conecte-se conosco


Mundo Cristão

História dos Apóstolos: Bartolomeu, o discípulo que Jesus viu orar embaixo da figueira

Publicado

Como a maioria dos apóstolos, Bartolomeu provavelmente foi martirizado: ele teria sido esfolado vivo e depois decapitado

Bartolomeu aparece em Marcos 3:16-19, onde há o registro dos 12 apóstolos de Jesus. Nascido em Caná, na Judeia, durante o Império Romano, em uma família judia, sua história é uma das mais obscuras dentre os discípulos.

O nome de Bartolomeu aparece nas quatro listas dos 12 principais discípulos de Jesus, e ele nunca é listado com títulos ou descrições. Tudo o que realmente sabemos é seu nome, e que ele está intimamente associado a Filipe (além da lista em Atos 1:13, Bartolomeu é sempre listado ao lado de Filipe, o que indica algum tipo de proximidade).

Segundo a Bíblia, Bartolomeu foi encontrado por Filipe logo após o batismo de Jesus por João Batista. Filipe afirmou que havia encontrado o profeta de quem Moisés havia falado em seus livros, acreditando que Jesus era o Messias.

Bartolomeu teve a visão de uma luz vinda do céu enquanto orava debaixo de uma figueira. Ao encontrar Jesus, Ele disse que tinha visto Bartolomeu pela primeira vez enquanto estava debaixo da figueira. Assim, Bartolomeu acreditou que Jesus era o filho de Deus e o Rei de Israel.

Além de ser um dos doze apóstolos, Bartolomeu serviu como missionário cristão na Etiópia, Mesopotâmia, Pártia e Licaônia.

Ele também pregou o Evangelho na Índia e na Grande Armênia. Junto com Judas Tadeu levou o cristianismo para a Armênia, onde é considerado um dos mártires. Bartolomeu converteu o rei Polímio ao cristianismo, levando Astyagus, o irmão pagão de Polímio, a ordenar a tortura e execução de Bartolomeu, que foi esfolado vivo e depois decapitado.

Leia mais:  “Os prazeres de comer e do sexo vêm de Deus”, diz papa Francisco

Bartolomeu é a mesma pessoa que Natanael?

O nome de Bartolomeu provavelmente vem do nome aramaico, Bar-Talmai, que significa “filho de Talmai”. Se for esse o caso e este é um nome patronímico (significando um nome que deriva do pai de uma pessoa), é lógico que Bartolomeu teria sido conhecido por outro nome.

Nesse caso, a maioria argumentaria que esse outro nome é Natanael, já que Natanael parece ser um apóstolo no Evangelho de João, e está intimamente associado a Filipe; e o nome Bartolomeu não aparece em João.

Mas outros argumentam que Bartolomeu é um nome autônomo e que o texto grego normalmente representa nomes patronímicos de maneira diferente:

“O nome ‘Bartolomeu’ pode ficar sozinho nas listas apostólicas como um nome próprio. Não é necessariamente um patronímico. O patronímico é normalmente expresso nas listas pelo genitivo grego, não pela barra aramaica.” —Professor Michael Wilkins, Anchor Yale Bible Dictionary

Isso não quer dizer que Bartolomeu também não fosse conhecido como Natanael, apenas que não é necessariamente por isso que ele seria conhecido por dois nomes. Muitos estudiosos modernos preferem adotar uma postura neutra sobre Natanael e Bartolomeu, sugerindo que é possível, mas não verificável.

Se Bartolomeu é Natanael, porém, João nos dá duas passagens adicionais para aprendermos sobre esse discípulo. Quando Filipe conta a Natanael pela primeira vez sobre Jesus, ele é cético:

Leia mais:  Papa Francisco diz que é favorável à união civil entre pessoas de mesmo sexo

“Nazaré! Alguma coisa boa pode vir de lá?” (João 1:46)

Mas depois de ver Jesus demonstrar sua divindade, ele diz:

“Rabi, você é o Filho de Deus; tu és o rei de Israel” (João 1:49)

Perto do final do Evangelho de João, Natanael surge novamente. Desta vez, ele está apenas listado entre sete discípulos que foram pescar (João 21:1-3). Sabemos que vários desses discípulos são pescadores – Pedro, Tiago e João, além de André, se ele for um dos discípulos não identificados na passagem – então Natanael também era pescador ou está apenas aproveitando a oportunidade para aprender um novo ofício.

Como Bartolomeu morreu?

Como a maioria dos apóstolos, Bartolomeu provavelmente foi martirizado. Mas há várias explicações para sua morte.

A mais popular é também o mais horrível: Bartolomeu teria sido esfolado vivo e depois decapitado. A maior parte da arte que retrata os apóstolos inclui alguma iconografia relacionada à sua morte, e por isso Bartolomeu é frequentemente retratado vestindo sua pele, ou nos retratos menos grotescos, segurando uma faca de esfolar.

Outras contas sugerem que ele foi:

– Espancado e depois crucificado.

– Crucificado de cabeça para baixo.

– Crucificado e derrubado antes de morrer, depois esfolado e decapitado.

– Apenas decapitado;

– Espancado e, inconsciente, jogado no mar para se afogar.

Ninguém afirma que ele morreu de velhice ou causas naturais, no entanto.

publicidade

Mundo Cristão

Após ser atacada, Bruna Karla fala a multidão: “Não abra mão de viver o Evangelho”

Publicado

A cantara gospel Bruna Karla virou alvo dos holofotes da grande mídia nas últimas semanas, após declarar em uma entrevista que se recusou a cantar em um “casamento homossexual” a convite de um amigo. Como resultado, diversos famosos atacaram a artista, com parte da imprensa lhe chamando de “homobófica”.

Bruna Karla, contudo, não se mostrou abalada pela intolerância religiosa contra a sua fé. Em vez disso, ela reafirmou para uma multidão de pessoas que foram prestigiar o evento  Louvorsão 93, realizado na Praça da Apoteose no sábado do dia 2, os seus princípios cristãos.

“Como é bom e maravilhoso a Igreja estar reunida adorando Aquele que vive e reina para todo o sempre. E esse amor que a gente sente um pelo outro, que transborda, vem de Deus. É esse amor que nos sustenta, que nos mantêm de pé”, disse a cantora.

Ao ouvir a multidão de pessoas lhe manifestando apoio, com dizeres como “Bruna, eu te amo”, a cantora gospel se emocionou e brincou com o público. “Vocês vão me fazer chorar aqui?”, disse ela.

Leia mais:  'Jamais imaginei que aquilo existisse', diz pastor sobre mensagens deixadas por jovem que matou os pais no ES

Bruna Karla fez o encerramento do evento, que contou com a presença de personalidades do mundo político, como o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro. A cantora argumentou que os cristãos não devem abrir mão na defesa dos seus princípios e valores.

“Este é o tempo em que a Igreja se coloca de pé. Este é o tempo em que a Igreja não depende do que estão falando aí fora. A Igreja depende do Deus vivo. Não abra mão de viver o Evangelho. Não abra mão de ser quem Deus te chamou para ser”, disse Bruna.

O presidente da República, por sua vez, falou sobre a defesa moral que o seu governo faz da família e agradeceu o apoio dos evangélicos. “Agradeço a Deus pela minha segunda vida, a ele também a missão de estar na frente do Executivo Federal”, disse ele.

“E se essa for a vontade dele continuaremos juntos por muito tempo, modificando o nosso Brasil. A todos vocês meu muito obrigado, agradeço o apoio de cada um e termino com aquela [a frase] projetada lá atrás por Silas Malafaia, que com toda certeza será eternizada: ‘Brasil acima de tudo, Deus acima de todos’”, concluiu o presidente.

Leia mais:  Pais testemunham milagre em bebê com coronavírus

Continue lendo

Mundo Cristão

Renomado cientista admite que a ciência não preenche “o vazio em nosso coração”

Publicado

Para quem se dedica a conhecer um pouco do mundo científico atual, não é mais novidade o fato de que a ciência, por si mesma, não traz respostas aos maiores dilemas da vida humana. Essa realidade também foi constatada pelo renomado cientista aeroespacial romeno, Dragos Bratasanu.

O “Dr. Dragos”, como é mais conhecido, já foi nomeado para o prêmio MIT Innovators Under 35 como uma das “mentes mais brilhantes da Europa”. O seu sucesso no mundo científico, contudo, não foi suficiente para preencher “o vazio” em sua vida.

Mesmo sendo um destaque na National Geografic por sua pesquisa junto à NASA (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço), o cientista se viu mergulhado em uma depressão que lhe fez rever todos os seus conceitos sobre o sentido da vida.

“A dor era tão intensa que peguei meu travesseiro e clamei a Deus do fundo do meu coração: Se você é real, eu preciso de você agora”, disse ele em uma entrevista à CBN News.

Leia mais:  “Os prazeres de comer e do sexo vêm de Deus”, diz papa Francisco

Busca por sentido

A necessidade de sentido em sua vida, fez com que o Dr. Dragos buscasse respostas em várias crenças religiosas. Ele ainda não tinha noção de que a fé em Jesus Cristo não é mais “uma” entre muitas, mas sim a revelação da própria verdade acerca de Deus.

Entre idas e vindas em religiões asiáticas e espíritas, ele só veio a ter os primeiros contatos com algo mais sólido do cristianismo quando leu um livro de Katheryn Kuhlman, uma pregadora cristã dos Estados Unidos, a qual faz uma série de relatos de milagres em sua obra.

“Você simplesmente não pode negar as evidências. Eu li que as piores e mais horríveis doenças foram curadas. E entendo que o papel da ciência não é definir o que é possível e o que não é possível, ou dizer o que podemos ou não fazer. O papel da ciência nada mais é do que observar, explicar e entender. É isso”, disse o cientista.

O Dr. Dragos, então, posteriormente foi chamado a entregar a sua vida para Cristo. Como um cientista acostumado a lidar com evidências, ele uniu o seu conhecimento empírico aos fatos ligados à fé, e acabou se convertendo ao Evangelho.

Leia mais:  'Jamais imaginei que aquilo existisse', diz pastor sobre mensagens deixadas por jovem que matou os pais no ES

Com isso, a sua conclusão agora é de que “a ciência e a tecnologia transformaram nosso mundo de maneiras belas e surpreendentes, mas não são suficientes para preencher o vazio em nosso coração.”

“Precisamos sentir o fluir do Espírito de Deus dentro de nós para termos uma vida significativa e com propósito”, diz ele. “Quando você vai até Jesus com o coração aberto, não à igreja, não à religião, mas para uma dimensão mais profunda, sentindo o amor e o poder de Deus, então o céu se abre.”

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana