conecte-se conosco


Esportes

“Eu provoquei mesmo”, diz Ana Paula sobre confusão pós Brasil X Cuba na Olimpíada de 1996

Ex-jogadora de vôlei e hoje influente nas redes sociais, Ana Paula participa do programa Grande Círculo neste sábado

Publicado

Ana Paula Henkel, ex-jogadora de vôlei, estará, neste sábado, às 22h, no centro do Grande Círculo, programa de entrevista do SporTV, apresentado pelo narrador Milton Leite. Outros seis nomes sabatinaram a medalhista olímpica: Os repórteres Alexandre Oliveira, Gabriela Moreira e Joanna de Assis, o ex-jogador de vôlei e hoje comentarista Nalbert, a editora Cida Santos, e o narrador Cleber Machado.

Na semifinal da Olimpíada de 1996, brasileiras e cubanas se estranharam após a partida na qual as caribenhas venceram no tie-break. Ana Paula foi uma das pivôs da discussão e, questionada, lembrou que foi uma das que iniciaram o tumulto

– Eu provoquei mesmo, impressão nenhuma. Não me arrependo. A maturidade que eu tinha no momento, a pessoa que sou hoje, uma pessoa que fui colhendo as experiências que eu tive. A maturidade que tenho hoje teve a contribuição.

– A decisão das pessoas socialmente tem que ser respeitada, muito respeitada, é questão sine qua non…Tem que respeitar e pronto. E ai você impor direitos em cima das suas decisões é esticar a corda além da conta….Não estamos pedindo para que a discussão seja abandonada, estamos pedindo para que o esporte seja respeitado como ele é…Essa inclusão de trans está excluindo mulheres – disse.

publicidade

Esportes

Adiamento das Olimpíadas dificulta, mas não muda planos de torcida organizada: “Viagem mantida”

Os Chapolins, presentes em eventos desde 2011, já tinham passagens compradas para 15 pessoas, além de mais de cem ingressos; maior problema será remarcar hospedagem

Publicado

Conhecida como a maior torcida organizada do esporte olímpico brasileiro, os Chapolins encontram dificuldades com as mudanças dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram remarcados para o ano que vem, mas mantêm a viagem para a competição, que ainda não tem data marcada em 2021. O grupo, que presencia os grandes eventos esportivos desde 2011, nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México), terá que batalhar para mudar a data de hospedagem.

Chapolins na torcida durante o Mundial de Handebol — Foto: Wander Roberto/Photo&Grafia

– A viagem está mantida, estamos aguardando o COI em relação às novas datas para entrar com o procedimento de alteração de passagem e hospedagem. Minhas férias já estavam programadas, mas minha sorte é que eu trabalho em uma empresa mais flexível – disse Gustavo Cardoso, um dos membros da torcida, que trabalha na área de turismo.

O grupo terá que conversar com o Airbnb, empresa de aluguel de casas e quartos, já que tinham um contrato que não previa cancelamento de data, ou seja, não teriam direito ao ressarcimento ou remanejamento para ano que vem.

– Tudo depende da nova programação, espero que não haja nenhuma alteração nos horários das provas. Mantendo do mesmo jeito, já temos cerca de 60% dos ingressos que a gente queria comprar. Temos 114 ingressos já – conta Saulo Próspero, outro membro da torcida.

Chapolins Brasileiros  — Foto: Cinara Piccolo/Photo&GrafiaChapolins Brasileiros  — Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia

Chapolins Brasileiros — Foto: Cinara Piccolo/Photo&Grafia

O advogado Marcio Andraus, da CCLA Advogados, é especializado em direito do consumidor, e separa os torcedores que tinham comprado ingressos e marcado hospedagem em dois grupos: os que fizeram com a agência oficial e os que adquiriram por conta própria:

– Esses eventos, Copa do Mundo e Olimpíadas, costumam ter a agência oficial do evento, e essa agência vende pacotes. Quando o pacote é vendido por uma agência oficial, o consumidor tem todo o ressarcimento necessário, hospedagem e avião, ou a opção de remarcação. O pacote é vinculado ao evento. Quem comprou de maneira separada tem que imediatamente entrar em contato com hotel e empresa aérea e ver a política de troca. Se for feita com antecedência, há uma política de troca ou cancelamento sem nenhum prejuízo ao consumidor. A possibilidade de um ressarcimento integral ou remarcação de passagem é bastante provável – disse o advogado.

Leia mais:  Goiás endurece e exige R$ 50 milhões do Corinthians por Michael: "Não tem Black Friday"

Torcida Chapolin durante a Olimpíada — Foto: Getty ImagesTorcida Chapolin durante a Olimpíada — Foto: Getty Images

Torcida Chapolin durante a Olimpíada — Foto: Getty Images

O problema se agrava, porém, quando a compra foi feita sem dar muita atenção ao contrato:

– No contrato que você assinou com agência ou site, as letrinhas pequenas, ali tem a política de devolução. Pode ser 20% de devolução ou 100%, mas a política está ali. Mas, independente disso vale a pena entrar em contato diretamente com os hotéis e companhia – disse Marcio.

Baby chapolin torcida — Foto: ReproduçãoBaby chapolin torcida — Foto: Reprodução

Baby chapolin torcida — Foto: Reprodução

Por fim, o advogado sabe que as discussões vão acontecer:

– Tem que ver a força maior no momento da utilização. Se você chegar no dia 24 de julho, o voo está disponível, as companhias entendem que você que não quis utilizar. O mesmo acontecendo com o hotel. Aí é sempre bom entrar em contato o quanto antes – concluiu.

Continue lendo

Esportes

Agora é oficial: Robert Scheidt garante vaga em sua sétima Olimpíada e quebra recorde

Com resultados do Campeonato Mundial, velejador confirma participação da Olimpíada de Tóquio e se tornará o primeiro brasileiro a competir em sete edições dos Jogos

Publicado

Perto de completar 47 anos de idade, o velejador Robert Scheidt confirmou, na quarta-feira, uma vaga na Olimpíada de Tóquio na classe Laser. Maior medalhista olímpico da história do país (são dois ouros, duas pratas e um bronze), ele está em 29º lugar no Campeonato Mundial, que está sendo realizado em Miami, nos Estados Unidos, mas já confirmou seu lugar em Tóquio 2020.

No ano passado, Robert Scheidt ficou em 12º lugar no Campeonato Mundial da classe Laser e conseguiu dar um passo gigantesco para a vaga olímpica, já que o índice técnico estipulado pela Confederação era ser top 18. Porém, ainda havia uma chance dele não se classificar: algum brasileiro ir ao pódio no Mundial de 2020, que está sendo realizado em Miami, nos Estados Unidos.

Assim, o veterano participará de sua sétima Olimpíada e quebrará um recorde, já que nenhum atleta do país na história competiu em tantas edições. A jogadora de futebol Formiga deve igualar esse recorde, já que é um dos destaques da seleção brasileira que está classificada, mas ainda não teve sua convocação confirmada. Rodrigo Pessoa, do hipismo, e Jaqueline Mourão, do ciclismo, também brigam para chegar a tal número.

Robert Scheidt — Foto: Divulgação

A história olímpica de Robert Scheidt começou em Atlanta 1996, quando tinha apenas 21 anos, e foi campeão. Quatro anos depois, ficou com o vice-campeonato, mas voltou a ir ao lugar mais alto do pódio em Atenas 2004. Em Pequim 2008, com a prata, e Londres 2012, com bronze, conquistou medalhas em outra categoria, a classe Star.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana