conecte-se conosco


Política e Governo

Iema assina acordo de cooperação técnica para proteção das Unidades de Conservação Monast e REBio

Publicado

O Governo do Espírito Santo, por meio do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), e a Vale assinaram, nesta quinta-feira (03), um acordo de cooperação técnica para apoio nas atividades de proteção ecossistêmica de duas Unidades de Conservação (UCs) de proteção integral. As UCs beneficiadas serão o Monumento Natural Estadual Serra das Torres (Monast), que fica em Atílio Vivácqua, Mimoso do Sul e Muqui; e a Reserva Biológica Duas Bocas (REBio Duas Bocas), localizada no município de Cariacica.

O acordo tem vigência de cinco anos, período no qual os mais de 13 mil hectares, somando-se as áreas das duas unidades, serão beneficiados com investimentos de cerca de R$ 6,2 milhões. Serão, em média, R$ 1,3 milhão por ano, sendo cerca de R$ 1 milhão aportados no Monast e R$ 300 mil na REBio.

Para o governador Renato Casagrande, o Estado pode se tornar referência também na preservação ambiental. “O Espírito Santo é referência em muitos assuntos, como na gestão fiscal e na educação. Podemos ser também referência na área ambiental. Para isso, a participação das grandes empresas é fundamental. Temos programas na área de recursos hídricos e ambiental”, disse.

Os valores, oriundos da empresa, serão investidos gradualmente na proteção da biodiversidade das UCs, para garantir a disponibilidade dos recursos necessários (material e pessoal) para a prevenção e combate aos incidentes; garantir equipes preparadas para atendimento aos diversos cenários possíveis; resguardar a floresta da exploração predatória e realizar ações de prevenção e combate à caça, ao roubo de madeira, à coleta de recursos botânicos e à ocorrência de incêndios.

“A Vale tem um compromisso de preservação, dentro de sua Meta Florestal, que é recuperar e proteger 500 mil hectares de áreas até 2030. Dentro desse total, 400 mil hectares são em UCs em locais onde a empresa tem suas atividades, por isso, nossas Unidades foram contempladas. São recursos importantes para a gestão e a proteção da biodiversidade em cada uma delas”, afirmou o gerente de Recursos Naturais do Iema, José de Aquino Machado Júnior.

Além disso, a empresa também fornecerá ao Iema o Sistema de Gestão Integrada de Áreas Protegidas (SGIAP), um software para armazenar, organizar e a integrar dados de áreas ambientais. Esse sistema já é usado na Reserva Natural Vale (RNV), em Linhares, e na Reserva Biológica de Sooretama, sob gestão do ICMBio. “Por meio dele, será possível concentrar em um só lugar o controle de patrimônio e manutenção, a disponibilidade de recursos e diversos dados como, por exemplo, se houve focos de queimadas, pesquisas e afins nas UCs”, explicou o gerente.

A partir desses dados, os gestores poderão desenvolver estratégias mais eficazes para contribuir com a conservação da biodiversidade do Monumento Natural Estadual Serra das Torres e da Reserva Biológica Duas Bocas.

“Em 2020 reafirmamos nosso compromisso de ajudar a conter o avanço do aquecimento global, causado pela emissão de gases de efeito estufa. Estabelecemos a meta de chegar a 2050 como uma empresa carbono neutra. Isso significa reduzir não só as nossas emissões como influenciar nossa cadeia de valor”, declarou o diretor-executivo de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da Vale, Luiz Eduardo Osorio.

“Estamos avançando com iniciativas concretas, e a Reserva Natural Vale terá papel fundamental em nossa meta de recuperar e proteger além das nossas fronteiras e do que já protegemos hoje. Atualmente, protegemos ou ajudamos a proteger cerca de 51 mil hectares de áreas florestais no Espírito Santo. É com esse propósito que formalizamos o acordo de cooperação técnica com o Iema para proteção dessas duas unidades de conservação”, completou Osorio.

Leia mais:  Voluntários em eleições terão isenção em concursos
publicidade

Política e Governo

Estado começa a receber compensações da Lei Kandir

Publicado

O Governo do Estado recebeu, nesta quarta-feira (20), R$ 115 milhões do Governo Federal a título de compensação pela Lei Kandir. Este pagamento é relativo ao ano de 2020 e a expectativa é que ainda este mês chegue a parcela que diz respeito a janeiro de 2021, equivalente a R$ 11,99 milhões.

Ao longo de 2021 o Estado deve receber R$ 144 milhões. Desse total, cerca de R$ 108 milhões (75%) ficam com o Governo do Estado e R$ 36 milhões (25%) vão ser divididos com as administrações municipais, seguindo o Índice de Participação dos Municípios (IPM).

De acordo com a Lei Complementar 176/20, entre 2020 e 2037 o Governo Federal irá repassar R$ 58 bilhões para estados e municípios para compensar as perdas por desoneração de exportações. Dos R$ 58 bilhões, R$ 4 bilhões serão entregues a cada ano entre 2020 e 2030. De 2031 a 2037, os valores vão diminuindo R$ 500 milhões ao ano.

O secretário de Estado da Fazenda em exercício, Bruno Pires Dias, destaca a importância desse ressarcimento feito pelo Governo Federal. “A Lei Kandir gerou um grande débito da União para com os Estados. A compensação que começa a ser paga pelo Governo Federal põe fim a uma situação que se arrasta por décadas”, avalia.

Leia mais:  Guerino Zanon lidera pesquisa em Linhares
Continue lendo

Política e Governo

Governo do Estado inaugura novo acesso à região de Santo Antônio pela Segunda Ponte

Publicado

Atenção motoristas que chegam a Vitória pela Segunda Ponte: A região ganhou um novo acesso para a região de Santo Antônio. Foi liberado nesta quarta-feira (20) o trânsito de uma nova pista na descida da ponte. Antes o motorista precisava acessar a Ponte Seca para fazer o retorno para Santo Antônio. Com a liberação da nova pista, os motoristas já podem fazer o retorno acessando a nova alça, já na descida da Segunda Ponte, pela faixa da esquerda.


As intervenções fazem parte das obras do Portal do Príncipe que estão em andamento na Capital e atualmente contam com diversas frentes de trabalho, avançando dentro do cronograma e sem a necessidade de interdição de vias nos horários de pico. Um muro está em fase avançada de construção na área desapropriada ao lado da Avenida Alexandre Buaiz. Ele servirá de sustentação para as novas faixas que serão implantadas na avenida, dobrando a capacidade da via.


As obras do Portal do Príncipe são um conjunto de intervenções viárias que vão melhorar o trânsito na chegada à Capital pela Segunda Ponte. Ao todo, o investimento será de R$ 42 milhões. O prazo para execução das obras termina em novembro deste ano. A área do Portal é de 95.674 metros quadrados.

Durante a liberação do novo acesso, o governador Renato Casagrande destacou que a intervenção vai repercutir positivamente na redução do gargalo no trânsito da região.

“Estamos abrindo esse acesso direto para as regiões de Santo Antônio e São Pedro. Já ficou muito bonito até aqui, qualificando uma parte das obras do Portal do Príncipe, que já está com 40% das intervenções concluídas. Vamos ampliar de duas para seis faixas na Avenida Alexandre Buaiz, dando fluxo a quem vem de Vila Velha e Cariacica, reduzindo o gargalo que temos todas as manhãs logo cedo. Também vamos qualificar toda essa região, com a implantação de áreas de lazer e esporte para que a comunidade possa desfrutar e conviver entre si. Teremos um ambiente muito melhor para quem chega a Vitória e para quem mora aqui”, afirmou Casagrande.

O Portal do Príncipe é uma das obras prioritárias do Governo do Estado na área da mobilidade e vai beneficiar tanto quem chega a Vitória via Segunda Ponte quanto a comunidade que mora ou frequenta a região.

Além da implantação e alargamento de vias, as obras contemplam também uma reconfiguração urbanística do local, com uma nova iluminação, implantação de praças, quadras poliesportivas, parquinho, academia ao ar livre etc. Também serão realizadas melhorias nos acessos e saídas do Porto de Vitória.

Melhorias previstas:

Leia mais:  Coser lidera e segundo lugar está indefinido dentro da margem de erro em Vitória

– Implantação e alargamento de vias;
– Implantação de rede subterrânea de cabeamento;
– Nova iluminação pública;
– Pavimentação e drenagem;
– Nova sinalização de trânsito com instalação de semáforos inteligentes, para a melhor fluidez do trânsito;
– Melhorias nos acessos e saídas do Porto, permitindo a operação 24 horas;
– Ponte Seca passa a ser exclusiva para pedestres;
– Novas calçadas e ciclovias;
– Urbanização de áreas remanescentes, com a implantação de quadras poliesportivas, pista de skate, áreas de lazer, parquinho, academia ao ar livre, bicicletário, pista de caminhada, sanitários e uma nova urbanização.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana