conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Entenda por que o “dia do lixo” pode arruinar sua dieta

Publicado

Estratégia para emagrecer, em que se separa um dia de uma semana de dieta para comer à vontade, pode, na verdade, ter efeito contrário

Entre atletas, praticantes de atividade física e pessoas que estão fazendo dieta para emagrecer, é muito comum a adoção de uma estratégia conhecida como dia do lixo.

Ou seja, realizar uma alimentação sem restrições, com alimentos hipercalóricos e de baixo valor nutricional, em um único dia da semana, como forma de diminuir a dificuldade de seguir uma dieta restritiva.

Prática leva a um efeito rebote De acordo com a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, professora da Associação Brasileira de Nutrologia, essa prática não é recomendada. “O consumo de alimentos como frituras, fast-foods e sobremesas, em um dia de pausa na dieta, cria uma ideia equivocada de recompensa durante o processo de reeducação alimentar”, diz a médica.

Segundo ela, o problema é que a pessoa acaba criando expectativas muito grandes para esse dia e pode acabar se descontrolando, passando a comer compulsivamente e, consequentemente, perdendo os resultados conquistados até aquele momento. “Além disso, há um risco desse dia se estender, por exemplo, por todo o final de semana”, alerta.

O dia do lixo pode ser especialmente prejudicial para pessoas que já sofrem de compulsão alimentar, pois o alto consumo de calorias de uma vez só pode ser um gatilho para o transtorno.

“O mesmo vale para pessoas que estão tentando, por exemplo, reduzir o consumo de açúcar, já que a ingestão de grandes quantidades da substância em um dia pode gerar um efeito rebote no organismo, com a reativação dos mecanismos de recompensa ligados ao ingrediente e o retorno do desejo por doces no dia seguinte”, explica a médica.

“Além disso, esses grandes desvios da dieta no início do emagrecimento podem atrasar a perda de peso, o que pode desestimular algumas pessoas a continuarem no processo”.

A médica ainda ressalta que até o termo “dia do lixo” é problemático, pois faz com que as pessoas construam uma relação errada com a comida, na qual certos alimentos passam a serem vistos como vilões.

Pausas na dieta são necessárias “E essa prática é prejudicial porque moraliza o que você come de maneira que pode ser aplicada a si mesmo, fazendo com que você se sinta bem ou mal com base em suas escolhas alimentares. Isso pode causar um sentimento de culpa que te leva a consumir mais calorias do que você consumiria caso saboreasse um alimento sem se sobrecarregar emocionalmente”, diz a médica. “É necessário entender que nenhum alimento isoladamente será a cura nem a culpa de algum problema”, acrescenta.

As pausas na dieta, ressalta a nutróloga, são realmente necessárias, pois, além de facilitarem o processo de reeducação alimentar, ajudam a combater o efeito platô.

“Após um emagrecimento considerável, é comum que o organismo reduza o gasto calórico e ocorra uma diminuição na perda de peso, o que é conhecido como efeito platô. Logo, aumentar a ingestão calórica e, em seguida, reduzi-la novamente fará com que o metabolismo permaneça acelerado mesmo com uma menor ingestão de alimentos, promovendo assim perda de peso”, destaca a nutróloga.

O melhor é que, ao invés de comer uma grande quantidade de alimentos hipercalóricos e pouco nutricionais durante um único dia, você evite adotar dietas tão restritivas e permita-se realizar refeições agradáveis em pequenas quantidades ao longo dos dias.  “Você pode, por exemplo, escolher uma refeição da semana para consumir com moderação qualquer alimento, o que, ao contrário de uma atitude de tudo ou nada, auxilia na realização de boas escolhas alimentares e torna possível ter comida que agrade ao seu paladar, enquanto ainda perde peso”, recomenda a dra. Marcella Garcez.

Leia mais:  Pessoas do grupo prioritário que apresentam sintomas de gripe devem aguardar para se vacinar
publicidade

Medicina e Saúde

Estado começa imunização de trabalhadores da saúde com doses da Oxford-AstraZeneca

Publicado

O Governo do Estado iniciou, na manhã desta segunda-feira (25), a imunização dos profissionais da saúde com as doses da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19) da Oxford-AstraZeneca, produzida na Índia e importada pelo Ministério da Saúde. A cerimônia de vacinação simbólica ocorreu na Unidade Básica de Saúde (UBS) de São Francisco, em Cariacica, com a presença do governador Renato Casagrande. O Espírito Santo recebeu 35.500 doses da vacina, que chegaram neste domingo (24) e serão utilizadas para contemplar mais 27% dos trabalhadores da saúde que estão na linha de frente do combate à Covid-19.

“O mais importante da chegada dessas vacinas é que a gente pode ter a oportunidade de vacinar todos os trabalhadores da saúde pública do Espírito Santo que estão na linha de frente no combate à doença. A prioridade dada a esses profissionais é para que tenhamos segurança na aplicação das vacinas quando iniciar a fase de imunização para toda a população. A quantidade de vacinas ainda é pequena, mas é importante imunizar cada pessoa. Priorizamos quem estava na linha de frente nos hospitais, onde o tratamento da doença é mais intenso”, explicou o governador.

Casagrande destacou que o número de profissionais imunizados será o mesmo da quantidade de doses recebidas da vacina de Oxford-AstraZeneca. “A Fiocruz, o Ministério da Saúde e a nossa Secretaria da Saúde nos garantiram que outra leva desta vacina chegará antes de 12 semanas, que é o prazo para quem tomou a primeira dose, tomar a segunda”, afirmou o governador, citando também que novas doses da CoronaVac devem chegar ao Estado ainda esta semana.

“Nossa expectativa era maior, mas devem chegar ao nosso Estado entre 15 e 16 mil vacinas. Quando essa nova leva chegar, vamos convencer o Ministério da Saúde para que comecemos a vacinar os idosos com mais de 85 anos, que estão no grupo de maior vulnerabilidade, para que a gente possa também proteger essas pessoas. Estamos todos ansiosos, pois a quantidade de vacina ainda é pequena e está chegando a conta-gotas. Mas, estamos trabalhando com as prioridades dentro do Plano Nacional e Estadual de Imunização”, pontuou Casagrande.

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, destacou sobre o marco da vacinação dessas doses estarem iniciando em uma Unidade Básica de Saúde. “Hoje é a materialização da chegada das duas tecnologias que foram incorporadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Iniciar essa nova etapa em uma Unidade Básica de Saúde tem um significado muito importante, porque é a Atenção Primária que será responsável pela imunização de toda população. Nós resistimos à pandemia com os hospitais, com testagem, diagnóstico oportuno e monitoramento. Agora, para derrotar a pandemia, será com vacinas seguras, cientificamente comprovadas”.

Nésio Fernandes também falou sobre a imunização dos trabalhadores da saúde: “Na medida que chegarem novos lotes (de vacinas) vamos dar segmento para imunizar todos os trabalhadores da saúde da rede pública e privada.”

Na UBS de São Francisco, o primeiro trabalhador a ser imunizado foi o agente comunitário Edson Coimbra, que não escondeu a felicidade em receber a dose. “É uma ação muito importante, uma iniciativa que salva vidas. Nós, agentes comunitários, temos esse contato direto com a comunidade e é importante que não sejamos o transmissor da doença. Então, me sinto seguro, é uma dose de esperança”, relatou.

O prefeito de Cariacica, Euclério Sampaio, também acompanhou o início dessa nova etapa de vacinação. “É um momento superimportante para nossa cidade com a chegada dessas novas vacinas. Estou muito feliz com a mobilização e o carinho tão grandes do governador Renato Casagrande com o município e, principalmente, com os nossos profissionais de saúde”, comentou.

As doses da nova vacina serão utilizadas para contemplar cerca de 33.858 profissionais da população-alvo da Fase 1 da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 no Estado. Na última quarta-feira (20), o Ministério da Saúde atualizou a população total de trabalhadores da saúde que deverão ser vacinados. No Espírito Santo, esse público representa 124.416 pessoas.

Até a última sexta-feira (22), o Espírito Santo já havia imunizado 9.797 pessoas no Estado, segundo dados do Programa Estadual de Imunizações.

Campanha de Vacinação contra a Covid-19

Leia mais:  Pessoas do grupo prioritário que apresentam sintomas de gripe devem aguardar para se vacinar

A vacinação no Espírito Santo teve início na última segunda-feira (18), em solenidade com a presença do governador Renato Casagrande e do secretário Nésio Fernandes. O Estado segue o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, com os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, que compreende às pessoas maiores de 60 anos residentes em instituições de longa permanência; pessoas maiores de 18 anos com deficiência residentes em Residências Inclusivas; indígenas aldeados; e trabalhadores da saúde.

Quanto aos imunizantes, a população que está sendo vacinada com a CoronaVac deverá receber a segunda dose no intervalo de quatro semanas. Já para a população-alvo imunizada com Oxford-AstraZeneca, a segunda dose será aplicada em um intervalo de 12 semanas, aproximadamente três meses.

“Para esta nova remessa de imunizantes, o Ministério da Saúde recomendou a todos os estados que a utilização seja feita como primeira dose, devido ao intervalo longo. O Ministério informou que os estados receberão o novo quantitativo para suprir a segunda dose, em 12 semanas”, informou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis da Sesa, Danielle Grillo.

Está prevista para esta primeira fase, a imunização do público idoso acima dos 75 anos não institucionalizados, em conformidade com os cenários de disponibilidade da vacina.

A coordenadora ressalta também que em todas as campanhas de vacinação, o Ministério da Saúde trabalha com a “reserva técnica” das doses. “Isso significa que de todo quantitativo de doses que nos é enviado, cerca de 5% deste total é o que chamamos de reserva técnica, ou a margem de segurança, para suprir eventuais perdas”, disse.

Trabalhadores da saúde

Leia mais:  Casos de dengue diminuem no Espírito Santo

Em relação à imunização dos trabalhadores da saúde, o Ministério da Saúde entregou o quantitativo que somado à primeira remessa de doses, poderá imunizar cerca de 61% dos trabalhadores da saúde, cerca de 76 mil dos 124.416 mil profissionais – população total de trabalhadores da saúde capixaba que deverá ser imunizada, segundo dados atualizados do Ministério da Saúde.

Ainda segundo a Resolução Nº008/2021 da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), aprovada entre Estado e Municípios, há a atualização do público de trabalhadores da saúde que serão imunizados nesta primeira etapa da fase 1 da Campanha de Vacinação contra a Covid-19.

Serão imunizados, a depender do quantitativo de doses disponibilizadas pelo Ministério da Saúde, trabalhadores da saúde de:

– Hospitais que realizam atendimento Covid-19: todos os trabalhadores de saúde, exceto setor administrativo;

– Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e equipes de remoção de pacientes com suspeita da Covid-19, exceto setor administrativo;

– Unidade de Pronto Atendimento (UPA’s e PA’s): todos os trabalhadores de saúde, exceto setor administrativo;

– Atenção Básica e Centros de Referências para a Covid-19: trabalhadores envolvidos diretamente na atenção para casos suspeitos e confirmados de Covid-19;

– Hospitais da rede de Urgência e Emergência: todos os trabalhadores, exceto setor administrativo.

Continue lendo

Medicina e Saúde

Doses da vacina de Oxford contra a Covid-19 chegam ao ES

Publicado

As 35.500 doses da vacina Oxford-AstraZeneca chegaram na manhã de domingo (24), por volta das 09h35, ao Aeroporto de Vitória

As 35.500 doses da vacina Oxford-AstraZeneca, produzida na Índia e importada pelo Ministério da Saúde, chegaram ao aeroporto de Vitória às 09h35 deste domingo (24). 

As doses vieram em um avião da companhia aérea da Latam que saiu do aeroporto Santos Dumont, do Rio de Janeiro.

A Polícia Federal Estadual  está ajudando na segurança no local e no transporte das vacinas. 

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SESA), os imunizantes serão encaminhados à Central Estadual de Rede de Frio, e começarão a ser distribuídos às Regionais e municípios a partir de segunda-feira (25).

Essas doses serão utilizadas para contemplar mais 27% dos trabalhadores da saúde que estão na linha de frente do combate à Covid-19. São cerca de 33.858 profissionais da população-alvo da Fase 1 da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 no Estado. 

Na última quarta-feira (20) o Ministério da Saúde atualizou a população total de trabalhadores da saúde que deverão ser vacinados, no ES esse público representa 124.416 pessoas.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) falou sobre a chegada das vacinas no Twitter. 

“35.500 doses chegaram agora cedo. Sim é pouco. Mas é emocionante saber que cada dose, em cada frasco, é um paciente que não evoluirá a quadro grave”, disse.

O Secretário Estadual de Saúde, Nésio Fernandes, reafirmou que o estado está preparado para garantir a imunização para toda a população.

“Cada vacina que chegou é uma vida que não irá morrer pela covid-19. Obrigada Ministério da Saúde,  parabéns ao Sistema Único de Saúde por ter acertado em fazer as aquisições complementares.” comemorou.

Leia mais:  Doações de sangue caem durante a pandemia
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana