conecte-se conosco


Política e Governo

Governo divulga novo imageamento da cobertura florestal do Espírito Santo

Publicado

Nesta segunda-feira (21), na data em que se comemora o Dia da Árvore, o Governo do Estado, através da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama) e do Instituto Jones dos Santos Neves, entregou o novo imageamento da cobertura florestal do Espírito Santo. Um investimento de R$ 470 mil na aquisição de imagens mais atuais de satélite de todo o Estado, feitas entre julho de 2019 e junho de 2020, com resolução de 50cm que permite o uso em escala 1:15.000, com imagens provenientes da Constelação Kompsat (Korean Multi-Purpose Satellite).

O imageamento faz parte das entregas previstas pelo Projeto de Avaliação do Programa Reflorestar, que integra o Plano Estadual de Monitoramento e Avaliação que é realizado pelo IJSN, no âmbito do Sistema de Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (SiMAPP), que tem entre um dos objetivos promover a tomada de decisão a partir de evidências, aprimorando as políticas públicas e otimizando o gasto para a obtenção de resultados.

O governador Renato Casagrande destacou a importância do Programa e a parceria com as prefeituras para o avanço da preservação ambiental. “O trabalho com os municípios é fundamental para que tenham estrutura e autonomia para fazer os licenciamentos e também profissionais para a orientação e fiscalização. Nós queremos que esse Estado seja referência em biodiversidade. Nossa diversidade marinha é a maior do Brasil. Temos ecossistemas com diversidade muito grande”, afirmou.

Casagrande prosseguiu: “O Reflorestar é fundamental para recuperarmos a cobertura florestal e produzimos água. Nunca tivemos tanto desmatamento e tantas queimadas como agora. O Dia da Árvore é hoje, mas não temos muitos motivos para se comemorar. Sei que é difícil controlar os focos de incêndio e desmatamento em um país do tamanho do Brasil. Mas a minha crítica é ao negacionismo, a falta de reconhecimento sobre o que está acontecendo me assusta.”

Para o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fabricio Machado, o novo imageamento, impulsionado pelo Reflorestar, vai ajudar a entender melhor a evolução da cobertura florestal do Estado, bem como de outras formas de uso do solo, como o café, o eucalipto, o pasto etc.

“Aprendemos, desde o período escolar, a celebrar o Dia da Árvore com atividades de educação ambiental, com plantio de mudas e outras ações recreativas. Hoje, as responsabilidades são ainda maiores. Investir em conhecimento e tecnologia para ajudar a preservar e restaurar nossa cobertura florestal é estratégico e fundamental. O novo imageamento, aliado ao uso de outras tecnologias de gestão que estamos desenvolvendo, tornará possível enxergar, literalmente, onde e como deverão ser empenhados os esforços dos nossos programas ambientais”, avaliou o secretário.

O diretor-presidente do IJSN, Daniel Cerqueira, explicou que além da evolução da cobertura florestal, o projeto de Avaliação do Programa Reflorestar contempla a medição do impacto socioeconômico do programa nos municípios e comunidades atendidas e do impacto na qualidade e disponibilidade hídrica. “O papel do Instituto Jones é contribuir com cientificidade, evidências e dados para o aprimoramento do programa Reflorestar e consequente melhoria da gestão ambiental estadual”, afirmou.

A partir do novo imageamento, será possível realizar também uma nova classificação de uso do solo, permitindo, por exemplo, a comparação de uso do solo nas propriedades atendidas antes e após o Programa Reflorestar.

A partir dessa nova classificação de uso do solo, será possível também avaliar a situação dos 285 mil hectares de mata nativa em estágio inicial de regeneração natural mapeados a partir das imagens feitas em 2015 e que foram consolidados no último Atlas da Mata Atlântica do Estado do Espírito Santo. A atualização do Atlas também está prevista com este novo imageamento.

As imagens são comparadas com imagens e mapeamentos realizados em outros períodos. Além do mapeamento de uso do solo e da hidrografia, já previstos, será possível ainda: acompanhar o crescimento das áreas urbanas, de obras, realizar estudos topográficos, delimitar áreas a serem protegidas, entre outras aplicações.

“Temos um imageamento anterior do Estado, realizado entre 2012 e 2015, feito por aerolevantamento (imagens feitas por equipamentos instalados em aeronaves). Desta vez optou-se por imagens de satélite por terem um custo bem menor e permitirem o levantamento de uma área extensa, como o Estado do Espírito Santo inteiro, num espaço de tempo menor. As imagens orbitais (de satélite) estão cada vez mais comuns e de melhor qualidade. Elas se assemelham muito a uma fotografia aérea”, pontuou o coordenador de Geoespacialização do IJSN, Pablo Jabor.

Essas ações de monitoramento ampliam o universo de abrangência do Reflorestar, o que para o coordenador do Programa Reflorestar, Marcos Sossai, a cada ano vem se transformando e ampliando e aperfeiçoando suas estratégias de ação.

“O Reflorestar deixou de ser há muito tempo apenas o executor do programa estadual de pagamento de serviços ambientais a produtores rurais, e passou a executar diversas outras estratégias de ações, com destaque para aquelas que estimulam o uso de florestas como fonte de renda sustentável para o produtor rural”, declarou Sossai. 

As imagens também estarão disponíveis para toda a sociedade, por meio do Sistema Integrado de Bases Geoespaciais do Estado do Espírito Santo (Geobases), no link http://bit.ly/GEOBASES_KOMPSAT33A.

Leia mais:  Evair de Melo solicita medicamentos para hospitais capixabas

Plano Estadual de Carbono

O World Resources Institute (WRI-Brasil), a The Nature Conservancy (TNC) e O World Wide Fund for Nature (WWF-Brasil) são as organizações não-governamentais internacionais que firmaram parceria com a Seama, para elaboração e implementação do Programa Estadual de Carbono, uma iniciativa pioneira no Brasil e que visa a colocar o Espírito Santo na linha de frente na reabertura dos mercados de Carbono, aproveitando a baixa oferta inicial de carbono de outras fontes confiáveis. 

Para Miguel Calmon, consultor sênior do programa de Florestas do WRI, o Programa Estadual de Carbono pode ajudar a atrair recursos para aumentar a escala de restauração florestal no Estado, e pode alcançar destaque nacional neste tipo de negócio, tornando o Espírito Santo o mais bem preparado do País na silvicultura de espécies nativas para manejo sustentável.

“O Espírito Santo pode ser o protagonista da nova era da economia de baixo carbono. Tem governança, transparência, tem um programa inovador de restauração (Programa Reflorestar) e possui presença forte do setor privado, além de ter compromisso com várias organizações como WRI Brasil, a TNC e WWF”, avalia o consultor da WRI.

Leia mais:  Retrospectiva 2019: Corregedoria padroniza procedimentos e diminui o passivo processual
publicidade

Política e Governo

Casagrande: Vacinação começa na tarde desta segunda pelo Hospital Jayme Santos Neves

Publicado

Ele ainda destacou que cerca de 50 mil capixabas serão imunizados neste primeiro momento e comemorou, mais uma vez, o início da vacinação

O governador Renato Casagrande participa, nesta segunda-feira (18), da entrega simbólica do primeiro lote de vacinas contra a covid-19 para o Espírito Santo. O evento acontece em São Paulo. Ao final do evento, ele publicou uma foto ao lado das doses e afirmou que a imunização começa no final da tarde desta segunda.

De acordo com Casagrande, as primeiras doses da vacina devem chegar ao Espírito Santo ainda nesta segunda. “Assim que chegar no Espírito Santo, imediatamente, vamos começar aplicar a vacina e enviar, primeiro, aos nossos hospitais, que estão na linha de frente do combate”, disse o governador.

Ele ainda destacou que cerca de 50 mil capixabas serão imunizados neste primeiro momento e comemorou, mais uma vez, o início da vacinação. “É um dia muito importante para a ciência brasileira e mundial. É um dia que abre a porta de expectativas e esperanças para que possamos ter uma solução para este vírus que está tirando a vida de pessoas e atingindo tantas atividades”, afirmou.

Após o evento, Casagrande publicou uma foto ao lado das primeiras vacinas que serão enviadas ao estado. Segundo ele, as doses devem estar em solo capixaba por volta das 17 horas, quando se iniciará a aplicação no Hospital Jayme Santos Neves.

Leia mais:  Pré-candidato a vereador em Vila Velha, ator e jornalista Alvarito Mendes defende valorização da cultura e arte
Continue lendo

Política e Governo

Seleção do Nossa Bolsa 2021 vai usar notas do Enem de 2015 a 2019

Publicado

Mesmo com o adiamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020, que devem ser aplicadas neste mês de janeiro, o Governo do Espírito Santo vai garantir a realização do processo seletivo do Programa Nossa Bolsa para ingresso no ano letivo de 2021. Os alunos capixabas que já concluíram o Ensino Médio podem ingressar em um curso superior com as notas do Enem referentes aos anos de 2015 a 2019.

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta sexta-feira (15), o governador do Estado, Renato Casagrande, anunciou o lançamento da chamada pública do Nossa Bolsa 2021 na próxima segunda-feira (18). Serão ofertadas 1.021 bolsas em instituições de ensino privadas localizadas no Espírito Santo. A maior parte das bolsas cobre o valor integral da mensalidade, sendo que apenas 39 bolsas são parciais.

Os candidatos podem conferir o quadro total de vagas e faculdades nos anexos do edital que será publicado no site da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes). Os interessados devem ficar atentos ao cronograma do processo seletivo, que estará com inscrições abertas no período entre 25 e 29 de janeiro, pelo www.nossabolsa.es.gov.br.

“Todo ano ofertamos vagas para quem almeja estudar em instituições particulares. Na segunda-feira sai o edital com 1021 vagas em 15 municípios e 33 instituições de ensino. Importante destacarmos que estamos ofertando oportunidades, principalmente, para quem mais necessita neste momento de crise. A educação é o único caminho para diminuirmos a desigualdade em nosso País. São R$ 30 milhões de reais de investimento no Nossa Bolsa”, afirmou o governador Casagrande.

Para o diretor-presidente da Fapes, Denio Rebello Arantes, o Programa Nossa Bolsa é uma grande oportunidade para quem quer ingressar em um curso superior. “Os interessados têm uma série de diferentes graduações à disposição, que vão desde as engenharias até a área de saúde, passando por cursos, como Administração, Direito e Arquitetura”, disse. Segundo ele, a oferta das vagas está distribuída por diversas regiões capixabas para facilitar a vida dos cidadãos que moram no interior.

A secretária de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional, Cristina Engel, participou da transmissão ao vivo e comentou sobre a importância de oportunizar conhecimento para a população. “Nós procuramos envolver o maior número possível de instituições de ensino, atingindo o Estado todo, na medida do possível, e as exigências para poder participar do programa são poucas. A única coisa que a gente exige em troca é que esse aluno, que foi contemplado com a bolsa, se dedique aos estudos”, observou.

Cristina Engel também falou sobre a oferta das bolsas durante a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), que impacta o Estado. “Em época de pandemia, esse programa adquire uma importância ainda maior, porque é o tempo de as pessoas poderem se qualificar, se especializar, de se tornarem aptas para desenvolver atividades profissionais, inclusive em áreas que tem muita demanda de mercado. A bolsa de estudo vai possibilitar que os cidadãos possam ter sua formação superior e exercer uma profissão no mundo do trabalho, que está cada vez mais concorrido”, frisou.

Quem pode?

Leia mais:  Vídeo marca o 13° Lançamento da Colheita do Café no Espírito Santo

O Programa Nossa Bolsa concede bolsas em cursos de graduação ofertados por instituições privadas e é dirigido aos estudantes egressos do Ensino Médio da rede pública ou particular, que estiveram na condição de bolsistas integrais. Para o processo seletivo deste ano, o candidato deverá ter realizado uma das provas do Enem aplicadas entre os anos de 2015 e 2019.

Se o grupo familiar do candidato tem renda per capita de até um salário mínimo, ele poderá concorrer a bolsas integrais que correspondem a 100% da mensalidade; se a renda per capita for de até três salários mínimos, o aluno poderá concorrer a bolsas parciais de 50%.

O processo seletivo do Nossa Bolsa prioriza o ingresso de pessoas que moram em bairros com alto índice de vulnerabilidade social e de quem se autodeclara afrodescendente no ato da inscrição. Por isso, é preciso informar o Código de Endereçamento Postal (CEP) para verificar se o candidato está em um bairro atendido pelo Programa Estado Presente em Defesa da Vida.

Vagas

Leia mais:  Governo do Estado entrega CNH Social para 500 condutores

O processo seletivo do Programa Nossa Bolsa oferta 1.021 bolsas em 33 instituições particulares de Ensino Superior, presentes no território capixaba, para ingresso em 2021.

Só serão aceitas as inscrições de candidatos que alcançarem média global de 500 pontos, considerando as provas objetivas e de redação do Enem realizado pelo candidato entre os anos de 2015 e 2019.

Os interessados devem morar no Espírito Santo e precisam ter concluído o Ensino Médio no Estado, seja na rede pública ou na rede particular, na condição de bolsista integral.

Também podem participar do processo candidatos que concluíram o curso técnico em um Centro Estadual de Educação Técnica (CEETs) do Espírito Santo e também os que cursaram o Ensino Médio ou Técnico nas escolas do Movimento de Educação Promocional do Espírito Santo (Mepes).

Não é permitida a participação de candidatos que já têm outro diploma de graduação, nem de selecionados em edições anteriores do programa e que abandonaram o curso.

O programa também não realiza a contratação de selecionados que estejam matriculados em outro curso superior, nem dos que já foram contemplados por outros programas de bolsa de graduação ou de financiamento estudantil.

Lista de espera

Desde o último processo seletivo do Nossa Bolsa, para ingresso em 2020, houve a inclusão de uma terceira fase de matrícula, além da convocação dos candidatos aprovados nas etapas regulares. A Fapes criou a lista de espera para as vagas que não forem preenchidas, mesmo após as duas chamadas iniciais previstas.

Porém, é necessário que o candidato manifeste interesse, novamente, na vaga por meio do site do Nossa Bolsa. Caso contrário, o interessado não participará da lista de espera, mesmo que sua pontuação seja superior à pontuação dos convocados nessa fase.

SERVIÇO:
Chamada pública do Programa Nossa Bolsa 2021
Lançamento do edital em 18 de janeiro

Inscrições de 25 a 29 de janeiro
Site: www.nossabolsa.es.gov.br.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana