conecte-se conosco


Cidades

Incaper e Idaf retomam atendimento presencial em alguns municípios

Publicado

As unidades do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf)  vão retomar o atendimento presencial em vários municípios capixabas. A medida passa a valer a partir da próxima segunda-feira, 04 de maio. As atividades estavam sendo desenvolvidas remotamente, em função das medidas de prevenção ao novo Coronavírus.

De acordo com o diretor-presidente do Incaper, Antonio Carlos Machado, em nenhum momento as atividades foram paralisadas. “Todos os trabalhos do Incaper foram mantidos, tanto nas unidades do interior quanto na Sede. Foram feitos atendimentos remotos, criadas escalas de revezamento e adotadas diversas medidas para que os resultados de pesquisa, assistência técnica e extensão rural chegassem às mãos dos agricultores. Continuamos seguindo as diretrizes do Governo do Estado pra que este retorno seja gradual, em função do mapa de risco. Munidos de todas as precauções e insumos necessários, vamos aos poucos retomando a normalidade, preservando a vida e o bem-estar tanto dos servidores quanto das famílias rurais capixabas”, explicou.

No Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf), os atendimentos também devem voltar à normalidade. “O trabalho do Idaf é essencial, por isso não encerramos as nossas atividades e continuamos realizando atendimento aos produtores rurais, bem como a realização do nosso serviço de fiscalização que promove a segurança dos alimentos de origem animal e vegetal que chegam à mesa dos capixabas”, disse Mário Louzada, diretor-presidente do Idaf.

Ainda segundo Louzada, o Idaf seguiu as diretrizes do Governo do Estado como o revezamento de servidores por escala, e o trabalho remoto para continuar com o funcionamento do instituto. “Agora iremos voltar com o atendimento normalizado nos municípios que apresentaram menos risco de proliferação do Novo Coronavírus. Todos os nossos servidores irão continuar recebendo máscaras e álcool para realizar os atendimentos. Também estão orientados a atenderem apenas pessoas que estiverem usando máscaras. Prezamos pela saúde dos nossos servidores e usuários”, afirmou.

O atendimento permanece remoto nos municípios com Risco Alto, de acordo com a classificação do Mapa de Gestão de Risco. São eles:

Alfredo Chaves
Apiacá
Bom Jesus do Norte
Cariacica
Fundão
Serra
Venda Nova do Imigrante
Viana
Vila Velha
Vitória

Máscaras, álcool e afastamento

A retomada do atendimento presencial nas unidades do Incaper e do Idaf segue os critérios rígidos de prevenção. Os servidores vão atuar utilizando máscaras. Foi adquirida também uma quantidade significativa de álcool 70%, a fim de equipar as unidades e os servidores com os insumos necessários à prevenção do novo Coronavírus. O atendimento nos ELDR será de um agricultor de cada vez, para evitar aglomeração no ambiente interno das unidades. Caso haja mais de uma pessoa necessitando de atendimento, será orientada a formação de uma fila pelo lado de fora (onde for possível), para que os próximos interessados aguardem a vez mantendo uma distância mínima de 1,5m. Solicita-se, ainda, que as pessoas que fazem parte do chamado grupo de risco continuem priorizando o atendimento remoto.

Leia mais:  Nova Venécia terá atividades não presenciais na Rede Municipal de Ensino
publicidade

Cidades

Mais de três mil pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19 no Espírito Santo

Publicado

No Espírito Santo, 3.489 pessoas já receberam a primeira dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19). Os dados são do Programa Estadual de Imunizações, da Secretaria de da Saúde (Sesa), referentes as vacinas aplicadas até as 15h desta quarta-feira (20). Alguns municípios iniciaram a vacinação ainda na terça-feira (19), quando o Governo do Estado iniciou a distribuição das doses da CoronaVac, do Instituto Butatan, para atender ao público-alvo definido pelo Plano Nacional de Vacinação (PNI) na primeira etapa da fase 1 da campanha de vacinação.

Estão sendo imunizadas as pessoas maiores de 60 anos residentes em instituições de longa permanência; pessoas maiores de 18 anos com deficiência residentes em Residências Inclusivas; indígenas aldeados; e trabalhadores da saúde. O Ministério da Saúde disponibilizou 101.320 mil doses da vacina para o Estado, estabelecendo cerca de 48 mil pessoas como população-alvo desta fase inicial de vacinação no Espírito Santo.

A imunização ocorrerá em duas doses, com um intervalo de tempo de quatro semanas. Para a aplicação da segunda dose, a Secretaria da Saúde realizará uma nova distribuição às Regionais, o que deve ocorrer na segunda semana do mês de fevereiro.

Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19

Leia mais:  Banestes reduz taxa de juros após queda da Selic

Para a primeira etapa da fase 1, a imunização se dará pelos trabalhadores da saúde (42.273); pessoas maiores de 60 anos residentes em instituições de longa permanência (2.970); pessoas maiores de 18 anos com deficiência residentes em Residências Inclusivas (210) e indígenas aldeados (2.793), em conformidade com os cenários de disponibilidade da vacina. O público idoso acima dos 75 anos não institucionalizados (155.760 capixabas) será contemplado com a disponibilidade de mais imunizantes, na segunda etapa da fase 1.

Ainda segundo determinações do Ministério da Saúde, a população-alvo da campanha nacional de vacinação contra a Covid-19 foi priorizada seguindo os critérios de exposição à infecção, além de maiores riscos para agravamento e óbito pela doença. O escalonamento desses grupos populacionais para vacinação se dará conforme a disponibilidade das doses de vacina.

Em relação à imunização dos profissionais da saúde, os critérios utilizados, segundo a Resolução CIB N° 007/2021, leva-se em consideração: os profissionais vacinadores; os das Instituições de Longa Permanência para Idosos; os trabalhadores de Unidades de Terapia Intensiva Covid-19, dos hospitais referências; trabalhadores da Urgência e Emergência; enfermaria dos hospitais Covid-19; e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU); profissionais da sala vermelha de Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs e PAs); e profissionais dos Centros de Referência para a Covid-19, na Atenção Básica.

Leia mais:  Combate ao novo Coronavírus: CartãoGV ganha versão pré-paga
Continue lendo

Cidades

Abrigo de animais na Serra é interditado durante operação conjunta

Publicado

O abrigo interditado é mantido pelos pais da moradora de um apartamento localizado em Vila Velha, onde diversos animais foram encontrados mortos e em situações de maus tratos, em 08 de janeiro

Uma operação conjunta resgatou 34 animais e interditou um abrigo localizado no município da Serra, na manhã desta quarta-feira (20). A ação contou com a participação da Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA),  CPI dos Maus Tratos da Assembleia Legislativa e Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV). 

A polícia foi até o local para cumprimento de mandado de busca e apreensão e  interdição do estabelecimento após uma investigação, ainda em andamento, sobre possível abandono e maus-tratos com os animais. 

O abrigo interditado é mantido pelos pais da moradora de um apartamento localizado em Vila Velha, onde diversos animais foram encontrados mortos e em situações de maus tratos, em 08 de janeiro. 

“O inquérito policial está em andamento. As suspeitas são de que os animais encontrados no apartamento teriam sido recolhidos pela mãe, dona do abrigo, e entregues à filha, para ajudar nos cuidados dos animais. O apartamento seria, então, uma extensão do abrigo. Tanto a moradora do apartamento quanto a mãe, faziam pedidos de doação de forma conjunta, o que reforça a suspeita de que a arrecadação e os cuidados eram comuns às duas”, afirmou o titular da DPMA, delegado Eduardo Passamani.

O local onde os animais estavam aparentava pouca salubridade. Apesar disso, os fiscais do CRMV informaram que os cães não apresentavam sinais de maus tratos. Os animais foram recolhidos pela equipe da CPI dos maus tratos, que os encaminhará para avaliação médica e lar adotivo provisório.

“Os donos da instituição também foram cientificados para a apresentação da filha, investigada pela DPMA, para que seja interrogada. Ela se encontra em local ignorado, sob alegação de tratamento médico. Eles também foram informados que estão proibidos de solicitar doações para o abrigo e devem retirar as páginas da entidade das redes sociais”, disse o delegado.

Leia mais:  Turismo: perdas no ES superam R$ 200 mi com pandemia
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana