conecte-se conosco


Cidades

Cooperativismo e associativismo geram oportunidades em meio à crise

Publicado

Em Linhares, entidades que atuam com aquicultura, artesanato, pesca e turismo participam de ações de fortalecimento das atividades 

O cooperativismo e associativismo no país têm crescido a cada ano no Brasil, gerando oportunidades em diversos setores da economia, principalmente em momentos de crises. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a empregabilidade brasileira, no período de 2014 a 2018, cresceu 5%. Nesse mesmo período, os dados do Anuário do Cooperativismo Brasileiro de 2019 apontam um crescimento de cerca de 18% de postos de trabalho. 

No país, de acordo com o Anuário, cerca de 50 milhões de brasileiros têm no cooperativismo, seja direta ou indiretamente, uma fonte de trabalho e de renda. No Espírito Santo, são cerca de 444,1 mil associados a 149 cooperativas registradas. 

O retorno das cooperativas brasileiras à sociedade em 2018 chegou a R$ 16 bilhões, entre tributos e impostos e pagamento de salários e outros benefícios garantidos aos colaboradores. Já o associativismo, segundo o IBGE, tem participação oficial de 1,4% na formação do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, o que representa uma contribuição de R$ 32 bilhões.

Por acreditar nesse potencial, a Fundação Renova desenvolveu o projeto de desenvolvimento e fortalecimento de Empreendimentos de Base Solidária (EBS), cooperativismo e associativismo, nos municípios impactados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

Em Linhares (ES), entidades que atuam em atividades de aquicultura, artesanato, pesca e turismo estão sendo beneficiadas com o projeto que visa promover, avaliar, implantar, desenvolver, acompanhar e fortalecer EBS, associações e cooperativas, nos diversos segmentos da economia. São elas: Associação de Artesanato de Povoação do Rio Doce (AAPRD), Associação dos Pescadores e Assemelhados de Povoação (APAP), Associação de Turismo de Povoação – Condutores Sumaré, os três na comunidade de Povoação, e a Associação dos Piscicultores do Guaxe (APIGUA), na comunidade do Guaxe.

O projeto da Fundação Renova, em parceria com a DVF Consultoria, foi iniciado em março de 2019 e tem duração de dois anos. Serão realizadas 1.760 horas de consultoria, sendo 160 horas/mês. Neste momento de pandemia da Covid-19, o trabalho com essas entidades é realizado por meio de consultorias on-line.

“Os grupos recebem todo o acompanhamento da consultoria para desenvolverem ainda mais seus negócios nos territórios impactados. E uma alternativa encontrada para a continuidade das atividades nesse período de pandemia do coronavírus foi o atendimento remoto, por meio de consultorias on-line”, diz o analista do programa de Economia e Inovação Kadio Serge Aristide.

Ao final do trabalho, cada entidade apresentará um plano de negócios, que consiste em um retrato do mercado como base para estruturar os objetivos e identificar os caminhos que devem ser seguidos pelo empreendedor, a fim de diminuir riscos e incertezas da atividade.

“A elaboração do plano de negócio e a formalização como associações, no caso de não formalizados, são as ações que os grupos mais anseiam, para que possam aprender a enxergar novas oportunidades e aproveitá-las para realizarem parcerias e negócios”, afirma a consultora Nayana Martins, da DVF Consultoria.

 

Leia mais:  Banestes lança edital para concurso público

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi estabelecida por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

publicidade

Cidades

EDP e Prefeitura lançam programa Comunidade IN em Jabaeté

Publicado

A Prefeitura de Vila Velha, em parceria com a EDP lançou, na manhã desta sexta-feira (14), em cerimônia híbrida, o programa Comunidade IN, que irá realizar ações para promover o desenvolvimento sustentável do bairro Jabaeté, na região da Grande Terra Vermelha.
 
O prefeito Arnaldinho Borgo, acompanhado da secretária de Planejamento e Projetos Estruturantes, Menara Cavalcante, recebeu no gabinete Fernando Saliba, diretor da EDP no Espírito Santo, para assinatura do acordo. 

“ O trabalho que a EDP vai realizar em parceria conosco é essencial para reduzir as desigualdades na cidade, somando expertise da concessionária com nosso time, que vai levar ações sociais, inovações para consumo de energia ou implantação de ideias para que essas pessoas tenham acesso à energia. É um conjunto de esforços para cuidar de quem mais precisa”, comentou o prefeito.
 
O programa tem como eixo central a inovação social, com uma participação ativa da comunidade para o levantamento de temas prioritários e execução de projetos que atendam as necessidades locais.  

O Comunidade IN se baseia no conceito de cidades inteligentes, que propõe realizar intervenções que possam despertar um processo de transformação e consolidação da comunidade. O papel da EDP, por meio do Instituto EDP, entidade responsável pelas iniciativas socioculturais da EDP, vai desde executar ações alinhadas com sua estratégia e expertise, até a mobilização de parcerias para a realização das iniciativas propostas. 

“Na EDP temos o propósito de ‘usar nossa energia para cuidar sempre melhor’ e isso envolve contribuir para o bem-estar social das localidades onde a empresa atua. O projeto poderá impactar a vida de mais de 640 famílias da comunidade e terá a participação ativa dos moradores e liderança comunitária responsáveis por planejar as ações de forma colaborativa, para melhorar a qualidade de vida no bairro”, afirmou Fernando Saliba, diretor da EDP no Espírito Santo. 

Ao longo de três anos, o programa Comunidade IN promoverá ações sobre o consumo responsável de energia, destinação correta do lixo, reformas de moradias, aceleração de propostas locais de geração de emprego e renda, além da atenção à educação básica e profissional, tendo como protagonista dessas mudanças a própria comunidade.

Leia mais:  Procon-ES orienta sobre compras de alimentos e dá dicas para fazer ceia mais barata
Continue lendo

Cidades

Prefeitura e Corpo de Bombeiros entregam cestas básicas às famílias ilhadas de Areal

Publicado

Linhares – A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPDEC), da Prefeitura de Linhares, tem dado prosseguimento às ações que visam mitigar os impactos da cheia do rio Doce sobre a população ribeirinha e as famílias que vivem em áreas rurais, que estão inundadas.

Visualização da imagem

Nesta sexta-feira (14), a Prefeitura de Linhares, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e da Defesa Civil, e o Corpo de Bombeiros realizaram a entrega de 100 cestas básicas – doadas pela instituição militar –, destinadas às famílias que estão ilhadas em Areal, distrito de Regência, e demais comunidades da região.

Visualização da imagem

“Hoje, recebemos 100 cestas básicas doadas pelo Corpo de Bombeiros, que estão sendo entregues às famílias que estão ilhadas em fazendas e comunidades rurais. Já nos abrigos do bairro Conceição e Araçá, estamos oferecendo, além da alimentação, material de higiene, colchão, roupa de cama e banho. Também recebemos doações de roupas, que serão distribuídas às famílias acolhidas”, informa a secretária de Assistência Social, Luciana Mantovaneli Amorim.

Visualização da imagem

A operação contou com o apoio do helicóptero do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo da Secretaria da Casa Militar (Notaer), que continua dando suporte às ações de resgate e socorro aos moradores das comunidades rurais inundadas pela cheia do rio Doce. Na tarde desta sexta, o nível do rio recuou para 5,40 metros e a tendência é diminuir nas próximas horas, conforme a Defesa Civil.

“Estamos reforçando o suporte que o Município tem oferecido, desde o início da cheia do rio Doce, através do empenho de todas as nossas secretarias. A princípio, damos assistência e proteção às famílias impactadas para, posteriormente, recuperarmos as estradas que dão acesso às comunidades do interior”, destaca o prefeito de Linhares, Guerino Zanon.

No momento, cinco famílias estão abrigadas no ginásio poliesportivo do bairro Araçá, sendo 15 adultos e oito crianças – duas famílias resgatadas preferiram permanecer na casa de parentes. Já no ginásio do bairro Conceição, há 13 famílias, que totalizam 25 adultos e 10 crianças.

Leia mais:  Prorrogadas as inscrições para o edital de projeto de criação de abelhas sem ferrão no ES
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana