conecte-se conosco


Segurança

Entrega proibida! Droga do Mato Grosso do Sul é presa nos Correios em Vila Velha

Publicado

De acordo com a polícia, tanto o remetente quanto o destinatário já foram identificados. Até o momento ninguém foi preso

Um encomenda foi apreendida nesta terça-feira (23). O pacote com três tabletes de maconha vinha do Mato Grosso do Sul e foi interceptado pela polícia antes mesmo de chegar ao destino final, em Vila Velha.

A droga foi encontrada após um trabalho conjunto da Polícia Judiciária da Força Nacional com a Coordenação de Segurança Corporativa dos Correios. Mesmo com a apreensão da droga, o responsável pela encomenda ainda não foi detido.

De acordo com o Departamento Especializado em Narcóticos (Denarc), o pacote veio da cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e estava embalado em uma caixa de papelão dos próprios Correios, a qual pode ser adquirida em todas as agências postais. Os três tabletes de maconha totalizavam dois quilos.

O delegado titular do Denarc, Tarcisio Otoni, explicou que a encomenda foi rastreada após um serviço conjunto com os Correios. “Levantamentos da nossa unidade indicaram esse fluxo de entorpecentes, utilizando o tráfego postal dos Correios para o tráfico de drogas. Com informações aprofundadas em mãos, solicitamos cooperação da Coordenação de Segurança Corporativa dos Correios, para o rastreio das encomendas suspeitas”.

Modalidade conhecida

Este tipo de tráfico de drogas não é incomum. No dia 20 de janeiro, 500 micropontos de LSD foram apreendidos. Os entorpecentes seriam levados para São Paulo mas foram interceptados ainda em Vila Velha. 

Em outro caso semelhante, a polícia encontrou um quilo de maconha dentro de uma caixa de som. A encomenda veio de Foz do Iguaçu, no Paraná. Nestes casos, a identificação por parte da polícia acontece por meio da checagem em raio-x.

Leia mais:  "Mostra uma covardia e beira a psicopatia", diz secretário de segurança sobre chacina em Vitória
publicidade

Segurança

Ação da Sefaz apreende 23 pneus de caminhão vendidos sem nota fiscal

Publicado

Uma ação dos auditores fiscais da Secretaria da Fazenda (Sefaz) apreendeu 23 pneus de caminhão que estavam sendo vendidos sem nota fiscal. Os produtos apreendidos foram avaliados em R$ 40 mil e foram recolhidos de lojas nos municípios de Serra, Cariacica, Aracruz e Linhares.

“Existe a suspeita de que as irregularidades nessas lojas estejam acontecendo desde o ano passado. Agora iniciaremos uma auditoria para avaliar todo o estoque das empresas, o que pode aumentar a quantidade de irregularidades encontradas e, consequentemente, o valor das autuações”, disse o auditor fiscal da Receita Estadual, Huesley Anderson Campos.

A ação aconteceu na última terça-feira (19). Após as apreensões, as empresas serão autuadas pelas mercadorias encontradas sem documento fiscal e demais inconsistências que porventura sejam identificadas

Leia mais:  Sete primeiros meses do ano acumulam redução de 5,7% nos homicídios no Espírito Santo
Continue lendo

Segurança

PF prende foragida que comandou tráfico de drogas no norte do ES

Publicado

Ela é a última integrante da quadrilha armada de Robocop, traficante extremamente violento com envolvimento em vários homicídios na disputa pelo controle das áreas de venda de drogas

Uma traficante foragida, identificada como Bilzinha, foi presa, na noite desta quinta-feira (21), em uma ção conjunta entre Policiais Federais do Espírito Santo e da Delegacia da PF de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.

Ela é integrante de uma perigosa organização criminosa que, mesmo em outro Estado, era uma das responsáveis pelo tráfico de drogas em São Mateus e Conceição da Barra.

A ação teve por objetivo prender a última remanescente ainda em liberdade de uma organização criminosa dedicada ao tráfico de drogas que aterrorizava o cidades do norte capixaba.

A prisão tem, portanto, especial importância, uma vez que coloca atrás das grades a última integrante da quadrilha armada de Robocop, traficante extremamente violento com envolvimento em vários homicídios na disputa pelo controle das áreas de venda de drogas.

Outro integrante foi preso em Goiânia

Robocop foi surpreendido e preso por Policiais Federais em um quarto de hotel, em Goiânia (GO), em junho deste ano. No mesmo mês, outro importante membro da organização, Mirim, foi preso em Nanuque (MG), por Policiais Federais da Delegacia de São Mateus, com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais.

Dando continuidade aos trabalhos de busca e captura, no mês de agosto, a FICCO (Força Integrada de Combate ao Crime Organizado), de Governador Valadares, prendeu outros dois integrantes da quadrilha de Robocop, conhecidos como Mykon e Guzinho.

Guzinho, tido como um dos executores da organização criminosa, é suspeito de ter envolvimento em mais de 20 homicídios na região de Jaguaré, no norte do Espírito Santo.

A prisão de Robocop gerou uma debandada em seu grupo criminoso, forçando os integrantes de relevo da organização a se esconderem em outros Estados brasileiros para evitar a prisão no Espírito Santo e para viabilizar a continuidade do tráfico de drogas no norte capixaba.

A prisão de Bilzinha mostra a importância e o sucesso do modelo de força-tarefa no desmantelamento de organizações criminosas.

Durante as investigações que objetivavam localizar e prender a integrante da organização criminosa, um morador da periferia de Guriri, chegou a afirmar a um dos Agentes Federais de São Mateus:

“Uma vez um conhecido meu lá do Ribeirão foi na casa de BILZINHA pedir pra ela descobrir quem tinha assaltado ele no bairro. Ele me disse que tinham seis armas em cima da mesa, que ela estava limpando. Aí chegou uns caras e ela foi entregando as armas e disse: Vai lá e mata todo mundo que tiver lá, não deixa ninguém (sic).

Força-tarefa será realizada no Espírito Santo

Todas as prisões foram conduzidas pela equipe de busca e captura da PF, a qual passa a integrar a Força Tarefa de Segurança Pública, que já estará operando nos próximos dias.

Para o Superintendente da PF, Eugênio Ricas, as prisões realizadas demonstram de forma cabal a eficiência do modelo de trabalho de uma Força-Tarefa. Para ele, a capilaridade da PF, que tem unidades em todo o território nacional, e o trabalho de cooperação com outras forças, de outros Estados, foram fundamentais para colocar fim a uma organização criminosa que aterrorizou, por muito tempo, o Espírito Santo.

Nos próximos dias a Força-Tarefa de Segurança Pública no Espírito Santo, que já conta com a adesão da PF, da PRF e das Guardas Municipais de Vitória e Vila Velha, começará a operar com foco no combate à criminalidade organizada e violenta.

Leia mais:  "Mostra uma covardia e beira a psicopatia", diz secretário de segurança sobre chacina em Vitória
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana