conecte-se conosco


Camisa 10

“Ele morreu e voltou”, diz médico capixaba sobre mau súbito de jogador da Dinamarca

Publicado

Eriksen segue hospitalizado para exames adicionais, mas em condições estáveis

Christian Eriksen permanece hospitalizado em Copenhage. O astro da seleção dinamarquesa será submetido a exames complementares para um diagnóstico preciso sobre o mau súbito que teve no sábado (12), em estreia na Eurocopa. O jogador caiu desacordado em campo e passou por reanimação cardíaca. Após o susto, a Federação Dinamarquesa de Futebol informa que seu estado é estável neste domingo.

O médico capixaba Henrique Bolnaldi comentou sobre o que aconteceu com o atleta. 

Eriksen acordou bem e foi logo mandando cumprimentos aos companheiros de seleção, de quem recebeu enorme apoio logo que desmaiou, no estádio Parken, em Copenhage. O meia sabe que os companheiros ficaram bastante abalados com o incidente, ocorrido aos 42 minutos do jogo contra a Finlândia, e tentar tranquilizar a todos.

“Esta manhã falamos com Christian Eriksen, que mandou cumprimentos aos seus companheiros. Suas condições estão estáveis e ele continua hospitalizado para exames adicionais”, informou a Federação Dinamarquesa de Futebol, em nota.

A entidade aproveitou para agradecer todas as manifestações de carinho e apoio para com o camisa 10 da seleção. “Gostaríamos de agradecer a todos pelas sinceras saudações a Christian Eriksen, de fãs, jogadores, famílias reais da Dinamarca e da Inglaterra, associações internacionais, clubes…”, agradeceu. “Encorajamos a todos a enviarem os seus cumprimentos à FA dinamarquesa certificando que estão todos bem.”

Os integrantes da seleção dinamarquesa passaram por ajuda psicológica após ficarem extremamente abalados e seguem recebendo apoio, de acordo com a Federação. “A equipe e o staff da seleção nacional receberam ajuda e continuarão sendo apoiados após o incidente de ontem.”

Eriksen ainda não tem previsão de alta, mas todos esbanjam confiança que o desmaio não passou de um susto e ele poderá, sim, retornar aos campos. Mas, apenas após todos os exames comprovarem que seguirá saudável para a prática esportiva.

Leia mais:  Disciplina tática dá vitória ao Fortaleza sobre o líder Atlético-MG
publicidade

Camisa 10

Capixabas estreiam na noite desta sexta-feira nas Olimpíadas de Tóquio-2020

Publicado

Vinícius Teixeira, do handebol, e Alison Cerutti, do vôlei de praia, iniciam as trajetórias nos Jogos Olímpicos

Após a estreia da seleção brasileira masculina de futebol com show de Richarlison, a torcida capixaba pode ficar atenta para a estreia de mais dois atletas do Espírito Santo que fazem sua estreia em Tóquio nesta sexta-feira (23). 

Logo mais, às 21 horas, a equipe de handebol masculino entra em quadra para encarar a Noruega, pela primeira rodada do grupo A. 

O time brasileiro conta com o pivô capixaba Vinícius Teixeira, que fará sua estreia oficial em Olimpíadas aos 33 anos de idade.

Mais tarde, às 22 horas, é a vez do vôlei de praia, em um confronto entre nada mais nada menos que Brasil x Argentina. Representando o Brasil estará o capixaba Alison Cerutti, o Mamute, que busca defender a medalha de ouro conquistada no Rio em 2016. Ele faz dupla com o paraibano Álvaro Filho.

FIM DE SEMANA

No final de semana tem mais atletas capixabas disputando a Olimpíada. Neste sábado, às 23 horas, Bruno Schmidt estreia na fase de grupos do vôlei de praia ao lado de Evandro. No mesmo horário, será a vez do handebol feminino brasileiro jogar contra a Rússia. O time conta com a ponta-direita capixaba Alexandra Nascimento.

Já no domingo, às 5h30, a seleção masculina de futebol, comandada por Richarlison, encara a Costa do Marfim pela segunda rodada do grupo D. Mais tarde, às 21 horas, é a vez da seleção masculina de handebol voltar à quadra para jogar diante da França, pela segunda rodada da fase de grupos.

Leia mais:  Messi não treina, frustra fãs e inicia guerra judicial com Barcelona
Continue lendo

Camisa 10

Richarlison era ‘Lamparina’ na várzea e agora ilumina o caminho do ouro em Tóquio

Publicado

O capixaba fez história nesta quinta-feira ao marcar três dos quatro gols da vitória brasileira sobre a Alemanha

O atacante que fez história nesta quinta-feira ao marcar três dos quatro gols da vitória brasileira sobre a Alemanha, na estreia das duas seleções na Olimpíada de Tóquio-2020, já foi vendedor de picolé em Nova Venécia (ES) e tinha o apelido de Lamparina quando estava atuando na várzea. Em entrevista ao Estadão, o comunicador Edvaldo Alves, da Rádio Cidade, falou um pouco do cotidiano do jogador famoso que hoje é um ilustre filho do município capixaba e brilha na equipe do técnico André Jardine.

“O Richarlison teve uma vida muito simples. Era de uma família pobre e vendia picolé para ajudar em casa. Sempre foi uma pessoa generosa e ligada às raízes. E desde cedo, sempre gostou muito de jogar futebol”, disse Alves.

O apelido de Lamparina foi dado por Tião Borboleta, um dos primeiros treinadores que comandaram Richarlison ainda na infância. “Ele gostava de chamá-lo assim por clarear as jogadas. Achava sempre um jeito de facilitar os lances. Além de saber fazer gols também”, afirmou o comunicador.

Richarlison se destacou pelo Leão de São Marcos. Mas antes disso, chegou a despertar suspeitas de que não levava muito jeito para o futebol em seus primeiros chutes na bola. “Isso foi quando ele jogou no Palestra, time que fazia parte de um projeto social. Talvez por timidez, o Richarlison não tenha se destacado. Mas depois, ele evoluiu de uma tal forma que ninguém mais segurou. Esse projeto, que ainda existe, é muito importante para tirar os garotos da criminalidade”, comentou Alves.

Envolvido em questões sociais para ajudar a sua cidade natal, o atacante sempre procura ajudar as regiões carentes do município com algum tipo de auxílio e a sua popularidade no futebol. Entre os seus empreendimentos na localidade está o Nova Venécia Futebol clube, onde o atleta aparece como padrinho. A equipe, que disputa a Série B do Campeonato Capixaba, vai de vento em polpa na competição e tem 100% de aproveitamento nas três primeiras rodadas. As cores do time são o verde e amarelo e o mascote é um leão.

“A equipe é recém-formada e o treinador é o Cassio, que foi lateral esquerdo do Vasco nos anos 90. O grupo é composto por atletas do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais e a estrutura é bem legal. Tanto é verdade, que no início houve dificuldade para reunir um elenco e disputar o campeonato. Com a boa campanha, vários jogadores já estão interessados em jogar aqui”, contou Alves.

Antonio Marcos, de 45 anos e pai de Richarlison, faz parte do elenco do Nova Venécia. No último confronto, em que o time local bateu o Aster por 4 a 0, o patriarca entrou em campo nos minutos finais. “Mas foi bem no finalzinho e acho que ele nem chegou a tocar na bola”, comentou Alves. Outro parente a figurar no plantel é Elton, tio do atacante, que tem 37 anos.

No projeto do clube, está a construção de um estádio. A previsão é que ele esteja concluído em 2022. Com capacidade para três mil pessoas, o campo levará o nome do avô do jogador, que já é falecido: Armindo Francisco da Silva. “O Richarlison foi criado pelos avós e tem muito carinho por eles. A homenagem é justa”, disse o comunicador.

Leia mais:  Casas de Marquinhos e de Di Maria são assaltadas durante jogo do PSG
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana