conecte-se conosco


Mundo Cristão

Conselho de igrejas evangélicas expressa ‘máxima repulsa’ ao STF e TSE

Publicado

Um conselho de igrejas evangélicas se posicionou a respeito das recentes medidas impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e também pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em uma nota pública.

O grupo abrigado no Conselho Estadual das Igrejas Evangélicas do Estado do Espírito Santo (CEIGEVES) expressou seu descontentamento com duras críticas às duas instituições e medidas consideradas inconstitucionais e arbitrárias.

O texto, assinado por 29 entidades evangélicas, expressa “total repúdio” pelas “flagrantes inconstitucionalidades perpetradas” por ambas as cortes, e manifesta “indignação e perplexidade com as medidas desarrazoadas utilizadas por alguns integrantes do Supremo Tribunal Federal e [do] Tribunal Superior Eleitoral contra a liberdade de expressão de cidadãos críticos à postura de integrantes dessas Cortes”.

Recentemente, o STF determinou a prisão de formadores de opinião, e a interpretação do Conselho é que os cidadãos estão na cadeia “por crime de ‘opinião, palavras, atos ou manifestação pública’”.

Para o grupo de evangélicos, as medidas significam “flagrante prisão política em pleno regime democrático”, o que os signatários consideram inaceitável, “bem como qualquer outro abuso que vier a ser perpetrado por quaisquer outros poderes constituídos”.

O documento lembra ainda que os pedidos de prisão foram “determinados por ordem unilateral do ofendido que investiga, denuncia, julga e prende por figurar como juiz relator do inquérito aberto pelo Regimento Interno do STF à revelia dos fundamentos do Código de Processo Penal”, sem citar o nome do ministro Alexandre de Moraes, de acordo com informações do Pleno News.

Ao final, o conselho despreza “com máxima repulsa, qualquer ato político de governadores e instituições em apoio a qualquer tipo de perseguição contra a manifestação do pensamento, posições ideológicas e concepções políticas por entender se tratar de notória arbitrariedade de natureza totalitária e antidemocrática”.

Confira a íntegra da nota:

O Conselho Estadual das Igrejas Evangélicas do Estado do Espírito Santo – CEIGEVES, que na sua composição integra Líderes e Igrejas, Associações, Convenções de diversas denominações Evangélicas representando mais de 1 milhão e 500 mil evangélicos no Estado do Espírito Santo, vem publicamente manifestar sua indignação e perplexidade com as medidas desarrazoadas utilizadas por alguns integrantes do Supremo Tribunal Federal e Tribunal Superior Eleitoral contra a liberdade de expressão de cidadãos críticos à postura de integrantes dessas Cortes.
A Constituição Federal ergueu barreiras de precaução e inviolabilidade exatamente contra pretensões revanchistas, vingativas ou de retaliações a desafetos políticos ou administrativos, petrificando e garantindo a liberdade de expressão, consciência e manifestação do cidadão em público ou em privado, a fim de garantir a sociedade dentro do Estado Democrático de Direito a liberdade de exposição do seu pensamento em temas de interesse público ou particular.
O Brasil caminha a passos largos para desestruturação social, ignomínia jurídica e vexame internacional diante das detenções sem julgamento de 04 (quatro) cidadãos por crime de “opinião, palavras, atos ou manifestação pública” (01 ativista – 01 jornalista – 01 Deputado Federal e 01 Presidente Nacional de partido político), mediante exprimirem suas discordâncias contra a conduta, atuação e postura de integrantes do Supremo Tribunal Federal – STF e Tribunal Superior Eleitoral, configurando assim uma flagrante prisão política em pleno regime democrático, bem como qualquer outro abuso que vier a ser perpetrado por quaisquer outros poderes constituídos.
Os encarceramentos autoritários foram determinados por ordem unilateral do ofendido que investiga, denuncia, julga e prende por figurar como juiz relator do inquérito aberto pelo Regimento Interno do STF à revelia dos fundamentos do Código de Processo Penal, sem a participação do Ministério Público, que a bem da verdade se manifestou contra a prisão do dirigente partidário alegando que se equivaleria à censura prévia, dado a total inexistência de requisitos que justificasse a constrição cautelar (prisão preventiva), como também já havia se manifestado desde abril de 2019 pelo pedido de arquivamento do alienígena inquérito aberto, mas não foi atendido pelo presidente do Supremo.
Portanto, as instituições que subscrevem este manifesto demonstram seu total repúdio diante flagrantes inconstitucionalidades perpetradas com abuso de autoridade, ausência de contraditório e ampla defesa necessários ao devido processo legal, e que infelizmente está sendo praticado por integrantes da Corte Suprema, estas instituições desprezam ainda com máxima repulsa, qualquer ato político de governadores e instituições em apoio a qualquer tipo de perseguição contra a manifestação do pensamento, posições ideológicas e concepções políticas por entender se tratar de notória arbitrariedade de natureza totalitária e antidemocrática.
O texto foi assinado pelas seguintes organizações:
1. CEIGEVES – CONSELHO ESTADUAL DAS IGREJAS EVANGÉLICAS DO ESPÍRITO SANTO;
2. APEV – ASSOCIAÇÃO DE PASTORES EVANGÉLICOS DE VITÓRIA/ES;
3. SINODO CENTRAL ESPIRITOSSANTENSE DA IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL;
4. CEMADES – CONVENÇÃO EVANGÉLICA DOS MINISTROS DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO;
5. CONFRATERES – CONVENÇÃO FRATERNAL DE MINISTROS DA ASSEMBLEIA DE DEUS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO;
6. BATISTAS – CONVENÇÃO BATISTA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO;
7. OPBB – ORDEM DOS PASTORES BATISTAS DO BRASIL – SEÇÃO ESPÍRITO SANTO;
8. CEADER – A CONVENÇÃO EVANGÉLICA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E OUTROS;
9. CED – CONSELHO ESTADUAL DE DIRETORES DA IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR;
10. PES – PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE DA IGREJA PRESBITERIANA RENOVADA DO BRASIL;
11. APLEC – ASSOCIAÇÃO DE PASTORES E LÍDERES EVANGÉLICOS DE CONCEIÇÃO DA BARRA-ES;
12. APLIC – ASSOCIAÇÃO DE PASTORES, LÍDERES E IGREJAS EVANGÉLICAS DE COLATINA-ES;
13. APEVIVE – ASSOCIAÇÃO DE PASTORES EVANGÉLICOS DE VILA VELHA-ES;
14. ASPLEVI – ASSOCIAÇÃO DE PASTORES EVANGÉLICOS DE VIANA-ES;
15. COPEG – CONSELHO DE PASTORES DE GUARAPARI-ES;
16. UNIGREJAS – UNIÃO NACIONAL DE IGREJAS E PASTORES EVANGÉLICO;18. AEAB – ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA DE AGUIA BRANCA-ES;
17. APLEFES – ASSOCIAÇÃO DE PASTORES EVANGÉLICOS DE FUNDÃO-ES;
20. CONPEG – CONSELHO DE PASTORES DE GUAÇUÍ-ES;
18. UMCEES – UNIÃO DE MILITARES CRISTÃOS EVANGÉLICOS DO ESPÍRITO SANTO;
19. ASPAEPEC – ASSOCIAÇÃO DE PASTORES E EVANGELISTAS DE PEDRO CANÁRIO-ES;
20. COPESM – CONSELHO DE PASTORES DE SÃO MATEUS-ES;
21. COPAI – CONSELHO DE PASTORES DE IBATIBA-ES;
22. AME – ASSOCIAÇÃO MIMOSENSE DE EVANGÉLICOS;
23. APESGP – ASSOCIAÇÃO DOS PASTORES EVANGÉLICOS DE SÃO GABRIEL DA PALHA;
24. CONPAS – CONSELHO DE PASTORES EM SERRA;
25. AMAR – ASSOCIAÇÃO DOS MINISTROS DE ARACRUZ;
26. CBN-ES – CONVENÇÃO BATISTA NACIONAL – SEÇÃO ESPÍRITO SANTO;
27. ASPLEC – ASSOCIACAO DE PASTORES E LÍDERES EVANGÉLICOS DE CARIACICA;
28. CEADES – CONVENÇÃO DOS MINISTROS DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO;
29. VINHA ES – VIDEIRA E MINISTÉRIOS ASSOCIADOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

Leia mais:  A importância da família no desenvolvimento das crianças
publicidade

Mundo Cristão

Twitter classifica imagem de família orando como conteúdo sensível

Publicado

Imagem de família orando na mesa é classificado como conteúdo sensível enquanto mídias pornográficas abrem livremente.

O Twitter mandou um aviso para uma publicação de humor na conta @JoaquinTeixeira como um “conteúdo sensível”, depois que ele compartilhou uma imagem de uma família orando antes da refeição com a legenda “falta isso hoje”.

Seguidores do usuário foram avisados de que a imagem teria, supostamente, conteúdo sensível, enquanto que uma foto com conteúdo pornográfico não foi classificada como sensível.

Terrorismo

A rede social já foi alvo de críticas por permitir propaganda do grupo terrorista Talibã, mesmo após ter censurado o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Jack Dorsey, um membro do Congresso americano, denunciando o notável “duplo padrão” por banir o ex-presidente Donald Trump da plataforma, mas permitir o Talibã.

Lamborn acusou o Twitter de não impor qualquer de seus esforços de verificação de fatos sobre as contas talibãs, ou bani-los em vista da proibição do site sobre “organizações violentas”.

Leia mais:  Franklin Graham diz que, mesmo na pandemia, Deus criou oportunidades para o Evangelho
Continue lendo

Mundo Cristão

Grupo afirma que desenho da Netflix prepara crianças para abuso sexual

Publicado

Netflix é criticada por desenho com conteúdos inadequados

Um grupo de observadores da mídia familiar está pedindo às autoridades que investiguem a série “Big Mouth” da Netflix por potencialmente violar leis de pornografia infantil, alegando que a série prepara crianças para abuso sexual.

Em uma reportagem o grupo Parents Television and Media Council expressou preocupações com a série que se concentra em estudantes do ensino médio passando pela puberdade e retrata crianças de 12 e 13 anos em situações sexuais e se envolvendo em diálogo sexual.

O relatório contém capturas de tela e listas de exemplos de “conteúdo sexualizador ou sexualmente explorador envolvendo crianças” ao longo dos 10 episódios da quarta temporada da série.

O PTC descobriu que ao longo de todas as 4 horas e meia de programação inclusas na  quarta temporada de “Big Mouth”, cada minuto de programação apresentava “quase 4 ocorrências de sexo, violência e linguagem profana, indecente ou obscena”.

A quarta temporada continha 17 casos de nudez animada, a maioria com os genitais de personagens menores de idade. Além disso, foram registradas “190 referências sexuais ou casos de insinuações sexuais”. A série também continha uma infinidade de palavrões, incluindo linguagem sexualmente carregada.

“Deveria chocar a consciência ver as crianças sexualmente exploradas por causa do entretenimento e do lucro financeiro, como é o caso em “Big Mouth”. Ver crianças usadas dessa maneira para o entretenimento de adultos viola nossas sensibilidades, especialmente quando, em todo o país e em todo o mundo, a agressão sexual está aumentando, e mulheres e crianças estão sendo mantidas em cativeiro sexual”, disse o presidente do PTC, Tim Winter, em um comunicado segundo The Christian Post.

Em 2018, a Netflix fez uma parceria com o Facebook para distribuir um jogo chamado “Hand Masters” baseado na série, que estava então em sua primeira temporada. Descrito como o “primeiro jogo internacional de masturbação”, o jogo recompensa os jogadores com base em sua capacidade de usar seu smartphone para simular masturbação masculina por 20 segundos.

“Eles estão encorajando os adultos a ver essas crianças como objetos sexuais ou encorajando as crianças a imitar o comportamento que estão vendo no desenho animado. Qualquer cenário é muito preocupante”, observou a diretora do PTC Melissa Henson.

Leia mais:  Franklin Graham diz que, mesmo na pandemia, Deus criou oportunidades para o Evangelho
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana