conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Estado dá transparência aos dados sobre a vacinação contra a Covid-19

Publicado

O Governo do Estado deu mais um passo para garantir a transparência nas informações sobre o novo Coronavírus (Covid-19): os dados sobre vacinas recebidas, distribuídas e aplicadas no Espírito Santo já estão disponíveis no site Coronavírus (www.coronavirus.es.gov.br). Além dos números atualizados diariamente, a página conta com um painel interativo com detalhes sobre a imunização, como o total de doses enviadas para cada município, a distribuição por grupo prioritário e o percentual de cobertura alcançado em cada grupo.

O painel, em formato gráfico e de fácil entendimento, permite a filtragem e o download dos dados e pode ser acessado por qualquer cidadão. A página também reúne informações sobre os grupos prioritários, fases da imunização e critérios observados para a distribuição das doses no Estado.

“Estamos lançando o Vacinômetro no painel Covid-19 ES, que é o mais transparente e completo do País. Lembrando que o site é uma fonte de informação para as instituições que fazem pesquisa, para a população e para a imprensa. No botão ‘Painel de Vacinação’, o internauta pode conferir todas as informações sobre a vacina, como, por exemplo, quantos profissionais de saúde temos em cada município e quantas doses já foram disponibilizadas. É importe destacar ainda que o painel vai ajudar a evitar desvios, garantindo um maior controle e transparência sobre as doses”, afirmou o governador Renato Casagrande.

A ferramenta é fruto do trabalho conjunto das Secretarias de Controle e Transparência (Secont) e da Saúde (Sesa); da Superintendência Estadual de Comunicação Social (Secom); e do Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Prodest). No decorrer do período de vacinação as informações serão complementadas, de acordo com os grupos prioritários a cada fase da imunização.

Controle social

Leia mais:  Isolamento acelera a catarata em diabéticos

Ao investir na divulgação das informações sobre a vacinação, o Governo do Estado fortalece o controle social, como destaca o secretário de Estado de Controle e Transparência, Edmar Camata: “O Estado maximiza a transparência da vacinação, para permitir o controle social e ajudar firmemente na repressão aos desvios já vistos em outros Estados.”

De acordo com o secretário, o Governo do Estado vem atuando de forma preventiva. Para evitar e coibir a possibilidade de utilização incorreta das vacinas, foi criado regramento próprio, prevendo punições para as más condutas e desvios na imunização contra a Covid-19 por meio da Portaria nº 010-R, da Sesa. 

“O Governo tem realizado grandes entregas, como a de hoje para garantir a transparência. Mostrar às pessoas, sempre com clareza, com uma linguagem simples, que tanto um pesquisador quanto um trabalhador comum, que não é da área, possa entender o dado. Permite também que toda a população tenha acesso às decisões e às informações que motivam as nossas decisões”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

Na avaliação do presidente do Prodest, Tasso Lugon, o Vacinômetro é uma ferramenta muito importante para dar mais transparência ao processo de vacinação no Estado contra a Covid-19. “Durante a pandemia, o Prodest desenvolveu diversas soluções para informar à população sobre as ações do Governo de combate à doença. Isso mostra como a tecnologia é importante para a administração pública prestar um bom serviço à população”, enfatizou.

Com o lançamento do painel, o Espírito Santo reafirma seu compromisso com a transparência, como vem fazendo desde o início da pandemia. Compromisso esse que fez do Estado primeiro lugar, com nota máxima, nos dois rankings nacionais que medem a eficiência do Poder Público em prestar informações sobre a pandemia e os gastos realizados para o enfrentamento à Covid-19.

Leia mais:  Como manter a saúde mental durante o confinamento
publicidade

Medicina e Saúde

Beber esta quantidade de café por dia eleva risco de demência, diz estudo

Publicado

Uma nova pesquisa realizada por um grupo de investigadores da University of South Australia sugere que beber muito café pode ser nocivo para a saúde cerebral
No maior estudo do gênero feito até ao momento, pesquisadores apuraram que a ingestão excessiva de café está associada a um maior risco de desenvolvimento de alterações neurológicas prejudiciais e de demência, reporta um artigo publicado no site News Medical Life Sciences.

Uma equipe de cientistas da University of South Australia analisou os registos médicos de mais de 17 mil voluntários registrados no UK Biobank, uma base de dados médicos de cidadãos britânicos.

Consequentemente, os investigadores discerniram que os indivíduos que consumiam sete ou mais xícaras de café diariamente, apresentavam uma predisposição mais elevada de até 53% de virem a sofrer de demência.

Kitty Pham, neurocientista e líder do estudo, afirma que o novo estudo é extremamente relevante para a saúde pública.

A demência é uma condição degenerativa do cérebro que afeta a memória, o raciocínio, comportamento e a habilidade de executar tarefas simples do dia-a-dia. Sendo que a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em todo o mundo mais de 50 milhões de indivíduos sofram da patologia.

“Tendo em conta todas as variáveis possíveis, descobrimos através da análise de múltiplas evidências que o consumo excessivo de café estava significativamente associado a uma redução notória no volume cerebral”, disse Pham.

“Ou seja, beber mais de seis chávenas de café por dia pode colocá-lo em risco de doenças cerebrais, como demência e AVC’s”, concluiu. 

Leia mais:  Isolamento acelera a catarata em diabéticos
Continue lendo

Medicina e Saúde

Adolescentes entre 12 a 17 anos serão incluídos na vacinação contra covid

Publicado

Adolescentes com comorbidades serão os primeiros a serem imunizados

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou hoje (27) que adolescentes de 12 a 17 anos serão incluídos no Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19. A inclusão será iniciada após envio da primeira dose para a vacinação de adultos com mais de 18 anos. Adolescentes com comorbidades serão os primeiros a serem imunizados.

A medida foi acertada durante reunião entre o ministério e representantes de estados e municípios.

Também foi definido que, após a distribuição da primeira dose dos imunizantes para todo o país, o ministério deve decidir sobre a antecipação do intervalo entre as duas doses da Pfizer, que, atualmente, é de 90 dias. Na bula do fabricante, o intervalo é de 21 dias.

A redução é estudada para acelerar a imunização diante do crescimento dos casos de pessoas infectadas com a variante delta do vírus da covid-19.

“Nossa expectativa é atingir a população acima de 18 anos vacinada até o começo de setembro. A partir daí, vamos discutir a redução no intervalo da dose da Pfizer, assim a gente avançaria com a segunda dose em um número maior de pessoas e também os abaixo de 18 anos”, explicou o ministro.

Os estados e municípios ainda deverão seguir as orientações do Ministério da Saúde sobre os intervalos entre as doses de vacinas e outras recomendações do PNI. 

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:  Novo coronavírus pode sobreviver por até 28 dias em superfícies
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana