conecte-se conosco


Segurança

“Enquanto tivermos uma morte, teremos trabalho”, diz novo secretário de Segurança do ES

Publicado

Na sexta-feira, a Sesp divulgou que o Espírito Santo teve o trimestre com o menor número de homicídios em 26 anos. Para o coronel Márcio Celante, principal desafio à frente da segurança pública capixaba é manter a queda desse índice

Continuar reduzindo o número de homicídios no Espíirto Santo e intensificar o combate ao crime organizado no estado. Esses são os principais desafios apontados pelo novo secretário estadual de Segurança Pública, coronel Márcio Celante, que assumiu o novo cargo na última sexta-feira (1º).

O novo chefe da pasta da segurança pública capixaba comemorou os números apresentados na sexta-feira pela Sesp, que apontam para uma redução de 14,5% na quantidade de assassinatos registrados no estado no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2021.

Nos últimos três meses, foram contabilizados 247 homicídios em território capixaba, enquanto que, entre janeiro e março do ano passado, foram 289. De acordo com a Sesp, esse foi o trimestre com o menor número de assassinatos no Espírito Santo desde 1996, quando teve início a série histórica.

Apesar dos dados positivos na segurança pública capixaba, o número de homicídios registrados no primeiro trimestre do ano ainda representa uma média de quase três assassinatos por dia. Celante reconhece que é preciso mais esforços para reduzir ainda mais esse índice.

“Nosso primeiro desafio é manter a redução do número de homicídios no estado. Enquanto tivermos uma morte, teremos trabalho pela frente. Mas estamos tendo resultado. A participação das forças policiais foi muito importante para esse resultado apresentado”, destacou o novo secretário.

Leia mais:  Mulheres e meninas em regime de internação participaram de ato cultural nos '16 Dias ES'

Com relação ao crime organizado no estado, Márcio Celante afirmou que ele será combatido com base em três pilares fundamentais: a integração da Sesp com as demais forças de segurança, o trabalho do setor de Inteligência e a participação da comunidade no trabalho da polícia.

“Nosso trabalho de inteligência vem sendo muito bem desenvolvido. Isso tem nos auxiliado bastante nas operações realizadas pelas polícias Civil e Militar. Mas a comunidade também tem papel fundamental nesse trabalho. Afinal, quem conhece melhor a realidade daquela região são os moradores. Eles que sabem onde ficam as bocas de fumo, como é a movimentação na região, como é a dinâmica do tráfico de drogas. Com base nas informações que a comunidade nos passa, por meio do 181, é possível elucidarmos crimes com mais agilidade”.

Maior participação das prefeituras na segurança pública

O secretário ressaltou que atualmente o governo estadual tem mantido, por meio do Programa Estado Presente, contato frequente com as demais instituições relacionadas com a segurança pública, como a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Ministério Público, Tribunal de Justiça, entre outras.

Segundo ele, o objetivo agora é aumentar a participação das prefeituras no debate sobre a segurança pública. Ele destaca que, atualmente, dos 78 municípios capixabas, apenas 12 possuem um chamado Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM).

Leia mais:  Operação Estado Presente prende 26 pessoas e apreende seis armas de fogo na região noroeste

“Sugerimos aos prefeitos que criem esses gabinetes de gestão, que serão conduzidos por eles mesmos, no modelo de como é feito atualmente, em âmbito estadual, pelo governador Renato Casagrande, no programa Estado Presente. A ideia é que eles se reúnam periodicamente com as secretarias e instituições municipais, para debater o que a prefeitura pode fazer para melhorar a segurança na cidade, na questão da iluminação pública, entre outros aspectos”.

Regiões mais violentas da Grande Vitória

Sobre o planejamento do policiamento nas regiões da Grande Vitória, o secretário de segurança explicou que ele é feito com base nas informações levantadas pelo setor de Inteligência e nas obtidas durante as operações policiais.

Ele destaca que atualmente quatro regiões têm despertado uma atenção maior por parte das forças policiais do Estado. São elas: a Grande Terra Vermelha e Santa Rita, em Vila Velha; Grande São Pedro, em Vitória; e Planalto Serrano, na Serra.

“O crime é muito dinâmico. Fazemos o acompanhamento diário das regiões e, à medida em que as operações vão sendo realizadas, alguns bairros vão se sobressaindo em relação a outros, no aspecto da criminalidade. Dessa forma, vamos direcionando os nossos esforços com base nesse acompanhamento feito pela nossa inteligência e também nas informações recebidas das comunidades”.

publicidade

Segurança

Suspeitos de abuso e exploração sexual infantil na internet são presos durante operação no ES

Publicado

As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC)

Dois suspeitos foram presos em flagrante nesta quinta-feira (30) por abuso e exploração sexual, no ambiente virtual, no Espírito Santo. As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

O títular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), delegado Brenno Andrade, afirmou que as duas prisões já realizadas foram efetuadas nos municípios de Vitória e Vila Velha. Se condenados, os presos podem cumprir até dez anos de prisão.

“Foram conduzidas para a unidade policial, vamos lavrar o procedimento e encaminhar ao Poder Judiciário. Com elas foi encontrado material de abuso extremamente bárbaro. A Polícia dá prioridade a isso porque afeta não só as crianças, mas o entorno dela, o crescimento da criança, os pais, familiares, o ambiente escolar. Queremos prender esses criminosos e levar à Justiça”, afirmou a autoridade policial.

De acordo com informações da PC, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em três municípios do Estado nesta quinta (30). 

Leia mais:  Ação da Sefaz apreende 23 pneus de caminhão vendidos sem nota fiscal

A ação faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Ao todo, são 162 alvos no Brasil e mais 6 países, incluindo os Estados Unidos.

Continue lendo

Segurança

Idosa cai em golpe do bilhete premiado em Camburi e transfere R$ 200 mil para suspeitos

Publicado

Dois homens e uma mulher participaram do crime e acabaram detidos na Serra, enquanto tentavam sacar o valor

Uma senhora de 75 anos foi vítima do “golpe do bilhete premiado” nesta terça-feira (28), enquanto caminhava no calçadão da Praia de Camburi, em Vitória. A idosa acabou transferindo R$ 200 mil para a conta de um dos suspeitos, dois homens e uma mulher, que acabaram detidos na Serra.

A vítima foi abordada pelos dois homens, que se aproximaram e disseram que um deles tinha um bilhete premiado da loteria. De acordo com a polícia, o prêmio seria de R$ 2,9 milhões.

Com tanto dinheiro para receber, os dois suspeitos fizeram uma proposta para a idosa: pediram que ela fizesse uma transferência bancária no valor de R$ 200 mil e garantiram que depois a senhora receberia um valor maior.

Ela foi levada de carro por eles até uma agência bancária, no bairro Parque Residencial Laranjeiras, na Serra, onde realizou a transferência. Em seguida, foi convencida a aguardar enquanto os dois homens seguiam para outra agência do bairro, para fazer o saque.

Leia mais:  Operação Estado Presente prende 26 pessoas e apreende seis armas de fogo na região noroeste

Assim que eles partiram, a idosa ligou para um funcionário da empresa da família e pediu que fosse puxado o extrato da conta. De acordo com a polícia, o colaborador chegou a perguntar o motivo, mas ela desconversou e desligou. Ele então checou o extrato e verificou que ela havia feito a transferência de valor elevado.

O funcionário ficou desconfiado de que ela pudesse ter caído em um golpe e seguiu às pressas para a agência onde a idosa estava para tentar evitar o prejuízo. Lá pediu ao gerente o bloqueio da conta e acionou a Polícia Militar.

Na sequência, buscas foram feitas e os suspeitos foram detidos na porta de outra agência bancária, após tentarem sacar o dinheiro. Além dos dois homens, foi detida também uma mulher.

Os suspeitos já foram identificados. Confira nomes e quais foram as participações:

• Kalita Vianna Sarmento Soares, de 34 anos, teria entrado na segunda agência com o segundo suspeito;

• Carlos Henrique Caixeiro e Souza, de 32 anos. Os dados da conta dele foram passados para a idosa. Ele alega que não sabia que as informações seriam para um golpe.

Leia mais:  Sefaz apreende 60 chapas de granito sem nota fiscal na BR-259, em Colatina

• Álvaro Lopes Naschi, de 35 anos. Ele aguardava Kalita e Carlos em um carro, na porta da segunda agência.

De acordo com a Polícia Civil, os três foram autuados em flagrante por estelionato e encaminhados ao sistema prisional. Álvaro já teve passagem criminal, entre dezembro de 2017 a abril de 2019, por falta de pagamento de pensão alimentícia.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana