conecte-se conosco


Camisa 10

Dois anos sem lutar e Belfort está mais forte do que na época do UFC

Publicado

Última vez que lutador subiu ao octógono foi em 2018, no Rio de Janeiro, mas mostra no Instagram que mantém físico com muito treino e apoio da família

O lutador Vítor Belfort sempre deixou claro que não parou de treinar. Até porque é dono de academia nos Estados Unidos, onde mora com Joana Prado e os três filhos do casal. Mas o carioca surpreendeu ao publicar uma foto em que aparece mais forte do que em sua última luta profissional, em maio de 2018, quando perdeu para Lyoto Machida, no Rio de Janeiro.

Muitos internautas elogiaram. Já outros falaram que a foto foi mexida no computador para deixá-lo mais forte. Belfort resolveu a dúvida e publicou outros dois vídeos dos treinos e é possível ver que a imagem tem tudo para ser real.

Aos 43 anos, Vitor tem contrato assinado com a One Championship, evento mais importante de artes marciais da Ásia. Ele já confirmou que o adversário da volta vai ser o peso-pesado Alain Ngalani, de Camarões, sem data e lugar confirmados

Aos 43 anos, Vitor tem contrato assinado com a One Championship, evento mais importante de artes marciais da Ásia. Ele já confirmou que o adversário da volta vai ser o peso-pesado Alain Ngalani, de Camarões, sem data e lugar confirmados.

Leia mais:  Luiza Fiorese: de Venda Nova do Imigrante para a glória na Paralimpíada de Tóquio

Outro assunto indefinido é qual categoria será a luta. Quando parou em 2018, Belfort competiu na peso-médio (até 84 kg) e Ngalani luta no pesado (até 120 kg).

Belfort, Joana Prado e os seus três filhos, Davi, Vitória e Kyara, moram nos Estados Unidos. Lá, a ex-modelo virou empresária e juntos eles cuidam de uma academia 

Belfort, Joana Prado e os seus três filhos, Davi, Vitória e Kyara, moram nos Estados Unidos. Lá, a ex-modelo virou empresária e juntos eles cuidam de uma academia.

 

 

publicidade

Camisa 10

Alemães não querem que seleção participe da Copa do Mundo no Catar

Publicado

Uma pesquisa aponta que os principais motivos para desagrado alemão são referentes aos problemas de direitos humanos no Catar

A população alemã é crítica à participação de sua seleção na Copa do Mundo do Catar, que será disputada entre os meses de novembro e dezembro deste ano. De acordo com uma pesquisa feita pelo instituto YouGov, 48% da população se posiciona de maneira contrária à ida dos comandados do técnico Hansi Flick para o país do Oriente Médio.

A pesquisa aponta que os principais motivos para desagrado alemão são referentes aos problemas de direitos humanos no Catar. De acordo com a Anistia Internacional, mais de seis mil pessoas morreram nas construções de estádios e em outras obras de infraestrutura no país-sede do Mundial.

Ademais, questões envolvendo a sexualidade e a orientação sexual e manifestações políticas serão coibidas durante a realização da Copa no Catar. Esses temas também são sensíveis à população da Alemanha, que não vê com bons olhos a maneira como o país do Oriente Médio age nestes casos.

Leia mais:  Vasco vende o capixaba Arthur Sales para time belga e fatura mais de R$ 15 milhões

Ainda de acordo com a pesquisa, 28% dos alemães afirmam que a seleção não deveria se ausentar da disputa da Copa do Mundo, enquanto 24% preferiram não opinar sobre o tema.

Tetracampeã mundial, a Alemanha quer superar o fracasso no último Mundial e um ciclo irregular até o Catar. Após a troca de Joachim Löw por Hansi Flick, a seleção alemã conseguiu se recolocar como uma das favoritas e aposta nos jovens para chegar ao penta e igualar o Brasil. 

A Alemanha está no Grupo E, ao lado de Espanha, Japão e Costa Rica. A estreia está agendada para 23 de novembro, diante dos japoneses.

Continue lendo

Camisa 10

Estádio na Barra: Flamengo e Prefeitura avançam em negociação

Publicado

O Flamengo avançou mais uma casa na procura de um espaço para construir seu estádio próprio. Com o objetivo de conseguir a liberação de uma área na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, o presidente Rodolfo Landim se encontrou com o prefeito carioca Eduardo Paes no último domingo (03). Na conversa, o dirigente rubro-negro, que estava acompanhado do CEO Reinaldo Belotti, apresentou os projetos de terrenos que estão na mira do Mais Querido e recebeu o apoio de Paes.

Eduardo Paes se comprometeu em colaborar com o Flamengo e verificar a disponibilidade dos locais selecionados. O principal foco do Mengo é o Parque Olímpico, porém, por ser privado, seu uso requer a liberação das cinco entidades que o controlam, sendo elas: Governo Federal, Prefeitura do Rio, Concessionária Rio Mais, Comitê Olímpico do Brasil (COB) e a empresa GL Events. A concessionária, dona do terreno, já expressou publicamente sua vontade de liberar o espaço, o que pode facilitar os trâmites. O plano de Landim é construir o estádio na área em que estava localizado o parque aquático, e hoje está vazia.

Leia mais:  Vasco enfrenta Boa Vista no Kleber Andrade

O plano rubro-negro não incluiria o Parque Aquático Maria Lenk e a Jeunesse Arena, por serem construções mais distantes da área planejada. O Flamengo ainda estuda outras possibilidades para o projeto, todas localizadas nas redondezas da Zona Oeste, como o terreno do extinto Parque Terra Encantada. O local também é privado, pertence ao grupo mobiliário Cyrela, e já foi descartado em 2017 pelos altos valores pedidos na negociação da época.

O desejo do estádio próprio segue cada vez mais em alta no Mengo, em especial em meio as discussões sobre a concessão definitiva do Maracanã. Na última semana, após uma briga na Justiça, o Vasco ganhou o direito de usar o estádio a revelia de Flamengo e Fluminense, os atuais donos da licença.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana