conecte-se conosco


Política e Governo

Espírito Santo atinge saldo de mais de 6 mil postos de trabalho em setembro

Publicado

O Estado do Espírito Santo registrou evolução no mercado de trabalho, no mês de setembro deste ano, com saldo de 6.089 empregos com carteira assinada, de acordo com dados divulgados, nesta terça-feira (26), por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Previdência.

Desse total, o maior saldo foi no setor de Serviços (+2.382), seguido pela Indústria (+1.636), Comércio (+1.348) e Construção Civil (+855). Entre os setores analisados, a penas a Agropecuária registrou queda no saldo (-132).

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, comenta que as informações divulgadas por meio do Caged são um termômetro para as ações implementadas pelo Governo do Espírito Santo. “As políticas públicas do Estado que integram o Plano Espírito Santo – Convivência Consciente já tem efeito. As ações vão desde a concessão de linhas de crédito para empreendedores, desburocratização para abertura de empresas, incentivo à educação, a oferta constante de cursos de qualificação gratuitos em todas as regiões do Estado, este conjunto se reflete, a cada mês, nos principais indicadores econômicos. Nos fornecem um retrato atualizado da economia capixaba”, disse.

Entre as atividades que mais empregaram no Espírito Santo no período analisado estão aquelas voltadas a produção de bens e serviços industriais, vendedores do comércio em lojas e mercados, serviços administrativos e técnicos de nível médio. Do total de 6.089 vagas de empregos, 3.039 das oportunidades foram ocupadas por jovens da faixa etária de 18 a 24 anos.

“Ficamos muito felizes em ver o destaque na admissão de jovens, com mais da metade do saldo em empregos ocupado por esta faixa etária. Para conquistarem estas oportunidades, nossos jovens precisam de qualificação. Outro número interessante da pesquisa é a colocação alcançada por técnicos de nível médio. Esses resultados refletem claramente os impactos da política de Educação Profissional do governador Renato Casagrande, cujas ações são coordenadas pela Secretaria de Inovação e Desenvolvimento, por meio da oferta de qualificação profissional e técnica com o nosso programa Qualificar ES e as escolas técnicas estaduais”, pontuou o secretário.

Plano Espírito Santo — Convivência Consciente

Leia mais:  Governo e Assembleia vetam projeto de Majeski que valoriza a vida

O Plano Espírito Santo — Convivência Consciente é um conjunto de ações envolvendo órgãos do poder público e do setor produtivo para promover o desenvolvimento econômico e priorizando as pessoas, com o objetivo de reduzir os impactos sofridos pela população capixaba em decorrência da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

Além da estimativa de criação de mais de 100 mil vagas de emprego, são previstos quase R$ 33 bilhões em investimentos do Governo do Estado, Federal e do setor privado até o final de 2022.

O Plano é resultado de um grande pacto que foi selado entre o poder público e o setor produtivo para o enfrentamento dos desafios impostos pela pandemia, exigindo que as ações sejam executadas a partir de uma visão interdisciplinar e multisetorial, com foco em respostas inovadoras.

publicidade

Política e Governo

MP Eleitoral dá parecer pela cassação da Chapa de Prefeito e Vice de Itaguaçu

Publicado

A Promotoria Eleitoral ligada à 16ª Zona Eleitoral deu parecer favorável à cassação do diploma do prefeito de Itaguaçu, Uesley Corteletti, e da vice-prefeita, Ana Brigida, por “incursão em prática vedada pela lei eleitoral, com o emprego de recursos na campanha que transitaram à margem do que dispõe notadamente o artigo 22 da Lei nº 9.504/97”.

O MPE considerou que há provas de que os investigados “incorreram, sim, em práticas irregulares na campanha, quais sejam: o uso de veículos de maneira isolada, apartada de carreatas, caminhadas, passeatas, reuniões e comícios; a utilização de carro de som, sem declaração do gasto; a realização de caminhadas com o uso de carro de som cujo gasto não se declarou”.

No parecer, o promotor Antonio Carlos Horvath ainda relatou que: “Quanto à realização de comício na antevéspera da eleição, quando já se tinha proibida tal prática em decisão judicial proferida pelo juízo da 16ª Zona Eleitoral, percebe-se que houve, sim, a despeito de ausentes os demandados na ocasião, reunião pública, contando com a utilização de minitrio, nos quais se vê alguém fazendo as vezes de locutor do evento”.

A ação foi proposta pela coligação “União para o progresso de Itaguaçu” que alega que houve, por parte da campanha do prefeito, emprego de organização paramilitar, entre outras coisas. No dia 14 de novembro, véspera da eleição, a PM abordou e apreendeu em poder de Valdecir Chieppe Filho, conhecido como “Cachorrão”, dois simulacros de pistola, um cassetete, uma capa de colete balístico, um giroflex móvel, R$ 8.800,25 em espécie, envelopes de depósitos bancários e R$ 70 em notas falsas. A ação pede a cassação do diploma e novas eleições.

Segundo o parecer do MPE, ainda “apreenderam-se materiais de campanha dos demandados e uma espécie de dossiê de diversos correligionários da coligação adversária, contendo fotografias, endereços, etc. O vínculo havido entre Valdecir Chieppe Filho e o demandado Uesley Roque Corteletti Thon é confirmado por eles mesmos, mas sob a alegação de que se tratava de uma contratação para segurança particular do então candidato”.

Leia mais:  Setades oferta curso inédito no Estado na Proteção Social Básica
Continue lendo

Política e Governo

Orçamento do Estado para 2022 deve ser votado hoje na Comissão de Finanças

Publicado

Está marcada para esta segunda-feira (06) a votação na Comissão de Finanças da Assembleia do Orçamento do Estado para 2022. A peça orçamentária, no valor de R$ 20,3 bilhões, recebeu mais de 1.300 emendas dos parlamentares.

O relator da peça é o deputado Freitas, que também preside a Comissão de Finanças. Ele chegou a pedir mais tempo para apresentar o relatório, devido ao número alto de emendas, mas o regimento interno da Casa diz que o parecer deve ser apresentado e votado até o dia 5 de dezembro (que nesse ano caiu num domingo, ontem) na comissão. Por isso, ficou para hoje.

Freitas já tinha informado (no último dia 16) que iria votar na comissão e enviar a peça orçamentária para o plenário hoje. A partir daí, o presidente da Ales, Erick Musso, define a data em que a matéria será votada, podendo inclusive ser hoje mesmo. A votação do Orçamento é condição para que os deputados saiam para o recesso parlamentar.

Esse ano houve um acordo entre o governo e os parlamentares e eles poderão indicar, cada um, R$ 1,5 milhão de emenda parlamentar (antes era R$ 1 milhão) a ser paga no ano que vem. O que atende a pedidos dos deputados em boa hora, já que ano que vem é ano eleitoral e a maioria vai tentar a reeleição.

Leia mais:  Judiciário propõe frear progressão de servidores
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana