conecte-se conosco


Últimas Noticias

Empreendedores utilizam crédito do Juro Zero para investir no negócio

Publicado

Em meio aos impactos provocados pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), donos de pequenos negócios têm buscado o crédito da linha de financiamento Microcrédito Emergencial Covid-19 (Juro Zero), criado pelo Governo do Estado e operacionalizado pela Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo do Estado (Aderes) e Banestes, que libera até R$ 5 mil, sem a cobrança de juros. O objetivo é amenizar os efeitos da crise.  

A empreendedora Renata Conceição Siller Thebaldi, de 49 anos, que tem um comércio de doces em Santa Leopoldina, é uma delas. Ela contou que já recebeu os R$ 5 mil e utilizou o valor para pagar um boleto de compra de doces que tinha feito em fevereiro, além de comprar novos itens para sua loja.

“Meu público é formado por estudantes da escola que fica próxima, mas com a pandemia as aulas foram suspensas e tive que fechar o comércio. Fiquei sem minha renda. Com esse empréstimo paguei minhas contas e fiz nova compra de produtos. Isso me ajudou muito nesse momento difícil”, afirmou a empreendedora.

Quem também já pegou o crédito da linha Juro Zero foi o empreendedor Valtair Neves da Costa. Ele é barbeiro, em Nova Venécia, há 25 anos. O valor foi investido no seu negócio. “Peguei o dinheiro para que possa passar por essa crise. Temos contas para pagar e material para comprar e o valor vai me ajudar nesse sentido”, contou, satisfeito.

Já a vendedora de roupas Clezia Vanea Bulian da Silva, de 41 anos, que também teve acesso ao crédito, disse que usou o valor para comprar mais mercadoria. “Essa pandemia é uma verdadeira catástrofe. É um período de dificuldade para todos, mas vamos vencer essa fase. Pedi o crédito que o Governo liberou e os R$ 5 mil me ajudaram a comprar parte da mercadoria para que eu possa continuar o trabalho”, relatou Clezia.

Já são mais de 13 mil pedidos de acesso ao microcrédito, o que resultou, até o momento, na liberação de mais de R$ 3,6 milhões para empreendedores do Estado, com as mais diversas necessidades.

Segundo o diretor-presidente da Aderes, Alberto Farias Gavini Filho, a linha de financiamento Juro Zero, é uma das opções oferecidas pelo Governo do Estado.

“Somente nessa modalidade de crédito são mais de 13 mil pedidos, e mais de R$ 3,6 milhões liberados. Já na outra linha de crédito, que é a NossoCrédito Emergencial, são mais de 2,6 mil operações aprovadas, somando mais de R$ 20,6 milhões liberados, no mês de maio. Além dessas, estão disponíveis outras linhas de financiamento para atender às diversas necessidades dos empreendedores”, explicou o diretor-presidente.

Saiba mais

1) O que a linha oferece:

I- Microcrédito de até R$ 5 mil;

II- Quantidade máxima de até 24 parcelas;

III- Carência de até 06 meses para iniciar pagamento, sem cobrança de encargos.

IV- Prazo total máximo da operação: até 30 meses;

V- Taxa de juros: 0,0% (zero).

*Não permite renovação, repactuação, prorrogação e renegociação.

 

2) Quem pode solicitar o Microcrédito:

I – Microempreendedores individuais (MEIs), com receita operacional bruta anual que não ultrapasse R$ 81 mil/ano;

II – Autônomos cadastrados no órgão municipal competente ou que sejam contribuintes individuais da Previdência Social, com receita operacional bruta anual que não ultrapasse R$ 81 mil/ano;

III – Cooperativas de agricultura familiar capixaba e associações de pequenos agricultores familiares, associações e colônias de pescadores, marisqueiros e assemelhados, assim como associações de pescadores profissionais artesanais e agricultores, que apresentem inscrição no Cadastro Nacional da Agricultura Familiar – CAF ou Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP Jurídica até que a CAF tenha sua implementação concluída;

IV – Sindicato de agricultores familiares, se financiável.

 

3) Documentos importantes obrigatórios:

I- Documento de identificação (CPF ou CNPJ);

II- Certidão negativa do fisco estadual e federal (via CPF ou CNPJ);

III- Se tiver conta Banestes, é preciso estar adimplente (sem pendências) com suas obrigações e não ter atraso superior a 60 dias nos últimos 12 meses junto ao banco;

IV- Caso não seja correntista, uma conta será aberta durante o processo de contratação do financiamento.

V- Autônomos precisam apresentar o respectivo documento de registro no órgão municipal competente, ou apresentar Alvará de Funcionamento expedido pela prefeitura ou, ainda, apresentar Comprovante como contribuição individual da Previdência Social.

Lembramos que trata-se de uma operação de crédito e, como tal, fica sujeita à análise cadastral e de crédito.

 

4) Como solicitar o crédito:

I- Se você atende aos critérios da linha, clique no botão “Solicitar o crédito” e faça o seu cadastro;

II- Após o cadastro realizado, aguarde o agente de crédito do seu município entrar em contato para realizar o atendimento e encaminhar a proposta de financiamento para análise no Banestes;

III- A partir da análise do banco Banestes, começa o período de contratação de operação na agência do seu município.

Leia mais:  Videoaulas ficam disponíveis no site do Programa EscoLAR
publicidade

Últimas Noticias

Mãe reencontra filho após mais de 10 anos em hospital de Cachoeiro

Publicado

Silvano Ote Aguiar está internado na Santa Casa há cerca de 100 dias, após sofrer um acidente de trânsito. Hospital conseguiu localizar a mãe, que mora em MG

Um momento de emoção e esperança. Após ficar 100 dias internado sem identificação na Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do estado, um paciente conseguiu reencontrar a mãe. O momento foi proporcionado após o hospital localizar a família. A mãe não tinha notícias do filho há mais de 10 anos.

O paciente Silvano Ote Aguiar deu entrada no hospital no dia 4 de janeiro, após sofrer um acidente de trânsito. Ele foi encontrado no município de Vargem Alta, também no sul do estado, sem documento e sem conseguir se comunicar.

Trabalho de busca

Antes da emoção, veio o trabalho duro. A enfermeira Gisele Queiroz foi a responsável pela busca dos familiares de Silvano. Ela conta que entrou em contato com as prefeituras depois que o paciente conseguiu informar o nome e sobrenome. A partir daí, as buscas foram direcionadas a municípios vizinhos e, depois de quase 60 dias, a mãe do paciente foi localizada.

“Eu não aceitava ele sair daqui sem ter a família por perto. Isso me motivou a iniciar a procura, junto com o Serviço Social, para devolver a identidade dele e entregá-lo para a família. Agora estou muito realizada e feliz”, contou a enfermeira.

A mãe do paciente, Marly Ote, mora em Minas Gerais e há mais de 10 anos não tinha notícias do filho. Após viajar mais de 9 horas de carro, o reencontro foi só emoção. Após ver o filho depois de tanto tempo, Marly contou que nem conseguiu dormir no dia anterior, de tanta ansiedade.

“Valeu a pena esperar e fazer essa viagem para encontrá-lo. Deus deu uma segunda chance para ele viver e agora vou levá-lo para casa, cuidar com muito amor e carinho”, disse.

Assim que saiu do hospital, a mãe de Silvano agradeceu o empenho de toda a equipe e o cuidado que tiveram com seu filho durante o período em que ficou internado.

“Lá na minha cidade já tinham dito que esse hospital é maravilhoso e que ele estava sendo muito bem cuidado aqui. O que quero é agradecer por tudo e desejar muita saúde para todos vocês”, afirmou.

Fonte: Folha Vitória.

Leia mais:  Videoaulas ficam disponíveis no site do Programa EscoLAR
Continue lendo

Cidades

Vira-lata salva avó e neto de ataque de pitbull em Guarapari e acaba ferido

Publicado

Chamado de Covid, por aparecer no bairro durante a pandemia, o cachorro ficou muito machucado e ficará com sequelas; avó e neto saíram ilesos

A máxima que fala que o “cachorro é o melhor amigo do homem” foi colocada a prova no bairro de Meaípe, em Guarapari, no mês de agosto. O vira lata Covid, nome adotado por ele ter aparecido no bairro durante a pandemia, enfrentou um pitbull para defender uma senhora e o neto que moram no local.

Covid é querido por todos e recebe cuidados dos moradores. “Ele foi abandonado na nossa rua, estava todo maltratado e tinha muito medo das pessoas. Meu esposo, Juarez Fernandes, passou a cuidar dele dando comida, atenção e carinho. Logo começou a se identificar com as pessoas da vizinhança”, contou Cleide Fernandes.

Há cerca de um mês, a vizinha de Cleide, Elida Nascimento, foi passear com o neto e o vira lata foi atrás. “Eles estavam indo pescar na lagoa, no caminho um pitbull da vizinhança fugiu e foi em direção deles para atacar. Por sorte Covid estava perto e não aconteceu uma tragédia. Ele foi para cima do cachorro e defendeu os dois até que um homem que passava ajudou a separar a briga e tocou o pitbull para longe”.

Após o ato heroico, Covid ficou muito machucado. O vira lata foi atacado no pescoço e na pata com mais intensidade. “Ele ficou com sequelas, o tendão foi atingido. Já levamos no veterinário e todo possível foi feito. Está bem, mas ficará mancando daqui para frente”

“Ele foi incrível, o que seria de mim e do meu neto, que é uma criança, se Covid não estivesse lá? Esse cachorro salvou nossas vidas, graças a Deus”, agradeceu Elida.

Leia mais:  Inscrições no processo seletivo para contratação de médicos nesta quinta e sexta-feira
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana