conecte-se conosco


Segurança

Governo do Estado inaugura novo Destacamento Policial Militar da Vila Rubim

Publicado

O governador Renato Casagrande inaugurou, na manhã desta segunda-feira (23), o novo imóvel que vai sediar o Destacamento Policial Militar (DPM) da Vila Rubim, em Vitória. Foram investidos R$ 555 mil nas obras que incluíram a demolição do antigo DPM e a reforma do novo imóvel. As intervenções foram concluídas em pouco mais de dez meses. O novo prédio é um pedido antigo da comunidade e dos bairros que se localizam no entorno.


“Esse investimento tem simbologia. Como é bom dar continuidade às obras. Esse processo vem do ano passado e assumimos o Governo dando sequência. Esse é o segredo do sucesso. Demos a Ordem de Serviço para a construção desse DPM no dia 12 de fevereiro e estamos entregando hoje, dando mais condições de trabalho aos nossos militares”, afirmou o governador.

A edificação possui dois pavimentos, sendo composta por recepção, sala de atendimento a comunidade, sala administrativa, sala de rádio, almoxarifado, cozinha/refeitório, depósito de material de limpeza, banheiros acessíveis feminino e masculino, vestiário feminino e masculino, sala de comando, sala de subcomando e sala de sargenteação.

O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Roberto Sá, destaca que a obra simboliza a participação da sociedade e a presença do Estado. “No início do ano foi a primeira ordem de serviço e conseguimos entregar a obra do mesmo ano. Temos que fazer um bom uso e dar esse retorno para a comunidade”, disse.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Márcio Sartório, a inauguração é um momento de comemoração para a comunidade e para os policiais, que terão melhores condições de trabalho. “O antigo DPM que tínhamos aqui era muito temerário para nossos policiais. Esse novo prédio é um marco nas melhorias de condições de trabalho da PM. Dá dignidade. A posição é estratégica de policiamento, serve de referência para o comércio e proximidade das comunidades no entorno”, destacou.

O prefeito da Capital, Luciano Rezende, também participou da inauguração e destacou a parceria com o Governo do Estado. “Temos um longo caminho a percorrer, mas os avanços são notados pelos indicadores. Somos parceiros do Governo. Vamos estudar a possibilidade de reservar o espaço antigo para realizar um estacionamento”, antecipou.

Ainda durante a solenidade, Casagrande lembrou outros projetos do Estado para a região do Centro de Vitoria. “Acabamos de publicar o edital do Portal do Príncipe, uma obra importante para toda essa região, melhorando o fluxo de veículos. Vamos enterrar a fiação elétrica, ampliar as pistas e a Prefeitura vai ganhar ainda uma área boa para investir no esporte. Estamos fazendo um trabalho de resgate do Centro”, lembrou o governador.

Leia mais:  BPMA apreende 39 aves nos municípios de Governador Lindemberg e Colatina
publicidade

Segurança

Homem com peruca e máscara invade centro espírita e deixa 3 baleados no Sul do ES

Publicado

Um dos baleados, que segundo a polícia era o alvo principal, estava foragido da Justiça e usou a identidade do irmão para tentar despistar os militares

Três pessoas foram baleadas durante uma festa em um centro espírita, no bairro Zumbi, em Cachoeiro de Itapemirim. De acordo com a polícia, um homem usando máscara e peruca invadiu o local e atirou contra algumas pessoas.

Testemunhas relataram para a polícia que um outro homem tentou intervir e entrou em luta corporal com o criminoso, mas ele atirou várias vezes.

Além dos dois homens, uma mulher também foi baleada na perna. As vítimas foram encaminhadas ao Hospital Santa Casa de Misericórdia.

Uma das vítimas estava foragida da Justiça

Após serem levados para o hospital, uma das vítimas, que segundo a polícia seria o alvo principal, informou uma identidade diferente das informações passadas por testemunhas.

Um levantamento foi feito e os policiais descobriram que o homem estava foragido da Justiça, e usou a identidade do irmão para tentar despistar a PM.

Buscas foram realizadas, mas o homem que efetuou os disparos não foi localizado até o momento. A ocorrência foi encaminhada à Polícia Civil para investigação.

Em nota, a Polícia Civil informou que o caso seguirá sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cachoeiro de Itapemirim.

 Até o momento, nenhum suspeito foi detido e detalhes da investigação não serão divulgados, por enquanto.

Leia mais:  ES registra mais de mil assaltos em ônibus. Veja a cidade que lidera o ranking
Continue lendo

Segurança

Operação da PF no ES apreende pau-brasil ilegal que renderia até R$ 242 milhões a traficantes

Publicado

20 mandados de busca e apreensão são cumpridos nos municípios de Joao Neiva, Santa Teresa, Aracruz e Linhares

Uma operação policial dedicada a reprimir a ação de uma organização criminosa com ramificação internacional que vinha atuando no norte capixaba e era especializada na exploração comercial ilegal de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção, em especial, o Pau-Brasil, foi deflagrada, na manhã desta terça-feira (30), por Policiais Federais, em conjunto com servidores do Ibama do Espírito Santo.

Estão sendo cumpridos 20 mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª. Vara Federal Criminal de Vitória, nos municípios de Joao Neiva (07), Santa Teresa (02), Aracruz (07) e Linhares (04).

Em razão da grande quantidade de mandados a serem cumpridos, além dos Policiais Federais lotados na Delegacia de Repressão aos Crimes contra o Meio Ambiente (DELEMAPH), a operação contou com a participação de outro 85 (oitenta e cinco) policiais do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

O objetivo das ações, além do cumprimento das ordens judiciais, é obter novos elementos de provas úteis para desmantelar o grupo criminoso dedicado ao cometimento de Crimes Contra à Flora, Outros Crimes Ambientais e Contra à Administração Ambiental.

Investigações começaram após ações do Ibama

As investigações se iniciaram após ações fiscalizatórias realizadas pelo Ibama no âmbito da Operação “DÓ RÉ MI” que resultaram em apreensões de mais de 42 mil varetas feitas de Pau-brasil, além de mais de 150 toretes avaliados em mais de dois milhões de reais.

Há fortes indícios que apontam para a atuação de uma organização criminosa estruturada com divisão de funções que envolvem extratores, intermediários, atravessadores, arqueiros e empresas de produção de instrumentos musicais, atuando para beneficiar o Pau-Brasil extraído clandestinamente de Unidades de Conservação Federal, visando a comercialização do produto acabado em formato de arcos de violino/contrabaixo para o exterior, sem qualquer controle das autoridades brasileiras.

O arco é o produto final produzido a partir da vareta. No Brasil as varetas são adquiridas por valores que giram entre R$ 20 e R$ 40 reais, ao passo que os arcos podem ser comercializados no exterior por até U$ 2.600,00 (R$ 14.600,00).

Lucro poderia ultrapassar R$ 240 milhões

Tendo como referência somente as 42 mil unidades de arcos/varetas já apreendidas no curso da investigação e considerando um valor final de mercado médio de US$ 1 mil por cada arco de violino comercializado no exterior, estima-se que esses instrumentos representariam no mercado internacional algo em torno de R$ 232.884.890,00.

Trata-se de uma avaliação módica já que esses instrumentos podem alcançar valores de mercado muito maiores como os verificados em algumas lojas americanas que negociam o produto feito de Pau Brasil por até US$ 2.600,00, ou seja, mais de R$ 14.000,00.

Investigação conta com peritos do Amazonas

Apoiando as investigações, dois Peritos Criminais da PF do Amazonas vieram ao Estado e utilizarão um novo procedimento para determinar a procedência da madeira apreendida ao longo das ações da polícia. Trata-se da técnica conhecida por análise de isótopos estáveis.

De posse de amostras da madeira, é possível aos Peritos determinar de onde realmente foram extraídas, no caso, se vieram de unidades de conservação onde a retirada das árvores é terminantemente proibida.

Agência internacional presta apoio

Buscando o maior alcance possível, a PF no Espírito Santo estabeleceu parceria com a U.S. Fish and Wildlife Service, agência do Governo dos Estados Unidos dedicada à repressão dos crimes envolvendo a pesca, a vida selvagem e os habitats naturais.

Como os arcos produzidos com Pau-Brasil ilegalmente extraído são destinados ao exterior, em grande parte, aos Estados Unidos, a agência foi acionada para apoiar as ações da PF naquele país visando verificar a legalidade das importações e a existência de ramificações do esquema criminoso em território norte-americano.

Uma equipe da FWS se encontra no Espírito Santo acompanhando as ações de hoje e simultaneamente, estão sendo ouvidos várias pessoas nos Estados Unidos que guardam relação de interesse com a investigação brasileira.

Leia mais:  Corpo de jovem é encontrado parcialmente carbonizado em lavoura de café
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana