conecte-se conosco


São Mateus

Entrevista / Keydson Quaresma

Publicado

DEM lança Keydson Quaresma como seu pré-candidato a prefeito de São Mateus

“É preciso conhecer profundamente as reais necessidades do município”, diz o pré-candidato do Democratas.

O número de pré-candidatos a prefeito de São Mateus tem sido elevado, mas nem todos estão preparados para estar à frente das questões da municipalidade para resolver seus problemas. O DEM apresenta seu pré-candidato, Keydson Quaresma Gomes, professor doutor da UFES, lotado no Departamento de Engenharia e Tecnologia do Ceunes. Filho de dona Luzia Quaresma e do saudoso Pastor Toninho, que também foi político em São Mateus. O prof. Keydson Quaresma, como é conhecido politicamente, foi vice-prefeito, junto com Amadeu Boroto, na gestão de 2013-2016, além de candidato a deputado estadual, nas eleições de 2018, não obtendo êxito, mas com uma excelente votação naquele pleito. Confira suas posições na entrevista.

Por que ser prefeito de São Mateus?

Porque este é o cargo eletivo mais importante que um município pode oferecer, e requer indivíduos preparados, que não façam desta posição um emprego fixo, que não pensem em reeleição, mas que tenha sensibilidade para gerir uma cidade, atendendo todos os anseios dos munícipes, convencendo-os em ações, de que está fazendo o melhor para todos.

E, sem menosprezar os demais colegas que também se colocam com pré-candidatos, eu estou sim preparado para ser o prefeito de São Mateus na próxima gestão.

O que é estar preparado para ser o prefeito?

É preciso conhecer profundamente as reais e principais necessidades do município, que vai desde a infraestrutura de equipamentos públicos de saúde e educação, para atendimento das pessoas, mas também se inclui mobilidade na região urbana e no campo, bem como as parcerias com o governo do estado na melhoria da segurança na cidade e no campo.

Além disso, o gestor precisa estar atento às mudanças bruscas que o problema da pandemia está causando em todo o mundo. Este deverá se adaptar aos novos modelos de gestão, trazendo mais rapidez no atendimento ao cidadão, buscar novas maneiras de qualificação do trabalho, promover e permitir o surgimento de outros tipos de trabalho, que envolvam mais recursos tecnológicos.

Com isso, o gestor deve estar ciente de que ele não conseguirá desenvolver a sua gestão sozinho, precisará envolver outras estruturas, colher ideias de pesquisadores e aproveitar o que já está dando certo no país. Um bom exemplo está nas aulas que são dadas, em cada entrevista, pela Ministra Teresa Cristina, da Agricultura, onde a implantação de seus métodos de negociação e beneficiamento do produto do campo tem favorecido a todos os envolvidos, ou seja, quem produz, quem vende e quem compra. Se a economia do nosso município tem uma grande fatia da agricultura, porque nós ainda não somos protagonistas nessa área aqui no Estado?

Outro bom exemplo, está nas parcerias com as instituições de ensino que a cada ano colocam no mercado centenas de profissionais, com excelentes ideias, mas sem incentivo as ideias se perdem e o indivíduo somente contribuirá com a estatística de mais um com curso superior. O

gestor precisa também participar dos projetos de empreendedorismo, startups, etc. buscando alternativas para o crescimento do parque tecnoindustrial, consequentemente melhorando os indicadores de emprego e renda.

Em 4 anos o prefeito conseguirá fazer tudo isso?

Se o gestor entrar no primeiro ano já pensando em se reeleger, certamente que ele não trabalhará com investimentos de médio e longo prazos. Para se reeleger é mais viável pavimentar uma rua aqui, outra ali, criar alguns cargos comissionados, e fazer propaganda do óbvio.

A cidade de São Mateus tem vários problemas que não se resolvem em 4 anos e que tomará boa parte dos recursos de gestão. Temos sérios problemas de drenagem da água de chuva na região central do município; temos um sério problema de saneamento e tratamento do esgoto, que ainda quase 90% é lançado no rio, de forma in natura; temos o seríssimo problema de abastecimento de água potável; Estes são apenas alguns exemplos que requerem da pessoa (prefeito), com compromisso e responsabilidade, vontade para resolver.

Em apenas 4 anos, você não resolverá tudo isso, mas, se o gestor tiver seriedade e responsabilidade em saber que o município crescerá, não pela continuidade do seu mandato, mas pela continuidade do investimento, todos ganharão.

Além disso, uma coisa que não podemos esquecer, na minha concepção, é que o próximo gestor terá ainda um agravante maior… a pandemia tornou ainda mais complexo os problemas já existentes no município requerendo do gestor uma visão de resgate da autoestima da cidade, com ações e atuações restauradoras de muitas coisas que estão sendo pedidas.

E como estão os preparativos para a disputa no próximo pleito eleitoral?

Atualmente estou com pré-candidato a prefeito pelo Democratas, que é um partido bem organizado aqui no município sob a presidência do João Folha. O partido está com uma chapa completa para a disputa de vereadores, com mulheres e homens que entrarão nessa disputa com bastante competitividade. Estou apostando que podemos eleger no mínimo uma mulher e um homem, podendo ainda conquistar uma terceira vaga para a Câmara de Vereadores.

Temos conversado com vários partidos, apresentado o nosso projeto, que não tenho dúvidas que é um bom projeto para a cidade. Ainda temos vários outros colegas como pré-candidatos em outros partidos, mas entendo que, com a apresentação do nosso projeto, poderemos, nos próximos meses, agregar alguns destes partidos para caminharem conosco nesse pleito.

Tenho a convicção de que terei o meu nome homologado oficialmente nas convenções partidárias, porque, além do melhor projeto que temos, temos buscado o apoio em todas as estruturas que compõem a sociedade mateense, além disso, um projeto para o município não sobrevive alheio às políticas públicas tanto do Governo do Estado, como do Governo Federal. E o meu projeto, talvez seja o único, que se enquadra perfeitamente com essas estruturas.

Você defende o consenso dos partidos de oposição em torno de um nome para a disputa ao cargo majoritário?

Com certeza. A única ressalva que sempre fiz é que a decisão não leve em consideração apenas um critério. É necessário observar a reputação e histórico do candidato, os tipos de segmento que pode agregar (classe empresarial, igrejas, maçonaria, setor educacional, partidos políticos, ideologia etc.). Também é preciso levar em consideração nunca ter sido titular de um cargo público e ou o e ordenador de despesas (prefeito, deputado etc.) e, se for titular como ordenador, avaliar o desempenho. Por fim, com menor peso, avaliar através de uma pesquisa.

Se você tem convicção de que terá o seu nome confirmado, então você já pensou no seu vice e também no seu secretariado?

Claro que sim. Um gestor preparado precisa saber qual o perfil das pessoas que o ajudarão a desenvolver o projeto que tem em mente. Dessa forma, temos em mente sim quem seriam essas pessoas tanto para ocupar o cargo de vice, como das secretarias – ainda bem que há várias pessoas – no momento certo, em conjunto com outros partidos apoiadores do nosso projeto, anunciaremos a pessoa que ocupará o cargo de vice e, se Deus quiser, tendo êxito nessa caminhada, anunciaremos a melhor equipe, que realmente ama São Mateus, para atravessarmos os próximos 4 anos.

Leia mais:  Covid-19: São Mateus dá sequência à vacinação de professores no próximo dia 31
publicidade

São Mateus

Falta de sinalização no centro de São Mateus deixam motoristas totalmente perdidos

Publicado

Por conta das eternas obras de ‘melhorias’ algumas das principais vias da cidade estão interditadas

São Mateus – As longas e intermináveis obras de melhoria nas galerias pluviais do Centro da cidade estão causando transtornos não apenas para pedestres e comerciantes. Pela cidade são muitas queixas e críticas por contas das obras sem fim, e que expõe uma certa desconfiança por parte da população na administração Municipal.

“Estas obras demonstram não só a incapacidade do atual prefeito e sua equipe, mas também de administrações anteriores, pois esse problemas se repete a anos e nunca tem solução permanente”, disse um senhor que passava pelo local.

Os motoristas reclamam muito da falta de sinalização no trânsito e nos desvios para fugir da obra. Sem acesso nas vias principais o transtorno é maior ainda para os motoristas que vem de fora da cidade.

“Estou em Guriri à passeio e precisei vir até o Centro para resolver umas coisas no meu banco e dei várias voltas para ter acesso a rodovia que leva ao balneário de Guriri”, disse um turista de Vitória.

A prefeitura de São Mateus por sua vez, interditou as vias, mas não informou quanto a falta de sinalização para indicar os desvios e melhor alternativa aos acessos interrompidos. Tentamos contato com os representantes da prefeitura mas ainda não tivemos retorno.

 

Leia mais:  Não vai haver programação oficial para o carnaval de São Mateus

Continue lendo

São Mateus

Câmara inicia adaptação de prédios para retorno ao centro de São Mateus

Publicado

Após a assinatura do termo de cessão de uso e da entrega formal das chaves dos prédios nº 40 e 70 da Avenida Jones dos Santos Neves, o vereador presidente Paulo Fundão realizou uma visita técnica aos imóveis, acompanhado de servidores do Legislativo e, em parte da agenda, do colega parlamentar Delermano Suim.

A expectativa é grande – de vereadores, servidores e a população em geral – para o retorno da Câmara Municipal ao centro da Cidade. A inauguração da nova sede do Parlamento está programada para o meio do ano, por isso estão sendo agilizados os trâmites para reforma e adaptação dos dois imóveis cedidos pelo Poder Executivo. Após a assinatura do termo de cessão de uso e da entrega formal das chaves dos prédios nº 40 e 70 da Avenida Jones dos Santos Neves, o vereador presidente Paulo Fundão realizou uma visita técnica aos imóveis, acompanhado de servidores do Legislativo e, em parte da agenda, do colega parlamentar Delermano Suim.

Para os primeiros levantamentos, estiveram presentes ainda a arquiteta Andreia Norbim e a engenheira Thais Palmas, ambas da Prefeitura, que ficará responsável pela licitação das obras, com recursos destinados pela Câmara Municipal. A previsão inicial é de, no prédio que abrigou o Fórum Estadual, instalar o Plenário (com espaço para assistência popular), a Mesa Diretora (completa ou parcial) e as secretarias Legislativa e de Comunicação, inclusive com cabine para transmissão ao vivo das sessões plenárias.

No edifício ao lado, que possui estacionamento privativo e foi uma tradicional sede do Executivo, devem ser instaladas as demais secretarias de apoio legislativo, a recepção e gabinetes para os vereadores –individuais, se possível, ou coletivos. A primeira impressão dos espaços visitados foi bem positiva, possibilitando revitalizar os dois imóveis que fazem parte da história recente de São Mateus, com impactos positivos também no comércio do entorno.

Com muita confiança na competência das profissionais envolvidas, a expectativa entre vereadores e servidores é contar com uma estrutura que permita ampliar a sinergia, num sistema de cooperação, com a sociedade mateense neste retorno ao Centro.

Neste processo, uma das preocupações é adequar os prédios às exigências de acessibilidade, além, é claro, de potencializar o atendimento dos munícipes, com melhor ambiente de trabalho aos profissionais envolvidos. Essas recomendações foram reforçadas pelo diretor-geral Roberto Motta Gomes e pelo secretário de Administração Dierlisson Santos Justiniano.

A determinação do presidente Paulo Fundão é agilizar os trabalhos para que a mudança para o novo endereço já possa ocorrer em junho ou julho.

SEDES PROVISÓRIAS
Concretizando-se finalmente na gestão do vereador presidente Paulo Fundão, o sonho de construção de uma sede própria para a Câmara de São Mateus atravessa gerações. No início de sua instalação, inclusive, havia o costume de os vereadores realizarem as reuniões na casa do parlamentar que presidia o Legislativo.

O tempo foi passando e a Câmara Municipal fixou endereço na descida do Porto, em imóvel do saudoso Joãozinho Figueiredo, no Centro. Na gestão do prefeito Gualter Loureiro, no início da década de 1980, a Câmara teve sua sede provisória na Rua Coronel Mateus Cunha, em imóvel do empresário Ademilson Pimentel, que inclusive posteriormente foi eleito vereador.

Mais tarde, na administração Amocim Leite, a Casa de Leis funcionou em imóvel do ex-prefeito Danilo Pirola, que acabou adquirido por Dinair Brisson Santos para abrir a Farmácia Santos, na Praça São Benedito, conforme levantamento da Secretaria de Administração.
Com o fim do contrato de aluguel no endereço anterior, a Câmara passou a funcionar no segundo andar do prédio histórico que abriga atualmente o Museu de São Mateus, na Praça Nossa Senhora da Conceição (Praça Municipal). No térreo funcionavam à época o Instituto Nacional Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Gabinete Oficial do Prefeito.

Em 1990, ano em que aprovou a Lei Orgânica Municipal, já na gestão do prefeito Pedro dos Santos Alves, a Câmara mudou-se para um dos casarões do Sítio Histórico Porto de São Mateus, em imóvel tombado no Largo do Chafariz.

Em 2002, na presidência do vereador Edio Miranda e com comodato firmado pelo prefeito Lauriano Zancanela, a Câmara Municipal passou a ter sua sede provisória no antigo complexo da Aracruz Celulose (atual Suzano), no Bairro Santo Antônio, onde permanece funcionando até a mudança para a sede definitiva.

Leia mais:  Sejus e Freitas visitam obra do 1º presídio semiaberto de São Mateus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana