conecte-se conosco


Internacional

Filho envia selfie para mãe minutos antes de morrer em queda de avião

Publicado

Um grupo de quatro amigos morreu em um acidente aéreo em Carlinville, Illinois, nos Estados Unidos. O voo que durou cerca de 30 minutos e momentos antes da queda um dos passageiros, Daniel Shedd, de 37 anos, enviou uma selfie do quarteto para a mãe.

Daniel e os amigos voavam para Michigan para buscar uma motocicleta BMW que ele havia emprestado à um dos colegas que estava no voo. O engenheiro formado na Universidade Kettering, em Michigan, pretendia voltar para casa com a moto na segunda-feira (1°) já que no dia após o acidente ele celebraria o aniversário de sua mãe.

A aeronave monomotor de asa fixa Piper Cherokee PA 28-235 tinha apenas 4 lugares e segundo o pai de Daniel, Charles Shedd, o piloto e amigo do filho, Joshua, de 35 anos, que possuía o avião há pouco tempo, mas que estava em “excelente condição” após ter passado por todas as inspeções necessárias.

“Esta foi a primeira vez que ele voou com eles e não tenho certeza se ele já esteve em um pequeno avião antes. Ele estava ansioso pela viagem”, disse o pai, que suspeitou do acidente após o filho não responder mais suas mensagens e ligações.

Ao pesquisar sobre o voo na internet, o pais de Daniel constataram que a aeronave havia desaparecido meia hora após a decolagem. Foi quando no celular de sua mãe chegou uma notificação do site ‘5 On Your Side’ sobre um acidente.

“Liguei para a polícia de Carlinville e cheguei ao xerife, e finalmente conversei com o médico legista. Ele era o filho mais maravilhoso que um pai poderia ter”, contou o pai, em lágrimas.

O Departamento do Xerife do Condado de Macoupin e a Administração Federal de Aviação estão investigando o caso, mas condições climáticas foram descartadas como causa do acidente.

Leia mais:  Terremoto na Indonésia deixa mortos e dezenas de feridos
publicidade

Internacional

Centenas de israelenses protestam contra ‘passe verde’ para vacinados

Publicado

Manifestantes acusaram governo de querem criar divisão entre aqueles que não querem ser vacinados e o resto da população

Algumas centenas de israelenses protestaram na noite de quarta-feira (24) em Tel Aviv contra as medidas do governo para estimular a vacinação, que a partir desta semana incluem um passe verde que permite o acesso a certos locais e atividades apenas para os vacinados contra covid-19.

O protesto aconteceu na Praça Habima, em Tel Aviv, em frente a um icônico teatro e justamente no dia em que o município organizou o primeiro “Concerto do Passe Verde”, no qual só podiam entrar aqueles que haviam recebido as duas doses da vacina há pelo menos uma semana.

Alguns dos manifestantes exibiram cartazes acusando o governo de instalar um regime de apartheid que marginalizará aqueles que não querem ser vacinados, e outros até compararam o passe verde às marcas que os judeus tiveram que usar na Alemanha nazista.

De acordo com a imprensa local, o protesto reuniu vários grupos, em sua maioria marginalizados, e alguns deles negam não apenas a eficácia da vacina, mas também o perigo do coronavírus.

No entanto, sua reivindicação representa um setor significativo da sociedade, que inclui múltiplas ONGs e até mesmo acadêmicos, que expressaram preocupação com o avanço do governo nas liberdades individuais da população no esforço de vacinar o maior número possível de pessoas.

Além da introdução do passe verde, o Parlamento aprovou ontem uma lei que autoriza o envio de listas de pessoas não vacinadas às autoridades locais, e uma comissão parlamentar deu sua aprovação inicial a uma medida que permitiria aos israelenses que chegassem do exterior se isolarem em casa, em vez de em hotéis, mas com a condição de usar uma pulseira eletrônica para monitorar seus movimentos.

Leia mais:  Japão cria 'máscara inteligente' com tradução de voz
Continue lendo

Internacional

Cataratas do Niágara congelam em meio a forte frente fria

Publicado

As famosas cataratas do Niágara congelaram na segunda-feira (22/2), em meio a uma forte frente fria polar que continua a atingir várias regiões dos Estados Unidos.

O gelo se formou no topo da famosa cachoeira depois que as temperaturas caíram para -19C em Niagara, no norte do estado de Nova York.

Cataratas do Niagara congeladas

Nuvens espessas de vapor e um arco-íris também eram visíveis na área, localizada na fronteira entre EUA e Canadá e uma das mais visitadas dos dois países.

O fenômeno ocorreu depois que o presidente Joe Biden declarou um grande desastre no Texas, onde ocorreram apagões e pelo menos 30 mortes durante uma nevasca histórica. Nas redes, circula uma teoria da conspiração afirmando que a nevasca no Texas é “fake”.

No país, ao menos 69 pessoas morreram de envenenamento por monóxido de carbono, hipotermia, acidentes de carro, incêndios em casas e afogamentos no período congelante.

Cataratas do Niagara congeladas

Cataratas do Niagara congeladas

Leia mais:  Tufão Kammuri deixa mortos e milhares de deslocados nas Filipinas
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana