conecte-se conosco


Entretenimento

Gusttavo Lima fatura milhões de reais em quase um ano de pandemia

Publicado

Sertanejo, que é dono de um patrimônio de tirar o fôlego, recebeu uma fortuna com lives, empreendimentos e outros acordos comerciais

Um levantamento realizado pelo Data SIM apontou que no início da quarentena no Brasil, entre os dias 17 e 23 de março, o cancelamento de shows e espetáculos provocou um impacto de R$ 483 milhões no mercado da música. Quase um ano depois, as apresentações permanecem suspensas na maior parte do país e a indústria ainda calcula as consequências das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus.

A crise, no entanto, parece ter passado bem longe do cantor Gusttavo Lima. O sertanejo, que é dono de um patrimônio de tirar o fôlego, faturou milhões de reais com lives, empreendimentos e outros acordos comerciais. Com isso, certamente, o músico ocupa o topo da lista entre os que mais ganharam dinheiro no período.

Segundo a colunista Keila Jimenez, do R7estima-se que o sertanejo recebeu cerca de R$ 5 milhões só com a apresentação na versão online da Festa do Peão de Barretos, em agosto do ano passado.

Segundo a colunista Keila Jimenez, do R7, estima-se que o sertanejo recebeu cerca de R$ 5 milhões só com a apresentação na versão online da Festa do Peão de Barretos, em agosto do ano passado

Por conta da pandemia do novo coronavírus, a tradicional Festa do Peão — assim como outros setores econômicos — precisou se adaptar e usar da criatividade para a realização da edição de 2020.

Ao todo, Gusttavo Lima teria faturado cerca de R$ 10 milhões com as lives no YouTube. As cotas de patrocínio do cantor, de acordo com estimativas do mercado, podem variar de R$ 400 mil a R$ 1 milhão.

O cantor teria faturado uma bolada com as execuções de suas músicas nas plataformas de streaming. No geral, só com o single A Gente Faz Amor, o valor teria chegado a R$ 707 mil

No ano passado, o sertanejo bateu recordes em rádios e streaming. Tudo em plena pandemia e com a agenda de shows suspensa.

O cantor teria faturado uma bolada com as execuções de suas músicas nas plataformas de streaming. No geral, só com o single A Gente Faz Amor, o valor teria chegado a R$ 707 mil.

Vale explicar como os artistas são remunerados pelas plataformas. No Apple Music, por exemplo, a cada 1.000 reproduções são repassados R$ 0,053. Pode parecer baixo, mas, no entanto, considerando os acordos com as gravadores, as participações podem chegar a 60% e a valores estratosféricos.

 

Leia mais:  Ronaldinho Gaúcho é detido no Paraguai por uso de documento falso

publicidade

Entretenimento

Morre José Luiz Gobbi, personalidades do ES lamentam a morte do artista 

Publicado

José estava intubado por complicações a partir de uma insuficiência respiratória e morreu na noite de quinta-feira (13), na Santa Casa de Misericórdia de Guaçuí

Após a notícia da morte do ator, produtor e diretor teatral José Luiz Gobbi,  personalidades capixabas usaram as redes sociais para lamentar a perda do artista, que ficou eternizado pelo papel de Marly, na peça “Hello Creuzodette”. 

José estava intubado por complicações a partir de uma insuficiência respiratória e morreu na noite de quinta-feira (13), na Santa Casa de Misericórdia de Guaçuí, no sul do Espírito Santo. O governador do Estado, Renato Casagrande, foi um dos primeiros a comentar a morte do artista, destacando que “a cultura está em luto”. 

O secretário de Cultura do Espírito Santo, Fabrício Noronha, também se pronunciou nas redes sociais. “A nossa cultura e o nosso teatro em luto com a partida do querido José Luiz Gobbi”.

A vereadora de Vitória, Karla Coser, afirmou que o artista foi muito importante para a cultura capixaba, além de um amigo de sua família. “Com o teatro tocou minha vida e minha formação.”

Sobre o artista
Aos 66 anos, o artista, servidor público aposentado pelo Tribunal de Contas do Espírito Santo (TC-ES) se mudou de Vitória e morava, desde 2020, em Patrimônio da Penha, na região do Alto Caparaó, em Divino São Lourenço. 

Gobbi encarnou a personagem Marly pela primeira vez no espetáculo “Hello Creuzodete” em 1992. A personagem é uma mulher que vive sozinha em seu apartamento e que não consegue arranjar um namorado, e passa o tempo falando com a amiga Creuzodete pelo telefone.

Ela foi criada em 1973 pelo jornalista, ator, escritor, poeta e cartunista Milson Henriques (1938-2016). Originalmente, Marly existia apenas nas tiras de quadrinhos, publicadas no extinto jornal impresso “A Gazeta”, até ganhar vida através de Gobbi nos palcos. A personagem é reverenciada como ícone da cultura capixaba.

“Hello Creuzodete” foi sucesso absoluto, com 133 apresentações ininterruptas ao longo de um ano e meio. Outros três espetáculos foram criados. O último deles apresentado em 2007. Gobbi fazia performances com a personagem em eventos privativos. 

Leia mais:  Zezinho Corrêa, vocalista da banda Carrapicho, morre vítima da covid
Continue lendo

Entretenimento

Comediante da personagem Marly está intubado em UTI no ES

Publicado

O ator José Luiz Gobbi dá vida ao personagem mais famoso do cartunista Milson Henriques, falecido em 2016

O ator e produtor diretor teatral José Luiz Gobbi, intérprete da eterna solteirona Marly da peça “Hello Creuzodette”, foi intubado por complicações a partir de uma insuficiência respiratória e está numa UTI na Santa Casa de Misericórdia, de Guaçuí, no sul do Espírito Santo.  

A notícia foi dada pela irmã do artista, a médica Penha Gobbi Fraga. Em uma publicação nas redes sociais, ela pede orações para o irmão. Foi descartada infecção por covid-19.

Aos 66 anos, o artista, servidor público aposentado pelo Tribunal de Contas do Espírito Santo (TC-ES) se mudou de Vitória e mora, desde 2020, em Patrimônio da Penha, na região do Alto Caparaó, em Divino São Lourenço. 

Sucesso teatral

Gobbi encarnou a personagem Marly pela primeira vez no espetáculo “Hello Creuzodete” em 1992. A personagem é uma mulher que vive sozinha em seu apartamento e que não consegue arranjar um namorado, e passa o tempo falando com a amiga Creuzodete pelo telefone. 

Ela foi criada em 1973 pelo jornalista, ator, escritor, poeta e cartunista Milson Henriques (1938-2016). Originalmente, Marly existia apenas nas tiras de quadrinhos, publicadas no extinto jornal impresso “A Gazeta”, até ganhar vida através de Gobbi nos palcos. A personagem é reverenciada como ícone da cultura capixaba.

“Hello Creuzodete” foi sucesso absoluto, com 133 apresentações ininterruptas ao longo de um ano e meio. Outros três espetáculos foram criados. O último deles apresentado em 2007. Gobbi fazia performances com a personagem em eventos privativos. 

Leia mais:  Augusto Nunes agride Glenn Greenwald após ser chamado de 'covarde' ao vivo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana