conecte-se conosco


Cidades

Inquérito Sorológico começa nesta quarta-feira (13) em 19 municípios capixabas

Publicado

De 13 a 15 de maio, a Secretaria da Saúde (Sesa) vai realizar a primeira fase do “Inquérito Sorológico” – uma campanha de testagem da população capixaba para detecção de anticorpos do novo Coronavírus (Covid-19). Nestes três dias, 146 equipes com três pesquisadores visitarão residências em 19 municípios capixabas – em áreas conhecidas como setores censitários, conforme metodologia do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

A meta da Sesa é de que 5.800 pessoas participem da pesquisa nessa primeira etapa. Os municípios participantes serão: Afonso Cláudio, Alegre, Aracruz, Barra de São Francisco, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Colatina, Guaçuí, Guarapari, Linhares, Nova Venécia, Pedro Canário, São Gabriel da Palha, São Mateus, Serra, Venda Nova do Imigrante, Vila Velha e Vitória. 

De acordo com o subsecretário de Estado de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, o inquérito vai permitir que o Governo possa obter uma fotografia da situação epidemiológica no Espírito Santo. “Nos dará a oportunidade de identificar quem já possui anticorpos para a doença. O participante responderá uma pesquisa e será coletado duas gotas de sangue para um teste rápido que fornecerá o resultado entre 10 a 15 minutos. O teste vai verificar se essa pessoa já entrou ou ainda não entrou em contato com o coronavírus”, explicou. 

Os resultados coletados servirão para abastecer uma base de dados que serão estudados, de modo a contribuir no planejamento das ações de combate à Covid-19. “Com ele, poderemos conhecer o estágio da epidemia no Espírito Santo, ou seja, em que velocidade a doença tem avançado. Por falta de informações as projeções são muito precárias, desta forma a pesquisa vai permitir e estimar a progressão da doença. Teremos um panorama epidemiológico de como a doença se espalhou e quantas pessoas já foram infectadas e ajudará planejar ações de combate a epidemia com mais ou menos restrições à aglomeração e movimentação de pessoas”, disse.

 

Leia mais:  Edital permitirá a recuperação de mais de 4 mil hectares de vegetação nativa no ES

Como irá funcionar 

Foram selecionados 27 municípios para a pesquisa do Inquérito Sorológico. Os 11 municípios com a maior população farão parte das quatro etapas, com pesquisas a cada 15 dias, que são: Afonso Cláudio, Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Linhares, Nova Venécia, São Mateus, Serra, Vila Velha e Vitória. 

Os municípios de menor densidade populacional, 16 ao todo, se alternam a cada 30 dias. Na primeira e terceira etapa: Aracruz, Barra de São Francisco, Castelo, Guaçuí, Guarapari, Pedro Canário, São Gabriel da Palha e Venda Nova do Imigrante. Na segunda e quarta etapa: há alternância para Baixo Guandu, Conceição da Barra, Ecoporanga, Iúna, Marataízes, Santa Maria de Jetibá, Sooretama e Viana. 

As fases terão duração de três dias. As próximas etapas terão início a partir de 15 dias da finalização da etapa anterior. No total, serão 513 profissionais da saúde atuantes divididos em 171 equipes, que percorrerão 171 setores censitários dos 27 municípios. Em cada etapa serão testadas cerca de oito mil amostras, totalizando, aproximadamente, 32 mil testes realizados na população capixaba.

Atuação em campo

Serão realizados sorteios para a escolha do domicílio e do cidadão que participará do questionário a ser aplicado pelos pesquisadores. O sorteio faz parte da metodologia do estudo para garantir o resultado mais próximo do real. 

Os profissionais estarão identificados com credenciais e paramentados com equipamentos de proteção individual, visando garantir a segurança tanto para o entrevistado quanto para os técnicos, cumprindo assim os protocolos de biossegurança. 

O formulário será preenchido eletronicamente por celulares cedidos pelo IBGE. Cada equipe terá um aparelho com aplicativo destinado exclusivamente para o Inquérito Sorológico. 

No caso do paciente sorteado ser positivo, os demais moradores do imóvel serão testados, entretanto, a notificação para o inquérito será apenas do residente entrevistado. Além disso, se a equipe encontrar residentes com sintomas respiratórios, independentemente do resultado do teste, essa pessoa será orientada ou, se necessário, encaminhada para o atendimento em unidade referenciada para a doença.

 

Leia mais:  Suzano faz captação com menor taxa da história no Brasil para títulos com prazo de dez anos

Cronograma do Inquérito Sorológico 

– Etapa 1 

Dias: 13, 14 e 15 de maio 

Municípios: Afonso Cláudio, Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Linhares, Nova Venécia, São Mateus, Serra, Vila Velha, Vitória, Aracruz, Barra de São Francisco, Castelo, Guaçuí, Guarapari, Pedro Canário, São Gabriel da Palha e Venda Nova do Imigrante.

– Etapa 2 

Data: 31 de maio, 01 e 02 de junho

Municípios: Afonso Cláudio, Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Linhares, Nova Venécia, São Mateus, Serra, Vila Velha, Vitória, Baixo Guandu, Conceição da Barra, Ecoporanga, Iúna, Marataízes, Santa Maria de Jetibá, Sooretama e Viana.

– Etapa 3 

Data: 17, 18 e 19 de junho 

Municípios: Afonso Cláudio, Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Linhares, Nova Venécia, São Mateus, Serra, Vila Velha, Vitória, Aracruz, Barra de São Francisco, Castelo, Guaçuí, Guarapari, Pedro Canário, São Gabriel da Palha e Venda Nova do Imigrante.

– Etapa 4: 

Data: 04, 05 e 06 de julho 

Municípios: Afonso Cláudio, Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Linhares, Nova Venécia, São Mateus, Serra, Vila Velha, Vitória, Baixo Guandu, Conceição da Barra, Ecoporanga, Iúna, Marataízes, Santa Maria de Jetibá, Sooretama e Viana.

publicidade

Cidades

Obra de saneamento é apresentada em Vila Velha

Publicado

Projeto da Cesan para a Grande Terra Vermelha, em Vila Velha, foi o assunto debatido em audiência pública da Comissão de Saúde da Assembleia

Interligar todas as residências em uma única rede de esgoto, com a ligação das casas até a tubulação da rua e construir duas estações de tratamento para atender todos os bairros do entorno. Esse é o trabalho que será realizado pela Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) na Região 5, conhecida como Grande Terra Vermelha, em Vila Velha. O cronograma de obras foi apresentado em audiência pública promovida pela Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa (Ales) na noite de quarta-feira (15).

O encontro aconteceu na Escola Estadual de Ensino Médio Mário Gurgel, em Jabaeté, e contou com a presença de autoridades, especialistas, líderes comunitários e moradores da região.

De acordo com o gerente de projetos da Cesan, Luiz Cláudio Victor Rodrigues, a universalização do saneamento básico na maior região do município, que hoje conta com cerca de 100 mil moradores, vai custar R$ 228 milhões e  tem previsão de entrega para o primeiro trimestre de 2024. 
Os recursos para as obras são oriundos do governo do Estado, Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) e Banco Mundial. 

“A universalização levará rede coletora e tratamento para todos os bairros da região, inclusive Ponta da Fruta, Balneário Ponta da Fruta e Barra do Jucu. São 184 quilômetros de estrutura. A ordem de serviço já foi dada, a equipe de topografia já está no local e tem até seis meses para concluir o projeto e colocar a obra em andamento. Estamos conversando com as empresas para viabilizar a contratação de mão de obra local”, disse Rodrigues.

Os impactos socioambientais para os moradores das localidades envolvidas nas obras estão sob fiscalização de uma empresa contratada para acompanhar o processo. Segundo a gestora social do projeto, Danielle Érica da Silva, a população está sendo ouvida.  

“Nosso objetivo é levantar possíveis riscos para os moradores dos locais afetados pela obra, mitigando possíveis danos e perdas para quem vive nesses locais”, afirmou.

Proponente da audiência pública, o presidente de Comissão de Saúde, deputado Doutor Hercules (MDB), abordou a necessidade de levar à comunidade as informações necessárias acerca das mudanças nas comunidades que serão contempladas. Ele informou que uma nova reunião será realizada na Câmara de Vereadores de Vila Velha.

“A pedido de lideranças e do vereador Joel Rangel, nós vamos fazer uma nova reunião, mas será no Legislativo municipal. É fundamental a participação dos moradores para que sejam esclarecidos todos os pontos. Os representantes dos bairros vão tirar suas dúvidas sobre diversos pontos relacionados ao fornecimento de água e saneamento básico na região”, pontuou.

Leia mais:  Alunos da Rede Pública contam como conquistaram 1º lugar na Ufes
Continue lendo

Cidades

Seag e Sebrae-ES oferecem oficinas e consultorias para impulsionar a agroindústria familiar e empreendimentos rurais

Publicado

A Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) está dando continuidade ao programa “Agrolegal” em 2021. A estruturação do projeto teve início no ano passado e tem como principal objetivo o aperfeiçoamento de políticas públicas que visem a impulsionar o desenvolvimento da agroindústria familiar e de empreendimentos rurais.

Segundo o coordenador de Agroindústria e Empreendedorismo Rural da Seag, Jackson Fernandes de Freitas, atualmente estão sendo desenvolvidas oficinas no formato on-line e consultorias para produtores e donos de empreendimentos, em parceria com o Sebrae-ES. À medida que participam das oficinas, os produtores passam a ter acesso às consultorias. O plano para os próximos meses é continuar com as oficinas e promover capacitações para municípios e produtores.

Outra ação a ser realizada nos próximos meses é a publicação de uma portaria com a definição dos critérios para a utilização da logomarca criada para os produtos da agroindústria familiar e produtores originais do Espírito Santo. 

O setor da agroindústria é essencial para promover inclusão social e produtiva às famílias rurais por meio da participação nas mais diversas etapas de produção. O principal foco da iniciativa é executar ações que estimulem o desenvolvimento das agroindústrias familiares e de pequeno porte e do empreendedorismo rural no Estado do Espírito Santo. São mais de 1.500 empreendimentos de agroindústria familiar em todo o Estado.

O projeto conta com quatro grandes eixos de atuação: 1) fortalecimento do serviço de inspeção municipal; 2) orientação técnica e qualificação dos agricultores, dos empreendimentos e dos servidores que prestam suporte; 3) ampliação de mercado para as agroindústrias; e 4) Fomento à inovação e outras atividades empreendedoras. As ações planejadas envolvidas nesses quatro eixos vão desde a realização de capacitações e articulação de espaços para comercialização até o apoio a projetos de pesquisa, por exemplo.

Texto: Camila Borges

Leia mais:  Alunos da Rede Pública contam como conquistaram 1º lugar na Ufes
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana