conecte-se conosco


Política e Governo

Governo vai sobrevoar rios para implementar Sistema de Alerta de Inundações no sul do Estado

Publicado

A Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), a Defesa Civil Estadual, o Núcleo de Operações e Transporte Aéreo do Espírito Santo (Notaer) e a TV Educativa (TVE) vão sobrevoar as bacias hidrográficas do sul do Estado para analisar os pontos onde serão instaladas as estações de monitoramento de chuva e vazão que vão compor um sistema de alerta de eventos extremos na região.

O primeiro voo está previsto para esta quarta-feira (19) e tem como roteiro as bacias hidrográficas dos rios Novo e Itapemirim. A equipe deve sobrevoar os municípios do Caparaó, Castelo, Cachoeiro de Itapemirim, Alfredo Chaves, Vargem Alta, Iconha e Piúma. As regiões foram castigadas por inundações em janeiro deste ano e têm um histórico de cheias dos rios que impactam a população, a economia e o meio ambiente locais.

Para a implementação de um Sistema de Alerta nas regiões, a Agerh e a Defesa Civil estão estudando, desde o início do ano, as prováveis localizações das estações de monitoramento. Até o momento, 23 pontos foram identificados como estratégicos para a verificação do volume de chuvas e do comportamento das vazões dos rios, informações que podem antecipar cenários e ações de prevenção em caso de risco de enchentes.

Para confirmar a viabilidade técnica das microlocalizações, a Agerh e o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Novo fizeram uma parceria com o Notaer, que disponibilizou uma aeronave para sobrevoar os pontos estudados. Para documentação de imagens, os locais serão registrados por um cinegrafista cedido pela TVE.

De acordo com o diretor-presidente da Agerh, Fábio Ahnert, a rede de alerta, cujo custo estimado é de aproximadamente R$ 3 milhões de reais, começou a ser estudada no rio Itapemirim e foi ampliada para as bacias vizinhas. “É uma região de características fisiográficas e dinâmicas de chuva semelhantes. Pelo relevo em comum, que drena as águas para as partes mais baixas e, junto a outros fatores, provocam as inundações. Monitorando locais estratégicos, teremos instrumentos para prevenir impactos e antecipar ações”, disse Fábio Ahnert.

O coordenador da Defesa Civil Estadual, Coronel André Có, destacou o esforço conjunto para terminar de integrar uma robusta rede de monitoramento e prevenção de eventos críticos, com a integração de dados e a criação do Centro de Gerenciamento de Desastres, que deve ficar pronto em um ano. “Num desastre natural, nós não temos o poder de interferir na gradação da ameaça, então temos que trabalhar para minimizar a vulnerabilidade das pessoas, e é isso que o Governo está fazendo com todas essas ações preventivas”, afirmou.

O sobrevoo será comandado pelos militares do Notaer. Segundo o secretário-chefe de Estado da Casa Militar, coronel Jocarly Martins de Aguiar Junior, a experiência da equipe nesse tipo de missão pode otimizar recursos. “A equipe reúne experiência e conhecimentos técnicos para levar segurança e apoio aos envolvidos”, garantiu

O chefe do Núcleo, Major PM Sérgio Luiz Anechini, acrescenta que “todas as fases de planejamento para a operação aérea foram cumpridas com rigor, o que refletirá no sucesso da missão e em um excelente serviço prestado à sociedade, principalmente a que reside nas regiões atingidas pelas chuvas de janeiro de 2020.”

O diretor-presidente da TV Educativa do Estado (TVE), Igor Pontini, ressalta que a parceria vai ao encontro da missão da emissora de acompanhar permanentemente as políticas governamentais do Estado. “Essa parceria fortalece a divulgação de uma política pública fundamental para o meio ambiente e importante para as cidades capixabas.”

Quem também acompanhará o voo será o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Novo, Mauricio Vieira Gomes, que relatou uma modificação nas características da bacia, principalmente depois das inundações de janeiro último. “Qualquer chuva impacta os rios e os moradores do entorno. Esse olhar do Estado ajudará a definir o que será mais efetivo para minimizar os impactos das próximas chuvas e o sofrimento da nossa população”, pontuou o presidente do CBH.

Leia mais:

>> Sistema no Sul pode funcionar de forma semelhante à Rede de Alerta do Rio Doce

Leia mais:  Governo do Estado prevê orçamento de R$ 19,7 bilhões para 2020
publicidade

Política e Governo

Empresas de comércio e serviços na Grande Vitória são destaque em investimentos do Bandes

Publicado

O setor terciário é estratégico para a economia, representando quase 64% do PIB capixaba. 

De acordo com dados do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), na Grande Vitória, empresas do setor terciário, que englobam atividades de prestação de serviços e de comércio, têm se destacado na contratação de crédito. Cerca de 85% dos R$ 270 milhões em financiamentos aprovados pelo banco capixaba foram solicitados por micro, pequenas, médias e grandes empresas do setor.

Estratégico para a economia, o setor está diretamente relacionado ao índice do Produto Interno Bruto (PIB), além da criação de empregos e de renda. Segundo o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), as atividades desenvolvidas pelo setor representam quase 64% do PIB do Espírito Santo.

Com relação ao porte das empresas financiadas pelo Bandes nos cinco municípios que compõem a Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV), a metade das aprovações é de financiamentos para médias empresas, com 50,8%. As empresas de Cariacica têm liderado as aprovações, com R$ 71,7 milhões, ou 48% do total aprovado. Na sequência aparecem empresas de Vitória, Serra, Vila Velha, Viana e Guarapari, que são os demais municípios que compõem a RMGV.

“O setor terciário é vital para a economia da Região Metropolitana, pois responde por quase 70% do seu PIB. Por isso, a atuação do Bandes neste local e para esta atividade econômica é tão importante”, comenta o gerente de Planejamento e Processos do banco capixaba, o economista Sávio Bertochi Caçador.

A maior parte dos projetos de financiamento aprovados pelo banco capixaba teve como objetivo o capital de giro, ou seja, buscou recursos necessários para a manutenção do funcionamento das empresas. São R$ 118,8 milhões para giro nas empresas da Grande Vitória e outros R$ 29,4 milhões para modernização de empreendimentos.

“Em função da situação econômica adversa de 2020, é compreensível que as empresas busquem mais crédito para giro do que para investimento. O Bandes entende que essas duas modalidades de crédito são relevantes para o desenvolvimento sustentável da economia capixaba e tem buscado expandir suas fontes de recursos para atender aos empresários”, complementa Caçador.

Leia mais:  Governo do Estado recebe primeira equipe de supervisores da APS
Continue lendo

Política e Governo

Sedes realiza visita técnica a empresas das regiões sul e norte do ES garante compromisso do governo com setor produtivo

Publicado

Aproximar o Governo do Estado do setor produtivo, conhecer as demandas das empresas capixabas e incentivar a expansão de suas atividades é uma das premissas do projeto “Missões Capixabas”, coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento (Sedes). O calendário de atividades de 2021 segue ativo, pois, na última semana, o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip, e o subsecretário de Estado de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais, Gabriel Feitosa, realizaram visita técnica nos empreendimentos Móveis Rimo, Laticínios Damare, Cooperativa de Laticínios Selita e Sorvetes Paletitas.

Na quarta-feira (20), o grupo foi recebido pelo diretor-presidente da Móveis Rimo, Luiz Rigone, no parque fabril da empresa, em Linhares, referência na fabricação de móveis modulares e planejados. A empresa tem uma estrutura de 20 mil metros quadrados de área construída, em um espaço total de 47.600 metros quadrados, onde emprega mais de 300 colaboradores. Em seguida, foram conhecer a Laticínios Damare, em Montanha, norte do Estado.

O secretário Marcos Kneip destaca que a indústria está diversificando sua produção, apostando em novos itens de vendas. “Manter o diálogo permanente com o setor produtivo é o propósito do Governo para conhecer seus principais desafios, acompanhar as inovações e, assim, programar ações relevantes que possam somar esforços, visando ao desenvolvimento em todas as regiões. Visitamos a empresa Damare, indústria que tem em torno de 300 funcionários diretos e processa 450 mil litros de leite por dia, bem como conta com a coleta de leite em 1.200 propriedades. Na ocasião, pudemos conferir o seu portfólio e o início de sua produção de achocolatados”, disse Kneip.   

No sul do Espírito Santo, em Cachoeiro de Itapemirim, os representantes da Sedes estiveram na planta de expansão da Selita, que tem investimentos de R$ 70 milhões na construção da nova fábrica. Atualmente, a empresa tem 380 funcionários diretos e conta com o suporte de duas mil propriedades da região. Na tarde desta sexta-feira (22), eles seguiram para o Polo Industrial de Piúma, na Sorvetes Paletitas, indústria em crescimento, que conta com mais de cinco mil pontos de vendas.

O subsecretário de Estado de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais, Gabriel Feitosa, destacou o objetivo das visitas. “Elas fazem parte do ‘Missões Capixabas’, projeto iniciado com o objetivo de conhecer o processo fabril das indústrias localizadas em território capixaba, entender seus projetos e destravar gargalos. É muito gratificante ver que empresas de norte a sul do Estado estão com perspectivas de crescimento e de geração de empregos para a população”, afirma Feitosa.

Plano Espírito Santo – Convivência Consciente

É um conjunto de ações envolvendo órgãos do poder público e do setor produtivo para promover o desenvolvimento econômico, priorizando as pessoas, com o objetivo de reduzir os impactos sofridos pela população capixaba em decorrência da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). São previstos mais R$ 32 bilhões em investimentos dos Governos Federal, do Estado e do setor privado até o final de 2022. A estimativa é de que sejam criadas mais de 100 mil vagas de emprego.

O Plano apresenta sete eixos de atuação: Desburocratização; Medidas Tributárias; Crédito e Financiamento; Monitoramento dos Impactos na Economia; Aceleração dos Investimentos Públicos e Privados; Inovação e Tecnologia e Geração de Emprego e Renda, eixo em que a iniciativa do Fornecedores em Rede está inserida.

O Conselho Gestor do Plano Espírito Santo – Convivência Consciente é formado pelas Secretarias de Economia e Planejamento (SEP); Mobilidade e Infraestrutura (Semobi); Fazenda (Sefaz); Governo (SEG), Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e Sedes, que vão acompanhar de perto a implementação das medidas previstas no Plano. O Conselho será responsável, ainda, pelas orientações a serem seguidas conforme as prioridades do Governo, propondo ações de rearranjo da conjuntura econômica e potencializando a recuperação da economia do Estado.

Leia mais:  Governo e Assembleia vetam projeto de Majeski que valoriza a vida
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana