conecte-se conosco


Segurança

Gerência de Proteção à Mulher e PMES promovem capacitação para policiais da Patrulha Maria da Penha

Publicado

Na última terça-feira (31), 43 policiais militares que atuam na Patrulha Maria da Penha participaram de uma capacitação para atendimento às ocorrências de violências doméstica e familiar. O encontro faz parte do Programa de Formação Continuada da Patrulha Maria da Penha, promovido pela Gerência de Proteção à Mulher (GPM), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), em parceria com a Divisão de Direitos Humanos e Polícia Comunitária (DDHPC), da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES).

Os militares que receberam a capacitação atuam tanto em setores administrativos quanto na realização das visitas tranquilizadoras do Programa Patrulha Maria da Penha. No encontro, os policiais receberam esclarecimentos importantes sobre o dia a dia de quem lida com ocorrências relacionadas à violência de gênero.

A 3º sargento PM Rafaella Vieira Albuquerque falou sobre o Termo de Cooperação Técnica, firmado com o objetivo de definir o fluxo de atendimento às mulheres assistidas pelas visitas tranquilizadoras. O Termo foi assinado pela Sesp, PMES e pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES).

Leia mais:  Cerveja falsificada: 2 mil garrafas prontas para venda são apreendidas em Vila Velha

A assessora da GPM/Sesp e delegada de Polícia Civil, Natália Tenório, destacou os aspectos, aplicações e atualizações da Lei Maria da Penha. “A Lei Maria da Penha passou por atualizações no ano passado, o que precisa ser difundido e discutido. As políticas públicas de proteção à mulher são desenvolvidas a muitas mãos e é importante que todos os atores estejam atualizados com relação à lei e suas aplicações. Esses encontros são uma oportunidade para a troca de experiências e difusão de conhecimento”, disse.

O Programa de Formação Continuada da Patrulha Maria da Penha ainda oferecerá outros encontros. As unidades da PMES interessadas em participar do ciclo de capacitação podem fazer a solicitação por meio de CI encaminhada à DDHPC ou ao Comando-geral.

publicidade

Segurança

Pacotes falsos: agente de turismo é preso por aplicar golpes de viagens no ES e no Rio de Janeiro

Publicado

As investigações apontam que mais de 40 pessoas foram vítimas do agente de viagens que atuava em Marataízes, no Sul do Espírito Santo

Um agente de turismo, de 31 anos, foi preso no bairro Acapulco, em Marataízes, no Sul do Espírito Santo. Segundo a polícia, o homem teria ofertado, por meio de uma agência de viagens, falsos pacotes de excursões para pessoas do Espírito Santo e do Rio de Janeiro com valores abaixo do mercado.

A prisão foi realizada, na última segunda-feira (27), em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. As investigações da Polícia Civil apontam que mais de 40 pessoas foram vítimas do homem.

O titular da Delegacia de Marataízes, delegado Renato Barcellos, disse que diversos procedimentos investigativos foram abertos para apurar os golpes praticados pelo suspeito.

Além disso, segundo a polícia, o suspeito tem diversas petições protocoladas por advogados e várias reclamações no Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES) sobre os pacotes de viagens ofertados para clientes e que não foram realizados. 

Leia mais:  'Eles nem se ligaram que eu era prefeito', diz Torezani após ser rendido por criminosos na BR-101

De acordo com o delegado, o homem aplicava o mesmo golpe desde 2019. 

“Os pacotes ofertados abaixo do valor de mercado eram comprados por terceiros, sem nenhuma garantia de que seriam cumpridos. O suspeito ofertava as viagens aos clientes com base na cotação do dia, referente a milhas que são comercializadas livremente em sites da internet. Antes de efetivar as compras, os clientes pagavam pelo valor indicado, porém, quando os compradores iriam de fato adquirir essas milhas correspondentes à viagem prometida pelo valor flutuante, já pago por eles, já havia subido ou as milhas tinham sido vendidas a outros negociantes”, explicou.

O suspeito, segundo o delegado, mesmo sabendo da probabilidade de frustração do acordo com as vítimas, mantinha os clientes no erro. As vítimas só descobriam o golpe no dia do embarque.

“O passo seguinte do investigado era tentar, por alternativas mais baratas, até que os clientes desistissem ou aceitassem outros pacotes totalmente diversos do que ele oferecia, uma vez que já estavam vulneráveis, obtendo, dessa forma, vantagem em cima das transações efetuadas pelas vítimas”, acrescentou o delegado.

Leia mais:  Internos do sistema prisional produzem mochilas para crianças de projeto social

O suspeito mantinha uma agência de viagens no bairro Cidade Nova, em Marataízes, e tinha o registro de pessoa jurídica no cartório. Além disso, segundo a polícia, a empresa tinha redes sociais, por onde mantinha contato com os clientes e fazia propagandas para atrair a atenção deles. 

Após o suspeito ser detido, o estabelecimento teve as atividades encerradas e foi encaminhado um ofício ao Instagram para a suspensão da conta.

O suspeito, de acordo com a polícia, vai responder pelo crime de estelionato. Ele foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Marataízes e está a disposição da Justiça.

Continue lendo

Segurança

Suspeitos de abuso e exploração sexual infantil na internet são presos durante operação no ES

Publicado

As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC)

Dois suspeitos foram presos em flagrante nesta quinta-feira (30) por abuso e exploração sexual, no ambiente virtual, no Espírito Santo. As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

O títular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), delegado Brenno Andrade, afirmou que as duas prisões já realizadas foram efetuadas nos municípios de Vitória e Vila Velha. Se condenados, os presos podem cumprir até dez anos de prisão.

“Foram conduzidas para a unidade policial, vamos lavrar o procedimento e encaminhar ao Poder Judiciário. Com elas foi encontrado material de abuso extremamente bárbaro. A Polícia dá prioridade a isso porque afeta não só as crianças, mas o entorno dela, o crescimento da criança, os pais, familiares, o ambiente escolar. Queremos prender esses criminosos e levar à Justiça”, afirmou a autoridade policial.

De acordo com informações da PC, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em três municípios do Estado nesta quinta (30). 

Leia mais:  Homem apontado como maior ladrão de caminhões do ES é preso após acidente na BR-262

A ação faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Ao todo, são 162 alvos no Brasil e mais 6 países, incluindo os Estados Unidos.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana