conecte-se conosco


Política e Governo

Governo do Estado dá início ao Seminário de Planejamento Estratégico 2021-2022

Publicado

O Seminário de Planejamento Estratégico do Governo do Espírito Santo foi aberto nesta segunda-feira (19), com a participação do governador do Estado, Renato Casagrande; da vice-governadora Jacqueline Moraes; secretários, subsecretários e dirigentes de órgãos do Estado. Durante quatro dias a equipe do Governo participará de reuniões para validação de indicadores, metas e dos projetos da carteira estratégica da Administração Estadual para o período 2021-2022.


O governador Renato Casagrande falou sobre a influência do Planejamento na vida do cidadão. “Sempre desejamos melhorar a vida das pessoas. Para isso acontecer, temos que enfrentar o momento que estamos vivendo e nos indignar com aquilo que ainda não fizemos. Não podemos aceitar que uma pessoa não tenha um serviço digno do Governo. O que importa é chegar ao fim dos quatro anos de gestão conseguindo melhorar a vida das pessoas.”

Casagrande lembrou ainda que desde o início da gestão, o objetivo é fazer com que o Estado seja mais competitivo, justo, inovador, sustentável e desenvolvido regionalmente.

“Um Estado respeitoso com as instituições, que dialoga e que seja responsável com os recursos públicos. Somos um Estado pequeno, mas que está se inserindo nacional e internacionalmente e deve gerar oportunidades aos capixabas. Em quatro anos temos que atingir os nossos grandes objetivos. Chegamos há quase um ano e meio de pandemia e nossa equipe produziu bastante. Para todos vocês, nossa palavra é de gratidão. Conseguimos manter produção, atitude e muito trabalho. Vamos pensar com clareza naquilo que podemos fazer e priorizar as ações que podemos entregar e também pensar em ações a longo prazo”, disse o governador.

A revisão do Planejamento Estratégico visa a ampliar as entregas para a sociedade capixaba, com foco no desenvolvimento socioeconômico e regional equilibrado do Estado. O seminário é realizado de forma virtual, em respeito às normas estabelecidas para o controle da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). “O trabalho envolve a revisão dos projetos e programas já em curso nas Secretarias e Órgãos, além da possível inclusão de novas ações que atendam aos interesses da sociedade, dentro da capacidade orçamentária do Governo do Estado”, explicou o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc.

A vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes, por sua vez, ressaltou critérios do atual Governo capixaba, que, afirmou, é democrático e que, realmente, procura ouvir as dores da população, e que vem fazendo entregas importantes. “A justiça social consiste no compromisso do Estado em buscar mecanismos para compensar as desigualdades sociais. E é o que a gente tem buscado. Pois, não adianta ter recursos públicos somente, se eles não podem virar política pública de verdade e mudar a vida das pessoas”, pontuou.

Balanço positivo

Álvaro Duboc fez um balanço positivo da Administração Estadual, que trabalhando com o Programa de Gestão para Resultados Realiza+, contabiliza 1.811 entregas, com previsão de um total de R$ 12,5 bilhões em investimentos ao longo de toda a gestão. Ainda segundo o secretário, com ações planejadas e contas organizadas, o Governo do Espírito Santo vem enfrentando com competência desafios, especialmente os impostos pela pandemia da Covid-19.

Leia mais:  Detran firma parceria com SEST SENAT para oferecer cursos de condutores profissionais a militares do Exército

“Desde o início da gestão, estamos avançando, realizando investimentos estratégicos que beneficiam a nossa população e fazendo o Espírito Santo destacar-se nacionalmente. Este é o momento de revisarmos nosso planejamento para focarmos ainda mais nas realizações, intensificando o monitoramento para chegarmos a 2022 concluindo o que nos propusemos a realizar”, comentou Duboc.

O secretário de Economia e Planejamento citou ainda alguns indicadores que mostram a gestão estadual seguindo no rumo certo. Em relação às ações ligadas à pandemia, o Governo ampliou e reformou hospitais de sua rede própria e contratualizou leitos em unidades filantrópicas e privadas, fazendo com que nenhum cidadão ficasse sem atendimento por falta de leito disponível, mesmo no auge da pandemia. O Estado é o terceiro no ranking da imunização contra a Covid, já tendo 60% de sua população adulta vacinada com a primeira dose.

Ainda na área da Saúde, o Espírito Santo tem a menor taxa (7,8%), de mortalidade infantil e a segunda maior expectativa de vida ao nascer (79,1 anos), segundo dados do Painel de Indicadores Multissetorial do Governo do Estado. Na Educação, é também do Espírito Santo o maior Ideb do Ensino Médio, total (de todas as redes), com taxa de 4,8, e da Rede Estadual (4,6).

Na Segurança Pública, com o Programa Estado Presente em Defesa da Vida, o Espírito Santo registrou, em 2019, o menor número de homicídios numa série histórica de 30 anos no Estado, com 24 mortes por 100 mil habitantes. Nessa área, o Governo desenvolve um trabalho com visão transversal, estruturado em dois eixos: controle da criminalidade e prevenção da violência.

Com nota A em sua capacidade de pagamento, desde 2012, o Governo pode captar recursos de financiamento e ampliar sua capacidade de investimento, realizando projetos, por exemplo, como o Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem, maior investimento da história do Estado na área ambiental, com projetos de saneamento e proteção ao meio ambiente.

Alinhamento

Com coordenação da equipe da Subsecretaria de Planejamento e Projetos da SEP, entre os trabalhos a serem realizados durante o seminário iniciado nesta segunda-feira, a alta gestão revisará e validará as entregas prioritárias com o alinhamento das áreas estratégicas.

“Vamos nos debruçar sobre projetos, indicadores e metas, de acordo com a realidade econômica, política e social que o Estado e o país atravessam. Novos projetos também podem ser inseridos, mas desde que tenham algum andamento, possibilidade de serem entregues”, informou a subsecretária de Estado de Planejamento e Projetos, Joseane Zoghbi, ao ressaltar que o foco é em resultados diretos para a sociedade, que efetivamente impactem positivamente a população.

Leia mais:  Governo do Estado simplifica procedimentos no cadastro de contribuintes do ICMS

Nesta terça-feira (20), das 9h às 11h30, será realizada reunião para a validação de indicadores e metas do Governo. Já na quarta-feira (21) e na quinta-feira (22), divididos por suas respectivas áreas estratégicas, os gestores farão a validação dos projetos da carteira estratégica. O resultado das entregas será apresentado no dia 27 deste mês.

Durante o evento desta segunda-feira, o secretário também citou algumas das principais entregas já realizadas e previstas, nas nove áreas estratégicas do Governo, que são: Segurança em Defesa da Vida, Educação para o Futuro, Saúde Integral, Gestão Pública Inovadora, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Meio Ambiente, Infraestrutura para Crescer, Cultura, Turismo, Esporte e Lazer.

Palestras

Na abertura do Seminário de Planejamento Estratégico 2021-2022, os gestores também assistiram a palestras do diretor-presidente do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Daniel Cerqueira, que fez uma análise de conjuntura econômica, social e política, e do economista carioca Eduardo Moreira, que abordou o tema “Crescer, proteger e distribuir”.

Cerqueira falou sobre oportunidades e riscos para a economia nacional, com base numa análise do cenário econômico mundial, e abordou expectativas para o desempenho capixaba futuro, no que tange aos aspectos econômicos e sociais, incluindo uma perspectiva de longo prazo associada à mudança do regime demográfico. Apontou ainda desafios e oportunidades “no caminho de uma sociedade mais moderna, inovadora e com justiça social”.

O avanço da pobreza e da extrema pobreza, em decorrência da pandemia, e o processo de transição demográfica pelo qual passam o Brasil e o Espírito Santo – “com a população caminhando a passos largos para o envelhecimento” – são alguns dos desafios apontados pelo presidente do IJSN, que falou também sobre a importância do planejamento e da intersetorialidade na gestão do Estado.

Em sua palestra, o engenheiro e economista Eduardo Moreira, que antes de viver e aprender com quilombolas, indígenas, sem-terra, se tornar palestrante e ser autor de 10 livros, trabalhou por 20 anos no mercado financeiro, destacou o quanto o mundo tem ficado cada vez mais desigual e falou sobre a forma pela qual, mesmo no sistema capitalista vigente, o Estado pode contribuir para favorecer o crescimento econômico e proteger quem mais necessita.

“O Estado tem que ser justo, vendo seu gasto como condição de alocação de riqueza, beneficiando a população. Se a gente pode construir uma estrada contratando as pessoas da comunidade por onde essa estrada vai passar, o dinheiro vai ficar ali, fortalecendo o comércio local. É a construção de uma dinâmica econômica que se autoalimenta, gerando um celeiro de produção de riquezas”, argumentou Moreira.

Para ele, o ambiente ideal de competição não é aquele sem o Estado, e sim, aquele em que o Estado garante que os pequenos tenham condições de acesso a máquinas, insumos, adquirindo, assim, condição para competir com médios e grandes. 

publicidade

Política e Governo

Veja o perfil dos 7 candidatos ao governo do Espírito Santo em 2022

Publicado

Neste ano, sete candidatos disputam a vaga para o Palácio Anchieta. Veja a lista e o perfil de quem está no páreo para ser o governador do Espírito Santo

Nas eleições deste ano, sete candidatos disputam o cargo de governador. São eles, em ordem alfabética: Aridelmo Teixeira (Novo), Audifax Barcelos (Rede), Carlos Manato (PL), Cláudio Paiva (PRTB), Guerino Zanon (PSD), Renato Casagrande (PSB) e Vinícius Sousa (PSTU).

O Folha Vitória acompanha as publicações no TSE das candidaturas e vai atualizar a lista dos candidatos à medida que houver mudanças. 

No caso do pedido de candidatura do ex-prefeito de Linhares Guerino Zanon, a reportagem teve acesso ao extrato do seu pedido de registro de candidatura. No entanto, até às 19h desta segunda-feira (15), a solicitação ainda não constava da base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cujo sistema não é atualizado automaticamente

O primeiro turno será realizado em 02 de outubro e um eventual segundo turno para governador e/ou presidente ocorrerá em 30 do mesmo mês.

Veja abaixo quem são os candidatos ao governo do ES:

Veja o perfil de cada um dos candidatos:

Aridelmo Teixeira

Natural de Governador Valadares, em Minas Gerais, o professor e empresário Aridelmo Teixeira é cofundador da FUCAPE Business School. Aos 57 anos, o candidato ao governo do Espírito Santo já atuou como secretário da Fazenda da prefeitura de Vitória, de 2021 a 2022.

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Ciências Contábeis pela FGV/RJ e graduado em Ciências Contábeis, atualmente Aridelmo é coordenador do InspiraES, plataforma de gestão de voluntários para o desenvolvimento de políticas públicas, fundada por ele em 2019 por meio do Instituto Fucape de Tecnologias Sociais (IFTS).

O candidato também já foi presidente institucional da ONG “Espírito Santo em Ação”, além de compor o time de fundadores do Instituto Líderes do Amanhã.

Aridelmo é membro Intergovernmental Working Group of Experts on International Standards of Accounting and Reporting / United Nations Conference for Trade and Development (ISAR /UNCTAD).

Ainda na educação, o empresário também atuou como membro da Comissão de Assessoramento na área de Ciências Sociais Aplicadas na FAPES, na CAPES e no CNPq.

Audifax Barcelos

Aos 58 anos, Audifax Barcelos já acumula 34 de experiência na gestão pública. Casado, pai de dois filhos e evangélico, o ex-prefeito da Serra atualmente é membro da Primeira Igreja Batista de Vitória, onde já atuou como diácono e professor da escola bíblica dominical.

Formado em Economia e Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a trajetória profissional do também ex-deputado federal, teve início entre os anos de 1982 e 1986, quando assumiu o cargo de auxiliar administrativo da prefeitura de Vitória.

Leia mais:  Governo do Estado institui Sistema de Informação de Custos

Passado um ano, Audifax iniciou a carreira de economista na administração da Capital. Tempos depois, entre 1988 e 1989, foi secretário de Planejamento de Vila Velha.

A partir daí, Audifax atuou como secretário de Administração de Vitória e, também, como diretor do Departamento de Administração da Ufes.

Com uma densa história com a Serra, onde foi prefeito por três mandatos, Audifax começou a vida na gestão do município no setor de Administração, entre os anos de 1997 e 2000. Pouco tempo depois, o atual candidato ao governo do Estado, se elegeu como deputado federal por dois anos, em 2011 e 2012.

Carlos Manato

Nascido em Alegre, o médico e ex-deputado federal Carlos Manato agora está na disputa pela posição de governador do Estado. Presente na política capixaba desde 2003, Manato já ocupou o posto de deputado federal por quatro vezes.

Com a vida acadêmica voltada à área da Saúde, Manato é pós-graduado em Medicina do Trabalho, pela Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (Emescam), e em Colposcopia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

O candidato também é pós-graduado em Administração Hospitalar e especialista em Ginecologia e Obstetrícia.

Na Câmara dos Deputados, já foi membro das seguintes comissões: Turismo, Agricultura, Pecuária, Abastecimento, Desenvolvimento Rural, Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, entre outras.

Em sua carreira,  o político já trabalhou como professor na Emescam, médico no Instituto Estadual de Saúde Pública; foi diretor-clínico e diretor-geral do Hospital Dório Silva, além de diretor-clínico e diretor-presidente do Hospital Metropolitano.

Cláudio Paiva

Aos 62 anos, pai de três filhos e morador de Guarapari, na região metropolitana do Estado, o contador e administrador de empresas Cláudio Paiva trabalha, há mais de trinta anos, como consultor empresarial e com gestão de pessoas.

Ainda em sua trajetória profissional, Paiva  atuou na educação durante 16 anos, como professor de graduação e pós-graduação, além de trabalhar como terapeuta e psicanalista. É pós-graduado e doutor em Psicanálise Clínica e, atualmente, gerencia uma clínica, onde atende dependentes químicos.

De maneira voluntária, Cláudio também presta serviços para a “Rede Mulher”, uma organização que acolhe mulheres vítimas de agressão por parte dos companheiros e que foram colocadas para fora de casa. 

Guerino Zanon

Natural do município de Rio Bananal, interior do Espírito Santo, Guerino Luiz Zanon começa a jornada ainda aos 13 anos quando decide sair de casa para estudar em um internato no interior de Colatina.

Tempos depois se mudou para Linhares, onde trabalhou em uma padaria e em um hotel. Ainda na juventude, com a ajuda de familiares, Guerino se mudou para Vitória para entrar na universidade.

Guerino é formado em Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Ainda nos primeiros anos do curso, começou a dar aulas em um pré-vestibular que, anos depois, lhe conferiu a experiência suficiente para fundar, ao lado da esposa, o Colégio Cristo Rei e a Faculdade de Administração e Ciências Contábeis de Linhares.

Leia mais:  Majeski ultrapassa R$ 3 milhões economizados na Assembleia Legislativa

A carreira política de Zanon começou em 1996, quando ele decidiu se afastar da direção das instituições de ensino para disputar a primeira eleição para prefeito de Linhares. Guerino esteve à frente do Executivo municipal por cinco mandatos.

Ainda na política, o ex-prefeito também já atuou como deputado estadual duas vezes, sendo que em 2006 foi o deputado estadual mais votado da história do Espírito Santo. Nesse mesmo ano, foi presidente da Assembleia Legislativa.

Guerino também foi secretário estadual de Esportes e Lazer por duas vezes, entre os anos de 2005 e 2006; e de janeiro a junho de 2016.

Renato Casagrande

Nascido em Castelo, no Sul do Estado, Renato Casagrande é formado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, e em Direito pela Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim.

Casado, pai de dois filhos e atual governador do Espírito Santo, Casagrande já atuava na esfera política antes de ocupar o Palácio Anchieta. 

Durante sua vida pública, Casagrande já exerceu os cargos de senador, deputado federal, vice-governador e deputado estadual. Também já foi secretário de Estado da Agricultura, secretário de Meio Ambiente no município da Serra e de Desenvolvimento Rural, em Castelo.

Além da atual gestão, Casagrande já foi governador do Estado de 2011 a 2015. De 2015 a 2018, o atual chefe do Executivo estadual foi presidente da Fundação João Mangabeira, dedicada a discutir e difundir o socialismo democrático (se opondo ao capitalismo).

Capitão Sousa

Capitão da Polícia Militar, bacharel em Direito e membro do Movimento Policiais Antifascismo, Vinícius Sousa é natural de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Casado com Marcelle Sillis Bilo e pai de três crianças, o capitão, que reside no município de Castelo, constituiu família em solo capixaba.

Após concluir os estudos, terminou por forma-se professor. Em seguida, atuou na vigilância sanitária, onde se aposentou.

Na juventude, o candidato trabalhou como “office boy”. Durante esse período, entrou para o curso de Direito, e fez estágios em diversas funções, para custear os estudos.

Também trabalhou nas procuradorias municipais de Belo Horizonte e Vitória, além da Secretaria de Planejamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano de Cariacica.

A carreira na Polícia Militar começou em 2008, quando foi aprovado, em primeiro lugar, no concurso para soldados e precisou desistir do curso de Direito. Em 2012, Vinícius foi aprovado no concurso para Oficiais da PM, formando-se em 2014, e só então conseguiu retomar o curso e se formar em Direito.

Continue lendo

Política e Governo

Partidos têm até as 19h de hoje para as últimas definições da eleição

Publicado

Às 19 horas desta segunda-feira (15) encerra-se o prazo para que os partidos informem ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) os dados sobre candidatos e coligações desta eleição. O prazo é somente para o envio presencial, com mídia entregue na sede do TRE, uma vez que o período para o envio pela internet se esgotou às 8 horas, segundo a Lei das Eleições (Lei 9.504/1997) e a Resolução do TSE 23.609/2021.

Algumas coisas ainda precisam ser definidas. Dos sete candidatos ao governo, quatro já estão registrados no portal do Divulgacand do TSE. São eles: Aridelmo (Novo), Audifax (Rede), Capitão Sousa (PSTU) e Casagrande (PSB). Já Manato (PL), Guerino (PSD) e Cláudio Paiva (PRTB) ainda não foram registrados.

Guerino ainda precisa definir o nome que vai concorrer em sua chapa como vice e seu candidato ao Senado. Segundo a assessoria do candidato, o anúncio deve ser feito na tarde de hoje.

Dos oito candidatos ao Senado também, apenas quatro já têm o registro. São eles: Idalécio Carone (Agir), Erick Musso (Republicanos), Filipe Skiter (PSTU) e Gilbertinho Campos (Psol). Ainda faltam: Rose de Freitas (MDB), Nelson Júnior (Avante), Magno Malta (PL) e Antônio Bongestab (PRTB). Alguns candidatos ao Senado ainda precisam bater o martelo com relação aos suplentes, como Rose e Malta que, até então, constam com suplentes provisórios.

Leia mais:  TSE declara ex-prefeito de Conceição da Barra inelegível por abuso de poder

Ainda há dúvidas, também, sobre as coligações dos partidos. O Pros, por exemplo, no final de semana, desfez o que foi definido nas convenção partidária e saiu da coligação de Casagrande para apoiar Audifax. Há uma movimentação do partido na instância nacional e também estadual e até 19h uma nova reviravolta pode ocorrer. Em outras eleições, como em 2018, mudanças foram feitas no último minuto.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana