conecte-se conosco


Internacional

Donald Trump diz que está “indo bem”, presidente está em hospital com covid-19

Publicado

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se pronunciou pela 1ª vez desde que foi levado ao hospital militar Walter Reed, em Washington. O republicano foi diagnosticado com covid-19 nessa 6ª feira (2.out.2020). Através de seu perfil no Twitter, disse neste sábado (3.out) que está “indo bem”.

Estou indo bem, eu acho! Obrigado a todos. AMOR”, escreveu Trump.

Donald Trump tem 74 anos de idade e é considerado obeso. As duas características são avaliadas por especialistas como agravantes em pessoas que adquirem a covid-19. A primeira-dama, Melania Trump, também testou positivo para a doença. Ela, no entanto, permanece em isolamento na Casa Branca.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, emitiu comunicado (íntegra – 55 KB) na tarde de 6ª feira (2.out) assinado pelo médico de Trump, Sean P. Conley.

Estou feliz em informar que o presidente está muito bem. Não tem necessidade de oxigênio suplementar, mas em consulta com especialistas, optamos por iniciar 1 tratamento com remdesivir. Ele completou a 1ª etapa e está descansando confortavelmente”, disse Conley.

O remdesivir, medicamento da farmacêutica norte-americana Gilead Sciences, é uma terapia experimental que começou a ser desenvolvida em 2009 para pacientes de ebola. Um ensaio clínico dos EUA mostrou que o medicamento encurta o tempo de recuperação em alguns pacientes com coronavírus.

Antes de ser levado ao hospital, Trump publicou 1 vídeo no qual diz que a internação é apenas uma precaução e agradece as mensagens de apoio que recebeu.

Eu quero agradecer a todos pelo imenso suporte. Eu estou indo para o Walter Reed Hospital. Eu sinto que estou bem, mas nós vamos para garantir que tudo corra bem. A primeira-dama está muito bem. Eu quero agradecer a todos. Eu nunca me esquecerei. Obrigado”, disse o presidente norte-americano.

BOLSONARO ENVIA MENSAGEM

Na 6ª feira (2.out), o presidente Jair Bolsonaro usou seu perfil no Facebook para desejar “rápida recuperação” a Donald e Melania Trump.

Desejo rápida recuperação ao presidente dos EUA, Donald Trump, e à primeira-dama, Melania. Com fé em Deus, logo estarão recuperados e o trabalho na condução de seu país e sua campanha de reeleição não serão prejudicados. Vocês vencerão e sairão mais fortes, para o bem dos EUA e do mundo”, escreveu Bolsonaro.

Leia mais:  A pandemia que ameaça destruir a fruta mais popular do mundo
publicidade

Internacional

Terremoto na Indonésia deixa mortos e dezenas de feridos

Publicado

Milhares tiveram de deixar suas casas. Agência meteorológica do país alertou para risco de tremores secundários, fortes o suficiente para produzirem um tsunami.

Um terremoto de magnitude 6,2 atingiu nesta sexta-feira (15) a ilha de Sulawesi, na Indonésia. Ao menos 35 pessoas morreram e outras dezenas ficaram feridas, segundo o governo local.

Milhares de pessoas tiveram de deixar suas casas após o tremor.

O governo indonésio diz que dezenas de casas, dois hotéis e um prédio público que abriga o escritório do governador ficaram severamente danificados pelos tremores.

A agência meteorológica do país alertou para o risco de tremores secundários, fortes o suficiente para produzirem um tsunami.

O epicentro do tremor ocorreu a 18,4 km de profundidade e a 6 km da cidade de Majene, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitora a atividade sísmica pelo mundo.

MAPA: Terremoto na Indonésia — Foto: G1 Mundo

Círculo de Fogo do Pacífico

A Indonésia fica na região conhecida como Círculo de Fogo do Pacífico, com intensa atividade sísmica devido ao encontro entre placas tectônicas. Terremotos e vulcões são comuns na área, e frequentemente países com litoral no Pacífico sofrem com os efeitos de fenômenos do tipo.

Leia mais:  Israel autoriza pouso de avião que vai retirar brasileiros da China
Continue lendo

Internacional

Pence descarta invocar 25ª Emenda para destituir Trump

Publicado

Emenda alega que presidente não tem condição de comandar o país. Presidente diz que há ‘risco zero’ de sair até semana que vem

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, descartou na noite de terça-feira (12) que invocará a 25ª emenda à Constituição do país para destituir o presidente em fim de mandato, Donald Trump, uma manobra defendida por congressistas do Partido Democrata, em especial a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi.

“Não acredito que tal curso de ação seja do melhor interesse de nossa nação ou seja consistente com nossa Constituição”, disse Pence em carta enviada a Pelosi.

A Câmara está se preparando para votar uma resolução para cobrá-lo a ativar esse procedimento. Isso porque, sob a seção quatro dessa emenda, o vice-presidente e uma maioria do gabinete de governo podem declarar o presidente sem condições de liderar o país.

Se o presidente se opusesse e não houvesse um acordo, o Congresso resolveria a disputa.

“Na semana passada, não cedi a pressões para exercer além de minha autoridade constitucional para determinar o resultado da eleição, e não cederei agora aos esforços da Câmara dos Representantes para jogar jogos políticos em um momento tão sério na vida de nossa nação”, declarou Pence.

O vice-presidente fez uma alusão tácita à pressão de Trump para que ele interferisse na sessão única das duas casas do Congresso que foi convocada na semana passada para ratificar a vitória de Joe Biden na eleição presidencial de novembro do ano passado.

Pence advertiu que o uso desta emenda, criada após o assassinato do presidente John F. Kennedy em 1963 e em meio à Guerra Fria para proteger o governo em casos de doença súbita do presidente, “abriria um precedente terrível”.

“Peço a você e a todos os membros do Congresso para que evitem ações que dividiriam e inflamariam ainda mais as paixões do momento”, acrescentou o vice.

“Prometo que continuarei a fazer minha parte para trabalhar de boa fé com a administração entrante para garantir uma transição ordenada de poder”, concluiu.

Horas antes, em um discurso durante sua visita ao muro na fronteira com o México, Trump disse que há “risco zero” de ser destituído sob o processo estabelecido pela 25ª emenda.

Após a invasão do Capitólio ocorrida no último dia 6 e que deixou cinco pessoas mortas, incluindo um policial, Washington será reforçada com mais de 10 mil membros da Guarda Nacional antes da cerimônia de posse de Biden, na quarta-feira da semana que vem.

 

Leia mais:  Israel autoriza pouso de avião que vai retirar brasileiros da China

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana