conecte-se conosco


Segurança

Homem é atacado pelo ex-marido da namorada e quase tem braço decepado por foice

Publicado

Ajudante de pedreiro de 47 anos estava a caminho do trabalho, quando o suspeito saiu de dentro de uma área de vegetação

Um ajudante de pedreiro, de 47 anos, foi atacado pelo ex-marido da namorada e quase teve o braço decepado, após um golpe de foice. O crime aconteceu na manhã desta quinta-feira (18), no bairro Prolar, em Cariacica. A vítima estava trabalhando quando ocorreu o ataque.

O homem saiu de casa ainda durante a madrugada para trabalhar. Era por volta das 5 horas quando, na esquina de casa, o suspeito surgiu do meio do mato e o atacou. Para se defender, ele colocou o braço na frente, que quase foi decepado pela foice usada pelo agressor. 

A vítima pediu ajuda aos vizinhos. A situação era muito delicada e o braço chegou a ficar pendurado até a chegada do Serviço Móvel de Urgência e Emergência (Samu). Segundo testemunhas, o homem ficou mais de uma hora perdendo sangue e a única coisa que conseguia dizer era o nome de quem o atacou.

Uma vizinha contou que viu o suspeito escondido no meio do mato durante toda a noite. As testemunhas afirmam que o ajudante de pedreiro sofreu a tentativa de homicídio porque namora uma mulher de 57 anos e o ex-marido dela não aceita a separação e nem que ela se relacione com alguém. Nos últimos meses, o suspeito já havia aparecido na rua para ameaçar a ex.

Quem conhece o casal afirma que as brigas eram frequentes. Por este motivo, a mulher se mudou da própria casa e a alugou para morar em uma residência que fica no segundo andar, com medo de que o ex pudesse fazer algo contra a vida dela.

A Polícia Civil informou que ocorrência está em andamento no plantão vigente do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Leia mais:  Sesp divulga plano operacional das forças de segurança para Enem
publicidade

Segurança

Preso suspeito de planejar sequestro de vereador do ES

Publicado

Josué Celirio foi encontrado no Rio de Janeiro, no início da noite desta sexta-feira (05), e detido por policiais militares

O suspeito de ser mandante do sequestro do vereador de Brejetuba Antônio Marcos Bonifácio de Souza (Cidadania) foi preso, no início da noite desta sexta-feira (05), no Rio de Janeiro. A prisão foi efetuada por policiais militares. 

Josué Celirio teria planejado o crime para obrigar Antônio da Saúde a renunciar ao cargo de vereador. Nas últimas eleições, o suspeito teve 303 votos e ficou na suplência de Antônio, que foi eleito com 382 votos. “Ele coordenou e planejou essa extorsão mediante sequestro”, afirmou Cláudio Rodrigues Araújo, delegado responsável pelo caso. Josué teve prisão preventiva decretada, mas estava foragido. 

Na última quarta-feira (3), a Polícia Civil do município, com apoio das equipes de Muniz Freire e Domingos Martins, realizou diligências na cidade, mas o suspeito não foi encontrado. Segundo a polícia, quatro pessoas tem envolvimento no crime. Um deles, Ronivon Custodio Patrocínio, de 42 anos, foi detido no dia 25 de fevereiro, no município. Ele tinha um mandado de prisão em aberto por receptação. Ronivon conhecia Antônio, e é suspeito de ter oferecido carona ao vereador, na manhã do dia 17 de fevereiro, para sequestrá-lo. 

A polícia também já identificou que um homem chamado Ricardo Rodrigues, de Mutum, Minas Gerais, foi quem entrou no carro logo depois de Antônio, e fez várias ameaças para que o parlamentar renunciasse ao cargo na Câmara. Diligências também foram realizadas em Mutum, mas o suspeito não foi localizado. O quarto participantes do sequestro ainda não foi identificado. Segundo o delegado, o parlamentar ficou cerca de cinco horas nas mãos dos suspeitos e, depois de assinar um documento renunciando ao posto de vereador, foi deixado na região de Viana. 

Entenda o caso

Antônio da Saúde contou à polícia que foi sequestrado no dia 17 de fevereiro, no município. O caso teria ocorrido enquanto ele se dirigia à Câmara para uma reunião. Ele relatou que foi levado por dois homens para uma região rural e, sob ameaças, obrigado a assinar um documento renunciando ao cargo de vereador. Depois, foi deixado em Viana.

“Foi uma grande tortura psicológica, ele estava com arma apontada pra cabeça o tempo todo. Ainda tiveram a audácia de mandar ele ligar pra Câmara e confirmar que enviaria alguém para entregar o documento no local comunicando a renúncia”, informou fonte que não quis se identificar.

Leia mais:  Detran-ES dá orientações para trânsito mais seguro no Carnaval
Continue lendo

Segurança

Homem que estuprou e engravidou sobrinha de 10 anos no ES é condenado a 44 anos de prisão

Publicado

VITÓRIA – O homem de 33 anos, acusado de estuprar a sobrinha de 10 anos em São Mateus, norte do Espírito Santo, foi condenado a 44 anos, três meses e cinco dias de prisão. De acordo com o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES), a sentença foi proferida no início de fevereiro. Mais detalhes não foram repassados, uma vez que este caso se encontra em segredo de Justiça.

A defesa do acusado disse não concordar com a sentença e que irá recorrer. “Respeitamos todas as decisões do Poder Judiciário, mas não concordamos. Já impetramos o recurso de apelação. Entendemos que alguns elementos, alguns requisitos que foram trazidos na sentença, que foram colocados como o quantitativo de pena, a defesa não concorda. Vamos em busca de uma sentença justa”, afirmou o advogado Antônio Hortêncio.

Ele não quis informar em qual presídio o homem está preso, por questões de segurança. “Em relação ao cliente, está no presídio e está bem. Vamos conversar com ele sobre a sentença. Fomos intimados na quarta-feira (24 de fevereiro) e não deu tempo de conversar com ele com a sentença”, contou o advogado.

Estadão entrou em contato com a defesa da família da vítima. Entretanto, o advogado responsável pelo caso disse que, por enquanto, não irá se pronunciar.

Relembre a história

No início de agosto de 2020, a menina, então com 10 anos, reclamou de dores na barriga e procurou um médico. Em um hospital de São Mateus, a gravidez foi diagnosticada. O caso repercutiu nacionalmente após o TJ-ES liberar que a vítima fizesse um aborto para retirar o feto. Na época, a garota estava grávida de três meses aproximadamente.

Na decisão judicial que autorizou a interrupção da gravidez, foi determinado que o procedimento fosse realizado no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam). Entretanto, o hospital não fez o procedimento e alegou “questões técnicas” na recusa. A criança, então, foi transferida para o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam-UPE), em Recife, Pernambuco, onde conseguiu ser atendida na noite do dia 16 de agosto. A garota, acompanhada da avó, teve de chegar e entrar no hospital escondida. Do lado de fora, um grupo de manifestantes contrário ao aborto protestou contra a decisão da Justiça de conceder a interrupção da gravidez.

Depois da realização do aborto e do retorno da vítima para o Espírito Santo, o Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) denunciou a extremista de direita Sara Giomini por ter divulgado dados pessoais da vítima nas redes sociais. O MP também denunciou um pré-candidato a vereador de São Mateus, do PSL, que teria pressionado a família da garota a não aceitar a realização do aborto. Essa suposta “pressão” exercida por algumas pessoas contra a criança e parentes também estava na mira do MP capixaba.

O tio, acusado do estupro, fugiu e foi preso em Minas Gerais. Ele estava na casa de familiares em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e se entregou à Polícia.

Leia mais:  Detran-ES dá orientações para trânsito mais seguro no Carnaval
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana