conecte-se conosco


Cidades

‘I Início da Colheita do Café Arábica’ é realizado em Dores do Rio Preto

Publicado

O município de Dores do Rio Preto recebeu o “I Início da Colheita do Café Arábica”, nessa terça-feira (24). O evento foi realizado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e pela Prefeitura de Dores do Rio Preto, marcando o Dia Nacional do Café, com a participação de mais de 300 pessoas. A programação do evento incluiu o Dia Especial “Qualidade e Sustentabilidade na Cafeicultura”, com três estações ministradas por servidores do Incaper e do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf).

O “I Início da Colheita do Café Arábica” foi realizado na comunidade Forquilha do Rio, no Sítio da Família Protázio. O evento contou também com uma palestra técnica sobre “Novas cultivares de café arábica: produtividade e qualidade”. A previsão de safra do café arábica para 2022 é de 4,2 milhões de sacas, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Estiveram presentes no evento a vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes; o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Mário Louzada; o diretor-presidente do Incaper, Lázaro Raslan; o prefeito de Dores do Rio Preto, Cleudenir José de Carvalho Neto, o Ninho; entre outros.

“Como estamos numa região que tem o café como símbolo, lembrei de um ditado que diz que tem duas coisas na vida que não podem esfriar, a fé e o café, e a fé me acompanha sempre no exercício do mandato. Aqui, vejo que os produtores da região produzem o melhor café arábica do Espírito Santo, porque fazem com amor e aí não importa a cotação, sempre sai o bom produto. Viva o café do Caparaó! Viva o Caparaó”, pontuou a Jacqueline Moraes.

Leia mais:  Biblioteca Pública do Espírito Santo recebe doação de mangás pelo Consulado Japonês

O diretor-presidente do Incaper, Lázaro Raslan, ressaltou que o Incaper fomenta o trabalho com o café arábica focado em qualidade. “Nesta região de Dores do Rio Preto, em Pedra Menina e Forquilha do Rio, há um importante desenvolvimento do agroturismo com o café. O Incaper tem o objetivo de atuar ainda mais nessa área, associando o café ao agroturismo para que a renda do produtor seja cada vez maior”, destacou.  

“Já investimos muito na infraestrutura rural para o fortalecimento da agricultura familiar capixaba. Realizamos diversas entregas, como equipamentos agrícolas que auxiliam o produtor na hora da colheita do café e no transporte. O café arábica é a principal fonte de renda em 80% das propriedades rurais e é um desafio produzir para um mercado tão exigente. Mas com as tecnologias recomendadas pelo nosso Incaper, podemos vencer qualquer desafio e continuar sendo referência mundial na produção dos grãos”, disse o secretário de Estado da Agricultura, Mario Louzada.

O coordenador de Cafeicultura do Incaper, Abraão Carlos Verdin, explicou que a safra do café arábica deste ano teve condições favoráveis para um bom desenvolvimento dos grãos. “O clima foi favorável. Tivemos bons períodos de chuva e a granação foi boa. Não temos uma supersafra, mas temos uma safra que o produtor chama de uma safra cheia, com qualidade porque os tratos culturais foram efetuados, a nutrição do cafeeiro foi bem feita e o fator climático nos ajudou aqui no Espírito Santo. Este ano, possivelmente nós vamos ter uma safra com um bom peso, com boa peneira e um grão de café de boa qualidade”, salientou Verdin.

Leia mais:  Calado dinâmico amplia eficiência e segurança na manobra de navios no Portocel

Emanuel Protazio, cafeicultor e anfitrião do evento, comentou sobre a satisfação de receber na região o evento do início da colheita do café. “A coroação de todo o nosso trabalho é a visita de todos. Agradecemos todo o trabalho dedicado à nossa comunidade e a todos que confiam e acreditam no nosso trabalho”, disse. 

publicidade

Cidades

Banestes lança laboratório próprio de inovação com foco no mercado capixaba

Publicado

Na tarde dessa quarta-feira (29), foi oficialmente lançado o hub de inovação do Banestes, chamado de Baneshub. O laboratório terá uma sede física, com instalações na Enseada do Sua, em Vitória, com capacidade para cerca de 90 pessoas trabalharem em diferentes projetos de inovação e também com espaço para realização de eventos, treinamentos, pílulas de inovação, dinâmicas, dentre outras atividades.

Recentemente, a área passou a integrar a diretoria de Tecnologia da instituição, vinculada à gerência de dados e de inovação, sob o comando do diretor Tasso Lugon. Desde então, o projeto de concretizar a existência de um laboratório de inovação próprio do Banestes pôde se concretizar.

O diretor-presidente do Banestes, Amarildo Casagrande, reforçou que esse é mais um importante marco na história de 85 anos do Banestes. “Pela primeira vez, o banco dos capixabas passa não só a integrar o ecossistema de inovação como também a ser uma referência, com a existência do seu próprio hub e desenvolvimento de atividades próprias que irão proporcionar a expansão dos negócios, novas parcerias com startups e fintechs, amplitude aos processos de digitalização, entre outras oportunidades. Nós temos trabalhado internamente em prol do fortalecimento da cultura de inovação, e o lançamento do Baneshub é fruto do trabalho de diversas pessoas e equipes que se conectaram, desde 2019, ao desafio proposto. Uma grande vitória para todo o time Banestes”, ressaltou.

Leia mais:  Vereador de Iconha renuncia para ser caminhoneiro: “Estou mais feliz assim”

O lançamento aconteceu com a realização de um evento de apresentação, na sede do hub de inovação de engenharia e construção capixaba, o Base27, que tem parceria firmada com o Banestes. Participaram do evento a diretoria do Sistema Financeiro Banestes, convidados e lideranças de áreas diversas do banco.

Durante a apresentação da nova iniciativa do banco, o diretor de Tecnologia, Tasso Lugon, destacou ainda que o objetivo não é exclusivo à digitalização, e sim, ao movimento de transformação digital com foco na melhoria da experiência do cliente. “A área de inovação, apesar de vinculada à diretoria de tecnologia do Banestes, não visa somente à transformação digital. Os meios digitais, com o avanço tecnológico, permitem que o Baneshub seja um ambiente que vai fomentar a inovação para toda a estrutura do banco, cooperando com o desenvolvimento e evolução de novos serviços e também com frentes de análise de dados, que irão garantir uma experiência ainda melhor aos clientes, que visam suas necessidades reais. A transformação digital faz parte desse processo, mas o centro da inovação permeia também o contato humano, as necessidades primordiais dos clientes, as facilidades e benefícios que podemos agregar ao dia a dia dos capixabas”, disse Lugon.

Leia mais:  Ordem de serviço: nove bairros receberão obras de infraestrutura em Vila Velha

Também realizaram apresentações a gerente de Dados e Inovação do Banestes, Camila Zacche, e Francisco Carvalho, um dos criadores do Base 27. Camila Zacche apresentou detalhes dos projetos e principais iniciativas que serão desenvolvidas com o início das atividades. “É importante olharmos para dentro, para incentivarmos a cultura de inovação, mas também é importante reforçarmos o nosso olhar para fora, para as necessidades dos clientes, com foco na transformação inovadora vinculada ao digital. A utilização de dados propicia tomadas de decisão que geram valor e, portanto, aperfeiçoamento do relacionamento com o cliente. Com isso, vamos desenvolver projetos como digitalização de documentos, desburocratização, faq inteligente, novos canais de comunicação interna com foco em inovação, e outros. Estamos inseridos no ecossistema de inovação e temos excelentes parceiros para o desenvolvimento das iniciativas”, enfatizou a gerente.

Continue lendo

Cidades

Banestes realiza nova edição do Feirão Acordo Fácil

Publicado

Começa nesta sexta-feira (1º) mais uma edição do Feirão Acordo Fácil Banestes. Os clientes terão acesso a descontos de até 100% em juros, correção e multa, além do parcelamento da dívida em até 120 meses. É a melhor condição para renegociação de dívidas da história da instituição.

A ação vai ocorrer com atendimento presencial nas agências e de forma on-line, pelo site Banestes. O cliente deve acessar o menu “Créditos” e escolher a opção “Renegociação de Dívidas”, ou clicar direto no link www.banestes.com.br/feiraoacordofacil. Após preencher o formulário, o usuário receberá retorno pelo telefone ou endereço de e-mail informado para negociação.

Podem solicitar a renegociação clientes pessoa física ou jurídica, com dívidas judicializadas ou não. O Banco se disponibiliza a avaliar a concessão de até 100% de desconto em todos os juros, correção e multa, além de definir um novo prazo de parcelamento da dívida, que pode chegar a 120 meses. É importante lembrar que os descontos são sempre maiores para quem decide pagar à vista.  

Leia mais:  Ordem de serviço: nove bairros receberão obras de infraestrutura em Vila Velha

Podem ser renegociados todos os produtos oferecidos pelo Banestes. Por exemplo, contratos de antecipação de Imposto de Renda, crédito pessoal, microcrédito, antecipação do 13º salário, cheque especial e cartão de crédito.

É necessário que a dívida não ultrapasse o valor de até R$ 500 mil para clientes pessoa física (PF) e R$ 1 milhão para clientes pessoa jurídica (PJ). Em ambos os casos, o atraso precisa ser superior a 60 dias. O Feirão Acordo Fácil vai até 30 de setembro.

Serviço:

Feirão Acordo Fácil Banestes

  • Período: de 1º de julho a 30 de setembro.
  • Públicos-alvo: pessoas físicas ou jurídicas, com dívidas judicializadas ou não, com valor de até R$ 500 mil para clientes PF e de até R$ 1 milhão para clientes PJ, e com atraso superior a 60 dias.
  • Benefício: condições diferenciadas de negociação, como até 100% de desconto em todos os juros, correção e multa, além de opções de parcelamento em até 120 meses.
  • Link para renegociação: www.banestes.com.br/feiraoacordofacil

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana