conecte-se conosco


Internacional

Jovens estão no centro da nova onda de casos de covid no México

Publicado

Autoridades mexicanas admitiram que o aumento de casos da doença vem atingindo o país há cerca de 4 semanas

Os jovens no México estão sendo os pivôs da terceira onda de contágio da covid-19 no país, que tem sido minimizada pelas autoridades devido à redução do número de pacientes hospitalizados e gravemente doentes.

“Vim (para fazer o teste), porque no escritório onde trabalho meu chefe direto deu positivo e porque estive em contato com ele até sexta-feira”, disse à Agência Efe Alejandro López, de 27 anos.

Como nos primeiros meses da pandemia, os locais de teste têm registrado longas filas, mas, atualmente, a maioria é formada por pessoas com idades que variam entre 20 e 35 anos, ainda não vacinadas e temem se infectar.

Durante semanas, o governo do México resistiu a falar sobre uma terceira onda de contágio. No entanto, na terça-feira (13), foi foi admitido abertamente que há um novo pico, que começou há quatro semanas.

Este surto começou em estados turísticos como Quintana Roo, Yucatán e Baixa California Sul, se espalhando por quase todo o país. Um estudo registrou um aumento de 29% nos positivos confirmados na última semana.

Até agora, o México relatou mais de 2,6 milhões de casos e 235.500 mortes pela Covid-19. É o quarto país do mundo em óbitos, atrás somente de Estados Unidos, Brasil e Índia.

Mais de 52 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus já foram aplicadas no território mexicano, o que ajudou na redução de complicações e mortalidade.

“Embora esses tipos de casos ocorram, não há aumento de hospitalizações. Esta é a consequência positiva de ter a população vacinada”, disse Hugo López-Gatell, subsecretário de Prevenção e Estrategista de Promoção da Saúde da pandemia no México.

Em 7 de julho, Carissa Etienne, diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), reconheceu uma tendência de aumento de casos no país, ao alertar que os jovens têm um papel ativo na transmissão e contágio do coronavírus.

Há semanas se percebe que os jovens mexicanos estão voltando a festejar não só nos bares e restaurantes, mas também nas barracas de rua, sem seguir medidas de prevenção ou distanciamento social.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, também admitiu o problema. “Se há mais infecções de jovens é porque há um relaxamento da disciplina porque ficaram muito tempo presos, agora se encontram mais com os amigos, é daí que vêm as contaminações”.

O presidente mexicano pediu moderação deles e que as pessoas não confiem nas outras.

Leia mais:  Na Inglaterra, mãe e filho morrem na mesma manhã vítimas da Covid-19
publicidade

Internacional

Hospital nos EUA faz transplante de rim em paciente errado

Publicado

Um hospital de Cleveland (Ohio, EUA) reconheceu um grave erro: uma equipe médica realizou recentemente um transplante de rim em paciente errado. A fila de espera apontava outro receptor do órgão.

A direção do hospital universitário se desculpou pelo erro e informou que dois funcionários foram colocados em licença administrativa. Incrivelmente, o rim dado ao paciente errado se mostrou compatível e se espera que a pessoa que o recebeu no lugar de outra se recupere totalmente, disseram autoridades locais, segundo afiliada da rede Fox.

A cirurgia do outro paciente foi adiada. Autoridades disseram que o hospital abriu sindicância para descobrir como o erro ocorreu e evitar erros semelhantes no futuro. Os nomes dos envolvidos não fooram divulgados.

“Oferecemos nossas sinceras desculpas a esses pacientes e as suas famílias”, disse o porta-voz do hospital, George Stamatis, em um comunicado. “Reconhecemos que eles nos confiaram seus cuidados. A situação é totalmente inconsistente com 0 nosso compromisso de ajudar os pacientes a voltarem à saúde e viverem a vida plenamente”, acrescentou ele.

O hospital notificou a United Network for Organ Sharing, que gerencia o sistema nacional de transplantes e que é a responsável pela distribuição dos órgãos na fila de espera.

Leia mais:  Cruzeiro com 7 mil pessoas a bordo é bloqueado em porto da Itália por suspeita de coronavírus
Continue lendo

Internacional

Japão prorroga estado de emergência por covid-19

Publicado

País registra um aumento de casos da doença uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio

O Japão prorrogou nesta sexta-feira (30) a emergência sanitária por covid-19 em Tóquio e a ampliou para outras quatro regiões, após o aumento dos contágios, uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos.

“Decretamos o estado de emergência para Saitama, Chiba, Kanagawa e Osaka”, afirmou o primeiro-ministro Yoshihide Suga, antes de acrescentar que a medida, já em vigor em Tóquio e Okinawa (sul), foi estendida até 31 de agosto.

Na quinta-feira (29), o Japão registrou mais de 10 mil casos de coronavírus pela primeira vez, o que levou autoridades e especialistas a advertirem para o risco que implica a propagação da variante Delta.

O surto no país é comparativamente pequeno. Desde o início da pandemia, foram registradas 15.000 mortes, e o governo nunca adotou medidas de confinamento rígido. Apenas 25% da população está completamente vacinada.

O recorde de casos acontece em pleno desenvolvimento dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Nas últimas 24 horas, foram registrados 27 novos contágios, o maior número diário desde o início do evento esportivo, segundo o comitê organizador.

“O contágio está se espalhando a uma velocidade nunca antes vista”, especialmente dentro e ao redor da região de Tóquio, disse o primeiro-ministro Suga.

“A variante delta altamente contagiosa se impõe rapidamente e, se o aumento de infectados, não parar é possível que os hospitais fiquem lotados”, alertou.

Anteriormente, a ministra da Saúde, Norihisa Tamura, afirmou que o governo queria enviar uma “mensagem forte” ao prorrogar o estado de emergência, já que a variante Delta agora responde por “mais de 50% dos casos” em Tóquio.

O atual estado de emergência em Tóquio restringe o horário de funcionamento de bares e restaurantes e proíbe a venda de bebidas alcoólicas. Os especialistas alertam para um relaxamento de seu cumprimento e um aumento de casos entre os jovens.

Leia mais:  Coronavírus: a 'última cartada' de Nova York para tentar conter segunda onda
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana