conecte-se conosco


Segurança

Crianças desaparecidas há mais de um ano são encontradas em Marataízes e Piúma, no Sul do ES

Publicado

As crianças eram mantidas em cárcere privado e obrigadas a vender doces e balas nas ruas há mais de um ano

A Guarda Municipal de Marataízes, no Sul do Espírito Santo, resgatou quatro crianças que estavam mantidas em cárcere privado e que eram obrigadas a vender doces e balas nas ruas há mais de um ano. Os pais já haviam feito boletim de ocorrência sobre o desaparecimento dos filhos. O caso, que foi descoberto na última sexta-feira (20), segue sob investigação da Polícia Civil.

Uma criança foi resgatada na cidade e as outras três em Piúma. Segundo informações dos agentes, tudo começou com uma denúncia anônima. Uma mulher de 25 anos estaria com uma das crianças desaparecidas, um menino de 12 anos, em uma lanchonete, na Avenida Rubens Rangel, uma das principais de Marataízes.

Durante a abordagem, a mulher se identificou com nome falso e tentou a todo momento não responder diretamente As perguntas dos guardas. Isso acabou levantando mais suspeitas.

Ao revistarem a bolsa da suspeita, eles encontraram uma carteira de motorista com o nome verdadeiro. Contra ela, ao fazer uma busca no sistema eletrônico de segurança também foi descoberto a existência de um boletim por suspeita de sequestro e cárcere privado. A mulher negou as acusações e a criança que estava com ela também a defendeu perante as autoridades e também se apresentou com nome falso.

Leia mais:  Polícia Militar apreende 148 pés de maconha em Mimoso do Sul

Eles foram encaminhados para a Delegacia Regional de Itapemirim. Na delegacia, o pai da garoto e o Conselho Tutelar foram acionados e descobriram que mais três crianças em Piúma estariam vivendo nas mesmas condições da encontrada em Marataízes. Todas as crianças foram entregues aos responsáveis legais.

A mulher prestou depoimento e foi liberada. 

De acordo com o secretário de segurança de Marataízes, Anderson Gouveia, as crianças podem ter sido vítimas de uma quadrilha especializada em exploração de trabalho infantil. 

Elas teriam sido sequestradas de suas famílias para vender doces nos cruzamentos dos semáforos nas cidades do litoral sul. Tudo será investigado pela Polícia Civil.

O que diz a Polícia Civil

Segundo o delegado Djalma `Pereira Lemos, titular da Delegacia Regional de Itapemirim, que atendeu a ocorrência, a mulher detida era tia do menino. Ela foi ouvida e liberada depois. 

A suspeita não foi autuada por sequestro ou cárcere privado por não haver uma medida judicial contra ela e também porque o garoto estava sob responsabilidade da mãe. Porém, ela será investigada por trabalho infantil.

Leia mais:  Detento é espancado até a morte em Penitenciária de Viana

A Delegacia de Polícia de Marataízes assumiu o caso e o delegado responsável poderá convocar a mulher para mais esclarecimentos.

publicidade

Segurança

Suspeitos de abuso e exploração sexual infantil na internet são presos durante operação no ES

Publicado

As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC)

Dois suspeitos foram presos em flagrante nesta quinta-feira (30) por abuso e exploração sexual, no ambiente virtual, no Espírito Santo. As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

O títular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), delegado Brenno Andrade, afirmou que as duas prisões já realizadas foram efetuadas nos municípios de Vitória e Vila Velha. Se condenados, os presos podem cumprir até dez anos de prisão.

“Foram conduzidas para a unidade policial, vamos lavrar o procedimento e encaminhar ao Poder Judiciário. Com elas foi encontrado material de abuso extremamente bárbaro. A Polícia dá prioridade a isso porque afeta não só as crianças, mas o entorno dela, o crescimento da criança, os pais, familiares, o ambiente escolar. Queremos prender esses criminosos e levar à Justiça”, afirmou a autoridade policial.

De acordo com informações da PC, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em três municípios do Estado nesta quinta (30). 

Leia mais:  Polícia Militar apreende 148 pés de maconha em Mimoso do Sul

A ação faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Ao todo, são 162 alvos no Brasil e mais 6 países, incluindo os Estados Unidos.

Continue lendo

Segurança

Idosa cai em golpe do bilhete premiado em Camburi e transfere R$ 200 mil para suspeitos

Publicado

Dois homens e uma mulher participaram do crime e acabaram detidos na Serra, enquanto tentavam sacar o valor

Uma senhora de 75 anos foi vítima do “golpe do bilhete premiado” nesta terça-feira (28), enquanto caminhava no calçadão da Praia de Camburi, em Vitória. A idosa acabou transferindo R$ 200 mil para a conta de um dos suspeitos, dois homens e uma mulher, que acabaram detidos na Serra.

A vítima foi abordada pelos dois homens, que se aproximaram e disseram que um deles tinha um bilhete premiado da loteria. De acordo com a polícia, o prêmio seria de R$ 2,9 milhões.

Com tanto dinheiro para receber, os dois suspeitos fizeram uma proposta para a idosa: pediram que ela fizesse uma transferência bancária no valor de R$ 200 mil e garantiram que depois a senhora receberia um valor maior.

Ela foi levada de carro por eles até uma agência bancária, no bairro Parque Residencial Laranjeiras, na Serra, onde realizou a transferência. Em seguida, foi convencida a aguardar enquanto os dois homens seguiam para outra agência do bairro, para fazer o saque.

Leia mais:  Espírito Santo fecha mês de fevereiro com menor número de homicídios dos últimos 25 anos

Assim que eles partiram, a idosa ligou para um funcionário da empresa da família e pediu que fosse puxado o extrato da conta. De acordo com a polícia, o colaborador chegou a perguntar o motivo, mas ela desconversou e desligou. Ele então checou o extrato e verificou que ela havia feito a transferência de valor elevado.

O funcionário ficou desconfiado de que ela pudesse ter caído em um golpe e seguiu às pressas para a agência onde a idosa estava para tentar evitar o prejuízo. Lá pediu ao gerente o bloqueio da conta e acionou a Polícia Militar.

Na sequência, buscas foram feitas e os suspeitos foram detidos na porta de outra agência bancária, após tentarem sacar o dinheiro. Além dos dois homens, foi detida também uma mulher.

Os suspeitos já foram identificados. Confira nomes e quais foram as participações:

• Kalita Vianna Sarmento Soares, de 34 anos, teria entrado na segunda agência com o segundo suspeito;

• Carlos Henrique Caixeiro e Souza, de 32 anos. Os dados da conta dele foram passados para a idosa. Ele alega que não sabia que as informações seriam para um golpe.

Leia mais:  Internos e internas concluem curso Orientação ao Mundo do Trabalho

• Álvaro Lopes Naschi, de 35 anos. Ele aguardava Kalita e Carlos em um carro, na porta da segunda agência.

De acordo com a Polícia Civil, os três foram autuados em flagrante por estelionato e encaminhados ao sistema prisional. Álvaro já teve passagem criminal, entre dezembro de 2017 a abril de 2019, por falta de pagamento de pensão alimentícia.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana