conecte-se conosco


Brasil

Garoto encontra dedo humano em esfiha de restaurante em SP

Publicado

Família que pediu comida por delivery em um restaurante da zona norte da capital chamou a polícia após filho quase engolir o dedo

Um pedaço de dedo humano foi encontrado dentro de uma esfiha por uma família, que pediu comida por delivery de um restaurante da zona norte de São Paulo, neste sábado (11).

Um menino, de 14 anos, mordeu um pedaço da esfiha e tirou o pedaço do dedo de dentro da boca. Seus pais chamaram a polícia e foram junto com os agentes até o estabelecimento onde haviam feito o pedido.

Ao chegarem no local, o dono do estabelecimento esclareceu o ocorrido. De acordo com ele, um dos funcionários havia sofrido um acidente e cortou a ponta de um dos dedos dentro na esfiharia, na quinta-feira (9).

Contatada, a delegacia responsável não deu mais detalhes sobre o caso.

Leia mais:  Novo marco do saneamento básico será votado pelo Senado
publicidade

Brasil

Suzano alcança 975 mil hectares de áreas destinadas à conservação

Publicado

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, atingiu a marca de 975 mil hectares de áreas destinadas conservação. Essas áreas hoje representam cerca de 40% dos 2,38 milhões de hectares mantidos pela companhia, entre áreas de plantio e de conservação.

 A preservação de áreas nativas faz parte do dia a dia da Suzano. Uma das metas de longo prazo da companhia, também conhecidas como “Compromissos para Renovar a Vida”, é conectar até 2030 um total de meio milhão de hectares de áreas prioritárias para a preservação nos biomas Cerrado, Mata Atlântica e Amazônia – o que equivale a quatro vezes a cidade do Rio de Janeiro.

Além das áreas de conservação, a Suzano mantém aproximadamente 1,3 milhão de hectares de florestas plantadas de eucalipto e planta em torno de 460 mil mudas por dia, incluindo eucalipto e árvores de mata nativa. A partir dessas árvores, são fabricados diversos produtos que estão no dia a dia de mais de 2 bilhões de pessoas ao redor do mundo, desde produtos de higiene e embalagens de alimentos e medicamentos, até roupas, combustíveis e produtos para pets.

“O desenvolvimento de novos produtos de origem renovável, reciclável e biodegradável é fundamental para uma sociedade que, felizmente, está cada vez mais atenta às questões ambientais. Nesse sentido, temos evoluído cada vez mais em direção à bioeconomia a partir de novas aplicações da nossa matéria-prima, ou seja, as árvores plantadas”, diz Pablo Machado, diretor executivo para China e, atualmente, também responsável pela área de Sustentabilidade da Suzano. “Hoje, ao comemorarmos o Dia da Árvore, reforçamos o nosso Propósito Organizacional de ‘Renovar a Vida a partir da Árvore’, cientes do importante papel que ela ocupa na construção de um futuro mais sustentável”, completa o executivo.

Além do compromisso com a conservação da biodiversidade, a companhia tem como meta ofertar 10 milhões de toneladas de produtos de origem renovável desenvolvidos a partir da biomassa, para substituição de derivados de origem fóssil, como produtos plásticos. Para alcançar esse resultado, a Suzano desenvolve uma série de soluções pautadas no conceito da inovabilidade, ou seja, a inovação a serviço da sustentabilidade, ampliando a utilização de sua base florestal em soluções que vão além do papel e da celulose. 

O portfólio diversificado da companhia inclui uma série de linhas, como Bluecup Bio® e Loop®, papéis para copos 100% biodegradável e canudos, respectivamente; Ecolig®, utilizada para aplicações industriais de alta performance; Eucafluff®, focada nas aplicações em produtos absorventes e de higiene pessoal descartáveis, como fraldas e absorventes feminino; além de celulose microfibrilar utilizada para produzir a primeira fibra têxtil sustentável do mundo, entre muitas outras. Sem contar, obviamente, a celulose, matéria-prima de todos esses produtos, e de uma ampla linha de papéis e de embalagens.

A evolução das iniciativas da companhia a favor da sustentabilidade e das áreas de conservação, além de seus Compromissos para Renovar a Vida, podem ser acompanhados no site https://centraldeindicadores.suzano.com.br/metas-de-longo-prazo/.

Sobre a Suzano

Suzano é referência global no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras, de origem renovável, e tem como propósito renovar a vida a partir da árvore. Maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e uma das maiores produtoras de papéis da América Latina, atende mais de 2 bilhões de pessoas a partir de 11 fábricas em operação no Brasil, além da joint operation Veracel. Com 97 anos de história e uma capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano, exporta para mais de 100 países. Tem sua atuação pautada na Inovabilidade – Inovação a serviço da Sustentabilidade – e nos mais elevados níveis de práticas socioambientais e de Governança Corporativa, com ações negociadas nas bolsas do Brasil e dos Estados Unidos. Para mais informações, acesse: www.suzano.com.br

Leia mais:  BNDES amplia em R$ 5 bi crédito a micro, pequena e média empresa
Continue lendo

Brasil

Primavera começa hoje com frio no Sudeste e no Sul

Publicado

Primeira semana da estação caracterizada por temperaturas mais altas e chuvas será marcada por chegada de frente fria. A estação termina em 21 de dezembro.

A primavera começa oficialmente nesta quarta-feira (22) às 16h21 (horário de Brasília). A primeira semana da estação será marcada por chegada de frente fria no Sul e Sudeste. Para a maior parte do país, a primavera vai trazer temperaturas mais altas e o retorno das chuvas.

“A primavera é uma estação de transição, ela está entre o inverno e o verão, por isso ela tem características de ambas as estações, ou seja, normalmente temos dias mais quentes e secos e outros dias mais chuvosos e com temperaturas mais baixas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste”, explica César Soares, meteorologista da Climatempo.

início da estação é chamado de equinócio de primavera – quando as horas do dia e da noite têm a mesma duração de 12 horas – com exceção de partes do Amazonas, Pará e quase a totalidade de Roraima e Amapá, que ficam no Hemisfério Norte. A estação termina em 21 de dezembro.

Primavera começa fria no Sul e Sudeste

A primeira semana da primavera será marcada por queda nas temperaturas do Sul e Sudeste do país devido a aproximação de um ciclone extratropical – fenômeno meteorológico de baixa pressão atmosférica que dá origem às frentes frias – que se formou na segunda-feira (20) próximo ao continente.

Esse fenômeno é caracterizado pela presença de fortes ventos e chuvas de intensidade moderada a torrenciais.

“Eles [os ciclones extratropicais] são formados pelo choque de massas de ar diferentes. Nesse caso específico, o ciclone foi formado pelo choque de duas massas de ar, sendo uma mais fria e seca vinda do sul e outra mais úmida e quente vinda das áreas do subtrópico, como no Sudeste do Brasil”, explica César Soares, meteorologista da Climatempo.

Chuvas da estação não irão resolver crise hídrica

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a previsão para o trimestre neste ano indica probabilidade de chuva acima da média histórica no Norte, Centro e Leste do Brasil, mas o total não deve ser o suficiente para encher os reservatórios.

O nível de água dos principais reservatórios do país continua baixando e rápido. A situação é mais preocupante no conjunto de hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que concentra 70% de toda a água armazenada no Brasil.

Segundo análises feitas pelo Climatempo, no mês de outubro irá chover mais do que a média histórica, enquanto em novembro as chuvas serão irregulares. Dezembro deve ser o mês mais crítico do trimestre, registrando volume de chuva abaixo da média histórica para o período.

“Isso não quer dizer que não vai chover. Isso não quer dizer que não teremos grandes temporais, mas que a quantidade de chuva esperada para o mês será menor do que a média e a temperatura será maior do que o normal”, diz Patrícia Madeira, meteorologista da Climatempo.

De acordo com a especialista, antes que os reservatórios possam encher novamente, é necessário que chova um volume suficiente para umedecer o solo. Por isso, ainda que haja temporais, não significa que o problema dos reservatórios será solucionado rapidamente.

“Então, mesmo que chova mais do que a média em outubro, ainda não será o necessário para diminuir o custo da energia“, explica Madeira.

Leia mais:  Postos do Espírito Santo recebem ação de apoio a caminhoneiros
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana