conecte-se conosco


Camisa 10

Globo avisa Faustão, chega de ataques ao Fla.

Publicado

Globo tentava a reaproximação com o Flamengo para a transmissão do Carioca. Ataque de Faustão pôs tudo a perder. Acabaram os improvisos

Fausto Silva começou sua carreira como repórter na rádio Centenária, de Araras. Tinha 14 anos quando empunhou um microfone nas mãos. E desde o início percebeu seu poder de improviso.

Fausto Silva. Acabaram os improvisos contra a direção do Flamengo

Foi assim que ganhou espaço na grande mídia, como repórter esportivo do conservador jornal Estado de São Paulo. A ponto de despertar o interesse de Osmar Santos. O narrador não só o levou para a Rádio Globo.

Ofereceu para ele um programa, o Balancê, que misturava futebol com música popular. Fausto, uma espécie de Chacrinha revivido, comandava a anarquia.

Deu tão certo que logo foi para a TV. Na Gazeta, o programa foi rebatizado, como Perdidos na Noite. Em 1986, a atração foi para a Bandeirantes.

Com a morte de Chacrinha, a Globo apostou no apresentador Gugu Libertado. Ele assinou com a emissora, mas recuou diante da insistência de Silvio Santos para que seguisse no SBT.

Foi quando o espaço nobre do domingo caiu no colo de Fausto Silva. Desde março de 1989, ele faz praticamente quase tudo o que deseja. 

São 31 anos de autonomia controlada.

Como grande parte do seu programa é ao vivo, ele aproveita para improvisar. 

Virou sua marca registrada, desde garoto, falar sobre o que o anima, entusiasma, mas principalmente, sobre o que o incomoda.

Foi o que fez no domingo passado, em relação a um ano da morte dos dez meninos na concentração do Flamengo. Do fato que o clube ainda não ter resolvido as indenizações aos familiares dos jovens jogadores mortos.

Se soltou ainda mais pelo fato de duas componentes do Esporte da Globo estarem no seu programa, Barbara Coelho e Carol Barcellos.

Fugiu do roteiro e desancou a direção do clube mais popular do país.

Seu ataque foi firme.

“É inadmissível, indecente o comportamento dos diretores do Flamengo no caso do incêndio. O problema não é dinheiro, até porque dinheiro algum vai trazer as vidas de volta”.

“O problema é principalmente caráter, ter a sensibilidade, um tanto de humanismo.

“Como é que esses dirigentes conseguem chegar em casa e olhar os filhos e olhar os netos, sem nenhum respeito a quem perdeu as crianças? É revoltante em todos os aspectos.

A direção do Flamengo que está em pé de guerra com a Globo, por conta de aceitar o dinheiro oferecido para a transmissão dos jogos do clube no Carioca, acordo que não foi fechado, se manifestou.

Além de reclamar publicamente, a diretoria jurídica do clube exigiu direito de resposta no Progama do Faustão. Com a ameaça de processo, se não conseguisse.

A cúpula da Globo percebeu o tamanho do problema.

E cedeu.

Fausto foi notificado que teria de abrir espaço para a resposta do Flamengo.

Leia mais:  Tite divulga lista de convocados para seleção

Mais: e que não deveria voltar ao assunto, depois da divulgação da nota oficial.

O apresentador, às 18h50, cedeu.

E explicou que a decisão era da TV Globo, que cedeu aos advogados do Flamengo.

O tom da resposta foi duro e atacou de forma direta Fausto Silva.

Um narrador leu na íntegra.

“Na noite deste último domingo durante o programa Domingão do Faustão, transmitido pela Rede Globo de Televisão, o apresentador Fausto Silva acusou as diretorias, passada e atual, do Clube de Regatas do Flamengo de agirem de forma desrespeitosa nas negociações com as famílias das vítimas do incêndio ocorrido no Ninho do Urubu.

“Mostrando total desconhecimento do caso, o apresentador Fausto Silva, sob a desculpa de apoiar uma manifestação de torcedores, destilou uma série de acusações infundadas que acabam por atingir também a imagem da instituição Flamengo.

Galvão Bueno é a voz oficial do esporte da Globo. Fala o que a direção deseja

Galvão Bueno é a voz oficial do esporte da Globo. Fala o que a direção deseja

“As injustas e desrespeitosas afirmações do apresentador Fausto Silva demonstram em seu total desconhecimento, ou omissão e todo tratamento sério e responsável que o Flamengo tem adotado nesta que foi a maior tragédia em seus 124 anos.

“Ao contrário do que foi afirmado pelo referido apresentador, o Flamengo desde o primeiro momento após a tragédia,vem buscando amenizar a dor e prestar todo o auxílio possível para os familiares das vítimas, tendo inclusive arcado com todos os custos para trazer os familiares para o Rio de Janeiro, incluindo hospedagens, e arcando com todas as questões inerentes aos tratamentos psicológicos dos familiares e demais meninos atingidos pela tragédia.

“O Flamengo sempre se colocou à disposição das famílias para celebração de acordos, já tendo celebrado acordo com 20 famílias, restando apenas 6 famílias a serem indenizadas. Convém destacar, ainda, que as 6 famílias que ainda não celebraram acordo com o Flamengo recebem atualmente uma assistência no valor de R$ 10 mil por mês, até que a decida a questão ou até que sejam celebrados acordos.

“É importante que se tenha em consideração que a celebração de acordos não depende apenas do Clube de Regatas do Flamengo, mas também das famílias e seus advogados.

“Os acordos celebrados envolvem valores muito superiores aos aplicados pelos tribunais brasileiros para indenizações, de forma que demandas judiciais dificilmente concederão às famílias valores mais vantajosos do que os que foram e são ofertados pelo Flamengo.

“É lamentável que um apresentador de tamanho renome e representatividade na televisão brasileira venha a proferir insultos e acusações injustas, sem que tenha se informado minimamente sobre a realidade dos fatos.

“O Flamengo reafirma sua seriedade e compromisso em prestar toda a assistência necessária às vítimas e reitera que sempre esteve aberto ao diálogo. Assim seguirá até que todas as famílias sejam indenizadas.”

Leia mais:  Prefeitura de Nova Venécia homenageia o jogador Richarlison com Menção Honrosa

A nota foi pesada e refletiu quase, na totalidade, o que o Flamengo já havia feito na segunda-feira passada.

Landim. Revoltado, ele exigiu o direito de resposta da Globo. No programa do Faustão

Landim. Revoltado, ele exigiu o direito de resposta da Globo. No programa do Faustão

O presidente Rodolfo Landim ficou furioso com o ataque de Faustão, alcançando milhões de pessoas no Brasil.

Com uma mudança significativa.

A Globo não concordou com as ofensas ao apresentador, na nota publicada, no dia 10. Ela começava da seguinta maneira.

“Na noite do último domingo (9/02), durante o programa Domingão do Faustão, da Rede Globo de Televisão, o apresentador Fausto Silva acusou, de forma leviana e inconsequente, as diretorias (passada e atual) do Clube de Regatas do Flamengo de agirem de forma desrespeitosa nas negociações com as famílias das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu.”

Os termos leviana e inconsequente sumiram na resposta de ontem.

Mas em compensação, a direção da TV Globo pediu para Fausto Silva não tocar mais no assunto. 

Ou se quiser falar, nada mais de improviso.

Patrocinadores bancaram R$ 1,8 bilhão com o futebol da Globo. Querem o Flamengo

Patrocinadores bancaram R$ 1,8 bilhão com o futebol da Globo. Querem o Flamengo

 

Ele antecipe o que pretende dizer sobre a questão e os termos que usará.

A única voz oficial do Esporte da Globo é a de Galvão Bueno.

E o que ele fala, envolvendo problemas graves, é discutido previamente com seus superiores.

Ou seja, quando Galvão atacava Marin e Marco Polo del Nero, tinha combinado antes com a cúpula da emissora carioca.

Fausto teve de acatar.

A Globo tem questões financeiras com o Flamengo que podem afetar centenas de milhões. O clube é campeão da Libertadores e do Brasil.

Os patrocinadores que bancam R$ 1,8 bilhão pela transmissão do futebol na emissora querem ter suas marcas exibidas nos jogos do clube mais popular do país.

O apresentador atrapalhou a reaproximação, na tentativa da Globo de fechar acordo para transmitir os jogos do Flamengo no Carioca.

Deixou tudo mais tenso.

Faustão nunca havia sido tão desmoralizado no ar.

Mesmo com a censura aos termos leviano e inconsequente.

Mas mesmo principal apresentador da emissora, é peça pequena.

O Flamengo, para a Globo, é muito mais importante que o apresentador.

Faustão sentiu isso na pele.

Ele fará 70 anos em maio.

Jamais passou um constrangimento igual.

São 31 anos na emissora carioca.

Seu improviso desta vez foi longe demais.

Atingiu um parceiro que a Globo quer recuperar.

E desesperadamente.

Tem acordo com todos os times do Campeonato do Rio de Janeiro.

Menos com o Flamengo, o melhor.

Não mostrou seus jogos na primeira fase.

Nem a semifinal diante do Fluminense.

E não tem o direito de transmitir o final da Taça Guanabara.

Contra o Boa Vista.

Será vexatório.

Não ter o time mais popular do País.

Que atrai mais audiência.

Para desespero dos patrocinadores.

Daí, agora o silêncio de Fausto daqui por diante.

Quem falará questões sérias envolvendo o Flamengo será apenas uma pessoa.

Galvão Bueno.

Antecipadamente orientado.

Sem os improvisos da rádio Centenaria, de Araras…

publicidade

Camisa 10

Capixabas da natação paralímpica conquistam 19 medalhas em Campeonato Brasileiro

Publicado

A delegação de natação paralímpica capixaba do Clube Álvares Cabral retornou do Campeonato Brasileiro Loterias Caixa, disputado na semana passada e encerrado no último domingo (15), em São Paulo, com um total de 19 medalhas na bagagem (seis ouros, cinco pratas e oito bronzes). Com esse número de pódios, o Espírito Santo finalizou entre as cinco melhores equipes do País, feito inédito para a modalidade no Estado. 

Os nadadores viajaram para a capital paulista com o apoio do Governo do Estado, por meio do programa Compete Esportivo, da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport). Além disso, dos oito integrantes do time, quatro são contemplados pelo programa Bolsa Atleta, também da Sesport: Fábio Antônio Rodrigues, Ikaro Nunes, Laís Amorim e Waldir Alvarenga Júnior, o Tiozinho. 

“Agradeço ao Governo do Estado, por meio da Sesport, por me proporcionar condições de estar competindo em alto nível. Fiquei ranqueado entre os seis melhores do Brasil. Se não fosse o auxílio do Bolsa Atleta e as passagens aéreas pagas pelo Compete Esportivo, nada disso seria possível”, destacou Waldir Alvarenga Júnior, o Tiozinho. 

Leia mais:  Kleber Andrade recebe duas partidas válidas pelas quartas de final do Campeonato Capixaba

Bolsa Atleta e Compete Esportivo

O edital atual do programa Bolsa Atleta está beneficiando 151 atletas e paratletas de alto rendimento, alcançando um recorde no número de bolsas concedidas. O auxílio financeiro mensal varia conforme a categoria do atleta no edital, sendo R$ 500 (estudantil), R$ 1.500 (nacional), R$ 2 mil (internacional) e R$ 4 mil (olímpico). O investimento total da Sesport no programa é de R$ 2,3 milhões. 

O valor recebido pelo atleta pode ser utilizado para cobrir gastos com alimentação, assistência médica, odontológica, psicológica, nutricional e fisioterápica, medicamentos, suplementos alimentares, transporte urbano ou para participar de treinamentos e competições, além da aquisição de material esportivo.

Já o Compete Esportivo é um programa que custeia viagens de avião para que atletas e paratletas disputem competições nacionais e internacionais. A previsão da Secretaria de Esportes e Lazer para o edital 2022 é de um investimento de cerca de R$ 1,5 milhão em passagens aéreas, destinadas a esportistas de alto rendimento.

Resultados

Mariana Gesteira S9

Ouro 50 livre

Ouro 100 livre

Leia mais:  Flamengo vê renovação de Diego Alves se arrastar em meio à ascensão de Hugo Neneca

Ouro 100 costas

Ouro 100 peito

 

Fábio Rodrigues S2

Ouro  100 Costas

Prata  50 livre

Prata 50 costas

 

Erica Rodrigues Sb8

Ouro 100 peito

 

Laís Amorim  S9

Prata 100 livre

Bronze 50 livre

 

Ikaro  Castro S9

Bronze 100 peito

 

Waldir Alvarenga Júnior (Tiozinho)  S3

Prata 200 livre

Bronze  100 livre

Bronze 50 livre

Bronze 50 Costas

 

Revezamento 4×50 Medley  Prata

Nathalia Torezani

Laís Amorim

Waldir Alvarenga Jr

Fábio Rodrigues

 

Revezamento 4×100 livre bronze

Revezamento 4×100 medley bronze

Érica Rodrigues

Mariana Gesteira

Ikaro Castro

Marco Aurélio Quaresma

Continue lendo

Camisa 10

Desconfiança do governo britânico pode barrar concretização da venda do Chelsea

Publicado

Desconfiança do governo britânico pode barrar concretização da venda do Chelsea

A concretização da venda do Chelsea ao consórcio liderado por Todd Boehly, por 4,25 bilhões de libras (cerca de R$ 26,5 bilhões), pode ser barrada pelo governo britânico. De acordo com o jornal The Guardian, Roman Abramovich, dono do clube londrino e atualmente afastado, estaria se negando a aceitar uma nova estrutura de venda proposta pelos ministros do Reino Unido, situação que teria gerado desconfiança.

O consenso no governo é que Abramovich, alvo de sanções em razão de sua proximidade com o presidente russo Vladimir Putin, não receba nenhuma parte das receitas da venda do Chelsea. Um dos receios é a respeito do empréstimo de 1,6 bilhão de libras (R$ 10,11 bilhões) feito ao time por uma empresa ligada ao oligarca, pois, ainda que Abramovich tenha se manifestado publicamente para negar que faria a cobrança, as negociações sobre o assunto estão estagnadas.

Há uma tensão envolvendo o destino do dinheiro da venda a Boehly. O governo propôs que a quantia seja alocada em uma conta de garantia e lá permaneça até ser doada para uma instituição de caridade que ajude vítimas da guerra na Ucrânia. Segundo o The Guardian, essa parte das tratativas também está travada.

Leia mais:  14 sul-americanos têm Covid-19 após irem às Eliminatórias

A principal preocupação dos ministros britânicos, portanto, é obter garantias de que todo o dinheiro movimentado durante a transação seja destinado a causas humanitárias e não caia nas mãos do oligarca russo. Em comunicado recente, Abramovich afirmou que se compromete em direcionar o dinheiro a uma organização liderada por uma pessoa sem qualquer ligação com ele.

De acordo com reportagem da BBC, uma fonte do Palácio de Whitehall revelou que existe uma séria preocupação de que Abramovich esteja “disposto a deixar o Chelsea falir” por não concordar com a estrutura de venda. “Apesar de se comprometer publicamente em destinar todos os lucros a boas causas, Abramovich parece não estar disposto a assumir os mesmos compromissos legais, que teriam respaldado suas declarações de cerca de uma semana atrás”, disse a fonte.

No momento, o Chelsea está sendo comandado sob regime especial do governo do Reino Unido, que se encerra no dia 31 de maio. Por isso, até agora, esse é o prazo para que a situação da venda do clube seja resolvida.

Leia mais:  Flamengo vê renovação de Diego Alves se arrastar em meio à ascensão de Hugo Neneca

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana