conecte-se conosco


Segurança

Detran, PCES e Sindloc-ES atuam para coibir crime de apropriação indébita de veículos

Publicado

O Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran|ES) assinou, nesta sexta-feira (1º), um termo de cooperação com a Polícia Civil do Espírito Santo (PCES) e o Sindicato das Locadoras de Veículos do Espírito Santo (Sindloc-ES), com o objetivo de coibir a utilização de veículos cujos possuidores estejam cometendo os crimes de apropriação indébita de veículos locados.  

A elaboração do termo se deu em razão do alto número de pessoas que alugam veículos, não fazem a devolução dos mesmos no período estabelecido em contrato, e que as locadoras não conseguem contatar posteriormente. Ou seja, essas pessoas se apropriam de um bem que não lhes pertence e, muitas vezes, chegam a vendê-lo.  

Com a união de forças entre as locadoras, o Detran|ES e a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, foi possível chegar à criação de um modelo de restrição para inclusão no Detrannet, o sistema eletrônico de registros de veículos do Detran|ES, que vai possibilitar que os agentes de trânsito das Guardas Municipais e da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) verifiquem se aquele veículo é fruto de um estelionato na hora da abordagem e também a partir da implantação do Cerco Inteligente de Segurança. Além disso, vai impedir que esse veículo possa realizar quaisquer serviços nas agências do Detran|ES, como emplacamento ou transferência de propriedade, por exemplo.  

Leia mais:  Jovem é detido com drogas pela PM em Nova Venécia

O diretor geral do Detran|ES, Givaldo Vieira, destacou que essa é mais uma entrega à sociedade com o intuito de auxiliar à segurança pública do Estado. “Desde que assumi o órgão, a categoria tem nos procurado para relatar as dificuldades e prejuízos enfrentados com esse tipo de crime, principalmente se levarmos em consideração a pandemia, que desestabilizou a economia, afligindo ainda mais o segmento. Nos reunimos, compreendemos a demanda e agora conseguimos colocar em prática essa ferramenta que poderá contribuir para dirimir esse tipo de crime”, pontuou o diretor.  

O presidente do Sindloc-ES, Luiz Felipe Coser Nemer, agradeceu a disponibilidade da atual gestão do Detran|ES em entender as necessidades da categoria. “Essa era uma fragilidade jurídica para as empresas, pois até então, esse tipo de cliente que estava agindo de má-fé, não podia sequer ser penalizado e circulava normalmente com o veículo. As empresas ainda corriam riscos caso acionassem o cliente juridicamente. Agora não, com a inclusão da restrição de circulação no sistema do Detran, poderemos tomar todas as providências necessárias com o objetivo de trazer segurança às locadoras”, declarou. 

Leia mais:  Ex-diretores de presídio no ES são exonerados após "fuga de cinema"

O delegado da Delegacia de Delitos de Trânsito, Maurício Gonçalves, que compareceu ao ato de assinatura do acordo representando o delegado geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, ressaltou o ganho que essa medida trará para o trabalho dos agentes de trânsito e servidores das delegacias.  

“Essa fragilidade já havia sido detectada na realização do trabalho diário nas delegacias e também pelos agentes nas ruas. Pois, juridicamente não havia algo que balizasse a autuação do condutor por receptação de veículo oriundo de uma apropriação indébita. Então, podemos comemorar e afirmar, sem sombras de dúvidas, que essa medida é um ganho para o trabalho da Polícia e para a sociedade como um todo”, afirmou o delegado.  

A nova ferramenta estará disponível no sistema Detrannet a partir da próxima segunda-feira (04). É importante destacar que a restrição só será inserida no Sistema Detrannet por um grupo específico de servidores da Polícia Civil. 

publicidade

Segurança

Suspeitos de abuso e exploração sexual infantil na internet são presos durante operação no ES

Publicado

As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC)

Dois suspeitos foram presos em flagrante nesta quinta-feira (30) por abuso e exploração sexual, no ambiente virtual, no Espírito Santo. As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

O títular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), delegado Brenno Andrade, afirmou que as duas prisões já realizadas foram efetuadas nos municípios de Vitória e Vila Velha. Se condenados, os presos podem cumprir até dez anos de prisão.

“Foram conduzidas para a unidade policial, vamos lavrar o procedimento e encaminhar ao Poder Judiciário. Com elas foi encontrado material de abuso extremamente bárbaro. A Polícia dá prioridade a isso porque afeta não só as crianças, mas o entorno dela, o crescimento da criança, os pais, familiares, o ambiente escolar. Queremos prender esses criminosos e levar à Justiça”, afirmou a autoridade policial.

De acordo com informações da PC, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em três municípios do Estado nesta quinta (30). 

Leia mais:  PRF apreende quase R$ 150 mil durante fiscalização na BR-101

A ação faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Ao todo, são 162 alvos no Brasil e mais 6 países, incluindo os Estados Unidos.

Continue lendo

Segurança

Idosa cai em golpe do bilhete premiado em Camburi e transfere R$ 200 mil para suspeitos

Publicado

Dois homens e uma mulher participaram do crime e acabaram detidos na Serra, enquanto tentavam sacar o valor

Uma senhora de 75 anos foi vítima do “golpe do bilhete premiado” nesta terça-feira (28), enquanto caminhava no calçadão da Praia de Camburi, em Vitória. A idosa acabou transferindo R$ 200 mil para a conta de um dos suspeitos, dois homens e uma mulher, que acabaram detidos na Serra.

A vítima foi abordada pelos dois homens, que se aproximaram e disseram que um deles tinha um bilhete premiado da loteria. De acordo com a polícia, o prêmio seria de R$ 2,9 milhões.

Com tanto dinheiro para receber, os dois suspeitos fizeram uma proposta para a idosa: pediram que ela fizesse uma transferência bancária no valor de R$ 200 mil e garantiram que depois a senhora receberia um valor maior.

Ela foi levada de carro por eles até uma agência bancária, no bairro Parque Residencial Laranjeiras, na Serra, onde realizou a transferência. Em seguida, foi convencida a aguardar enquanto os dois homens seguiam para outra agência do bairro, para fazer o saque.

Leia mais:  Ex-diretores de presídio no ES são exonerados após "fuga de cinema"

Assim que eles partiram, a idosa ligou para um funcionário da empresa da família e pediu que fosse puxado o extrato da conta. De acordo com a polícia, o colaborador chegou a perguntar o motivo, mas ela desconversou e desligou. Ele então checou o extrato e verificou que ela havia feito a transferência de valor elevado.

O funcionário ficou desconfiado de que ela pudesse ter caído em um golpe e seguiu às pressas para a agência onde a idosa estava para tentar evitar o prejuízo. Lá pediu ao gerente o bloqueio da conta e acionou a Polícia Militar.

Na sequência, buscas foram feitas e os suspeitos foram detidos na porta de outra agência bancária, após tentarem sacar o dinheiro. Além dos dois homens, foi detida também uma mulher.

Os suspeitos já foram identificados. Confira nomes e quais foram as participações:

• Kalita Vianna Sarmento Soares, de 34 anos, teria entrado na segunda agência com o segundo suspeito;

• Carlos Henrique Caixeiro e Souza, de 32 anos. Os dados da conta dele foram passados para a idosa. Ele alega que não sabia que as informações seriam para um golpe.

Leia mais:  Suspeito de atirar em professor em Linhares é preso e confessa que cometeu o crime por ciúmes

• Álvaro Lopes Naschi, de 35 anos. Ele aguardava Kalita e Carlos em um carro, na porta da segunda agência.

De acordo com a Polícia Civil, os três foram autuados em flagrante por estelionato e encaminhados ao sistema prisional. Álvaro já teve passagem criminal, entre dezembro de 2017 a abril de 2019, por falta de pagamento de pensão alimentícia.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana