conecte-se conosco


Segurança

Estado lança aplicativo SOS Marias para mulheres vítimas de violência doméstica

Publicado

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), lançou, nesta segunda-feira (8), o SOS Marias, uma nova funcionalidade disponibilizada dentro do aplicativo 190 ES, direcionada a mulheres que sofrem com violência doméstica. Agora, as vítimas podem fazer o acionamento emergencial da Polícia Militar sem a necessidade de atendimento pelo call center, visando os casos de mulheres em situação de violência que não podem, por ocasião do fato, solicitar o apoio de uma viatura policial discando para o 190.

O lançamento da ferramenta – inovadora no País – aconteceu durante solenidade no Palácio Anchieta, em Vitória, com as presenças do governador Renato Casagrande, da primeira-dama do Estado, Maria Virgínia Casagrande, da vice-governadora Jacqueline Moraes, além de demais autoridades envolvidas na criação da ferramenta.

“É impressionante e inaceitável alguém cometer violência contra a mulher simplesmente por ela ser uma mulher. Demos passos adiante, mas temos muita coisa a se fazer. Implantamos uma política para as mulheres. Os instrumentos que criamos são pela necessidade de mudanças. Esse machismo enraizado precisa ser combatido com orientação e também com punição”, afirmou o governador.

A vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes, citou o Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta data, e afirmou que “o Mês da Mulher é o ano inteiro”. Ela pontuou que o trabalho da Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher no Espírito Santo segue avançando e conta agora com mais essa iniciativa.

“Estamos envolvidos desde o início do projeto SOS Marias, buscando melhorar a funcionalidade do aplicativo 190 ES para acionamento emergencial da Polícia Militar pelas mulheres em situação de violência doméstica ou familiar. O avanço no enfrentamento a este tipo de crime carece dessa reestruturação interna, da capacitação continuada e de criatividade, naquilo que for possível, como mostramos agora com essa nova ferramenta”, declarou Jacqueline Moraes.

Sobre a nova funcionalidade

Ao acionar o botão SOS Marias, os campos relativos à localização da solicitante (município, bairro, logradouro e número do logradouro) serão preenchidos automaticamente através da localização do aparelho celular por GPS. Posteriormente, basta a vítima clicar no botão de solicitar viatura, que será gerada uma ocorrência diretamente para a tela do computador Despachador de Recursos Operacionais da Polícia Militar, que atua dentro do Ciodes.

Leia mais:  Delegado da Polícia Civil mata esposa e enteada em Curitiba

Com isso, automaticamente, o oficial responsável pelo envio da radiopatrulha fica ciente de que se trata de uma ocorrência de violência doméstica e providencia o despacho do recurso mais próximo, no menor tempo possível. O aplicativo permite ainda que o solicitante preencha, desde que tenha condições de digitar, o campo “demais informações”, possibilitando que a equipe policial tome conhecimento de fatos e características que possam auxiliar no atendimento da ocorrência.

Cabe ressaltar que a ferramenta é uma nova modalidade de acionamento emergencial da Polícia Militar e não funciona como um botão de pânico. Desta forma, as mulheres em situação de violência doméstica e familiar não precisarão ser detentoras de medida protetiva de urgência expedida pela Justiça, para acionar o serviço. Apenas deverão se cadastrar no APP 190 ES.

SOS Marias é uma ação exclusiva do Estado do Espírito Santo e funcionará nos seus 78 municípios. Não houve custo extra para o desenvolvimento do aplicativo, sendo ele produzido dentro do contrato já existente na Sesp. O governador Casagrande destacou ainda a importância de mais uma ferramenta disponibilizada com objetivo de proteger mulheres da violência dentro do lar.

“Na hora que aciona o botão no aplicativo, a localização aparece no Ciodes e isso ajuda para que os policiais saibam exatamente onde a pessoa está. Na maioria das vezes, a pessoa que sofre violência está nervosa e não consegue dar pontos de referência. Divulgar o Aplicativo 190 é importante, pois outras funcionalidades vão sendo incorporadas. Parabéns a todas as mulheres e que a gente possa ter uma sociedade que respeite todas as pessoas e todas as mulheres”, destacou o governador.

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, ponderou que a ferramenta é importante, mas o principal para o combate à violência doméstica é o fim da cultura machista, em que o homem se sente dono da companheira e a trata como uma propriedade.

“É muito difícil para as forças policiais alcançarem essa vítima de violência doméstica, pois sem uma denúncia ou até mesmo o acionamento do 190, não temos como prever algo que ocorre dentro de casa. Temos diversas ferramentas disponibilizadas pelo Estado, como a Patrulha Maria da Penha, o projeto Homem que é Homem e a Casa Abrigo, mas só iremos resolver de vez esse problema, a partir do momento que os homens agressores entenderem que não são donos de outro ser humano, no caso, as companheiras”, afirmou.

A gerente de Proteção à Mulher da Sesp, delegada Michelle Meira, explicou que a funcionalidade chega em um momento importante, em que o Estado busca ferramentas para proteção dessas mulheres vítimas de violência doméstica. “A gente pede e conta com a colaboração da sociedade no sentido de acessar, baixar e utilizar. Facilita muito o atendimento e a gente busca melhorar a cada dia o serviço de proteção prestado à população”, completou.

“Hoje o Governo do Estado lança mais uma ferramenta importante no enfrentamento a violência contra a mulher. Ao lado de outras ações, que são articuladas com diversas Secretarias do governo, seguimos o que está instituído no Plano Estadual de Políticas para Mulheres e no Pacto, e assim vamos avançar ainda mais na proteção das mulheres capixabas”, comentou a secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo.

A deputada estadual Raquel Lessa também participou da solenidade: “O senhor [governador] escolheu uma vice-governadora, uma mulher forte, mostrando que cuida das mulheres. Esse programa é muito importante para as mulheres que sofrem com a violência no dia a dia. É uma luta constante para acabar com essa violência que está enraizada, no qual os homens acham que têm a posse das mulheres. A criação das nossas crianças ainda é muito machista. Como mulher na política, faço um apelo para que possamos ter mais representatividade. Precisamos ter força e acreditar, pois, nós fazemos a diferença.”

Estiveram presentes ainda no evento, os secretários de Estado, Álvaro Duboc (Economia e Planejamento), coronel Jocarly Aguiar (Casa Militar); delegado-geral da Polícia Civil, Darcy Arruda; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Douglas Caus; o deputado estadual, Coronel Alexandre Quintino; a juíza de Direito, Gisele Souza de Oliveira, representando o Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJES); e a promotora de Justiça, Cristiane Esteves, representando o Ministério Público do Estado do Espírito Santo(MPES).

Leia mais:  Mulher é presa suspeita de atropelar e matar o marido após discussão em Linhares
publicidade

Segurança

Cão farejador Baruck: Denarc de Aracruz ganha novo integrante

Publicado

O cão Baruck é o mais novo integrante da equipe da Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Aracruz. Sua raça, pastor-belga-malinois, é conhecida pelo excelente trabalho como farejador. O recém-chegado K9 Baruck, de apenas 1 ano de idade, tem o nome de origem hebraica e significa “bem-aventurado”. 

O cão está em treinamento, mas, na última semana, já mostrou excelente desempenho durante duas operações realizadas pela equipe da Denarc, com apreensões de drogas e detenção de suspeitos de tráfico.

De acordo com o dono do animal  e também titular da Denarc de Aracruz, delegado André Jaretta, o cão participará das operações em repressão ao tráfico de drogas na região. “Na última quinta-feira (15), no bairro Santa Cruz, com o auxílio do K9 Baruck, a Denarc de Aracruz prendeu um suspeito de 32 anos e apreendeu três tabletes de maconha, um pino de cocaína e uma balança de precisão. Já na última sexta-feira (16), no bairro Coqueiral de Aracruz, foi detido um suspeito de 24 anos e apreendidos um tablete e três buchas de maconha, um tablete de cocaína, uma bucha de ‘haxixe’, oito unidades de ecstasy, uma balança de precisão e dinheiro em espécie”, detalhou Jaretta.


Os dois suspeitos, de 32 e 24 anos, foram conduzidos ao plantão da 13ª Delegacia Regional de Aracruz, onde foram autuados, em flagrante, por tráfico de drogas e, posteriormente, encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Aracruz, ficando à disposição da Justiça.


O delegado André Jaretta conta que ter um cão sempre foi seu sonho, mas nunca tinha se arriscado com essa tarefa. “Quando fui coordenador da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), convivi com o cão Wookie, da raça pastor-belga-mallinois. Vendo o cão trabalhar, eu fui pegando amor pela força que ele trabalhava e vi ali que, além de ferramenta para auxiliar no meu trabalho diário, eu teria um parceiro, um amigo para todas as horas”, comentou Jaretta. 

Após essa experiência, Jaretta procurou um canil de confiança em Linhares, que pertence a dois bombeiros militares, que indicaram um cão dentro de uma ninhada, que tinha um perfil dócil, companheiro e que, ao mesmo tempo, pudesse auxiliar no trabalho à frente da Denarc. “Eu peguei ele com 45 dias de vida e, desde então, ele fica na minha casa. Quase todos os dias, realizo um treino com ele, sob assessoria do policial civil e veterinário, Morgado, e dos dois bombeiros donos do canil, que desde que peguei o Baruck ele tem me auxiliado nas tarefas para que se torne um cão farejador”, conta o delegado, emocionado. 

Jarreta disse que o jovem Baruck está quase pronto para atuar na detecção de entorpecentes, restando aprimorar e refinar algumas pequenas coisas. “Baruck é um cão fantástico, companheiro e superdócil. Estou muito feliz de ter um amigo desses ao meu lado e que, ao mesmo tempo, é meu companheiro de trabalho”, frisou o delegado. 

 

Cães na Polícia Civil 

O delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, explica que existe uma autorização legal para custear a alimentação de três cães, Spy, Wookie e o Zack. Os demais cães pertencem aos policiais, mas têm autorização para serem utilizados no ambiente de trabalho. “Estamos estudando a criação de um setor específico dessa metodologia de trabalho, que é o cão farejador, conhecido como K9”, disse Arruda.

Segundo o agente de polícia e veterinário, Jorge Morgado, em breve a Polícia Civil terá um novo integrante. Com o nascimento de uma nova ninhada do pastor-belga-mallinois Wookie, o policial pretende treinar um cão para futuramente substituí-lo. “Em breve, quero implementar um curso de cinotecnia, adestramento de cães, na Polícia Civil. O curso será realizado em parceria da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), com a Academia de Polícia Civil (Acadepol) do Espírito Santo”, informou  Morgado.

A listagem abaixo conta com cães de 01 a 09 anos de idade. A maioria deles atua como cão de detecção de entorpecentes e um atua como cão de detecção de cadáver. 

Zack –  O cão de 9 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua no Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), como um cão de detecção de entorpecentes. 

Spy – Com 5 anos, da raça pastor alemãoSpy atua no Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) como um cão de detecção de cadáver. O cão teve uma grande contribuição para um caso que teve grande repercussão nas mídias. Spy localizou o corpo de uma mulher enterrada nos fundos do quintal da casa do suspeito, em novembro de 2018, no bairro Soteco, em Viana. 

Wookie –  O cão de 7 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), como um cão de detecção de entorpecentes. Uma operação marcante que o Wookie participou foi em Santa Maria de Jetibá, em uma operação contra o tráfico na região. 

“A única droga apreendida nesta operação foi uma droga apreendida pelo Wookie que estava enterrada em um cafezal da região. Ele começou a cavar, quando vi ele encontrou um saco com 375 pedras de crack. A apreensão de drogas em investigações contra o tráfico concretiza e fortalece a investigação. Nesse dia, ele conquistou meu coração”, lembrou o agente de polícia civil Jorge Morgado, e veterinário, responsável pelo cão. 

Hulk – O cão de 3 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia de Polícia Civil de Marataízes como um cão de detecção de entorpecentes, desde 2019. A primeira participação de Hulk foi em fevereiro de 2019, com apenas 1 ano, durante uma operação conjunta da Polícia Civil (PCES) e Polícia Militar (PMES), em Itaipava, no município de Itapemirim.

“No dia dessa operação, foi detido um suspeito de 24 anos, além da apreensão de 45 pinos e 14 papelotes de cocaína, oito buchas e um tablete de maconha, R$ 2.376,00 em espécie, uma balança de precisão e materiais para embalo de drogas”, disse o agente Renyer, lotado na Delegacia de Polícia de Marataízes e dono do Hulk.

Kyra – A cadela de 3 anos de idade, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Colatina, desde 2019. Sua primeira participação em operações foi nas três fases da Operação Mark Chapman, realizada em agosto de 2019, “desde então, a Kyra tem atuado em outras diversas ações da Denarc de Colatina e apoiado as delegacias das cidades vizinhas da Superintendência Regional Norte e a Polícia Militar de Colatina”, destacou o delegado Deverly Pereira Junior, titular da Denarc de Colatina e dono de Kyra. 

Baruck –  O mais novo da turma, de apenas 1 ano, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Aracruz como um cão de detecção de entorpecentes. 

Leia mais:  Detento pula muro e foge de Penitenciária de Segurança Máxima em Viana
Continue lendo

Segurança

Polícia Militar inaugura nova sede da 3ª Companhia do 1º Batalhão, em Vitória

Publicado

Foi inaugurada na manhã desta terça-feira (20), a nova sede da 3ª Companhia do 1º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), localizada no bairro Santa Helena, em Vitória. O imóvel foi cedido pela Prefeitura Municipal que custeou toda a reforma da Companhia. São cerca de 270 metros quadrados de área construída, incluindo a reformulação do layout da edificação para atender às especificidades de uma companhia policial militar, com a construção de salas administrativas, vestiários e plantão com bancada/guichê para atendimento ao público.


Ao todo, 48 policiais vão atuar na unidade conforme as escalas do planejamento prévio operacional. Eles atenderão os bairros Barro Vermelho, Enseada do Suá, Ilha do Boi, Ilha do Frade, Praia do Canto, Praia do Suá, Santa Helena, Santa Lúcia e Santa Luíza. Antes da reforma, a 3ª Companhia do 1º Batalhão estava com sua sede no bairro São Cristóvão. A partir de agora, situada em um local estratégico, a Companhia terá o espaço e instalações mais adequadas para seus policiais e para atender à população.

O governador do Estado, Renato Casagrande, participou da inauguração e destacou a união dos esforços na melhoria da segurança pública. “Esse é um trabalho que se iniciou no ano passado e que consolidamos hoje. Uma união das nossas forças de segurança com a Guarda Municipal. Quase todos os problemas são jogados nas costas da Polícia Militar, mas existe um trabalho que envolve também o lado social, além do fato de termos herdado as forças de segurança desestruturadas. Estamos recompondo o efetivo, equipando e valorizando”, disse.

Casagrande também falou sobre as obras estruturantes que o Governo do Estado está realizando na Capital. “São três grandes obras em Vitória, que continuaremos trabalhando juntos com a prefeitura nesses dois anos. Uma é a ampliação da Terceira Ponte que já está se iniciando. Em breve, entregaremos outra parte do Portal do Príncipe para dar mais fluxo aquela região e também faremos uma obra estruturante na Reta do Antigo Aeroporto até a chegada de Carapina, na Serra. São obras que mudarão por completo a mobilidade urbana na Grande Vitoria”, destacou.

A 3º Cia do 1º Batalhão funcionará 24 horas por dia e conseguirá atender as demandas da comunidade em qualquer horário. É o que ressalta o comandante-geral da PMES, coronel Douglas Caus: “O patrulhamento ostensivo permanecerá nos nove bairros e, além disso, a Companhia servirá de apoio para dar dignidade ao nosso policial militar no seu ambiente de trabalho e uma forma melhor de receber o cidadão capixaba”, explicou.

Responsável pela Companhia desde 2018, o capitão Fernando Sampaio, lembrou que o local estratégico auxiliará em um patrulhamento mais eficaz. “Com a aproximação da Companhia, o deslocamento das viaturas acontecerá na área que será policiada e, com isso, aumentará o fluxo de policiais nos bairros”, declarou.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, essa é uma das ações da corporação para aumentar a sensação de segurança na região, mas ressalta que esse trabalho das forças policiais precisa do apoio de todos os setores da sociedade.

“A Segurança Pública precisa ganhar, de fato, um espaço para ser discutida. Nessa região há um desgaste grande por conta dos crimes patrimoniais, principalmente o furto. Hoje temos uma legislação que pouco pune esse tipo de infração e gera um desgaste do trabalho policial. Esperamos que, com isso, possamos melhorar a situação nessa região tão importante e os moradores possam se sentir mais seguros”, apontou o secretário.

O prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, destacou o trabalho da Polícia Militar e citou a união dos trabalhos na área social e policial, que são eixos do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, como forma de continuar na redução da criminalidade.

“Importante momento em que trazemos para a 5° região em estar próximo à PM. Na Capital, de janeiro até hoje, tivemos uma redução em mais de 62% em furtos e roubos em via pública. É um trabalho de união dos esforços. Já autorizei a Guarda Municipal a intervir em parceria com a Polícia Militar onde necessitar. Vamos continuar integrando o trabalho social com a segurança pública”, disse o prefeito.

O deputado Luiz Durão, presidente da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa, acredita que a inauguração da unidade em um local tão estratégico é um passo importante no combate à criminalidade. “São ações como essa que promovem uma melhoria global na segurança pública do nosso Estado. Parabenizo o governador Renato Casagrande pela iniciativa, pois acredito que uma polícia forte é aquela que tem boa infraestrutura e valoriza os seus profissionais”, destacou o parlamentar.

Também estiveram presentes os secretários de Estado Álvaro Duboc (Economia e Planejamento) e Coronel Aguiar (Casa Militar); os deputados estaduais Emílio Mameri, Janete de Sá, Luciano Machado e Hudson Leal; a vice-prefeita de Vitória, Capitã Estéfane; o presidente da Junta Comercial do Espírito Santo (Jucees), Carlos Rafael; além de vereadores, secretários municipais e lideranças comunitárias.

Leia mais:  Detento pula muro e foge de Penitenciária de Segurança Máxima em Viana
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana