conecte-se conosco


Segurança

Espírito Santo fecha primeiro quadrimestre com menor número de homicídios desde 1996

Publicado

Os investimentos em Segurança Pública, aliados ao planejamento estratégico e ao fortalecimento do Eixo Social do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, vêm apresentando resultados importantes com relação à preservação da vida. O primeiro quadrimestre de 2022 registrou o menor número de homicídios dolosos no Espírito Santo dos últimos 26 anos.

Entre janeiro e abril deste ano, foram registrados 336 homicídios dolosos no Estado, o que representa redução de 11,6%, em relação ao mesmo período de 2021, quando foram contabilizados 380 homicídios. Com este resultado, o Estado mantém a marca de menor quantidade de homicídios desde 1996, quando teve início a série histórica. Considerando apenas o mês de abril, foram 90 homicídios dolosos registrados no Estado, sendo este o melhor resultado para o mês nos últimos três anos.

Quase todas as Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps) do Estado apresentaram redução, com destaque para a região Serrana, que acumulou redução de 38%. No Sul, a queda foi de 35%, no Noroeste, de 19%, enquanto o Norte registrou redução de 14%. A Região Metropolitana da Grande Vitória manteve o mesmo número de homicídios dolosos do primeiro quadrimestre de 2021.

Para o governador do Estado, Renato Casagrande, o resultado faz parte do trabalho de reestruturação da área, iniciado em 2019. “Quando assumimos o governo, fizemos uma nova reestruturação das forças de segurança, que estavam destruídas. Desde então, os números de homicídios vêm caindo. Temos os três anos com os menores números de casos na série histórica de 26 anos e estamos caminhando este ano para ter os quatro menores índices da história. Isso mostra como os investimentos na área da segurança, aliada a valorização profissional, dão resultado. Quero agradecer aos nossos profissionais da segurança pública que têm feito um trabalho extraordinário”, pontuou.

Leia mais:  Vila Velha - Prefeitura de intensifica trabalho de convencimento a banhistas na orla

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Márcio Celante, destacou que o trabalho para a redução dos homicídios é contínuo e tem que ser feito por muitas mãos. “O Programa Estado Presente tem como principal objetivo a preservação da vida. O eixo policial, que compete à Sesp, reúne os esforços das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros, além de outras instituições que participam deste processo. Temos trabalhado arduamente para prender homicidas, elucidar crimes e proporcionar aos capixabas tranquilidade e segurança”, enfatizou.

Para o secretário de Estado do Governo, Álvaro Duboc, que é coordenador do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, a violência e a criminalidade são fenômenos sociais que desafiam permanentemente os gestores da segurança pública. “Nos últimos anos, com a implantação do Programa Estado Presente em 2011, temos conseguido reduzir, ano a ano, os indicadores de violência letal no Espírito Santo, saindo de 2.034 assassinatos, em 2009, para um patamar médio próximo a 1.000 ocorrências ano, com a reimplantação do Programa Estado Presente, em 2019”, salientou.

Leia mais:  Ex-funcionário da Santa Casa de Vitória deixou prejuízo de R$ 1 milhão no hospital

Duboc ressaltou ainda a importância do monitoramento permanente, mês a mês, envolvendo toda a estrutura estratégica do sistema de Segurança Pública. “Encerrar o primeiro quadrimestre de 2022, como o melhor resultado da série histórica de 26 anos, é um sinal positivo de que seguimos no caminho certo, para a construção de uma sociedade mais segura. Vamos avançar para colocar o Espírito Santo entre os cinco estados mais seguros para se viver”, frisou.

Mulheres

Os casos de feminicídio apresentaram redução no primeiro quadrimestre de 2022. De janeiro a abril, foram registrados 10 feminicídios no Estado, contra 12 em 2021. Este é um tema sensível ao Governo do Estado, que, em março, lançou o programa Mulher Segura ES, com o objetivo de combater a violência doméstica e auxiliar na prevenção aos feminicídios no Espírito Santo.

Apesar da redução dos feminicídios, os dados gerais de homicídios contra a mulher registraram aumento. No primeiro quadrimestre do ano, foram registrados 37 homicídios com vítimas do sexo feminino contra 31 registros no mesmo período de 2021, um aumento de 19,4%.

publicidade

Segurança

Edital para novos delegados da PCES será publicado nesta quarta-feira (06)

Publicado

Serão ofertadas 40 vagas, com salário inicial de R$ 12.413,15.

O Governo do Estado, por meio da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES) anunciou, na tarde desta terça-feira (05), a realização do concurso público para o cargo de delegado de Polícia Civil. O edital do certame será lançado nesta quarta-feira (06) e serão ofertadas 40 vagas para o cargo, com salário inicial de R$ 12.413,15.

As inscrições serão abertas às 10 horas desta sexta-feira (08) e prosseguem até as 18 horas do dia 29 de julho, no horário oficial de Brasília, Distrito Federal.

O concurso público será organizado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) e contará com sete fases, sendo elas:

· Provas objetivas
· Provas discursivas
· Exame de aptidão física
· Exame de sanidade física e mental
· Exame psicotécnico
· Prova oral
· Avaliação de títulos e comprovação do cumprimento do tempo mínimo de prática forense ou em atividade policial, sindicância da vida pregressa e curso de formação profissional.

Leia mais:  Menina morta por mãe e madrasta passou três meses trancada em um quarto

O candidato precisa preencher os seguintes requisitos para ingresso no cargo:

· Diploma de conclusão de curso de bacharelado em Direito, devidamente registrado e fornecido por uma instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC);
· Comprovação de, no mínimo, três anos de prática forense, após a conclusão do curso de Direito, ou de, no mínimo, três anos de atividade policial, em qualquer instituição de segurança pública prevista no artigo 144 da Constituição Federal, devidamente comprovada.

O delegado de polícia tem como atribuições executar tarefas de polícia administrativa e judiciária, por meio de diligências e investigações para elucidação de infrações penais. Com salário inicial de R$ 12.413,15 e uma jornada de trabalho de 40 horas semanais, sujeito a plantões ordinários e extraordinários.

O edital e demais informações sobre o concurso estarão disponíveis na página: http://www.cebraspe.org.br/concursos/pc_es_22_delegado

Continue lendo

Segurança

Pacotes falsos: agente de turismo é preso por aplicar golpes de viagens no ES e no Rio de Janeiro

Publicado

As investigações apontam que mais de 40 pessoas foram vítimas do agente de viagens que atuava em Marataízes, no Sul do Espírito Santo

Um agente de turismo, de 31 anos, foi preso no bairro Acapulco, em Marataízes, no Sul do Espírito Santo. Segundo a polícia, o homem teria ofertado, por meio de uma agência de viagens, falsos pacotes de excursões para pessoas do Espírito Santo e do Rio de Janeiro com valores abaixo do mercado.

A prisão foi realizada, na última segunda-feira (27), em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. As investigações da Polícia Civil apontam que mais de 40 pessoas foram vítimas do homem.

O titular da Delegacia de Marataízes, delegado Renato Barcellos, disse que diversos procedimentos investigativos foram abertos para apurar os golpes praticados pelo suspeito.

Além disso, segundo a polícia, o suspeito tem diversas petições protocoladas por advogados e várias reclamações no Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES) sobre os pacotes de viagens ofertados para clientes e que não foram realizados. 

Leia mais:  Justiça decreta prisão preventiva de suspeito de matar capoeirista em Itaúnas

De acordo com o delegado, o homem aplicava o mesmo golpe desde 2019. 

“Os pacotes ofertados abaixo do valor de mercado eram comprados por terceiros, sem nenhuma garantia de que seriam cumpridos. O suspeito ofertava as viagens aos clientes com base na cotação do dia, referente a milhas que são comercializadas livremente em sites da internet. Antes de efetivar as compras, os clientes pagavam pelo valor indicado, porém, quando os compradores iriam de fato adquirir essas milhas correspondentes à viagem prometida pelo valor flutuante, já pago por eles, já havia subido ou as milhas tinham sido vendidas a outros negociantes”, explicou.

O suspeito, segundo o delegado, mesmo sabendo da probabilidade de frustração do acordo com as vítimas, mantinha os clientes no erro. As vítimas só descobriam o golpe no dia do embarque.

“O passo seguinte do investigado era tentar, por alternativas mais baratas, até que os clientes desistissem ou aceitassem outros pacotes totalmente diversos do que ele oferecia, uma vez que já estavam vulneráveis, obtendo, dessa forma, vantagem em cima das transações efetuadas pelas vítimas”, acrescentou o delegado.

Leia mais:  Ex-funcionário da Santa Casa de Vitória deixou prejuízo de R$ 1 milhão no hospital

O suspeito mantinha uma agência de viagens no bairro Cidade Nova, em Marataízes, e tinha o registro de pessoa jurídica no cartório. Além disso, segundo a polícia, a empresa tinha redes sociais, por onde mantinha contato com os clientes e fazia propagandas para atrair a atenção deles. 

Após o suspeito ser detido, o estabelecimento teve as atividades encerradas e foi encaminhado um ofício ao Instagram para a suspensão da conta.

O suspeito, de acordo com a polícia, vai responder pelo crime de estelionato. Ele foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Marataízes e está a disposição da Justiça.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana