conecte-se conosco


Medicina e Saúde

‘Janeiro Branco’: conheça os alimentos que ajudam no combate à depressão e ansiedade

Publicado

O mês de janeiro é o escolhido para colocar os temas da Saúde Mental em evidência, com a finalidade da prevenção ao adoecimento emocional. Para representar a prevenção, instituições públicas e a sociedade civil simbolicamente adotam a cor branca para representar o alerta. No Espírito Santo, o governador Renato Casagrande sancionou a Lei Estadual nº 11.078, em 06 de dezembro de 2019, que instituiu no Calendário Oficial do Estado o ‘Janeiro Branco’. O objetivo é sensibilizar a população para a importância da prevenção à depressão e à ansiedade e estimular o cuidado com a saúde mental e o bem-estar.
Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que a depressão atinge 5,8% da população brasileira e distúrbios relacionados à ansiedade afetam 9,3%. No entanto, o número de pessoas diagnosticadas com alguma doença emocional tem aumentando e isso, segundo a OMS, indica também que um número maior de pessoas está realizando o tratamento para sua saúde mental. Nesse caso, também é possível fazer da alimentação uma boa aliada para melhorar o bem-estar. 
De acordo com a nutricionista Nathammy Stein, alguns alimentos aumentam a quantidade de serotonina, o neurotransmissor conhecido como “um dos hormônios da felicidade”, por promover sensação de prazer e bem-estar e que ajuda no controle da mudança de humor, na saúde do sono, diminuindo a ansiedade e ajudando a manter a saúde mental. 
“Os alimentos que aumentam a serotonina são fontes de um nutriente chamado triptofano. Ele é um aminoácido essencial por ser um precursor da formação da serotonina no nosso organismo”, explica a nutricionista.
Nathammy Stein acrescenta que alguns alimentos como os de origem animal, a exemplo do peru, dos ovos e do salmão; das frutas, como a banana, o abacaxi e o abacate; e dos vegetais, como a couve-flor, o brócolis, a beterraba e as ervilhas, possuem maior quantidade do triptofano, aminoácido essencial ao organismo, que age como precursor na formação da serotonina no corpo. 
A nutricionista ressalta também que o essencial é aliar uma alimentação indicada com a prática de exercícios físicos para, desta forma, manter um corpo mais equilibrado, físico e mentalmente.
Quem também confirma o consumo de alimentos indicados como aliados no tratamento da depressão e dos transtornos de ansiedade é a psicóloga clínica e psicanalista Cristiane Palma. Segundo a especialista, a importância da alimentação balanceada precisa estar alinhada a um estilo de vida saudável, ou seja, não fazer uso de substâncias prejudiciais à saúde física e mental.
“Ter uma vida saudável não é só ter uma boa alimentação. É também não fazer uso de nicotina, de drogas e do álcool, substâncias que são depressoras do sistema nervoso central. Outro ponto importante é evitar o consumo de açúcares e a farinha, que são carboidratos simples, pois eles estimulam a liberação rápida de dopamina no organismo, que pode piorar o estado de depressão”, explica Cristiane Palma. 
Ela ainda enfatiza que uma boa alimentação pode ajudar a produzir mais estimulação de serotonina, responsável por aumentar o bom humor. Entretanto, segundo ela, não se pode substituir o tratamento da doença, que deve ser feito com medicação e tratamento psicoterápico e/ou psiquiátrico.
Sobre a importância de consumir e encontrar alimentos com qualidade, o diretor-presidente da Centrais de Abastecimento do Espirito Santo (Ceasa/ES), Fernando Rocha, ressalta que a Ceasa tem um papel essencial na cadeia de abastecimento dos alimentos para a população capixaba e dos Estados vizinhos. Segundo ele, o papel da Ceasa tem contribuição direta no auxílio aos tratamentos de cuidado da saúde mental. 
“A depressão e a ansiedade são consideradas doenças como o mal da modernidade que atingem uma considerável parcela da população mundial. As ações preventivas e sensibilizadoras são fundamentais. O tratamento destas doenças, bem como da maioria das outras, passa muito mais pela prevenção, com uma alimentação balanceada e atividades físicas. Diariamente, a Ceasa dispõe aos comerciantes e usuários em geral uma variedade de alimentos com procedência certificada“, ressaltou Fernando Rocha. 
Onde buscar atendimento
Uma pessoa que necessita de tratamento em saúde mental deve, primeiro, buscar acolhimento na Rede de Atenção Básica de Saúde mais próxima de seu domicílio. Em caso de surto psiquiátrico, é preciso acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), para ser encaminhado para o atendimento de urgência e emergência mais próximo.
Para receber atendimento no Centro de Atenção Psicossocial (Caps), a pessoa deve, primeiro, procurar a unidade de saúde básica mais próxima de sua casa. Havendo necessidade de um tratamento de maior complexidade, a própria unidade faz o encaminhamento ao Centro.
Muitos chegam espontaneamente ou encaminhados pela equipe de Saúde da Família, ou de hospitais e prontos-socorros. Além disso, todos os casos passam por uma avaliação feita por uma equipe multiprofissional. Caso o paciente se encaixe no perfil do Caps, ele é integrado à instituição.

Leia mais:  Covid-19: Estado amplia estratégias para testagem em locais de fluxo de passageiros
publicidade

Medicina e Saúde

Famílias poderão se reunir sem máscara no fim do ano no ES, diz secretário

Publicado

A expectativa é começar o ano de 2022 com grande parte da populção completamete vacinada. Nésio explica que isso não representa o fim da pandemia, mas um controle da doença

Até o fim do ano, todo o público com mais de 18 anos deve estar vacinado com pelo menos uma dose da vacina contra covid-19 no Espírito Santo. Essa é a expectativa do secretário estadual de saúde, Nésio Fernandes. 

Diante dessa perspectiva, Nésio afirmou em uma entrevista que, se os capixabas continuarem se vacinando – e respeitando a determinação de duas doses para os imunizantes – o natal deste ano será diferente do que passou. 

“Nós entendemos que adesão às vacinas é um passo importante para viver esse novo momento. Para ter um Natal sem máscaras, entre a família, nós precisamos ter toda a família com duas doses de vacina até o final do ano”, afirmou o secretário.

A expectativa é começar o ano de 2022 com grande parte da populção completamete vacinada. Ainda segundo Nésio, isso não representa o fim da pandemia, mas um controle da doença. 

Maioria da população do ES pode estar completamente imunizada até o fim do ano

Caso o prazo de intervalo entre doses da vacina Pfizer seja mantido em 12 semanas, segundo o secretário estadual de saúde, há a possibilidade de que o Espírito Santo consiga imunizar a ampla maioria da população vacinável até o fim de 2021.

“Entre setembro e dezembro a gente pode alcançar até 80% de cobertura de D2 na população já alcançada com a D1. Desde que o Ministério da Saúde não decida pela antecipação da Pfizer para 21 dias de prazo”, afirmou.

Estado quer imunizar adolescentes e crianças

Além do público contemplado no PNI, adolescentes e crianças, de acordo com Nésio, também devem estar na lista de prioridades. “Nós consideramos ser fundamental vacinar a população abaixo de 18 anos com as vacinas autorizadas. Nós já temos a Pfizer autorizada, a CoronaVac já solicitou à Anvisa autorização”, disse.

A intenção do Governo do Estado é chegar no próximo ano com a pandemia sob controle e adolescentes vacinados.

“Se nós tivermos essas duas vacinas disponíveis, nós poderemos avançar na vacinação dos adolescentes e, inclusive, das crianças. Nós temos uma esperança que se incrementa, porque 2022 poderá chegar com grande parte dos adolescentes comtemplados com a primeira dose da vacina”

Leia mais:  Covid-19: Estado amplia estratégias para testagem em locais de fluxo de passageiros
Continue lendo

Medicina e Saúde

Hospital Evangélico de Vila Velha terá primeiro laboratório de inovação hospitalar do Espírito Santo

Publicado

O Evangélico LAB foi lançado nesta quarta-feira (21) e vai estimular a cultura de inovação buscando aprimorar cada vez mais o atendimento

O Espírito Santo acaba de ganhar um novo laboratório de inovação: a plataforma Evangélico LAB. O lançamento foi na manhã de hoje (21), no HUB da Fucape Business School, e reuniu a diretoria da Associação Evangélica Beneficente Espírito-Santense (Aebes), instituição responsável pela administração do Hospital Evangélico de Vila Velha (HEVV), e gestores da unidade hospitalar.

Visualização da imagem

O evento de lançamento também contou com representantes e parceiros do ecossistema digital capixaba. A palestra de abertura foi de Bianca Rodrigues Souza, Innovation Champion da Tata Consultancy Service. Durante o bate-papo, ela destacou que “a inovação em saúde é uma tendência crescente que ganhou impulso ainda maior com a pandemia da Covid-19, por conta da necessidade da busca de soluções rápidas”.

Aridelmo Teixeira, fundador da Fucape Business School, também participou do evento contando a experiência do HUB e enfatizou que “levar a inovação para dentro da organização é o caminho para melhorar o atendimento aos clientes e a qualidade de vida dos colaboradores”. O outro palestrante foi Hiatha Anderson, analista de Inovação do Vix Labs e Vix Logística, que abordou a experiência do Grupo Águia Branca na área de inovação.

Primeiro hospital filantrópico a ter um laboratório de inovação no Espírito Santo, o HEVV lançou a iniciativa com a missão de fomentar a cultura da inovação entre suas equipes e o desenvolvimento de projetos que promovam melhorias que resultem em benefícios para os pacientes.

“O Evangélico LAB foi criado com o objetivo de suscitar ideias inovadoras para a melhoria da qualidade do atendimento, atrelado à nossa missão de promover saúde e conhecimento com inovação”, relata Drª Elimar Ponzzo Dutra Leal, gerente do Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação do HEVV.

Ela também acrescentou que o hospital terá uma plataforma de ideias acessível a todas as equipes e qualquer colaborador poderá propor inovações para contribuir com melhorias nos processos e serviços.

Para o presidente da Aebes, pastor Rodrigo André Seidel, o lançamento do Evangélico LAB representa mais um importante passo na história da instituição. “Vivemos em um mundo que precisa de criatividade e inovação. É um passo grandioso para que o hospital possa continuar com a missão de promover atendimento de qualidade aos capixabas. Tudo isso é fruto de um trabalho em equipe e todos estão muito bem preparados e conscientes dos desafios, cientes do que esse projeto representa para o Hospital Evangélico de Vila Velha”, explica.

A superintendente da Aebes, Sirlene Motta, enfatizou que a inovação é um dos pilares de sustentabilidade da associação e faz parte do planejamento estratégico. “A inovação já faz parte da nossa história e o Evangélico LAB vem para reforçar essa prática”, pontua.

Sobre o Hospital Evangélico

Fundado em 1972, a história do Hospital Evangélico de Vila Velha começa anos antes, em 1956, quando começou a ser idealizado pelas igrejas Batista, Cristã Evangélica Casa de Oração, Evangélica de Confissão Luterana, Metodista, Presbiteriana do Brasil e Presbiteriana Unida, que compõem a Aebes. A unidade conta com uma equipe multidisciplinar e é referência em urgência e emergência cardiovascular e habilitado em alta complexidade nas especialidades: Cardiovascular, Oncologia, Nefrologia e Transplantes (rim, córnea, coração, ossos e tecidos), Oftalmologia, Bariátrica e Neurocirurgia. Hospital Evangélico de Vila Velha foi o primeiro hospital filantrópico capixaba a conquistar classificação máxima em gestão hospitalar: a certificação de excelência ONA nível 3.

Leia mais:  Governo do Estado amplia mais sete leitos clínicos de retaguarda em Vitória
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana