conecte-se conosco


Mundo Cristão

Igreja se une a projeto social liderado por Michelle Bolsonaro para ajudar pessoas

Publicado

Em meio à pandemia do novo coronavírus, muitas igrejas se mobilizaram em trabalhos de ação social, visando auxiliar famílias que foram diretamente afetadas por causa do longo período de quarentena.

A igreja evangélica Assembléia de Deus de Campinas, por exemplo, em São Paulo, realizou um mutirão para atender a várias famílias. Para isso a denominação contou com o apoio de empresários, membros e entidades públicas, reunindo os esforços das 170 congregações da região.

O pastor presidente, Paulo Freire, mobilizou todas as filiais do campo para fazer recolhimentos e montar cestas básicas.

Além das cestas básicas, eles também conseguiram materiais de limpeza e de higiene pessoal. A igreja também fez parceria com o SESI/SENAI para a distribuição de várias quentinhas a pessoas que se encontram na linha da extrema pobreza.

A ministra Damares Alves, junto com a esposa do presidente da República, Michelle Bolsonaro, também se envolveu na ação, propondo às Assembleias de Deus um trabalho mais intenso.

Foi proposta uma parceria entre a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), representada pelo pastor presidente José Wellington Costa Junior, e a igreja do pastor Paulo Freire Costa, líder da AD em Campinas.

A ideia é unir esforços através dos projetos Pátria Voluntária e o Programa Todos por Todos, de iniciativa pública e participação popular, os quais têm a finalidade de prestar assistência a crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência, além de hospitais.

O pastor Paulo Freire, motivado com o trabalho, convidou outros pastores para participar desse desafio.

Em momentos como esse, onde a sociedade enfrenta um problema que afeta a todos, mas em especial os mais pobres, é muito importante o envolvimento da igreja no serviço de assistência.

Independentemente da classe econômica e até mesmo da religião, todos sofreram com os impactos da economia e por isso agora encontram em iniciativas dessa natureza a chance de contribuir para o bem do próximo.

Como resultado da parceria entre o Estado e as igrejas, foram arrecadadas e distribuídas 9.500 cestas básicas, além de kits de limpeza e refeições que já alimentaram quase 29 mil pessoas por mês, segundo o CPAD News. 

Leia mais:  Pandemia: Califórnia proíbe cristãos de louvarem a Deus durante cultos
publicidade

Mundo Cristão

‘Bíblia Manuscrita’ será lançada nesta terça no Templo de Salomão

Publicado

Cópia do Livro Sagrado começa a ser escrita hoje. Bispo Edir Macedo será o primeiro a escrever uma das passagens Bíblicas

Nesta terça-feira (7), às 17h, no Memorial das Doze Tribos de Israel, localizado no Jardim Bíblico do Templo de Salomão, será lançada a Bíblia Manuscrita, uma cópia do Livro Sagrado que começa a ser escrita hoje e será produzida de modo colaborativo por mais de 30 mil pessoas, cada uma transcrevendo um dos seus versículos. O Bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal, será o primeiro a participar, escrevendo de próprio punho uma das passagens Bíblicas. A obra é uma iniciativa da Unigrejas (União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos). 

Lideranças evangélicas e autoridades serão convidadas para participar da produção da Bíblia Manuscrita. Os versículos serão copiados em páginas em branco que v]ao ser distribuídas pela Unigrejas em todo o Brasil. A ação terá início em todas as capitais, simultaneamente.

“A Bíblia é um livro que fala de Fé, esperança, de perdão, de amor ao próximo e de tolerância”, explica o presidente da Unigrejas, Bispo Eduardo Bravo. “É difícil acreditar que um livro como esse esteja sendo tão bombardeado, inclusive com leis criadas para impedir a presença da Bíblia em bibliotecas e em lugares públicos”, comenta.

“A partir dessa situação, desse combate que está ocorrendo contra a Bíblia, surgiu a ideia de chamar a atenção para o Livro Sagrado e mostrar a todos que a Bíblia é uma obra atual. Aqueles que leem essa Palavra adquirem sabedoria, porque recebem instrução de uma obra inspirada por Deus.”

A edição da Bíblia Manuscrita terá o apoio e a supervisão da Sociedade Bíblica do Brasil, uma entidade sem fins lucrativos.

Depois de concluída a cópia, o volume será encadernado e exposto ao público.

“Nosso objetivo é chamar a atenção das pessoas para a Bíblia. Busca-se o conhecimento em faculdades e em livros, mas a Bíblia é a verdadeira fonte da sabedoria”, conclui o presidente da Unigrejas.

Agenda – Lançamento da Bíblia Manuscrita

Data: terça-feira (7)
Horário: 17h
Local: Memorial das Doze Tribos de Israel, localizado no Jardim Bíblico do Templo de Salomão. Av. Celso Garcia, 605 – Brás, São Paulo (SP)

Leia mais:  Pandemia: Califórnia proíbe cristãos de louvarem a Deus durante cultos
Continue lendo

Mundo Cristão

Frequência à igreja cai e congregações lutam para encontrar voluntários

Publicado

A pandemia de Covid-19, ainda em andamento, está afetando os hábitos das pessoas em relação à frequência à igreja no Reino Unido

Isso é o que diz a Aliança Evangélica do Reino Unido (EAUK, sigla em inglês) em seu relatório “Changing Church” (Igreja em Mudança, em tradução livre) publicado em novembro de 2021. Cerca de 1.600 membros da igreja e 550 líderes da igreja do Reino Unido participaram da pesquisa.

Quase todas as igrejas, diz o relatório, voltaram às reuniões pessoais semanais (95%). Mesmo assim, 6 em cada 10 igrejas decidiram continuar a oferecer algum tipo de serviço online (abaixo dos 84% ​​no outono de 2020, quando as restrições eram maiores).

“A participação presencial caiu de uma média de 124 participantes antes da Covid para 85 no outono de 2021” no Reino Unido. O número de entrevistados dizendo que frequentam os cultos da igreja pessoalmente em uma base semanal também caiu, de 92% antes da crise da Covid-19 para 68% agora.

“De acordo com nossa amostra de membros da igreja, uma grande proporção reduziu a regularidade de sua frequência à igreja de semanal para uma ou duas vezes por mês”.

Um número ainda alto de 23% dos cristãos comprometidos pesquisados ​​dizem que participam de alguma forma de atividades da igreja online uma vez por mês.

Mas 13% dizem que não vão mais à igreja que frequentavam antes da pandemia. “9% estão frequentando uma igreja diferente pessoalmente, 2% estão frequentando uma igreja diferente online”, diz o relatório.

Menos voluntariado

6 em cada 10 líderes de igreja pesquisados ​​dizem que perceberam “uma diminuição no voluntariado em sua igreja”. 3 em cada 10 membros da igreja admitem que passam menos tempo servindo no contexto da igreja, em contraste com 5 em cada 10 que dizem que seu tempo dedicado ao serviço não mudou.

Entre as possíveis razões para a queda do número de voluntários estão: “voluntários que veem a Covid-19 como uma oportunidade de ‘se aposentar’” ou “voluntários que perderam o hábito de frequentar a igreja e outros hábitos o substituíram”.

Doações financeiras para a comunidade da igreja também sofreram uma queda nos últimos dois anos. Enquanto 15% dos líderes da igreja relataram um aumento nas doações financeiras, 60% descreveram uma diminuição .

Ministérios de crianças e jovens

Os ministérios de jovens e crianças também sofreram. 24% das igrejas que ofereciam ministério para jovens antes da pandemia não estão mais oferecendo.

Quando questionados sobre o ministério infantil, 19% das igrejas não estão mais oferecendo devido à crise da Covid-19. Outro relatório recente focado no trabalho com crianças nas igrejas também pinta um quadro negativo do impacto da pandemia. “O ministério com crianças não foi tão priorizado como o ministério com adultos”, concluíram.

Leia mais:  Evangélicos estão mais otimistas e apoiam condução de Bolsonaro durante crise
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana