conecte-se conosco


Mundo Cristão

Detento é curado de paralisia e testemunho alcança outros presos

Publicado

Danny Cox cresceu em uma comunidade pobre no estado de Illinois, nos Estados Unidos (EUA) e teve uma infância difícil cheia de traumas pelo pai alcoólatra que chegava violento em casa e pelos gritos que ouvia quando a mãe era espancada pelo pai bêbado, que ecoam até hoje no seu ouvido.

Quando Cox tinha 10 anos, seu pai faleceu de um acidente de carro e isso deixou um buraco grande na sua vida. Nessa época, por acaso, ele e um amigo tiveram contato com uma igreja, e ao ser apresentado a Jesus ele entregou a sua vida e durante todo o verão frequentou a igreja e a reunião de avivamento.

Contato com drogas

Ele mergulhava nas pregações e encontrou alguém para preencher o seu vazio. “Aos 12 anos, tornei-me uma máquina de Jesus que anda e fala”, descreveu Cox. “Se você estivesse no meu caminho, você ouviu sobre Jesus”, acrescentou.

Na volta para escola, Jesus foi sendo deixado de lado, pois sua popularidade subia. Ele era um excelente atleta em vários esportes. Quando se formou no Ensino Médio, não lembrava mais de Deus.

Alguns anos mais tarde ele largou a faculdade para abrir seu próprio negócio, fez vários cursos sobre o assunto e estava determinado a ter o dinheiro que nunca teve na infância.

Ele começou a crescer e enriquecer, tornou-se dono de vários negócios, também se formou para personal trainer, mas usava pílulas, fumava maconha e tomava ácido. Era gestor de negócios lucrativos durante o dia e de noite o famoso “festeiro”.

Prisão

As drogas o levaram a ser preso, pois não quis fazer um acordo com a polícia para entregar o traficante e foi indiciado por venda de mais de cinco quilos de cocaína.

Foi na prisão que ele lembrou de Jesus e voltou a ler a Bíblia. Ele experimentou o perdão de Deus, mas continuava atrás das grades. No final da sua sentença ele se declarou culpado de tráfico de drogas e foi condenado a 10 anos de prisão em uma instituição federal.

Durante seu quarto ano de prisão, ele começou a se sentir mais fraco, pois ele se exercitava e mantinha os estudos bíblicos. No começo ele achou que era apenas dias ruins de treino, mas logo o seu lado direito foi paralisando.

Enfermidade

Os testes indicaram que era algo muito mais sério, ele foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) uma doença sem cura e debilitante, e só viveria por mais um ou dois anos.

“Muitas vezes me perguntei o que poderia ser pior do que estar na prisão”, afirma Cox. “E isso é morrer na prisão”, desabafou ele.

Ele conta que dois meses depois ele tinha perdido 20 quilos e não tinha mais força do lado direito. Mas ele manteve a sua fé em Deus. Um dia na sua cela ele sentiu que Deus estava o curando. A certeza que Deus estava colocando a sua mão sobre sua vida tomou conta do seu coração.

Milagre

Ele começou a dizer às pessoas que Deus havia o curado, mas ninguém acreditou nele, era impossível. Todos acharam que ele estava vivendo uma negação, a família, os amigos os presidiários. Mas era verdade, Deus o curou.

Quando ele começou a aparentar melhora as pessoas começaram a acreditar. Porém só meses depois ele voltou a fazer os exames. E a resposta era positiva, ele estava totalmente curado.

“Precisamos manter nossa esperança e fé de que Ele está trabalhando – mesmo quando não o vemos trabalhando porque com Deus nada é impossível!”, disse ao site de notícias da Igreja Assembleia de Deus dos Estados Unidos.

Leia mais:  “Até os médicos estão se rendendo a Cristo”, testemunha enfermeira
publicidade

Mundo Cristão

Governador acompanha visita da imagem de Nossa Senhora da Penha ao Hospital Dr. Jayme

Publicado

O governador do Estado, Renato Casagrande, ao lado da primeira-dama, Maria Virgínia Casagrande, participou, na manhã de sábado (10), da visita da imagem de Nossa Senhora da Penha ao Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, no município da Serra. Na área externa da unidade, foi realizada uma celebração em homenagem aos enfermos e vítimas do novo Coronavírus (Covid-19) e também aos profissionais de saúde, presidida pelo arcebispo de Vitória, Dom Dario Campos. O hospital é referência no Espírito Santo para tratamento da doença.


A celebração foi restrita devido às medidas de biossegurança para evitar o contágio do vírus e contou com a presença da direção do hospital, de profissionais da saúde e familiares dos pacientes. A vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes, e o prefeito da Serra, Sérgio Vidigal, também acompanharam a celebração.


Casagrande pontuou a importância do alimento espiritual nesse momento de pandemia que vivemos:

“Estamos em uma jornada longa. É muito bom receber hoje as bênçãos de Nossa Senhora da Penha, que está descendo o monte e vindo ao Hospital Dr. Jayme dos Santos Neves, que é o nosso hospital referência no tratamento da Covid-19. Muitas pessoas se entristeceram aqui e viram seus entes partirem, mas muitos se alegraram, pois muitos foram salvos no Jayme. Que Nossa Senhora da Penha dê resistência aos profissionais de saúde e que nós, que estamos governando, tenhamos senso de justiça. Obrigado a todos por estarem aqui neste momento, nos fortalecendo espiritualmente”, afirmou o governador.


O arcebispo de Vitória comentou a visita da imagem de Nossa Senhora da Penha ao hospital que é referência no enfrentamento à Covid-19.

“Estamos hoje no Hospital Dr. Jayme com Nossa Senhora da Penha para que possamos encontrar todos os profissionais da saúde, para que a Virgem da Alegria possa pousar seus olhos em todos eles. Um olhar materno, compassivo, que se volta a todos os doentes e suas famílias; a todos que se foram e de seus familiares que padecem da perda e vivem seu luto. Importante ressaltar que a dureza do trabalho tem deixado marcas profundas nos profissionais de saúde. Esgotamento mental, espiritual e também a perda de colegas. A Virgem desce a montanha do Convento para todos os hospitais do Espírito Santo”, declarou Dom Dario Campos.

Leia mais:  Papa Francisco e Papa emérito Bento XVI são vacinados contra Covid-19
Continue lendo

Mundo Cristão

Luiz Hermínio convoca oração pelo Brasil: “Vamos orar até que algo aconteça”

Publicado

O pastor Luiz Hermínio, fundador da igreja MEVAM, iniciou na segunda-feira (5) uma campanha de oração pelo País, incentivando os cristãos brasileiros a intercederem usando a bandeira do Brasil.

De acordo com Hermínio, em um vídeo publicado nas redes sociais, as instruções da campanha de oração vem “debaixo de uma instrução do Senhor, de uma diretiva dos céus”.

“Vamos orar até que algo aconteça! A nação brasileira pertence ao Senhor!”, declarou o pastor.

As instruções da campanha de oração são formadas por 5 pontos principais, que são:

1. Compre uma bandeira do Brasil;

2. Levante um altar na sua casa e ore pelo Brasil;

3. Leve a bandeira com você quando for buscar a Deus nos cultos, montes e vigílias;

4. Publique uma foto ou vídeo de sua família orando com a bandeira. “Não com o objetivo de mostrar o que você está fazendo, mas incentivar outras famílias a fazer o mesmo”, Hermínio explica;

5. Ore até que algo aconteça no Brasil.

Em um momento de clamor, o pastor orou: “Brasil, que nasça o teu filho chamado Justiça. Que a Justiça do Senhor reine sobre o solo desta nação. Ó Brasil, dos filhos deste solo és mãe gentil”.

 

Leia mais:  Papa Francisco diz que é favorável à união civil entre pessoas de mesmo sexo

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana