conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Julho é declarado o mês internacional da prevenção à Síndrome do Olho Seco

Publicado

A campanha foi criada para conscientizar sobre o aumento no número de casos da doença, que está diretamente ligada ao crescimento no uso de celulares e dispositivos digitais durante a quarentena

A partir deste ano, julho passa a ser reconhecido internacionalmente como o mês de combate e prevenção à Síndrome do Olho Seco. A adoção da campanha já vinha sido discutida por autoridades especializadas na área e se tornou ainda mais necessária durante a pandemia da Covid-19, quando hábitos de isolamento da população resultaram no aumento da incidência da doença.

“Essa síndrome é caracterizada por uma deficiência na produção ou na qualidade das lágrimas provocando, principalmente, o ressecamento da superfície do olho. Entre os sintomas estão ressecamento, vermelhidão, ardor e coceira. Os estágios da doença vão de leve a moderado e grave. Os casos de moderado para grave trazem muito desconforto – dor, baixa da acuidade visual, dificuldades no uso de lentes de contato e em atividades de rotina como ler, ver tv, usar o computador. Além disso, o olho sem lágrima é um olho que enxerga mal”, explica a oftalmologista especializada no tratamento da Síndrome do Olho Seco, Liliana Nóbrega.

Ainda de acordo com a especialista, a doença já era considerada um problema global, afetando cerca de 15% da população mundial. “Apesar dos dados já alarmantes da síndrome, profissionais de oftalmologia de todo o mundo têm percebido que o isolamento causado pela pandemia da Covid-19, como principal forma de combate ao novo vírus, trouxe também a necessidade de orientar a população para os riscos de passar tempo demasiado à frente das telas de dispositivos digitais como celulares, televisões, computadores, entre outros”, acrescenta a médica.

Conforme orientado em cartilha da campanha, criada nos Estados Unidos pela Alliance for Eye and Vision Research (AEVR), a exposição prolongada a telas de dispositivos digitais acarreta numa rápida evaporação da lágrima. Isso acontece devido ao menor número de piscadas que a pessoa dá ao utilizar alguns desses objetos, podendo trazer como consequência o aparecimento ou a piora dos sintomas da Síndrome do Olho Seco. Estudos mostram que durante o tempo em que se passa diante das telas, nossas piscadas reduzem 40% em relação a outros momentos do dia.

“A discussão em torno dos efeitos do isolamento e do uso demasiado dos dispositivos eletrônicos já vinha sendo levantada e agora ganha ainda mais reforço com a declaração internacional de mês oficial de combate à doença. Queremos com isso despertar nas pessoas um olhar especial para esta Síndrome, que é uma das principais causas de visita ao oftalmologista e pode causar imenso desconforto ocular”, acrescenta Liliana Nóbrega.

Tratamento

A oftalmologista Liliana Nóbrega trouxe ao Espírito Santo o mais moderno e resolutivo aparelho para o tratamento da “Síndrome do Olho Seco”. De fabricação francesa, o E-Eye utiliza a tecnologia IRPL (Luz Pulsada Regulada de Alta Intensidade). Este é o primeiro equipamento médico desenvolvido especificamente para o tratamento das glândulas de Meibomius (glândulas que produzem lipídios e proteínas para as margens das pálpebras), responsáveis por 75% dos casos do “Olho Seco”.

“O tratamento é realizado com procedimentos rápidos. Duram em torno de cinco minutos e são indolores. O equipamento funciona com uma nova tecnologia de luz pulsada regulada de alta intensidade, o sistema E-Eye, que cria pulsos de luz policromática. A luz emitida não é invasiva, o que não causa comprometimento do globo ocular. Ao ser aplicado na proximidade das pálpebras, esse pulso de luz estimula terminações nervosas das glândulas de Meibomius, favorecendo um aporte maior e melhor da secreção lipídica”, afirma ela.

Estudos clínicos já realizados apontam que cerca de 90% dos pacientes mencionam melhora dos sintomas e satisfação após duas aplicações. Em apenas três aplicações – após a primeira, são feitas outras duas aos 15 e 45 dias -, o paciente já percebe uma diminuição nos sintomas de olho seco.

“É clinicamente possível observar essa melhora. A nova tecnologia induz a restauração da função normal das glândulas de Meibomius. Após o tratamento, pacientes têm relatado a diminuição do uso de colírios”, comenta Liliana Nóbrega.

Uma paciente que já fez o tratamento com ela relatou que, após as aplicações, percebeu uma diminuição nos sintomas de olho seco, a ponto de se esquecer de retirar as lentes de contato na hora de dormir. Com os procedimentos também é comum a redução no uso de colírios ou outros medicamentos.

Leia mais:  "Não é hora disso": os riscos de fazer dieta em tempos de coronavírus
publicidade

Medicina e Saúde

Vacina contra a Covid-19 é aplicada em mais de 20 mil pessoas no Estado

Publicado

Até às 15h desta terça-feira (26), 21.744 mil pessoas do público-alvo foram vacinadas no Estado. Os dados são do Programa Estadual de Imunizações, da Secretaria da Saúde (Sesa). Os municípios da Região Metropolitana de Saúde realizaram, até o momento, a imunização de 9.165 mil pessoas; nos municípios da Região Sul foram 5.352; nos municípios da Região Central foram 5.221 vacinados; e os municípios da Região Norte totalizaram 2.006 pessoas imunizadas.

Quanto aos imunizantes, a população que está sendo vacinada com a CoronaVac deverá receber a segunda dose no intervalo de quatro semanas. Já para a população-alvo imunizada com Oxford-AstraZeneca, a segunda dose será aplicada em um intervalo de 12 semanas, aproximadamente três meses.

Leia mais:  Especialistas orientam sobre necessidade de manter hidratação durante uso de máscaras
Continue lendo

Medicina e Saúde

Estado dá transparência aos dados sobre a vacinação contra a Covid-19

Publicado

O Governo do Estado deu mais um passo para garantir a transparência nas informações sobre o novo Coronavírus (Covid-19): os dados sobre vacinas recebidas, distribuídas e aplicadas no Espírito Santo já estão disponíveis no site Coronavírus (www.coronavirus.es.gov.br). Além dos números atualizados diariamente, a página conta com um painel interativo com detalhes sobre a imunização, como o total de doses enviadas para cada município, a distribuição por grupo prioritário e o percentual de cobertura alcançado em cada grupo.

O painel, em formato gráfico e de fácil entendimento, permite a filtragem e o download dos dados e pode ser acessado por qualquer cidadão. A página também reúne informações sobre os grupos prioritários, fases da imunização e critérios observados para a distribuição das doses no Estado.

“Estamos lançando o Vacinômetro no painel Covid-19 ES, que é o mais transparente e completo do País. Lembrando que o site é uma fonte de informação para as instituições que fazem pesquisa, para a população e para a imprensa. No botão ‘Painel de Vacinação’, o internauta pode conferir todas as informações sobre a vacina, como, por exemplo, quantos profissionais de saúde temos em cada município e quantas doses já foram disponibilizadas. É importe destacar ainda que o painel vai ajudar a evitar desvios, garantindo um maior controle e transparência sobre as doses”, afirmou o governador Renato Casagrande.

A ferramenta é fruto do trabalho conjunto das Secretarias de Controle e Transparência (Secont) e da Saúde (Sesa); da Superintendência Estadual de Comunicação Social (Secom); e do Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Prodest). No decorrer do período de vacinação as informações serão complementadas, de acordo com os grupos prioritários a cada fase da imunização.

Controle social

Leia mais:  Brasil registra 16 casos suspeitos de coronavírus, aponta ministério

Ao investir na divulgação das informações sobre a vacinação, o Governo do Estado fortalece o controle social, como destaca o secretário de Estado de Controle e Transparência, Edmar Camata: “O Estado maximiza a transparência da vacinação, para permitir o controle social e ajudar firmemente na repressão aos desvios já vistos em outros Estados.”

De acordo com o secretário, o Governo do Estado vem atuando de forma preventiva. Para evitar e coibir a possibilidade de utilização incorreta das vacinas, foi criado regramento próprio, prevendo punições para as más condutas e desvios na imunização contra a Covid-19 por meio da Portaria nº 010-R, da Sesa. 

“O Governo tem realizado grandes entregas, como a de hoje para garantir a transparência. Mostrar às pessoas, sempre com clareza, com uma linguagem simples, que tanto um pesquisador quanto um trabalhador comum, que não é da área, possa entender o dado. Permite também que toda a população tenha acesso às decisões e às informações que motivam as nossas decisões”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

Na avaliação do presidente do Prodest, Tasso Lugon, o Vacinômetro é uma ferramenta muito importante para dar mais transparência ao processo de vacinação no Estado contra a Covid-19. “Durante a pandemia, o Prodest desenvolveu diversas soluções para informar à população sobre as ações do Governo de combate à doença. Isso mostra como a tecnologia é importante para a administração pública prestar um bom serviço à população”, enfatizou.

Com o lançamento do painel, o Espírito Santo reafirma seu compromisso com a transparência, como vem fazendo desde o início da pandemia. Compromisso esse que fez do Estado primeiro lugar, com nota máxima, nos dois rankings nacionais que medem a eficiência do Poder Público em prestar informações sobre a pandemia e os gastos realizados para o enfrentamento à Covid-19.

Leia mais:  "Não é hora disso": os riscos de fazer dieta em tempos de coronavírus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana