conecte-se conosco


Política Nacional

Economia brasileira cresce 1% no 1º trimestre de 2022, aponta IBGE

Publicado

Soma de todos bens e serviços produzidos no Brasil totalizou R$ 2,249 trilhões entre os meses de janeiro e março, nível 1,6% acima do período pré-pandemia

A economia brasileira avançou 1% no primeiro trimestre de 2022, na comparação com os últimos três meses do ano passado, mostram dados divulgados nesta quinta-feira (2) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O resultado corresponde à terceira variação trimestral positiva consecutiva do PIB (Produto Interno Bruto) — soma de todos os bens e serviços finais produzidos no país —, que totalizou R$ 2,249 trilhões entre os meses de janeiro e março deste ano.

Na comparação com o intervalo entre os meses de janeiro e março do ano passado, o desempenho da economia brasileira apresentou crescimento de 1,7%. Já no acumulado dos quatro trimestres terminados em março, o PIB cresceu 4,7%, na comparação com os quatro trimestres imediatamente anteriores.

Com o resultado, a economia nacional figura em patamar 1,6% acima do quatro trimestre de 2019, período pré-pandemia. Ainda assim, o nível é 1,7% inferior ao ponto mais alto da atividade econômica do país, registrado nos três primeiros meses de 2014.

Em 2021, o PIB nacional cresceu 4,6% ao atingir R$ 8,7 trilhões. A alta confirmou a recuperação das perdas de 2020, quando a economia brasileira encolheu 3,9% devido à pandemia do novo coronavírus.

Nesta divulgação, o IBGE também revisou os dados referente ao terceiro trimestre do ano passado, que havia colocado a economia nacional em recessão técnica, termo usada para descrever dois trimestres consecutivos de queda da atividade. Com a atualização, a atividade do período passou de uma queda de 0,1% para uma alta de 0,1%.

O crescimento da economia no primeiro trimestre deste ano foi impulsionado pelo desempenho do setor de serviços, responsável por cerca de 70% do PIB nacional, que também cresceu 1% no período.

“Dentro dos serviços, o maior crescimento foi de outros serviços, que tiveram alta de 2,2%, no trimestre, e comportam muitas atividades dos serviços prestados às famílias, como alojamento e alimentação. Muitas dessas atividades são presenciais e tiveram demanda reprimida durante a pandemia”, explica Rebeca Palis, coordenadora do Sistema Contas Nacionais do IBGE.

Ainda dentro dos serviços, houve crescimento de 2,1% do grupo de transporte, armazenagem e correio. Segundo Rebeca, o desempenho positivo do ramo está associado com o aumento do transporte de cargas e de passageiros, principalmente pelo aumento das viagens aéreas, demanda que ficou represada durante a pandemia.

Por outro lado, a agropecuária recuou 0,9% no primeiro trimestre. “Essa queda foi impactada principalmente pela estiagem no Sul, que causou a diminuição na estimativa da produção de soja, a maior cultura da lavoura brasileira”, avalia a pesquisadora.

Na Indústria, houve estabilidade (+0,1%), com o maior avanço na área de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (+6,6%). A única queda trimestral foi das indústrias extrativas (-3,4%), que puxou o resultado para baixo. 

Leia mais:  Câmara dos Deputados aprova ajuda a agricultores familiares e feirantes durante a pandemia

“A queda [das indústrias extrativas] se deve especialmente à produção de minério de ferro, que caiu bastante. Como a Indústria da Transformação teve alta (+1,4%) e tem bastante peso no grupo, isso equilibrou o resultado da Indústria”, observa Rebeca.

Anual

Na comparação anual, a agropecuária teve queda de 8% nessa comparação, resultado que pode ser explicado pela diminuição na estimativa da produção de algumas culturas cujas safras são importantes no primeiro trimestre, como a soja e o arroz. A Indústria também teve queda nessa base de comparação (-1,5%), influenciada pelas retrações da indústria da transformação (-4,7%) e das indústrias extrativas (-2,4%).

O recuo da indústria da transformação foi influenciado pela fabricação de máquinas e aparelhos elétricos, fabricação de produtos de metal, fabricação de produtos de borracha e material plástico, indústria moveleira e farmacêutica.

Também frente ao primeiro trimestre do ano passado, os serviços avançaram 3,7%, com alta na maior parte de suas atividades, com destaque para outras atividades de serviços (+12,6%), impactadas pela retomada da demanda por serviços presenciais,

Transporte, armazenagem e correio (+9,4%), informação e comunicação (+5,5%), administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (+2,9%) e atividades Imobiliárias (0,3%) também apresentaram expansão. Na contramão, atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (-1,6%) e comércio (-1,5%) perderam espaço no período.

publicidade

Política Nacional

Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo terão que devolver R$ 10 milhões aos cofres públicos

Publicado

A 8ª Câmara Criminal do Rio fixou em R$ 10 milhões a quantia que o ex-governador Sérgio Cabral e a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo terão que pagar a título de reparação dos prejuízos causados aos cofres públicos no período que vai de 19 de agosto de 2008 a 03 de abril de 2014.

Os dois foram condenados no ano passado pelo crime de peculato pelo uso particular de helicópteros do Governo do Estado para transporte de familiares, funcionários, políticos e amigos. O valor ainda sofrerá atualização monetária e juros de mora de um por cento ao mês contados desde abril de 2014.

Leia mais:  Gleisi pede ao STF absolvição no inquérito do Quadrilhão do PT
Continue lendo

Política Nacional

Mario Frias sofre infarto e é levado para UTI de hospital em Brasília

Publicado

Segundo boletim médico, o ex-secretário de Cultura está internado na UTI sem previsão de alta

O ex-secretário especial de Cultura Mario Frias foi internado na noite de segunda-feira (4), com quadro de “infarto agudo do miocárdio”. Frias divulgou um boletim médico nas redes sociais que informa que foi necessário que ele passasse por um cateterismo com retirada de trombos.

Ele está internado na UTI do Hospital Santa Lúcia, na Asa Sul, em Brasília. Não há previsão de alta. Por conta do estado de saúde, ele informou que cancelou a agenda dos próximos dias.

Frias tem 50 anos e já foi internado em outras ocasiões para passar por procedimentos no coração. Em 11 de dezembro de 2020, o ex-ator fez um cateterismo de emergência após sentir mal-estar. Ele precisou refazer o procedimento em maio de 2021.

O cateterismo cardíaco pode ser realizado para diagnosticar ou tratar doenças do coração. O procedimento é feito com a introdução de um catéter na artéria do braço ou da perna, até o coração.

Leia mais:  Gleisi pede ao STF absolvição no inquérito do Quadrilhão do PT

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana