conecte-se conosco


Camisa 10

Fifa escolhe Edina Alves para apitar Mundial de Clubes no Qatar

Publicado

Árbitra brasileira faz parte do quadro da entidade de futebol desde 2016 e foi destaque no Copa Feminina em 2019, na França

O Brasil ainda tem chances de disputar o Mundial de Clubes da Fifa, em fevereiro, no Qatar, com Palmeiras ou Santos, que estão nas semifinais da Copa Libertadores, mas já garantiu presença na competição. Nesta segunda-feira, a entidade anunciou o quadro de arbitragem e nele está a paranaense Edina Alves Batista como árbitra e a catarinense Neuza Back no posto de assistente.

A Fifa selecionou ao todo para o torneio sete árbitros de campo e 12 assistentes, além de outros sete árbitros de vídeos para a operação do sistema de VAR. Os oficiais das partidas viajarão para o Qatar uma semana antes do início do Mundial de Clubes, que será realizado entre os dias 1 e 11 de fevereiro. A Fifa garantiu que eles receberão todos os cuidados necessários contra a pandemia do novo coronavírus.

Edina Alves vai liderar único trio feminino no MundialA indicação de Edina Alves Batista para liderar um dos trios de um grande torneio da Fifa segue uma sequência de exemplos iniciada na Copa do Mundo Sub-17 de 2017, quando a suíça Esther Staubli apitou um dos jogos da competição masculina, e depois continuada pela uruguaia Claudia Umpierrez, que esteve no último Mundial Sub-17, realizado no Brasil em 2019.

“A nomeação do trio feminino liderado por Edina Alves Batista dá continuidade ao caminho iniciado na Copa do Mundo sub-17 de 2017, onde a árbitra suíça Esther Staubli arbitrou um jogo, seguida pela árbitra uruguaia Claudia Umpierrez, que arbitrou duas partidas no torneio de 2019, no Brasil”, escreveu a Fifa em seu site oficial.

Edina Alves Batista faz parte do quadro de árbitras da Fifa desde 2016 e já apitou em jogo da Série A do Campeonato Brasileiro. Ela esteve no último Mundial Feminino (França-2019), em que comandou a semifinal entre Inglaterra e Estados Unidos. Neuza Back é assistente da Fifa desde 2014. Ela também esteve no último Mundial Feminino e recentemente trabalhou no jogo entre Vélez Sarsfield e Peñarol, pela Copa Sul-Americana.

O Mundial de Clubes vai utilizar três estádios da Copa do Mundo de 2022. O sorteio para determinar os cruzamentos está previsto para o próximo dia 19, em Zurique, na Suíça.

Leia mais:  McGregor é preso após ser acusado de agressão sexual na França
publicidade

Camisa 10

Novo uniforme do Fluminense homenageará os 115 anos do primeiro título oficial do clube

Publicado

Linha, que marca a segunda produzida pela Umbro, tem previsão de lançamento para maio; camisas de treino dos jogadores vazaram anteriormente

Os campeões de 1906 serão lembrados. A nova linha de uniformes do Fluminense, produzida pela Umbro, irá homenagear os 115 anos do primeiro título oficial do clube — o Campeonato Carioca de 1906. A previsão de lançamento é para maio, ainda sem data definida.

Importante: os novos uniformes não serão réplicas. Por exemplo, o Fluminense atuou com meiões pretos em 1906, o que nao é permitido pelo estatuto atualmente. O estilo será “clássico”, segundo pessoas que o viram, mas não terá o modelo antigo como base. 

O padrão segue o mesmo: o principal é o tradicional tricolor e a segunda é predominantemente branca, tendo detalhes em grená e verde.

No uniforme tricolor, as listras serão mais finas do que as da atual versão, também da Umbro. Na camisa dois, os detalhes em verde e grená estarão na manga e na gola. Também haverá um emblema em comemoração aos 115 anos do primeiro título oficial do Fluminense. 

Outros dois uniformes que vazaram fazem parte da linha a ser lançada oficialmente pela Umbro. Trata-se das camisas de treino dos jogadores, com uma predominantemente azul e a outra verde e cinza.

Camisa verde e cinza faz parte da linha de treinos da nova coleção Foto: Divulgação

Camisa azul também faz parte da linha de treinos da nova coleção Foto: Divulgação

Essa é a segunda vez que o Fluminense terá a Umbro como responsável por confeccionar toda a sua linha de material esportivo. O Fluminense aposta muito nesta parceria após o insucesso de suas últimas duas fornecedoras (Under Armour e Dry World).

Leia mais:  Cristiano aceita corte salarial e doa respiradores a hospital na Madeira
Continue lendo

Camisa 10

Empresários abocanham US$ 500 milhões com venda de jogadores de futebol

Publicado

Houve queda em relação a 2019, a Pandemia impactou arrecadação. Inglaterra é país mais lucrativo

Os empresários que atuam em negociações internacionais de jogadores de futebol masculino e feminino ganharam US$ 496 milhões em comissões em 2020, de acordo com relatório publicado pela Fifa (Federação Internacional de Futebol). 

O valor representa a 3ª maior arrecadação desde 2014, início da série histórica. Houve decréscimo em relação a 2019 e 2018, quando o total recebido pelos agentes foi de US$ 655 milhões e US$ 548 milhões, respectivamente.

O regulamento da Fifa para transferências internacionais de jogadores exige que clubes revelem os nomes e comissões de intermediários. As informações são utilizadas pela entidade para compor o relatório, divulgado anualmente.

O valor pago em comissão aos antes nas negociações em 2020 é expressivo, considerando que estudo da consultoria britânica KPMG apontou que a pandemia fez o investimento dos clubes das 5 principais ligas do futebol europeu em contratações de jogadores na temporada 2020/2021 cair quase 50% em relação à média das últimas 3 temporadas.

A maior parte do valor levantado nas transferência teve origem no continente europeu (US$ 474 milhões). Cerca de 95% das comissões tiveram origem em negociações de jogadores de clubes vinculados à Uefa (União das Associações Europeias de Futebol).

A Inglaterra liderou o ranking de países mais lucrativos aos empresários em 2020 (US$ 110 milhões), seguida por Itália (US$ 88 milhões), Portugal (US$ 69,2 milhões), Alemanha (US$ 64 milhões), França (US$ 34 milhões), Espanha (US$ 31 milhões) e Rússia (US$ 21,5 milhões).

O Brasil ocupa a 8ª colocação na lista. As negociações de jogadores que atuam em clubes do país país renderam US$ 13,7 milhões a agentes. As transferências que envolvem times ligados à Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) representam apenas 3% (US$ 14,4 milhões) do total.

O relatório da Fifa aponta ainda que um ou mais agentes atuaram para concretizar 20,4% dos negócios fechados no ano passado. Ao todo, foram 16.433 transferências registradas em 2020, sendo que 3.346 tiveram envolvimento de empresários representando jogadores ou clubes.

Nos acordos com valores superiores a US$ 5 milhões, o percentual de empresários representando clubes compradores é de 55,4%. A taxa é de 34,8% no caso de agentes de clubes vendedores e de 44,9% para representantes de jogadores.

Leia mais:  Cristiano aceita corte salarial e doa respiradores a hospital na Madeira
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana