conecte-se conosco


Camisa 10

Globo perde Libertadores. Farra no futebol acabou

Publicado

Emissora carioca implorou redução do preço da transmissão à Conmebol. Ouviu um sonoro ‘não’. E o contrato até 2022 foi rescindido

O drástico corte das verbas de publicidade do governo federal, mais a pandemia provocaram uma grave crise financeira na Globo.

E um dos efeitos colaterais mais drásticos está na revisão da transmissão de futebol pela emissora.

Como já acontece na Europa e nos Estados Unidos, o esporte se tornou caro demais para a tevê aberta. E migrou para os canais a cabo ou pay-per-view.

Ainda mais para a Globo, que está mergulhada na crise. A ponto de demitir mais de 100 profissionais, no ano passado. Acabar com contratos longos de suas estrelas.

Renato Aragão, Vera Fischer, Jô Soares, Miguel Falabella, Stênio Garcia, Zeca Camargo, Renato Aragão, Malu Mader, Otaviano Costa, Maria Fernanda Cândido, Leandro Hassun, Malvino Salvador, José de Abreu, Regina Duarte, Bruno Gagliasso, Bianca Bin, Rafa Brites, Lair Rennó, Aguinaldo Silva, Cininha de Paula…

Maitê Proença, Isabela Garcia, Pedro Cardoso, Luiz Fernando Guimarães, Pedro Paulo Rangel, Danielle Winits, Helena Ranaldi, Marcelo Anthony, Dalton Vigh, Barbara Paz, Luana Piovani, Bruna Marquezine, Zé Mayer, Thiago Abravanel e Reynaldo Giannechini, entre outros.

Em junho, a Globo já avisou a Fifa que não iria manter o pagamento combinado de nove parcelas de 90 milhões de dólares, cerca de R$ 478 milhões, cada. Em um total de 810 milhões de dólares, cerca de R$ 4,3 bilhões, pela Copa do Mundo do Qatar.

E entrou na justiça brasileira para que a Fifa não desfaça o acordo. A Globo já pagou cinco parcelas, 450 milhões de dólares, cerca de R$ 2,3 bilhões. Mas perdeu o fôlego para seguir pagando. 

A questão será resolvida na Suíça.

O grupo Disney pode herdar o direito de mostrar o Mundial de 2022 ao Brasil.

Depois, no mês passado, a escandalosa briga e rescisão da Globo com o Campeonato Carioca. Por causa da MP 948, que proporcionou ao Flamengo a transmissão de seus jogos como mandante, a emissora tenta se livrar na justiça dos estaduais do Rio de Janeiro de 2021, 2022, 2023 e 2024. 

E não pagar os combinados R$ 408 milhões.

A briga do início da semana era só com a Turner, pelo Brasileiro. A emissora carioca não aceita que a americana use a MP 948 e transmita, na tevê a cabo, os jogos dos clubes que patrocina, mesmo sendo visitantes, como prevê a Medida Provisória de Jair Bolsonaro.

Só pela transmissão, a Globo paga R$ 180 milhões por ano para a CBF. Com os contratos com os clubes, chega a R$ 600 milhões em gastos.

E ontem o canal da família Marinho anunciou.

O contrato de transmissão da Libertadores da América está rescindido.

Ele contemplava 2020, 2021 e 2022.

Presidente da Conmebol,Alejandro Domínguez  foi firme com a Globo

A Conmebol não aceitou reduzir o preço de 65 milhões de dólares, cerca de R$ 346 milhões.

A Globo insistiu usando a pandemia e a desvalorização do real, em relação ao dólar, como desculpa. O contrato foi firmado quando o dólar estava a menos de R$ 4,00: R$ 3,98. A cotação atual é de R$ 5,33. O que chegou a um aumento de cerca de R$ 100 milhões por ano.

Por esse dinheiro, a Globo poderia só mostrar dois jogos diferentes na quarta-feira. E mais dois jogos no Sportv, na terça e na quarta-feira.

A emissora carioca também alegava a queda enorme no seu pay-per-view. A Globo perdeu mais de 400 mil assinantes do canal Premiere. Deixando de ganhar quase R$ 40 milhões mensais.

Há acordos sigilosos com anunciantes. Afinal, foram quatro meses de paralização por conta da pandemia. Ambev, Casas Bahia, Chevrolet, Hypera Pharma, Itaú e Vivo pagaram R$ 1,8 bilhão pelo futebol em 2020. Redução, extensão para 2021, assuntos que o mercado publicitário garante estar ocorrendo para compensar 120 dias sem o esporte.

Além disso, o bilionário Facebook virou um sério adversário para a Globo, nos direitos de transmissão da Libertadores.

O Youtube e a Amazon se movimentam também em direção ao futebol

“Nesse contexto, e tendo em vista a suspensão daquela competição por vários meses, a empresa tentou renegociar com a Conmebol o contrato da Libertadores, válido até 2022, mas infelizmente não houve acordo. Assim, não restou alternativa à Globo a não ser rescindir o contrato”, diz a carta enviada para a Globo para a Conmebol.

A Conmebol não se afetou.

Duas empresas, a IMG e a Perform decidiram assumir a Libertadores e a Copa Sul-Americana por 350 milhões de dólares, cerca de R$ 1,8 bilhão.

A empresa de streaming DAZN desistiu de transmitir a Copa Sul-Americana e a Recopa, por conta da crise de assinantes. Devolveu os direitos e se livrará de pagar 91 milhões de dólares, cerca de R$ 483 milhões, até 2022.

Para manter as aparências, a Globo divulga que ainda está interessada na Libertadores.

“Como principal competição de clubes das Américas, a Libertadores continua sendo importante para a Globo. No entanto, para que sua transmissão seja viável e satisfatória para todas as partes envolvidas, ela precisa se adequar à nova realidade mundial dos direitos esportivos e à situação econômica vivida pelo país.”

Em 2019, a Turner rompeu o monopólio no Brasileiro. Duro golpe para a Globo

Só que a cúpula global sabe de duas verdades.

A primeira é que a Conmebol tem outros interessados e não precisa ‘se adequar’ à crise financeira que a emissora carioca mergulhou.

E a segunda é que, entre sobreviver ou transmitir futebol sem lucro, a opção óbvia está na readequação à nova realidade econômica que a Globo vive.

Não há dinheiro para cumprir o acordo feito pela Libertadores.

O monopólio…

A farra da Globo, no futebol, acabou…

 

Leia mais:  Chris Weidman diz que não teme barca do UFC, mas admite: "Não ficaria surpreso"

publicidade

Camisa 10

PSG oferece três anos de contrato para Sergio Ramos

Publicado

De acordo com o “Onda Cero”, o zagueiro espanhol pode ganhar 15 milhões de euros por temporada

A renovação de Sergio Ramos com o Real Madrid ainda não foi definida. Com isso, surgem interessados no zagueiro espanhol. De acordo com o “Onda Cero”, o Paris Saint-Germain já enviou uma proposta ao jogador no valor de 15 milhões de euros por temporada e três anos de contrato.

O Real Madrid não conseguirá chegar aos valores propostos pela equipe francesa. O clube merengue segue firme na proposta oferecida de dois anos de contrato e redução salarial de 10%, algo que o zagueiro não está disposto a aceitar.

Manchester United, City e Liverpool também demonstraram interesse em Sergio Ramos. Desde 2005 no Real Madrid, o espanhol atuou em 668 partidas, marcou 100 gols e deu 40 assistências com a camisa do clube merengue.

Leia mais:  Diretoria do Vasco estaria cogitando demissão de Ramon Menezes
Continue lendo

Camisa 10

McGregor revela dor inédita por chutes de Poirier na panturrilha

Publicado

“Nunca senti algo assim na vida”, disse o irlandês que reconhece superioridade do rival, diz que precisa se reagrupar e cita trilogias contra o próprio Poirier ou Nate Diaz como as suas mais prováveis próximas lutas

O novo Conor McGregor vem surpreendendo a todos. Menos agressivo, mais tranquilo e respeitoso com seus rivais, o irlandês vem mostrando uma postura completamente diferente das que os fãs se acostumaram a ver ao longo de sua carreira no UFC. Na coletiva de imprensa após o UFC 257, no último sábado, o lutador reconheceu a superioridade de Dustin Poirier na luta, e atribuiu o seu nocaute à estratégia do americano de aplicar chutes na panturrilha da sua perna de apoio, o que comprometeu não só o local, como toda a sua luta.

Clima amistoso entre Poirier e McGregor — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC

– É muito triste e difícil de aceitar. O topo é muito alto, e o fundo do poço é muito fundo nesse esporte. Minha perna está completamente morta. Mesmo que eu sentisse que estava defendendo os chutes, os golpes estavam entrando com vontade e ela está muito comprometida. Sinto como se tivesse uma bola de futebol dentro dela agora. É uma lesão no músculo, não é nada ósseo ou nos ligamentos. Dustin fez uma tremenda luta, executou tudo o que deveria fazer. Eu tinha na minha cabeça que eu o nocautearia, porque estava melhor que ele no clinche. Mas não deu tempo. A perna estava comprometida e eu não consegui ajustar o meu jogo. Foi isso. Parabéns para Dustin, estou feliz por ele e por eu conseguir lutar em tempos como os que estamos vivendo, e voltar para fazer a minha 11ª luta principal no UFC. Dustin mostrou muita experiência nessa luta. Ele esteve aqui mais que o dobro das vezes que eu estive. Mas estou feliz e orgulhoso por dividir o octógono com ele.

Conor McGregor reconheceu a superioridade de Dustin Poirier durante a coletiva do UFC 257 — Foto: Getty Images

McGregor revelou que já esperava que Dustin Poirier fosse usar os chutes nas pernas, porque viu o brasileiro Thiago “Pitbull” Alves, um especialista no golpe, entre os seus córneres.

– Eu já esperava que ele viesse com os chutes nas pernas, porque ele treina com Thiago Pitbull, que é um especialista nesse golpe. Quando ele acertou um dos chutes, Thiago gritou: “É isso, esse foi bom!”, e eu pensei: “Filho da p***. Foi bom mesmo.” Mas eu não vou ficar me lamentando. Aceitei a derrota como um homem, dei tudo de mim lá dentro e vou me reagrupar com certeza. Cada adversário tem um estilo diferente.

O irlandês admitiu que a dor que sentiu ao ter a perna chutada na altura da panturrilha foi algo que ele jamais havia sentido na vida.

– Eu aguentei o quanto pude. Foi algo que eu nunca vivi. Normalmente eu defenderia os chutes e ergueria a perna o máximo que pudesse. Mas em algum momento o impacto acertou alguma região na parte da frente e comprometeu muito a perna. E Dustin mostrou uma defesa muito sólida, que não me permitiu pressioná-lo. Não tenho o que dizer. Os chutes na panturrilha não foram brincadeira. Nunca senti algo assim na vida. Eu lembro de estar golpeando-o junto à grade, e também conseguia travar a sua perna quando ele chutava na linha de cintura. Meu erro foi não conseguir me ajustar ao ter a perna machucada.

Perguntado sobre quais seriam seus próximos passos, McGregor citou as possíveis trilogias contra Nate Diaz ou Dustin Poirier como as suas lutas mais prováveis, mas deixou claro que seus planos agora são descansar um pouco com a família e se recuperar antes de pensar em retornar ao octógono.

– Não tenho desculpas. Foi uma performance fenomenal de Dustin. Não sei mais o que dizer. Agora vou voltar para casa e tentar digerir essa derrota, mas não está sendo fácil. O que eu preciso fazer é me reagrupar. Catar os meus pedaços do chão e me reconstruir. Estilos fazem lutas, e há grandes estilos de lutas disponíveis. Dustin é um deles, Nate (Diaz) é outro. Nate é a escolha mais fácil, mas eu e Dustin também estamos empatados em 1 a 1. Os dois são canhotos, o que é interessante. Vamos ver o que acontece. Não é que eu não tenha as ferramentas para me ajustar. Tenho muitas armas que não usei, mas não era a minha noite. Tiro o meu chapéu para ele. Mal posso esperar para voltar para os meus filhos e curtir um pouco eles. Esse esporte é muito duro. Para ser sincero, não sei em que ponto estou agora. Estou feliz, com certeza. Desapontado, mas feliz. Vim até o Oriente Médio dar um show para as pessoas e fiz o meu melhor. As coisas não acontecem como você quer às vezes, mas tenho muitas coisas boas acontecendo comigo. Vou manter a cabeça erguida e seguir em frente.

Leia mais:  Fifa anuncia banimento perpétuo de Ricardo Teixeira do futebol
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana