conecte-se conosco


Política e Governo

ES vai investir R$ 1 bi em estradas, afirma Casagrande na Findes

Publicado

O Espírito Santo deverá investir R$ 1 bilhão em estradas neste ano, de acordo com o governador Renato Casagrande, que participou na quinta-feira (16) da primeira reunião do ano do Conselho de Representantes da Findes, na sede da federação. O governador esteve presente para falar sobre as suas perspectivas para 2020 e a integração das ações entre Findes e governo do Estado.

“Já falei com o DER: temos R$ 1 bilhão em rodovias estaduais reservado em orçamento. Vivemos um novo ciclo de investimentos em infraestrutura no Estado. Isso garante a nossa eficiência. Temos uma carteira de investimentos com recursos já em caixa”, disse o governador.

O orçamento total do Espírito Santo para este ano é de R$ 19,7 bilhões, ou seja 11% a mais que o orçamento anterior. Serão ao todo R$ 1,6 bilhão em investimentos, considerando recursos próprios e de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Banco Mundial (Bird).

No encontro com os industriais, o governador traçou um cenário positivo para 2020. “Em 2019 ainda tivemos altos e baixos. Nosso PIB ficou no zero a zero. Tivemos problemas com grandes players. A Suzano reduziu a produção por falta de matéria prima. A Arcelor sofreu com a queda do preço do aço. A Samarco ainda fechada. Mas em 2020 deve haver uma retomada efetiva do crescimento do Brasil. E se o país cresce, o Espírito Santo cresce mais que o Brasil. E 2020 aponta para uma retomada da construção civil, teremos a retomada da Samarco, Vale e Suzano estão investindo. Então, 2020 aponta para um bom caminho”, disse o governador.

Renato Casagrande destacou que, mesmo com cenário adverso em 2019, o saldo foi positivo para o Estado. O governo manteve as contas equilibradas e foi o único do país a obter nota A do Tesouro Nacional. O governo criou também o Fundo Soberano, que recebeu aporte de R$ 140 milhões no ano passado e neste ano deverá receber mais R$ 350 milhões. Nos quatro anos de governo, serão R$ 1,4 bilhão, sendo que parte dos recursos será aplicada em investimentos da iniciativa privada e parte será guardada como uma poupança.

“Mantivemos uma gestão fiscal equilibrada. O custo da folha cresceu 3%, abaixo da inflação. Controlamos as despesas: o custeio cresceu 4%. Fizemos a reforma da previdência. E criamos o Fundo Soberano porque não podemos criar uma dependência do petróleo e gás. Precisamos de diversidade. O fundo terá R$ 1,4 bi, mas não estou pensando nos quatro anos de nossa gestão. Estamos pensando no futuro. Vamos financiar projetos da iniciativa privada, mas não é política social: esses investimentos terão retorno, para capitalizar o fundo e garantir nosso futuro”, acrescentou Casagrande.

O governador observou que o Espírito Santo é um Estado pequeno e, para se inserir no mercado nacional e internacional, precisa ter eficiência na logística e educação de qualidade. Daí a importância dos investimentos em infraestrutura.

“Temos um grande trabalho a fazer em educação, inovação, formação profissional, e devemos nos juntar ao Sistema S, nos juntar ao Senai. As empresas, quando investem aqui, precisam de mão de obra qualificada. A Britânia, por exemplo, está fazendo um investimento de R$ 200 milhões em Linhares. São mil funcionários agora na primeira fase e mais mil depois. Isso exige profissionais qualificados. A Brinox, por sinal, está elogiando a capacidade dos nossos profissionais”, disse Casagrande. A Britânia é uma fábrica de eletrodomésticos que está construindo uma unidade no distrito de Bebedouro, Linhares. A sede da empresa é em Curitiba (PR). Já a Brinox é uma fábrica de utensílios domésticos, que está investindo R$ 50 milhões numa unidade também em Linhares. Sua sede é Caxias do Sul (RS). Ela deve começar a operar no primeiro semestre deste ano.

Renato Casagrande mencionou também a importância da boa gestão política, para manter o equilíbrio institucional, uma boa relação com os servidores, a Assembleia Legislativa, demais poderes e setor produtivo.

“Precisamos também trabalhar a relação com Estados vizinhos. Eu e o Léo de Castro estivemos recentemente em Minas Gerais, na federação das indústrias de lá, para traçar em conjunto um plano estratégico de desenvolvimento. No dia 17 de fevereiro teremos outra reunião lá. Por que o antigo Corredor Centro-Leste não se consolidou? Porque não temos ainda um porto de carga geral. Agora, com o investimento da Imetame, teremos um porto com 16 metros de calado, em 3 anos. A Codesa deverá também receber investimentos privados. Ainda não temos o modelo. Mas o porto em Aracruz, da Imetame, já nos permite chegar em Minas e ofertar esse roteiro”, destacou Renato Casagrande. O porto da Imetame é um investimento de R$ 590 milhões, com geração de 350 empregos diretos. O Corredor Centro-Leste foi um projeto desenvolvido no início dos anos 90, no governo Albuíno Azeredo, que reunia 7 Estados, entre eles Espírito Santo, Mato Grosso e Goiás, para escoar a produção pelos portos capixabas.

Ao fazer um balanço parcial de sua administração no ano de 2019, Casagrande destacou ainda a redução de homicídios. Pela primeira vez em mais de 20 anos o Espírito Santo teve menos de mil homicídios em um ano. “Em 2009 tivemos 2034 homicídios. Em 2019 tivemos 978 homicídios. É um absurdo. Ainda é muito alto. Mas os números mostram que estamos no caminho”. Ele ressaltou também a importância de políticas sociais para reduzir a desigualdade no Brasil.

O presidente da Findes, Léo de Castro, observou que o Espírito Santo se diferencia dos demais Estados da federação. “O Estado se consolida como um Estado que navega de forma diferente. Tem uma agenda importante de investimentos. Tem uma cultura de paz e de equilíbrio fiscal. Temos um trabalho de cooperação entre o setor público e a iniciativa privada. Com isso, construímos um Estado melhor para se investir e as novas gerações têm perspectivas melhores”, disse Léo de Castro.

Ele ressaltou também a importância da atuação conjunta entre os governos e federações de Minas e Espírito Santo para garantir um bom modelo de concessão da BR 262.

Houve um momento para debates e questionamentos dos conselheiros. Cris Samorini, do Sindicato da Indústria Gráfica do Espírito Santo, pediu mais detalhes sobre o Fundo Soberano e perguntou se ele poderia financiar projetos de pequenas e médias empresas. “A regulamentação do fundo está quase pronta, mas pode haver dificuldade para operar se a empresa não for S.A. Teremos uma fase de transição. De agora até 2027, 60% do fundo será para investimentos no setor produtivo e 40% será para uma poupança geracional. Depois esses percentuais mudam para 80% e 20%. O fundo é um instrumento de política que dá retorno. Vamos investir em atividades que deem retorno para capitalizar o fundo”, disse Casagrande.

Kleber Duarte, do Sindicato das Confecções, questionou sobre uma exploração mais eficiente da indústria do turismo. “O turismo depende tanto do governo como do setor empresarial. Fizemos uma pesquisa e identificamos que, nas praias capixabas, temos turistas de 22 Estados. Claro que a maioria é mineira, mas são 22 Estados. Temos uma quantidade grande de pessoas de outros Estados nesse verão”, disse o governador.

Leia mais:  Banestes alcança resultado positivo de R$ 83 milhões no primeiro trimestre do ano
publicidade

Política e Governo

Prefeito de Vila Velha tem encontro com o presidente em Brasília

Publicado

Registro foi feito durante evento para prefeitos e imagem postada no Instagram tem movimentado redes sociais do prefeito

Brasília – O prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo (Podemos) participou, nessa terça-feira (24), do programa federal Agenda do Prefeito + Brasil, em Brasília. O prefeito foi um dos 400 chefes do Executivo municipal escolhidos para participar do evento, que contou com a participação de deputados federais, senadores, ministros, e do presidente Jair Bolsonaro. 

Arnaldinho não escondeu o entusiasmo de estar ao lado do Presidente, tanto que, com sorrisão no rosto, fez uma selfie ao lado de Bolsonaro. “Estive com o Presidente durante o lançamento do programa Agenda do Prefeito + Brasil, hoje em Brasília. Apenas 400 prefeitos participaram. Mostra como nossa cidade está se destacando e vem chamando a atenção do governo federal”, disse. 

A imagem movimentou as redes sociais de Arnaldinho. Já são mais de mil comentários (bem acima das interações registradas em postagens anteriores). A maioria dos seguidores gostou de ver o prefeito posando ao lado do Presidente. Alguns dos comentários: “Dupla top, tipo Batman e Robin”; “Esse é o nosso jovem e promissor prefeito, Vila Velha tem muito a ganhar”; Nosso prefeito dando aula”. “Parabéns prefeito, você vai mudar nossa cidade”. 

Dentre os que desaprovaram a imagem, escreveram: “Tava bom demais pra ser verdade”; “Tá mal acompanhado”; “Arrependida já de ter votado em você”; “Péssima companhia”. Durante a campanha eleitoral, no ano passado, Arnaldinho se manteve neutro em relação ao governo federal. 

Confira a postagem do prefeito nas redes sociais: 

Agenda do Prefeito + Brasil

No evento dessa terça-feira (23), o governo federal lançou um guia com orientações para os primeiros 100 dias de administração, batizado de Agenda Prefeito + Brasil. Com foco nos prefeitos eleitos e reeleitos, o guia traz orientações de gestão, legislação atualizada e boas práticas para o início do ciclo de quatro anos de mandato. O objetivo, de acordo com a Secretaria Especial de Assuntos Federativos, é aprimorar a prestação de serviços públicos à população dos 5.568 municípios brasileiros.

O guia está dividido em cinco eixos: gestão municipal, eixo governança, eixo social, eixo território e eixo finanças. Cada um deles traz orientações específicas sobre boas práticas de gestão.  O material ainda mostra um caminho a ser seguido para cumprir prazos e entregar compromissos importantes para o município. 

Leia mais:  Governo do Estado entrega 40 novos leitos de UTI no Hospital Dório Silva
Continue lendo

Política e Governo

Governo do Estado se reúne com novas empresas de gás e petróleo que vão operar no Espírito Santo

Publicado

O governador do Estado, Renato Casagrande, se reuniu, na manhã desta quarta-feira (24), com representantes das empresas 3R Petroleum e DBO Energia. As empresas assumiram as áreas de produção de petróleo e gás do Polo Peroá, composto pelos campos de Peroá e Cangoá, localizados na região norte do Espírito Santo, adquiridas por meio do processo de desinvestimento da Petrobras. Na ocasião, foi apresentado ao Governo o plano de redesenvolvimento para campos maduros.

“As empresas assumiram as áreas de produção de gás no norte do Estado e estamos realizando a primeira roda de conversa com essas empresas. A Petrobras está com a política de fazer a transferência de área de produção de gás e petróleo em terra para as empresas que se especializaram nessa área”, disse o governador.  

Casagrande ainda ressaltou a importância dos investimentos para geração de oportunidades: “a Petrobras entende ser fundamental sua presença em outras áreas de maior investimento e, nas áreas de menor investimento, a estatal está fazendo a transferência para empresas especializadas. Temos diversas empresas que já adquiriram essas áreas e, hoje, estamos dando as boas-vindas às empresas que estão chegando. Investimentos a mais no Estado do Espírito Santo para que possamos gerar mais oportunidades aos capixabas.”

Também presente na reunião, o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip, frisou que receber novas empresas, o Espírito Santo estimula o desenvolvimento regional, oxigena o mercado e oferece a oportunidade de acesso a novas visões do segmento. 

“A 3R é a terceira maior produtora de petróleo e gás terrestre do Brasil, atrás apenas da Petrobras e da Eneva. Com o incremento da produção de petróleo e gás no Estado, cresce a nossa expectativa de que estamos no caminho certo para cada vez mais promover o desenvolvimento, gerando oportunidades a partir do cenário favorável para negócios. Queremos ter um relacionamento próximo com as empresas e destravar investimentos, pois nossa intenção é manter um diálogo produtivo, republicano e transparente. O Estado tem um grande potencial, um ambiente de negócios que desperta segurança nos investidores, bem como bons indicadores e estabilidade fiscal”, afirmou Kneip.

A 3R Petroleum é a companhia brasileira que, junto com a DBO, adquiriu da Petrobras a concessão para operação do Polo Peroá-Cangoá, no Espírito Santo. “Estamos muito otimistas em poder gerar valor para a região, a sociedade e o País a partir da nossa operação no Espírito Santo, grande produtor de gás no Brasil. Nosso objetivo é trazer as melhores tecnologias e práticas da indústria para nossas operações”, informou  Ricardo Savini, CEO da 3R Petroleum.

Sobre a 3R

A 3R foi criada em 2014 e tem grande experiência na revitalização e redesenvolvimento de campos maduros. O modelo de negócios da empresa é comprar ativos em declínio, investir, recuperar e incrementar essas reservas. A empresa, de capital aberto, adquiriu os campos de Peroá e de Cangoá, localizados em águas rasas, que registraram produção, em novembro de 2020, de aproximadamente 900 mil metros cúbicos/dia de gás natural. O Polo é operado remotamente por meio de uma plataforma não habitada e sua produção é escoada através de dutos para unidade de tratamento de gás de Cacimbas. A empresa detém, ao todo, a concessão 36 campos de óleo e gás, 29 deles ainda em fase de transição com a Petrobras.

Sobre a DBO

A empresa é formada por um grupo experiente de executivos brasileiros e noruegueses, que têm adquirido, desenvolvido e operado em campos de descomissionamento no Brasil. A DBO Energia é pioneira no mercado brasileiro de ativos maduros e se dedica à criação de valor por meio do aumento do fator de recuperação e de operações eficientes.

Plano Espírito Santo — Convivência Consciente

É um conjunto de ações envolvendo órgãos do poder público e do setor produtivo para promover o desenvolvimento econômico, priorizando as pessoas, com o objetivo de reduzir os impactos sofridos pela população capixaba em decorrência da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). São previstos mais de R$ 32 bilhões em investimentos dos Governos Federal e do Estado e do setor privado até o final de 2022. A estimativa é de que sejam criadas mais de 100 mil vagas de emprego.

O Plano apresenta sete eixos de atuação: Desburocratização; Medidas Tributárias; Crédito e Financiamento; Monitoramento dos Impactos na Economia; Aceleração dos Investimentos Públicos e Privados; Inovação e Tecnologia e Geração de Emprego e Renda.

O Conselho Gestor do Plano Espírito Santo — Convivência Consciente é formado pelas Secretarias de Economia e Planejamento (SEP); Mobilidade e Infraestrutura (Semobi); Fazenda (Sefaz); Governo (SEG), Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e Desenvolvimento (Sedes), que vão acompanhar de perto a implementação das medidas previstas no Plano. O Conselho será responsável ainda pelas orientações a serem seguidas conforme as prioridades do Governo, propondo ações de rearranjo da conjuntura econômica e potencializando a recuperação da economia do Estado.

Também estiveram presentes na reunião, o CEO da DBO Energia, Kjetil Solbraekke; sócios no projeto; o diretor executivo de Relacionamento Institucional e Sustentabilidade da Petrobras, Roberto Ardengy; e o diretor de Governança e Conformidade da Petrobras, Marcelo Zenkner.

Leia mais:  Governo inicia Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19 no Espírito Santo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana