conecte-se conosco


Internacional

Ex-general diz que Venezuela mandou dinheiro para Lula

Publicado

Partidos da esquerda na América Latina e também na Europa teriam sido financiados ilegalmente por Chávez e Maduro

O ex-chefe do Serviço Secreto da Venezuela, general Hugo Armando Carvajal, conhecido como Pollo Carvajal, enviou uma carta de sete páginas para o juíz espanhol Manuel García-Castellón relatando detalhes de um esquema de financiamento de partidos de esquerda na América Latina e na Europa pelos governos de Hugo Chávez e de Nicolás Maduro. Entre os beneficiados estaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações foram divulgadas pelo site espanhol Okdiario nesta semana.

“O governo venezuelano financia ilegalmente movimentos políticos de esquerda no mundo há pelo menos 15 anos, incluindo o financiamento da criação do partido político espanhol Podemos”, diz Carvajal. “Enquanto eu era diretor de Inteligência Militar e Contrainteligência da Venezuela, recebi muitos relatórios apontando que esse financiamento internacional estava acontecendo”.

Carvajal  cita como exemplos “concretos” de beneficiados pelo esquema de financiamento: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; Néstor Kirchner, na Argentina; Evo Morales, na Bolívia; Fernando Lugo no Paraguai; Ollanta Humala, no Peru; Zelaya em Honduras; Gustavo Petro na Colômbia; Movimento Cinco Estrelas na Itália e o partido Podemos na Espanha.

No documento de sete páginas endereçado à justiça espanhola, ele relata em detalhes como era o envio de dinheiro para a Espanha durante a criação do partido de esquerda Podemos. Segundo Carvajal, os valores foram transportados para a Europa por meio de malas diplomáticas, um sistema oficial de correspondência entre governos e o corpo diplomático no exterior e que não podem ser violadas.

Ele conta que o dinheiro era levado por um homem de confiança do governo venezuelano da embaixada de Cuba, em Caracas, para o Ministérios das Relações Exteriores, onde era recebido por Williams Amaro, secretário de Maduro.

Amaro seria o responsável por enviar as quantias para a embaixada do país na Espanha por meio de malas diplomáticas. Já em território espanhol, o dinheiro era recebido por Ramón Gordils, vice-ministro de Cooperação Econômica da Venezuela e presidente do Bancoex de Comércio Exterior, e entregue para Juan Carlos Monedero, um dos fundadores do Podemos.

Carvajal conta na carta que a última vez que soube desse tipo de operação foi em 7 julho de 2017, quando Ramón Gordils retornou a Caracas em um voo da Iberia.

Ele afirma ter como provar a existência do esquema de financiamento de partidos de esquerda pelo governo da Venezuela. “Tenho informantes que testemunharam diferentes estágios dessa rede. Pedi aos meus advogados que os contatassem enquanto eu estava na prisão para perguntar se eles estariam dispostos a atestar meu testemunho e alguns responderam sim para concordar em testemunhar perante um juiz.” 

Capturado na Espanha

Caravajal foi preso na Espanha em setembro acusado de envolvimento no tráfico de drogas. Ele estava foragido desde novembro de 2019, quando vivia em Madri, um dia antes de sua extradição para os Estados Unidos ser autorizada.

“Estou há dois anos trancado em apartamentos. Mudava a cada três meses, menos nesta ocasião, em que fiquei oito meses no mesmo apartamento”, disse aos policiais no momento em que estava sendo algemado.

A agência antidrogas dos Estados Unidos chegou a oferecer uma recompensa equivalente a R$ 50 milhões por informações que levasse à prisão do ex-chefe do Serviço Secreto da Venezuela.

Leia mais:  Cientista prevê que pandemia deve acabar mais cedo do que se espera: "Vamos ficar bem"
publicidade

Internacional

Reino Unido e Dinamarca registram alta de casos de Ômicron

Publicado

Ambas as nações são amplamente vistas como líderes em sequenciamento e testes genômicos, o que lhes dá uma vantagem no rastreamento da disseminação do vírus e de suas mutações

O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS, na sigla em inglês) confirmou 86 novos casos da Ômicron neste domingo, dia 5, elevando o total para 246. Já na Dinamarca, as autoridades relataram 183 infecções pela cepa ante 18 contabilizadas na sexta-feira. 

Ambas as nações são amplamente vistas como líderes em sequenciamento e testes genômicos, o que lhes dá uma vantagem no rastreamento da disseminação do vírus e de suas mutações, publicou o The New York Times. Ainda de acordo com o jornal americano, a mutação da covid-19 já foi identificada em 45 países.

Mais cedo, em entrevista à CNN americana, o conselheiro da Casa Branca para infectologia, Anthony Fauci, informou que cerca de um terço dos Estados americanos já registraram infecções pela Ômicron. 

No entanto, disse que os primeiros sinais sobre a gravidade da variante, vindos da África do Sul, são “um tanto encorajadores”. 

“Até agora a cepa não parece ter um grande grau de severidade”, afirmou, mas acrescentou que é muito cedo para tirar conclusões definitivas e que mais estudos são necessários.

Henrik Ullum, diretor do Statens Serum Institut, centro de referência para doenças infecciosas na Dinamarca, vê com cautela o avanço da variante.

“Estamos vendo um aumento preocupante no número de infectados com Ômicron na Dinamarca. Agora existem cadeias de infecção em andamento, onde a transmissão é observada entre pessoas que não viajaram ou têm ligações com viajantes”, disse. (Com agências internacionais).

Leia mais:  Japão prorroga estado de emergência por covid-19
Continue lendo

Internacional

Ladrões roubam joalheria vestidos de criaturas de ‘Harry Potter’

Publicado

Assaltantes confessaram culpa à Corte Superior de Edimburgo, capital da Escócia, dois anos depois do crime

A Justiça da Escócia prendeu na última terça-feira (30) três homens que confessaram o roubo a uma joalheria da cidade de Dundee, em setembro de 2019. Os assaltantes entraram no estabelecimento fantasiados de dementadores, seres malvados do universo de Harry Potter.

O trio invadiu a joalheria com um martelo, uma marreta e um machado e levou dois relógios de luxo, avaliados em 17.850 euros (aproximadamente R$ 114 mil, na cotação atual).

Durante o assalto, um dos clientes da loja tentou reagir, mas foi atingido na cabeça com a marreta e precisou ser hospitalizado. O trio fugiu da joalheria após os funcionários acionarem um alarme contra roubo, de acordo com o portal britânico Mirror.

Segundo a procuradora Jennifer Harrower, os assaltantes são de Manchester, na Inglaterra, e viajaram até a Escócia para realizar os crimes, que ela classificou de “violentos”.

“Esses homens viajaram para a Escócia, se armaram e fizeram assaltos violentos em plena luz do dia”, contou Harrower. “É graças ao trabalho de investigação exaustivo e à cooperação com as forças policiais em outras partes do Reino Unido que esses três homens foram levados à Justiça.”

O trio também realizou outro assalto na Escócia cerca de um mês antes do roubo à joalheria de Dundee, no qual uma pessoa também ficou ferida. Se condenados, os três receberão uma pena somada de 32 anos.

Leia mais:  Cientista prevê que pandemia deve acabar mais cedo do que se espera: "Vamos ficar bem"
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana