conecte-se conosco


Política e Governo

Governo do Estado lança edital para que startups apresentem soluções aos desafios da gestão pública

Publicado

Chegou a oportunidade das empresas de base tecnológica – as startups –apresentarem soluções inovadoras ao Governo do Espírito Santo para os desafios enfrentados em diversas áreas da gestão pública. Por meio da Secretaria de Gestão e Recursos Humanos (Seger), da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação (Fapes) e da Associação Brasileira de Startups (ABStartup) foi lançado, nesta quinta-feira (16), o Edital de Chamamento Público do Programa Pitch Gov.ES.

O ato aconteceu durante solenidade virtual, transmitida ao vivo pelas redes sociais, com a participação do governador Renato Casagrande. Com a publicação, startups de todo País poderão inscrever suas propostas de solução, até 28 de agosto de 2020, seguindo as orientações presentes no edital. O documento na íntegra ficará disponível no site da Fapes.

As propostas submetidas devem ser relacionadas aos desafios selecionados, nas áreas de Educação, Saúde, Segurança Pública, Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Desenvolvimento Econômico Sustentável, Gestão Pública, Impacto Social e Cultura, ou a desafios de outros Poderes, como o Judiciário.

A seleção das soluções encaminhadas será realizada em duas etapas. Na primeira, a ABStartup fará a análise de mérito das sugestões, considerando quatro critérios para classificação: maturidade do estágio de desenvolvimento do interessado; modelo de negócio; equipe; e compatibilidade, inovação e benefícios. Já na segunda etapa, as empresas escolhidas deverão apresentar um pitch (defesa oral de cinco minutos), em evento on-line com a participação de banca examinadora.

O Pitch Gov.ES conta com recurso de R$ 750 mil, proveniente do Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia (Funcitec), com a atuação da Mobilização Capixaba pela Inovação (MCI). Desse montante, até R$ 500 mil serão investidos nas propostas aprovadas para a fase de testes, cuja duração é de seis meses. Caso as soluções testadas apresentem bons resultados, alcançando metas pré-estabelecidas, elas podem ser contratadas e implementadas pelos órgãos públicos.

“Nosso Estado é pequeno em população e assim continuará. Para nos inserirmos, precisamos ser inovadores e competitivos. Minha geração foi educada em uma prática e agora veio a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e nos fez realizar anúncios de obras por videoconferência. Esta modelagem pode ser perpetuada pós-pandemia e para que a gente não retorne ao caminho anterior, estamos definindo metas para que possamos diminuir a burocracia, produzir mais e economizar. Temos que criar um ambiente bom de inovação”, afirmou o governador.

Casagrande citou outras iniciativas que visam tornar o Estado cada vez mais inovador. “O Vale da Moqueca é importante, pois junta pessoas para criar um movimento que possa ser favorável à inovação. O Pitch Gov.ES é um desafio para podermos atender a população. O sistema E-docs já está implementado em pouco mais de 80% dos setores do Governo do Estado e queremos integrá-lo com os demais Poderes”, disse.

A secretária de Estado de Gestão e Recursos Humanos, Lenise Loureiro, também destacou a iniciativa: “O Pitch Gov.ES conectará o Estado a jovens empresas inovadoras de todo o país, para resolver desafios da gestão pública por meio de soluções tecnológicas e em estágio avançado de maturidade. O objetivo do programa é melhorar os serviços públicos prestados aos cidadãos, estimular o ecossistema de inovação e dinamizar a economia, bastante afetada pela pandemia”, apontou.

Para o diretor-presidente da Fapes, Denio Rebello Arantes, o Pitch Gov.ES é a ponte entre a administração estadual e o ecossistema de Inovação. “A chamada surge para estabelecer uma conexão entre os desafios do serviço público e a dinâmica inovadora das startups. O Pitch Gov.ES é uma excelente estratégia para aumentar a eficiência das ações do Governo no atendimento à população capixaba e vai gerar resultados importantes que serão percebidos em médio e longo prazo”, afirmou, ressaltando a mudança de paradigma proporcionada pelo edital.

Desafios

Confira abaixo a lista de áreas temáticas e seus respectivos desafios e órgãos, que estão presentes no edital de chamada pública do Programa Pitch Gov.ES. Mais informações sobre o programa podem ser conferidas pelo site do Laboratório de Inovação na Gestão da Seger (LAB.ges).

Saúde

1) Como gerir plantões e escalas priorizando, na oferta de plantões extras, os profissionais mais bem ranqueados?   – Secretaria da Saúde (Sesa)
2) Como controlar a jornada do paciente no momento da entrada até a alta? – Secretaria da Saúde (Sesa)

Gestão Pública

3) Como estruturar um sistema de comunicação com o servidor estadual, que seja interativo, automatizado, customizado e dinâmico, a respeito de informações funcionais e de carreira? –  Secretaria de Gestão e Recursos Humanos (Seger)
4) Como criar uma rede para compartilhamento de competências técnicas, sociais, emocionais e comportamentais, de cada servidor, facilitando a interação e a colaboração dentro do governo estadual? – Secretaria de Gestão e Recursos Humanos (Seger)

Educação

5) Como reduzir o abandono e a evasão escolar utilizando metodologias, estratégias e recursos pedagógicos inovadores, dinâmicos e interativos? – Secretaria da Educação (Sedu)
6) Como articular o projeto de vida do jovem com perspectivas latentes e futuras do mercado de trabalho, adequando o serviço de educação? -Secretaria da Educação (Sedu)

Segurança Pública

7) Como informatizar e ser mais eficiente na identificação do risco de reingresso do preso no sistema prisional e na individualização do tratamento penal? – Secretaria da Justiça (Sejus)
8) Como automatizar a contagem da remição e do cumprimento da pena das pessoas presas e comunicar às autoridades competentes? – Secretaria da Justiça (Sejus)
9) Como automatizar o agendamento de audiências judiciais das pessoas presas, junto ao Poder Judiciário? – Secretaria da Justiça (Sejus)
10) Como agilizar o registro e consulta de ocorrências e procedimentos iniciados no ambiente das unidades policiais civis do Estado do Espírito Santo, através de plataforma virtual? – Secretaria da Justiça (Sejus)

Infraestrutura e Mobilidade Urbana

11) Como automatizar o processo logístico de controle de usuários, dentro das Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa), órgão responsável pelas políticas de comercialização de hortifrutigranjeiros no estado? – Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag)
12) Como aferir quantitativo de passageiros embarcados e desembarcados dos veículos de transporte coletivo por ponto de parada?  – Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros (Ceturb)

Desenvolvimento Econômico Sustentável

13) Como utilizar uma plataforma tecnológica de inteligência artificial para possibilitar atendimento remoto aos agricultores familiares? – Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag)
14) Como otimizar o processo de seleção de candidatos para as vagas cadastradas nas agências vinculadas ao SINE, a partir de um sistema de recomendação baseado em inteligência artificial? – Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades)
15) Como promover divulgação, conexão e troca entre criativos a partir de uma plataforma de marketplace? – Secretaria da Cultura (Secult)

Outros Poderes

16) Como facilitar o acesso gratuito do cidadão à justiça, a partir de um modelo que avalie se o pedido pode ser concebido, cruzando dados das mais diversas bases em busca de parâmetros que o justifiquem? – Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES)

Leia mais:  Governo do Estado assina decreto que regulamenta parcelamento do ITCMD
publicidade

Política e Governo

R$ 445 mil direcionados por Majeski para reforçar trabalhos em hospitais

Publicado

Dos R$ 445 mil direcionados pelo deputado estadual Sergio Majeski (PSB), por intermédio de emendas parlamentares, para reforçar os trabalhos em 11 instituições com atuação na saúde pública do Espírito Santo em 2021, R$ 330 mil estão com os termos de fomento assinados entre o Governo do Estado e a instituição beneficiada com o repasse do recurso.

São R$ 180 mil para o Hospital Concórdia (Santa Maria de Jetibá), R$ 30 mil para o Hospital Rio Doce (Linhares), R$ 30 mil para a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Vitória), R$ 30 mil para o Hospital Santa Casa (Vitória), R$ 25 mil para o Hospital Santa Casa (Cachoeiro de Itapemirim), R$ 25 mil para o Hospital Infantil (Cachoeiro de Itapemirim) e R$ 10 mil para Fundação Clínica Carmem Lúcia (Vila Velha).

“Mesclamos o direcionamento dos recursos com as emendas para contemplar instituições que oferecem serviços relevantes à sociedade. Sempre é importante lembrar que o dinheiro é público, do próprio cidadão. Além dos hospitais, também estão em nossa prioridade escolas, Apaes e Pestalozzis, por exemplo. Indicamos o repasse e rotineiramente vamos às instituições para verificar as estruturas e conferir o atendimento que é ofertado às pessoas”, destaca Majeski.

Para efetivar na totalidade os recursos direcionados pelo deputado Majeski às instituições que oferecem serviços em saúde, falta o Governo do Estado assinar os termos de fomento para o repasse de R$ 115 mil aos hospitais Padre Máximo (Venda Nova do Imigrante), Madre Regina Protmann (Santa Teresa), Nossa Senhora da Penha (Santa Leopoldina) e São Brás (Itarana).

Leia mais:  Governador participa de abertura oficial do Fórum Oil & Gas Week 2020
Continue lendo

Política e Governo

Secult debate participação na 4ª Conferência Nacional de Cultura

Publicado

A Secretaria da Cultura (Secult) já está participando das articulações para a realização da 4ª Conferência Nacional de Cultura, com previsão para ser realizada em dezembro de 2022. As etapas municipais e estaduais devem ocorrer entre fevereiro e junho do próximo ano, e as discussões vão girar em torno de atualizações do plano nacional de cultura e os rumos do setor no pós-pandemia.

O secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura reuniu-se com a presidente do Fórum Nacional de Secretários e Gestores de Cultura das Capitais e Municípios Associados, Ana Cristina de Castro, em Curitiba, para tratar da participação dos dois fóruns na organização da 4ª Conferência Nacional de Cultura. Ana Castro é presidente da Fundação Cultural de Curitiba, no Paraná, que tem status de secretaria.

Durante a reunião, os presidentes conversaram com o secretário nacional da Economia Criativa e Diversidade Cultural, Aldo Valentim, visando a acertar detalhes da composição da 1ª Câmara Temática para a Conferência Nacional, da qual Fabricio Noronha será titular e Ana Castro suplente.

Ambos participam na condição de representantes do poder público e seus nomes serão ratificados na próxima reunião plenária do Conselho Nacional de Políticas Culturais, prevista para ser realizada nesta quarta-feira (1º).

A Conferência Nacional de Cultura reunirá, como nos anos anteriores, agentes culturais de todo o Brasil para debates das políticas culturais. Nas três edições anteriores, a conferência chegou a ter representantes de 26 estados.

Leia mais:  Obras no Espírito Santo poderão atrair mais de R$ 10 bilhões em investimentos privados
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana