R.

Leia mais:  Governo prorroga uso obrigatório do CartãoGV no Transcol e cobradores seguem afastados
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana