conecte-se conosco


Brasil

Desemprego cai para 11,2% em novembro, mas ainda atinge 11,9 milhões, diz IBGE

Publicado

Taxa de desemprego é a menor desde o trimestre encerrado em março de 2016, quando foi de 10,9%.

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em novembro, atingindo 11,9 milhões de pessoas, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foi a segunda queda seguida do indicador, que ficou em 11,6% nos três meses até outubro. Com isso, a taxa de desemprego é a menor desde o trimestre encerrado em março de 2016, quando foi de 10,9%. Em maio e abril de 2016, a taxa foi de 11,2%.

Evolução da taxa de desemprego — Foto: Economia G1

Segundo o IBGE, contribuíram para a queda no desemprego no mês passado as vagas temporárias abertas no comércio para fazer frente às datas comemorativas de final de ano. Com isso, a população ocupada chegou ao recorde de 94,4 milhões de pessoas.

Em nota, a analista da pesquisa, Adriana Beringuy, aponta que o resultado confirma a sazonalidade esperada para essa época do ano e que foi retomada desde 2017.

Na comparação com os três meses encerrados em agosto, o número de pessoas ocupadas cresceu em 785 mil. Destes, 338 mil foram no comércio, uma alta de 1,8%. Houve crescimento também no setor de alojamento e alimentação, com 204 mil ocupados a mais, seguido pela construção, com 180 mil vagas.

Também na mesma comparação, houve alta de 1,1% na geração de empregos com carteira de trabalho, o maior crescimento desde o trimestre encerrado em maio de 2014. Foram 378 mil pessoas a mais com carteira, totalizando 33,4 milhões de trabalhadores nessa categoria.

Já o número de empregados sem carteira de trabalho assinada no setor privado ficou estatisticamente estável, em 11,8 milhões de pessoas.

Informalidade e novo recorde na conta própria

Apesar da melhoria no emprego com carteira, houve crescimento também nos indicadores de informalidade. Nos três meses até novembro, houve alta de 1,2% no número de trabalhadores por conta própria, que chegou a 24,6 milhões de pessoas – novo recorde na série histórica do IBGE.

Leia mais:  Saiba quais regras o eleitor deverá seguir na hora de votar

Taxa de informalidade — Foto: Economia G1

Com isso, a população ocupada informal atingiu 38,8 milhões de pessoas.

“Esse movimento da carteira é positivo, mas não é suficiente para uma mudança na estrutura do mercado de trabalho. A despeito dessa reação, durante todo o ano houve crescimento nas categorias relacionadas à informalidade, como conta própria e empregado sem carteira”, apontou Adriana Beringuy.

publicidade

Brasil

Suzano lança Relatório Anual 2021 e Central de Sustentabilidade com mais de 450 indicadores

Publicado

Plataformas reúnem principais destaques do ano e um raio-X de importantes dados da companhia

Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, lança nesta semana o Relatório Anual 2021, documento que reúne os principais destaques do ano, bem como seu Resumo Estratégico. A divulgação acontece de forma simultânea à apresentação da nova Central de Sustentabilidade, uma reformulação da então Central de Indicadores, que agora contempla informações relacionadas à gestão e estratégia da companhia, além dos indicadores atualizados sobre os principais aspectos operacionais e socioambientais.

O Relatório Anual 2021 tem como objetivo trazer, de forma transparente e equilibrada, o resumo do ano passado, assim como o contexto no qual a Suzano está inserida. Explica como a Suzano coloca em prática no dia a dia seu Propósito Organizacional de “Renovar a vida a partir da árvore”, e como a inovabilidade – inovação a serviço da sustentabilidade – está presente em projetos de escalas e maturidades diferentes, e nas diversas áreas da companhia.

Além disso, destaca grandes marcos do ano, como a evolução da companhia na emissão de títulos atrelados a aspectos socioambientais, a ampliação da lista dos “Compromissos para Renovar a Vida”, as metas de longo prazo da empresa, o lançamento do Projeto Cerrado, o anúncio da criação de uma joint venture com a finlandesa Spinnova, entre inúmeras outras iniciativas e desafios, em um ano ainda marcado por adversidades relacionadas à pandemia da Covid-19.

Leia mais:  Voluntário de teste da vacina de Oxford no Brasil morre

Na Central de Sustentabilidade é possível acessar dados relativos ao padrão Global Reporting Initiative (GRI) e outros frameworks, como Sustainability Accounting Standards Board (SASB), Task Force on Climate-Related Financial Disclosures (TCFD), Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e Métricas do Capitalismo Stakeholder, do Fórum Econômico Mundial (WEF), entre outros.

A Central se configura, dessa forma, como o principal hub de conteúdo sobre sustentabilidade e ESG da Suzano. São, ao todo, mais de 450 indicadores com dados sobre consumo de água, manejo florestal, desenvolvimento social, emissões, cadeia de valor e metas de longo prazo, entre outros.

O acesso ao Relatório Anual 2021 e seu Resumo Estratégico pode ser feito no hotsite https://www.suzano.com.br/r2021/. A Central de Sustentabilidade pode ser acessada no endereço http://centraldesustentabilidade.suzano.com.br/.

Sobre a Suzano

Suzano é referência global no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras, de origem renovável, e tem como propósito renovar a vida a partir da árvore. Maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e uma das maiores produtoras de papéis da América Latina, atende mais de 2 bilhões de pessoas a partir de 11 fábricas em operação no Brasil, além da joint operation Veracel. Com 98 anos de história e uma capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano, exporta para mais de 100 países. Tem sua atuação pautada na Inovabilidade – Inovação a serviço da Sustentabilidade – e nos mais elevados níveis de práticas socioambientais e de Governança Corporativa, com ações negociadas nas bolsas do Brasil e dos Estados Unidos. Para mais informações, acesse: www.suzano.com.br

Leia mais:  Desemprego aumenta e atinge 12,3 milhões de brasileiros, diz IBGE

Continue lendo

Brasil

Policiais rodoviários são mortos a tiros por homem em situação de rua em Fortaleza

Publicado

O crime foi cometido por um homem em situação de rua, que foi abordado pelos agentes enquanto caminhava pela via em meios aos carros

Dois policiais rodoviários federais, identificados como Márcio Hélio Almeida de Sousa e Raimundo Bonifácio do Nascimento Filho, foram mortos a tiros em uma rodovia em Fortaleza, o crime ocorreu ontem, quarta-feira (18),

O crime foi cometido por um homem em situação de rua, que foi abordado pelos agentes enquanto caminhava pela via em meios aos carros. 

No momento da abordagem, houve luta corporal. Diante disso, o suspeito conseguiu pegar a arma de um dos agentes e atirou contra as vítimas, que morreram na hora. 

Um policial à paisana flagrou toda ação e atirou contra o morador em situação de rua, que também morreu no local. 

Os policiais mortos estavam realizando uma ação de apoio a um caminhão que havia quebrado na faixa central da rodovia BR-116 com a avenida Oliveira Paiva, no bairro Cidade dos Funcionários. O crime  é investigado pela polícia.

Leia mais:  Idoso recebe nota de R$ 420 e dá troco de R$ 320 em Unaí (MG)

PRF no Ceará homenageou agentes nas redes sociais

Em nota, a Polícia Rodoviária Federal no Ceará afirmou que Márcio Helio Almeida de Souza tinha 15 anos na instituição. Ele nasceu em Baturité, e atuou em diversos setores da PRF, com lotação no Ceará e em Roraima. Márcio era casado e deixa um filho.

Já Raimundo Bonifácio do Nascimento Filho, ingressou na PRF em 2005. Ele é natural de Viçosa e atuou nos estados do Maranhão, Roraima e Ceará. Raimundo era casado e deixa duas filhas.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana