conecte-se conosco


Brasil

Idosos casados há 57 anos morrem de Covid-19 no mesmo dia

Publicado

Roberto Küne estava internado com coronavírus e morreu aos 82 anos nesta segunda-feira (30). A esposa, Magally Küne, de 79, que também estava internada com a doença, morreu uma hora depois.

Casados havia 57 anos, Roberto Küne, de 82, e Magally Küne, de 79, morreram de Covid-19 em Taubaté (SP), nesta segunda-feira (30), com apenas uma hora de diferença um do outro. Eles estavam internados fazia 15 dias.

“Minha mãe não conseguia ficar triste de estar internada, porque ela queria ficar com meu pai. Eles não se separavam de forma nenhuma”, conta Patrícia Küne, filha do casal.

Patrícia conta que os pais estavam tomando os cuidados para não se contaminar com o coronavírus, mas a mãe seguia trabalhando. A família gerencia uma casa de massas há mais de 20 anos na avenida Independência. Com a reabertura do comércio, Magally manteve o espaço funcionando, mas com restrições.

Ela e o marido foram diagnosticados em 14 de novembro e hospitalizados juntos, mas a mãe foi liberada horas mais tarde. No dia seguinte, com a piora no quadro, ela teve de retornar ao hospital, onde permaneceu internada.

Patrícia conta que, durante o isolamento no hospital, Magally e Roberto foram deixados juntos e faziam chamadas para a família.

A última mensagem da mãe para a filha foi enviada quando o quadro do pai, que tinha comorbidades, se agravou e ele teve de ser transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Ela só me disse que queria ir lá com ele, que não queria ficar longe. Depois dessa mensagem, ela piorou e precisou de equipamentos para respirar. E então foi levada com ele para a UTI”, relembra.

Casal morre de Covid-19 em Taubaté; Roberto e Magally estavam juntos há 57anos — Foto: Arquivo Pessoal/Patrícia Küne

A família teve de acompanhar o casal de longe, com as restrições de visita por causa da Covid. Nesta segunda, o hospital chamou a família para comunicar que Roberto havia falecido e que uma hora depois a mãe também não resistiu e morreu.

“Ela não o deixava, e não deixou nem neste momento. Está doendo muito, mas temos consolo em saber que os dois estiveram juntos até o fim”, afirma Patrícia. O casal deixa outros dois filhos e cinco netos.

Neste momento de luto, Patrícia alerta para a importância de se reforçar o cuidado diante da pandemia.

“As pessoas precisam se cuidar, por elas e pelos demais. Ao menor dos sintomas, não saiam de casa. Às vezes, pensamos que com a gente não vai acontecer, mas acontece.”

Leia mais:  Agricultura libera o registro de mais 36 defensivos agrícolas
publicidade

Brasil

Mãe de Henry Borel fez selfie quando foi prestar depoimento

Publicado

Monique Medeiros Costa e Silva de Almeida, de 32 anos, mãe do menino Henry Borel, fez selfie com seu celular quando foi prestar depoimento na Polícia Civil do Rio de Janeiro, após a morte de seu filho.

No dia do seu depoimento, a mãe de Henry fez uma selfie em que aparece relaxada, com os pés sobre uma cadeira, e ensaiando um leve sorriso ao lado de um homem.

A imagem foi resgatada do celular de Monique, que está em poder da polícia.

Segundo apontou a polícia, as semanas seguintes após a morte de Henry Borel revelaram um lado frio da mãe do menino, suspeita de envolvimento no episódio.

Além da selfie na delegacia, a mãe de Henry, que é professora, após o enterro do filho foi a um salão de beleza no shopping Metropolitano, na Barra da Tijuca, próximo de onde mora. Monique fez as unhas das mãos, dos pés e escovou os cabelos gastando R$ 240.

Essa frieza também se manifestou, nesta quinta-feira, 8, quando Monique foi presa ao lado do namorado, o vereador Dr. Jairinho. A prisão preventiva foi determinada após a polícia constatar que o casal suspeito agiu para atrapalhar as investigações sobre a morte de Henry.

Segundo apuração da revista Época, desde o momento em que foi presa até o trajeto para a 16ª DP, na Barra da Tijuca, ela não chorou.

Leia mais:  Garantia-Safra: agricultores receberão R$ 27,3 milhões em auxílio até maio
Continue lendo

Brasil

Novo recorde: Brasil confirma 4.249 mortes por covid-19 em 1 dia

Publicado

O Ministério da Saúde confirmou mais 4.249 mortes por covid-19 nesta 5ª feira (8.abr.2021). É o máximo já registrado em 1 dia desde o início da pandemia.

Foi a 2ª vez que o número ficou acima de 4.000. A marca já tinha sido registrada na 3ª feira (6.abr.2021), quando 4.195 pessoas morreram em 24 horas.

Pelo menos 13.279.857 brasileiros foram diagnosticados com covid-19 e 345.025 morreram pela doença até as 17h30 desta 5ª feira (8.abr). As autoridades confirmaram mais 86.652 diagnósticos.

O Ministério da Saúde também contabiliza 11.732.193 pessoas recuperadas e 1.202.639 em acompanhamento.

MORTES PROPORCIONAIS

O Brasil tem 1.617 vítimas de covid-19 por milhão de habitantes. Apenas o Nordeste está abaixo da média nacional. Na análise por Estados, apenas o Maranhão tem menos de 1.000 vítimas por milhão.

O Brasil ocupa a 16ª posição no ranking mundial. Passou o Peru nesta 5ª feira (8.abr), 1 dia depois de também ultrapassar a Rússia. O vírus é mais letal na República Tcheca: mata 2.561 por milhão de habitantes.

VACINAÇÃO

O Brasil aplicou a 1ª dose de vacinas contra a covid em 22.081.476 pessoas até as 16h43 desta 5ª feira (8.abr). Dessas, 6.323.191 receberam a 2ª dose. Ao todo, foram 28.404.667 doses administradas no país.

 

Leia mais:  Governo anuncia R$ 40 bilhões para micro e pequenas empresas

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana