conecte-se conosco


Camisa 10

Injustiçado, Cássio se cansou. Pensa em deixar o Corinthians

Publicado

Ele virou o bode expiatório do fraco elenco, por conta da dívida de um bilhão de reais. ” No momento que eu atrapalhar, é melhor eu procurar outro lugar”

“Ultimamente tem sobrado tudo pra mim, tudo é culpa do Cássio, o time não ganha é culpa do Cássio, o time não faz gol é culpa do Cássio.

“E  antes que falem algo, não acho que sou maior que o Corinthians, não me acho intocável, sou muito grato a tudo que o Corinthians fez pra mim.

“Mas nesse momento acho que estou sendo escudo, tudo é culpa do Cássio.

“Não acho que estou mal.

“O gol do São Paulo, do Botafogo, eram defensáveis, mas acho que a carga é muito grande.

“Posso ser criticado, mas no momento que eu atrapalhar o Corinthians é melhor eu procurar outro lugar.

“Foi muito duro hoje, foi uma das piores derrotas minhas aqui, mas não vou deixar de estar aqui, de meter a cara, falar, atuar, se o professor me colocar no banco vou estar aqui apoiando.

“No momento bom, sendo campeão, é muito fácil levar tapinha nas costas, mas no momento que precisa…

“Infelizmente saimos com vergonha pelo resultado, mas vamos trabalhar. Jamais sentei em cima dos títulos, dos números, ou jamais me achei melhor que o Corinthians.

“A partir do momento que eu estiver atrapalhando, acho que tenho que procurar outro lugar.”

Esse foi o depoimento de Cássio, logo após a goleada impiedosa do Flamengo, hoje, por 5 a 1, em plena Neoquímica Arena.

Ele é o melhor goleiro da história do Corinthians.

Um sobrevivente do time campeão da Libertadores e Mundial em 2012.

Tem nove títulos pelo clube.

Sofre enorme injustiça.

Está sendo duramente cobrado pelo péssimo ano de 2020.

Sua família tem recebido até ameaças de morte na Internet.

Como se pudesse evitar as derrotas, os vexames do fraquíssimo elenco montado pelo presidente Andrés Sanchez.

A dívida do clube, de acordo com o ex-presidente e candidato, de novo à presidência, Mario Gobbi, beira o um bilhão de reais.

Andrés investiu o menos possível.

E a cobrança recaiu sobre o goleiro.

Ele é peça central dos protestos das organizadas corintianas.

Walter, seu reserva, fez uma partida excepcional contra o Athletico, na estreia de Vagner Mancini. Jogou porque Cássio estava suspenso.

O treinador quis respeitar a história do goleiro campeão mundial. 

Ele quis voltar contra o melhor time do Brasil.

E arcou com as consequências.,

Teve ombridade após a derrota.

Deu entrevista, quando muitos fugiriam.

Mas está profundamente abalado.

Ele que já recusou propostas para ganhar mais dinheiro, da Turquia seria três vezes o seu salário, se cansou.

Se não tiver respaldo, seguir a perseguição da torcida, ele pedirá para ir embora do Corinthians.

“Fico na reserva, se o professor (Mancini) quiser.

E vou continuar dando o meu máximo, como sempre fiz.

Mas se eu estiver atrapalhando, eu saio…”

Leia mais:  Gabriel Menino é novidade na lista de convocados da seleção brasileira
publicidade

Camisa 10

Final da Libertadores: decreto do Governo autoriza até 10% da capacidade do Maracanã

Publicado

O Governo do Estado do Rio de Janeiro publicou decreto, nesta sexta-feira, autorizando a realização da final da Copa Libertadores, marcada para o dia 30, no Maracanã. Entre as regulamentações, o governador Claudio Castro estabeleceu um limite de até 10% da capacidade do estádio para a operação do jogo entre Palmeiras e Santos.

Na partida, que não terá público pagante, estará autorizada a presença de pessoal relacionado a organização, segurança e realização, bem como pessoas ligadas a patrocinadores do evento e aos clubes, no limite determinado.

Vale lembrar que o poder municipal possui autonomia em relação a decisões sobre presença de público ou não nos estádios da cidade. No último dia 13, a Prefeitura chegou a autorizá-la, com capacidade variando entre 10% e 20% do total. A medida acabou revogada no mesmo dia por decreto do prefeito Eduardo Paes.

Santos e Palmeiras receberam 150 convites cada. Entre os convidados do Santos, a divisão será: 45 entre os familiares de jogadores e comissão técnica; 30 para o Comitê de Gestão; 30 para o Conselho Deliberativo; 15 para autoridades e patrocinadores; 25 para sócios; e cinco entre os funcionários do clube.

Uma reunião no fim da manhã desta sexta-feira definiu que o efetivo de policiais militares para a segurança da partida, nos arredores e na parte interna do estádio, ficará em 550, com mais 200 guardas municipais.

Em outras partes da cidade, haverá atenção especial nas proximidades dos hotéis onde ficarão as duas delegações.

Hoje, o Maracanã, tem capacidade para 78.883 pessoas, ou seja, a capacidade autorizada de operação para a partida gira em torno de 7 mil pessoas. A Conmebol, porém, não trabalha com a ideia de um efetivo tão grande.

Fechamento nos arredores

Uma estimativa citada em reunião com órgãos e dirigentes, há cerca de duas semanas, apontou a possibilidade de até quatro mil pessoas (com distanciamento) dentro e no perímetro do estádio, contando delegações e forças de segurança.

— Estamos ajustando todas as áreas para ter o menor número possível de pessoas — disse o diretor de competições de clubes da Conmebol, Fred Nantes.

Em termos de espaço físico, o setor Oeste está à disposição. Isso inclui as arquibancadas do Maracanã Mais, os dois níveis de camarote e a tribuna de imprensa. Nesta semana, a Conmebol montará base no Maracanã para começar a receber serviços de personalização do estádio, instalação de placas de LED e hospitalidade.

A presença de dois times brasileiros, por si só, já demanda um cuidado especial no entorno para evitar aglomerações. O quarteirão do Maracanã será bloqueado, o que envolve trechos da Avenida Maracanã, Radial Oeste e Eurico Rabelo.

Leia mais:  Globo expõe Galvão Bueno sem voz. E ele pede desculpas pela narração
Continue lendo

Camisa 10

Flamengo bate o Palmeiras, cola no Inter e acirra ainda mais o Brasileirão

Publicado

Rubro-Negro domina ações e vence confronto direto pelas primeiras posições do Brasileirão. Time agora é o 3º colocado

O sonho do bicampeonato brasileiro consecutivo está mais vivo do que nunca para o Flamengo. Nesta quinta-feira (21), a equipe venceu um duelo direto com o Palmeiras por 2 a 0, em Brasília, e, além de deixar o rival mais para trás na tabela, assumiu a 3ª colocação do Brasileirão.

Graças a um gol de Pepê, e outro contra de Luan, o Rubro-Negro chegou aos 55 pontos, agora na frente do Atlético-MG e atrás apenas de São Paulo e Internacional, líder, com 59. O time treinado por Rogério Ceni tem um jogo a menos que os dois rivais. Já o Alviverde permanece nos 51 pontos, ainda na 5ª posição.

Início em alto nível
Desde os primeiros minutos, ficava claro que o duelo era entre dois dos melhores times do Brasil, tamanha qualidade técnica dos jogadores. Quem assustou primeiro foi o Palmeiras. Logo aos 3, Danilo acertou belo lançamento para Vida, que cruzou para Willian. O atacante, na pequena área, bateu para fora.

No lance seguinte, foi o Flamengo quem quase marcou. Arrascaeta aproveitou sobra de bola e tentou de bicicleta. Weverton salvou o Palmeiras.

Flamengo melhor
O Rubro-Negro foi ficando mais à vontade no jogo, e envolvia o rival por meio de tabelas. Aos 11 e aos 13, Gabigol perdeu duas chances que não costuma perder.

Gol contra bizarro
O Flamengo seguia melhor e foi recompensado com um gol digno dos “Trapalhões” já aos 45. Após bela tabela, Arrascaeta finalizou por baixo das pernas de Weverton. Kuscevic impediu o gol, mas chutou a bola em Luan, que não conseguiu sair da frente e mandou para o gol. Gol contra bizarro!

Palmeiras quase empata
Em desvantagem, o Palmeiras precisava de um “choque” no vestiário para equilibrar as ações. Para o time de Abel Ferreira, o jogo pedia mais arrojo com a bola nos pés – já que, efetivamente, apenas Danilo teve êxito na etapa inicial. Luiz Adriano, por exemplo, não foi abastecido e estava apagado.

O Verdão passou a ter mais posse, inclusive no campo de ataque – o que não vinha ocorrendo. Menino chegou a desperdiçar uma chance com a bola na marca da cal, sem marcação, no início do segundo tempo.

Marcha lenta
Para a última fatia do jogo, os treinadores promoveram diversas alterações. A intensidade, de ambos os lados, deixou de ser uma tônica. Erros de passe nas respectivas intermediárias passaram a comprometer a criatividade dos times, e o embate entrou em marcha lenta. Eis que uma cria do Ninho do Urubu decidiu.

Um protagonista improvável
Quando o jogo se encaminhava para o fim, o Flamengo sacramentou a vitória na bola parada. E o autor do segundo gol veio do banco e pode ser considerado um protagonista improvável: Pepê, cujo vínculo expiraria em dezembro e, graças ao pedido de Ceni, renovou até o fim do Brasileiro. O meia acertou um lindo chute após Pedro ajeitar a bola, que veio de uma cobrança de escanteio. Um belo gol para dar números finais.

FLAMENGO 2X0 PALMEIRAS – 31ª RODADA DO BRASILEIRO

Estádio: Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data/hora: 21 de janeiro, às 19h
Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e José Reinaldo Nascimento Junior (DF)
Árbitro de vídeo: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Cartões amarelos: Bruno Henrique, Renê (FLA) / Raphael Veiga, Luan (PAL)
GOLS: Luan (contra), 45’/1ºT (1-0); Pepê, 37’/2ºT (2-0)
FLAMENGO (Técnico: Rogério Ceni): Hugo Souza; Isla, Rodrigo Caio (Gustavo Henrique, 33’/1ºT), Willian Arão e Filipe Luis; Gerson (Vitinho, 30’/2ºT), Diego (Pepê, 30’/2ºT), Everton Ribeiro e Arrascaeta (João Gomes, 17’/2ºT); Bruno Henrique e Gabigol (Pedro, 30’/2ºT).
PALMEIRAS (Técnico: Abel Ferreira): Weverton; Marcos Rocha, Luan, Kuscevic e Matías Viña (Gustavo Scarpa, 21’/2ºT); Danilo (Gabriel Silva, 40’/2ºT), Gabriel Menino, Raphael Veiga (Pedro Acácio, 26’/2ºT) e Zé Rafael; Luiz Adriano (Breno Lopes, 21’/2ºT) e Willian (Lucas Lima, 21’/2ºT).

Leia mais:  Tóquio-2020 anuncia redução drástica de atletas na cerimônia de abertura
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana