conecte-se conosco


Brasil

Em um ano, PF abre 931 inquéritos sobre fraude do auxílio

Publicado

Desde o início do programa, em abril de 2020, foram realizadas 332 operações, 44 prisões e R$ 1 milhão de bens apreendidos

Após um ano, a Polícia Federal já instaurou 931 inquéritos policiais para investigar as fraudes no auxílio emergencial. Desde o início programa, em abril do ano passado, foram realizadas 332 operações policiais, com 44 prisões, 83 indiciados e R$ 1 milhão de bens apreendidos, em todos os estados e Distrito Federal.

A informação é de um levantamento da própria PF, com dados das operações realizadas de 6 de abril de 2020 até o dia 3 de maio deste ano. Entre os principais golpes registrados está o cadastramento no aplicativo Caixa Tem em nome de terceiros para recebimento do benefício de forma fraudulenta. Depois, os acusados transferem os valores para contas vinculadas ou emitem boletos bancários para retirada do dinheiro.

Só no último mês de abril, quando começou a segunda rodada do benefício, foram 24 operações contra grupos fraudadores. O número de ações este ano (199) ultrapassa o de 2020 (133).

O estado com maior número de inquéritos é o Rio Grande do Sul, que registrou 245 investigações instauradas. Em seguida vem São Paulo, com 180, seguido pelo Rio de Janeiro, com 129.

O maior número de prisões em uma única operação ocorreu em 31 de março deste ano, no Matro Grosso, quando 12 pessoas presas acusadas de 1.570 saques de benefícios, entre os meses de abril de 2020 e março de 2021, resultando em um prejuízo superior a R$ 1,3 milhão. 

A operação Segunda Parcela, em 10 de dezembro de 2020, também se destacou ao resultar no cumprimento de 42 mandados de busca e apreensão, sete mandados de prisão e 13 mandados de sequestro de bens. Além disso, contou com a participação de 152 policiais federais e a determinação de bloqueio de ativos da ordem de R$ 600 mil.

Cancelamentos

Criado para minimizar o impacto da crise do novo coronavírus na população de baixa renda e de trabalhadores informais, o benefício foi pago no ano passado em cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300. Neste ano, a nova rodada do auxílio emergencial começou em abril, com quatro parcelas mensais em média de R$ 250.

Segundo o governo federal, já foram detectados e cancelados o cadastramento de mais de 3,82 milhões de pedidos irregulares e deixaram de sair indevidamente dos cofres públicos cerca de R$ 2,3 bilhões.

As medidas fazem parte da força-tarefa chamada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial, da qual participam a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, o Ministério da Cidadania, a Caixa, a Receita Federal, a Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União.

A Polícia Federal investiga os pagamentos indevidos e as tentativas de cadastramento irregulares com ferramentas que identificam a atuação de organizações criminosas e fraudes estruturadas. Os pagamentos indevidos são analisados pelas instituições da força-tarefa.

Após cruzamento de dados e aplicação de filtros, feitos pelo Ministério da Cidadania e pela Caixa, as informações com suspeitas de irregularidades são enviadas à Polícia Federal para que integrem a Base Nacional de Fraudes no Auxílio Emergencial. A ferramenta é utilizada pela PF para identificar a atuação de grupos criminosos.

Leia mais:  Justiça do Trabalho proíbe Ford de fazer demissões em duas fábricas
publicidade

Brasil

Acompanhado de apoiadores, Bolsonaro sai em motociata em São Paulo

Publicado

Ao sair para a motociata, acompanhado de um apoiador na garupa, Bolsonaro agradeceu o convite dos manifestantes e disse “acelera para Cristo”

O presidente Jair Bolsonaro está em passeata pela cidade de São Paulo, em manifestação organizada por integrantes de clubes de tiro e de motociclismo do interior de São Paulo e região. O ato começou na Zona Norte de São Paulo e deve seguir pela Marginal do Tietê até a Rodovia dos Bandeirantes, onde o grupo deve continuar até o quilômetro 62, próximo a Jundiaí, interior do Estado, e de lá deve retornar para a capital.

Ao sair para a motociata, acompanhado de um apoiador na garupa, Bolsonaro agradeceu o convite dos manifestantes e disse “acelera para Cristo”.

O número de manifestantes não foi confirmado pela PM. No entanto, o que se sabe é que a polícia teve de disponibilizar mais de 6 mil PMs para mitigar os impactos do ato no trânsito, uma vez que havia preocupação de a manifestação prejudicar o comércio neste 12 de junho, Dia dos Namorados, quarta data comercial mais importante do ano.

A Polícia Militar vai reforçar a vigília de pontes e viadutos por onde a motociata deve passar, para evitar que objetos sejam arremessados nos manifestantes. O ato foi divulgado por parlamentares da base aliada ao presidente e grupos que, em São Paulo, vinham organizando protestos contra o governador João Doria (PSDB) ao longo da semana.

No fim do ato, marcado para o Ibirapuera, um dos grandes símbolos da capital paulista, dois drones devem ser usados pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para acompanhar a manifestação.

Leia mais:  Trabalhador morre no Carrefour e corpo é coberto por guarda-sóis, e local continua funcionando
Continue lendo

Brasil

Michelle Bolsonaro ganha casaca, panela de barro e come moqueca em visita ao ES

Publicado

Primeira-dama participou de evento organizado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que estimula inclusão de pessoas com deficiência no mercado

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi participar de entrega de casas populares em São Mateus, no Norte do Estado, a primeira-dama Michelle Bolsonaro cumpriu agenda em Vitória nesta sexta-feira (11).  

Ea se reuniu com a vice-governadora do Espírito Santo, Jacqueline Moraes, e com a presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Cris Samorini. O encontro aconteceu na sede do Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT-ES), em Vitória.

De acordo com a vice-governadora, Michelle foi presenteada com produtos artesanais do Espírito Santo: uma casaca (instrumento tradicional do congo), panela de barro (feito pelas paneleiras de Goiabeiras), colares feitos de escamas de peixe (feitos pelas artesãs de Anchieta).  

“As lembranças foram todas confeccionadas e feitas pelas nossas mulheres artesãs, que participam de programas de apoio feitos pela Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes)”, descreveu.

Jacqueline explicou que o encontro com a primeira-dama foi um convite vindo do MPT-ES. A Presidência da República não abriu nenhuma agenda com representantes do governo Casagrande. 

Projeto “Reconecta”

Na reunião, foram tratados detalhes e atualizações sobre o programa “Reconecta”,  do próprio MPT, que prevê a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. O evento é feito todos os anos e investe na divulgação de vagas de trabalho para este público.

Segundo a vice-governadora, Michelle Bolsonaro foi conhecer um projeto pioneiro feito pelo ministério no Espírito Santo que transpôs todo o conteúdo da Constituição Brasileira para o formato de vídeo, sendo narrado em libras. 

“Ela disse que ela estava ali por causa das pessoas com deficiência e que não estava preocupada com política ou com pautas ideológicas”, relatou.

Jacqueline Moraes aproveitou a ocasião e apresentou à primeira-dama políticas públicas do governo estadual para as pessoas com deficiência, entre elas a criação de uma central de libras.

Moqueca e camarão na Enseada do Suá

A primeira-dama almoçou no restaurante Papaguth, na Enseada do Suá, em Vitória. A comitiva com nove pessoas pediu moqueca capixaba e bobó de camarão.

Leia mais:  “Se o STF libertar Lula, haverá confrontação, e não será nada pacífica”, diz General Luiz Gonzaga

Clientes que estavam no local abordaram Michelle e fizeram selfies. Ela atendeu a todos, ficando uma hora e meia no local.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana