conecte-se conosco


Política e Governo

Governo firma parceria para restauração de respiradores

Publicado

Equipamentos fundamentais para os pacientes hospitalizados com estado de saúde grave e de risco, os respiradores se tornaram um item com maior demanda pelo sistema de saúde de todo o mundo. No Espírito Santo, o Governo do Estado, além de adquirir novos aparelhos, firma parceria para a manutenção desses itens.

O convênio para manutenção dos aparelhos foi realizado, na manhã desta quinta-feira (14), a distância, com a participação, dentre outros, do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes; da secretária de Ciência, Tecnologia,  Inovação e Educação Profissional, Cristina Engel; do diretor presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes), Denio Rebello; da coordenadora do projeto na Secretaria de Desenvolvimento (Sedes), Fabrine Schwanz; e representantes da empresa Vale,  do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

O ato garante a manutenção gratuita de respiradores pulmonares inoperantes do sistema de saúde estadual por profissionais da Vale, Ufes e Senai, além de voluntários da Arcellor. Para o secretário Nésio Fernandes, a ação integra um legado que o Governo deixará pós-pandemia.

“O Governo do Estado agiu de forma proativa e responsável dobrando a capacidade de atendimento em meio à pandemia. Como resultado, teremos um sistema de saúde mais robusto. Saúde não se restringe a leitos, escala de profissionais e medicamentos. Somos um complexo econômico-social. Precisamos repensar o modelo de desenvolvimento vigente,  ter soberania tecnológica, valorizar a produção e o trabalho. Integrar ensino, serviços de saúde e a indústria é um caminho para superar o subdesenvolvimento e a dependência, principalmente em épocas de crise”, afirmou Nésio Fernandes.

O secretário agradeceu o comprometimento das instituições ao apoiar e disponibilizar profissionais e recursos para a manutenção dos equipamentos e fez um apelo a todos, lembrando que a principal medida de combate ao novo Coronavírus  (Covid-19), no momento, é o distanciamento social.

Tecnologia e Inovação

A secretária de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional, Cristina Engel, destacou que o desafio de enfrentamento à pandemia exige decisões rápidas que tragam resultados à população, e que pode ser um legado para os procedimentos pós-pandemia.

“O sistema de saúde é um setor estratégico e a ciência e tecnologia agregam um diferencial quando integradas à essa política. Esse momento de convergência entre Governo, instituições de ensino e pesquisa e setor privado, em prol da sociedade, é resultado de um trabalho que fomentamos há anos e que foi amplamente incrementado através da Mobilização Capixaba pela Inovação em 2019. Nós queremos agradecer a disponibilidade desses parceiros que entendem a dimensão e se unem a nós para viabilizar o atendimento da população.”

A secretária ressaltou que a parceria já trouxe outros resultados importantes nesse período de pandemia, com a confecção das face shields, máscaras protetoras faciais utilizadas pelos profissionais que trabalham no enfrentamento da Covid-19.

Manutenção

A partir de agora, respiradores de unidades públicas de saúde que necessitam de reparos serão identificados e separados para entrega à Ufes e ao Senai, que irão diagnosticar o equipamento, buscando identificar a causa de seu mal funcionamento e iniciar a reparação. Nos casos em que for necessário a substituição de componentes ou partes com defeitos, a Vale irá contribuir com a aquisição, caso sejam localizados fornecedores e a custos viáveis, e realizar a doação à Sesa.  Após a manutenção os respiradores serão calibrados por empresas parceiras que atuam voluntariamente no projeto.

Os respiradores restaurados voltarão à rede pública sem custo ao Estado, garantindo o atendimento aos cidadãos.

Parceria

O reitor da Universidade Federal do Espírito Santo, Paulo Vargas, reconhece o momento delicado em virtude da pandemia e a importância de juntar esforços para fazer o enfrentamento adequado. A Fapes apoia o projeto por meio de parceria com a Ufes, subsidiando a atuação dos voluntários da universidade. “A Universidade sente-se lisonjeada em fazer parte desse processo, dando essa contribuição no combate à Covid-19”, pontuou.

Para Mateus Freitas, diretor regional do Senai, a instituição tem muito a contribuir nesse momento. “Temos montado uma série de projetos na Federação da Indústria para minimizar o impacto dessa doença. Cada respirador salva de 10 a 20 pessoas, então vamos nos empenhar em regatar todos os equipamentos possíveis, pois estaremos salvando vidas.”

Fernando Dellacqua, representante da Vale, disse que a parceria busca superar as adversidades trazidas pelo novo Coronavírus. “Esse trabalho, a muitas mãos, garantirá o atendimento de quem mais precisa em um momento muito sensível. Não sabemos quando essa jornada irá acabar, mas estamos juntos para enfrentá-la.”

Leia mais:  Governo do Estado participa de evento nacional sobre concessões e parcerias
publicidade

Política e Governo

Gilson Daniel na campanha de Sérgio Moro

Publicado

A Executiva nacional do Podemos designou o prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo, para coordenar e organizar as chapas de estadual e federal para a eleição do ano que vem. Isso porque o presidente estadual da legenda, Gilson Daniel, vai compor a equipe que irá coordenar a campanha do ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro.

Ex-ministro Sergio Moro.

Arnaldinho disse que as chapas já estão quase completas. “Estou empenhado e animado, pois acredito que vamos fazer três ou quatro deputados. Já na federal, acredito que faremos dois federais”. Gilson Daniel é pré-candidato a deputado federal e o vice-prefeito de Vila Velha, Victor Linhalis (SD), deve se filiar ao Podemos e também ser candidato a uma cadeira na Câmara Federal.

Já para o Senado, o partido mira no secretário estadual de Controle e Transparência, Edmar Camata, segundo Gilson Daniel. Ele disse também que Moro vai se filiar ao Podemos no próximo dia 10 (novembro) num evento em Brasília. O partido da “Lava-Jato” quer que Moro seja candidato à Presidência da República.

Leia mais:  Governo do Estado participa de evento nacional sobre concessões e parcerias
Continue lendo

Política e Governo

“Eles querem que eu fique calado?”, questiona Colnago mirando cúpula tucana

Publicado

O ex-vice-governador César Colnago (PSDB) não vai recuar de trabalhar sua pré-candidatura ao governo. Mesmo sem o apoio da Executiva estadual e do presidente do partido, Vandinho Leite, ele disse que continuará se reunindo com lideranças e viajando pelo interior. Houve mal-estar na cúpula do ninho tucano o anúncio de Colnago de que vai disputar o governo do Estado.

“Coloquei a candidatura porque entendo que o partido precisa. E reforça a candidatura nacional, assim como nossas teses. Vou trabalhar para ser o candidato do partido, mas sei que dependo da decisão final que será na convenção”, disse Colnago.

Ele participou na manhã de sábado (23) do evento “Conversas com Eduardo Leite”, em Vitória. O governador do Rio Grande do Sul veio ao Estado por conta de sua campanha para disputar as prévias do partido, que acontecem no dia 21 de novembro. Colnago já tinha feito uma manifestação anterior pró-Doria – que disputa contra Leite para ser o nome tucano na eleição para presidente da República no ano que vem.

Colnago chegou a citar a visita de Eduardo Leite para justificar o anúncio da pré-candidatura e rebateu seus críticos. “Eu tenho conversado com o partido. O que Eduardo Leite está fazendo aqui? Eduardo e Dória são precipitados por fazer pré-campanha? Não. Eles querem que eu fique calado? Como fundador do partido, com a história que tenho? Não. Eu vou colocar minha pré-candidatura para ser construída, tanto na sociedade como no ambiente interno do PSDB. Sou um democrata, sempre fui um democrata. Agora, com a história que tenho, com as diversas secretarias e mandatos, desejar e querer colocar o meu nome à disposição para ser o pré-candidato, que precipitação tem nisso? Se fosse assim não estaríamos aqui discutindo as prévias. O PSDB está fazendo a coisa mais inteligente desse país, que é antecipar o debate porque o Brasil quer mudar e o Espírito Santo também”, afirmou Colnago.

A postura do ex-vice-governador aumenta ainda mais o desconforto dentro do partido. Tucanos que são da base do governador Renato Casagrande – a quem Colnago já está mirando sua artilharia – não estão nada confortáveis com a situação.

Executiva não definiu

Tanto durante o discurso no evento, como depois, em entrevista para a coluna, o presidente do PSDB capixaba, Vandinho Leite, foi categórico ao afirmar que candidaturas majoritárias não serão debatidas e nem postas agora pelo partido. “Vamos definir nossas candidaturas majoritárias após a definição das prévias. Isso não está posto no momento. Nós decidimos na Executiva, e é uma decisão coletiva, de que nós só vamos debater palanque no Espírito Santo, após a decisão sobre o nosso presidenciável”, disse Vandinho.

Sobre a possibilidade de um palanque duplo envolvendo o PSDB, Vandinho também adiou a discussão. O PSB estuda a possibilidade de, se não tiver candidatura própria a presidente da República, o palanque de Casagrande apoiar dois presidenciáveis de partidos diferentes. De acordo com o presidente do PSB-ES, Alberto Gavini, uma das possibilidades é apoiar os candidatos do PT (Lula) e do PDT (Ciro), e a outra é apoiar os candidatos do PDT (Ciro) e do PSDB (o que vencer nas prévias). Em troca, esses partidos no Estado apoiariam a reeleição de Casagrande e ocupariam postos-chaves, como o nome do vice na chapa e/ou o nome do Senado.

“Temos um excelente diálogo com o governador Casagrande. É claro que, a partir do momento que o partido do governador nos dá um sinal, um sinal gentil, a gente agradece. Mas não estou entrando ainda no debate com os partidos, para respeitar a decisão da Executiva”, disse Vandinho. Se vingar o acordo para o palanque duplo envolvendo o PSDB, os tucanos não terão candidato ao governo e o palanque do presidenciável do partido será o mesmo de Casagrande.

Decisão local

Ao ser questionado se o PSDB teria palanque no Estado, o presidenciável Eduardo Leite disse que a decisão será da Executiva estadual. “O Espírito Santo é um estado muito importante para nós, um bom exemplo para políticas públicas. Nós queremos sim ter um palanque aqui no Estado, acho que é importante, agora respeitamos o encaminhamento que os tucanos do Espírito Santo farão. Um partido quando se forma busca protagonismo, é legitimo aspirar e buscar uma candidatura ao Executivo, mas você não pode fazer isso sem entender que eventualmente outra candidatura, em outro partido, possa representar algo semelhante ao que pensamos e que possamos colaborar”.

E o Arthur?

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, já veio duas vezes ao Estado. O governador paulista, João Dória, uma vez. Só o ex-senador Arthur Virgílio, que também disputa as prévias do PSDB, é que ainda não sinalizou uma visita ao Estado.

Leia mais:  Chuva: prejuízo estimado supera R$ 88 milhões na agropecuária capixaba
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana