conecte-se conosco


Internacional

Elefante quebra parede de casa em busca de comida na Tailândia

Publicado

Um elefante quebrou a parede de uma casa em Pa La-U, na Tailândia, no domingo (20). Segundo a dona do imóvel, Radchadawan Peungprasopporn, o animal procurava por comida.

Nas imagens é possível ver que o elefante quebrou a parede da cozinha, logo acima da pia, onde há louça e o que parecem ser restos de comida.

Vídeos feitos por Puengprasoppon e publicados no Facebook mostram o elefante vasculhando armários e gavetas com sua tromba e derrubando pratos.

“Estávamos dormindo e acordamos com um som dentro de nossa cozinha”, contou Puengprasoppon à rede americana CNN. “Então corremos escada abaixo e vimos um elefante enfiar a cabeça na nossa cozinha, onde a parede estava quebrada”.

Ela afirmou que a parede da sua cozinha já tinha um buraco, porque um outro elefante se chocou contra a casa no mês passado, e o dano causado ainda não tinha sido consertado quando o segundo animal apareceu e enfiou a cabeça pelo buraco, aumentando o tamanho do estrago.

“Desde que eu era jovem, vi elefantes perambulando por nossa cidade em busca de comida. Mas esta é a primeira vez que eles realmente danificaram minha casa”, disse a tailandesa à CNN.

Leia mais:  Caminhão segue rota de GPS e passa três dias à beira de precipício

Elefante procura comida na cozinha de casa em Pa La-U, Hua Hin, na Tailândia. A foto foi tirada pela dona do imóvel, Radchadawan Peungprasopporn, em 20 de junho de 2021. — Foto: Radchadawan Peungprasopporn/Facebook/AFP

Pa La-U fica no distrito de Hua Hin, a cerca de 200 km da capital Bangcoc.

A Tailândia tem quase 70 milhões de habitantes e é o 20º país mais populoso do mundo, logo à frente de Reino Unido e França, que têm cerca de 67 milhões cada um, segundo o “Our World in Data”.

O país fica no sudeste asiático e faz fronteira com Mianmar, Laos, Camboja e Malásia.

publicidade

Internacional

Homem é enterrado vivo após beber e desmaiar durante festival na Bolívia

Publicado

Victor Alvarez, de 30 anos, conseguiu escapar do caixão, que estava a 80 km de distância da festa; linha de apuração aponta para ritual

Um jovem de 30 anos afirmou que foi enterrado vivo depois de consumir bebidas alcoólicas com um amigo e ficar bêbado durante um tradicional festival em homenagem à Mãe Terra em El Alto, na Bolívia. 

Victor Hugo Mica Alvarez conseguiu escapar do caixão em que foi colocado, em Achacachi, a cerca de 80 km de distância do local do evento.

As autoridades investigam a possibilidade de o rapaz ter sido vítima de um ritual. O caso ocorreu na última sexta-feira (5), de acordo com o jornal britânico Daily Mail. 

“Ontem à noite foi a pré-entrada [da Villa Victoria], fomos dançar, sou guia, e não lembro mais. A única coisa que lembro é que pensei que estava na minha cama e me levantei para ir ao banheiro, mas não conseguia mais me mexer. Foi quando empurrei o caixão, que tinha um vidro, que se quebrou. A terra começou a entrar pelo vidro, e então eu consegui sair. Eles me enterraram”, declarou o rapaz ao diário Página Siete, de La Paz, capital boliviana.

Leia mais:  Com mais de 3 mil casos, Tóquio bate novo recorde de casos de Covid-19 em meio às Olimpíadas

O Festival Madre Tierra conta com oferendas para Pachamama, a deusa da terra e da fertilidade na cultura dos povos indígenas dos Andes Centrais. Os bolivianos indígenas acreditam que a divindade “abre a boca” em agosto. Por isso, há quem ofereça a ela desde animais até doces. Existe a suspeita na região de que anciãos ainda oferecem seres humanos em segredo.

O jovem afirmou que havia uma estrutura montada no local em que foi enterrado. Assim que escapou, ele pediu ajuda a outro rapaz, que o levou a uma delegacia de polícia. No entanto, os agentes não acreditaram na versão de Álvarez, que procurou o jornal boliviano para fazer a denúncia e pedir ajuda com a investigação.

Continue lendo

Internacional

Piloto faz ‘o pouso mais baixo de todos os tempos’ em ilha grega

Publicado

O aeroporto da ilha de Skiathos (Grécia) é conhecido pela pista cuja cabeceira fica bem próxima ao mar, o que faz com que os aviões passem a poucos metros dos banhistas e curiosos que se reúnem ali para registrar as aterrissagens incomuns.

Só que um registro na semana passada em Skiathos capturou a aterrissagem mais radical já vista na ilha mediterrânea grega. O caso está sendo chamado de “o pouso mais baixo de todos os tempos”. Alguns chegaram a dizer que a passagem baixa do Airbus A321neo da Wizz Air desarrumou os cabelos das testemunhas.

“Quantos espectadores você acha que precisavam de calças novas?”, perguntou uma pessoa após assistir ao vídeo da aterrissagem mpostado no YouTube pela GreatFlyer.

Assista:

Devido à geografia da ilha, o aeroporto de Skiathos tem uma pista particularmente curta, o que significa que os pilotos precisam se aproximar mais baixo do que fariam em pistas mais longas.

Os observadores de aviões gostam particularmente desse local, pois lhes dá uma visão de perto dos jatos. Situação semelhante é verificada no aeroporto de Saint Martin, ilha francesa no Caribe.

Leia mais:  Covid-19 tirou 28 milhões de anos de vida em 31 países, revela estudo

“As companhias aéreas de baixo custo (como a Wizz Air) operam com tempos de resposta curtos, se você superaquecer os freios você atrapalha o cronograma do avião”, afirmou um internauta.

Para outro, o piloto pode ter pregado uma peça nas pessoas que se reuniam no local, apesar dos alertas de perigo:

“Vamos apenas dizer que não sabemos por que o avião acabou tão assustadoramente baixo em uma abordagem bastante rotineira.”

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana